Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Como se tivéssemos cinco anos

IMG_20220701_224827~2.jpg

(imagem da página do sportinguista Henrique Monteiro no Expresso, de ontem).

Cinco anos, lembro-me bem de ter cinco anos.

Tinha partido de uma aldeia do interior para viver em África, em Angola, tinha regressado à "metrópole" e preparava-me para partir, novamente, para a guerra.

Lembro-me bem do 25 de Abril de 1974 (faria seis anos quatro dias depois).

Lembro-me bem que meu pai já não iria mais para a guerra em África e a família com ele.

Tinha cinco anos e foi um dos dias mais felizes da minha vida.

Ter cinco anos, na minha opinião, não significa ser destituído de inteligência, nem de capacidade para pensar.

Daí o título que dei a este postal, para pensarmos em conjunto, durante o fim-de-semana, como se tivéssemos cinco anos, como se não estivéssemos condicionados pelo "parecer bem" pelo "politicamente correcto", como se pudéssemos pensar por nós próprios.

O tema que trago para reflexão é sobre as arbitragens na última época.

Na minha opinião (como escrevi na altura) o Sporting foi beneficiado em dois jogos, em dois lances, no penalty marcado após uma queda caricata de Paulinho e numa expulsão de Raul Silva, do Estoril, o rapaz joga a bola, tira a bola dali e no movimento descendente da perna toca em Porro, que se colocou a jeito para ser pontapeado, respeito quem viu estes lances de outra forma.

Terão existido outros erros de arbitragem?

Onde e quando?

Terão existido erros que deram pontos a alguma equipa que lutava pelo título?

Terão existido expulsões injustas e equipas que obtiveram pontos e golos de uma forma anormal em jogos que terminaram 11x10 ou 11x9?

Ou pelo contrário, todos os jogos foram bem arbitrados e devido a essa excelência, da arbitragem portuguesa, Portugal vai ser o país com o maior número de árbitros no próximo campeonato do mundo?

O preço certo

202206283128_183931.png

Pedro Correia escreveu um postal sobre a importância de comprarmos um Peyroteo.

Com Peyroteo na equipa teríamos vencido o campeonato passado?

O FC Porto terminou com mais 13 golos que o Sporting (vamos esquecer os 7-0 ao Portimonense) facto.

Ao esmiuçarmos os jogos que o FC Porto e Sporting terminaram em superioridade numérica e os golos obtidos nesses jogos, constatamos que o FC Porto obteve 27 golos nessas condições e o Sporting 8.

Depois da goleada de pontos que já tinha sido referida no postal de 24 de Maio, a goleada obtida em vantagem numérica.

Podemos continuar a assobiar, cantando e rindo, podemos pensar que um Peyroteo é que fazia falta ou então podemos olhar para a realidade dos números e pensar que, provavelmente, as arbitragens foram determinantes na atribuição do título ao FC Porto.

Santos, anda cá ver isto, n° trinta e quatro

202205252425_144924.png

O Bom:

- Jorge Jesus, não como treinador do Benfica mas como mentor de Sérgio Conceição. Jorge é a Ana Bacalhau e o Tatanka de Sérgio. Foi com o treinador nascido na Amadora que o treinador do FC Porto aprendeu a "ganhar, limpinho, limpinho". A imagem foi obtida em Felgueiras (famosa pelo saco azul).

- Sérgio Conceição, o aluno que consegue ser pior melhor que o mestre, despedido de Olhão, de Coimbra, de Braga e de Guimarães, encontrou no Porto a "cultura desportiva" adequada para mostrar as suas (dele) capacidades.

- Sporting (deixámos para trás o registo irónico-humorístico) quarto jogo consecutivo a golear. Desta vez a vítima foi o Santa Clara, encaixou quatro. Últimos quatro jogos do Sporting 14 golos marcados, 3 sofridos (últimos quatro jogos do FC Porto 7 golos marcados, 4 sofridos).

- Moreirense, apesar do que aconteceu no jogo com o FC Porto, Sá Pinto continua com hipóteses de ficar na primeira divisão.

- Geny Catamo, duas maravilhosas assistências para golo, a última para um golo de Ricardo Quaresma. Quaresma, Geny e Pepa, o velho, o rapaz e o burro.

O Mau:

- Os empates da B-SAD e do Tondela, enquanto há vida, há esperança mas é preciso fazer por isso.

- Sporting de Braga, mais uma derrota. Mais um treinador despedido. Agora vem Artur Jorge, "deixem-me sonhar".

- O Estoril, depois do que aconteceu na 17ª jornada deveria ter entrado no Dragão com um espírito de recuperar em campo aquilo que lhe tinham tirado sabe-se lá onde. Não o fez, foi uma equipa meiga, macia, deveria ter pressionado o Matusalém da defesa portista (ainda assim teve de ser substituído) deveria ter sido uma equipa mais consistente (o jogo terminou sem cartões).

O Vilão:

O sistema, foi o sistema que fez do Porto campeão. O mesmo sistema que é esmiuçado pelas instâncias internacionais e que não permite a presença de nenhum árbitro português no Mundial. Cá se fazem, lá não se pagam.

Os betinhos e a malta das barracas

22303469_blSJT.png

22303470_gs31s.png

Duarte Gomes no jornal A Bola de sábado passado (pág 20 e 21) fez uma soma em função dos cartões amarelos e vermelhos das equipas bem e mal comportadas (é assim que lhes chama).

A mais bem comportada seria o FC Porto, a mais ruim a B-SAD.

Os betinhos da Torre das Antas no topo e os pés descalços, da barracaria, do vale do Jamor no fundo.

As contas, a meu ver, estão erradas (lalvez algum leitor possa ajudar).

Quatro expulsões a jogadores do Porto; Toni Martinez aos 87' do Sporting vs. Porto, Taremi 95' do Porto vs. Paços de Ferreira, Uribe 85' do Porto vs. Famalicão e Grujic 79' do Moreirense vs. Porto, até aqui tudo bem.

Já o Sporting aparece com seis expulsões, só recordo quatro; Matheus Reis 80' do Braga vs. Sporting, Neto 21' do Gil Vicente vs. Sporting, Daniel Bragança 90' do Santa Clara vs. Sporting e Coates (rir) 49' do Porto vs. Sporting.

Até agora vimos os jogos disputados por ambas as equipas em inferioridade numérica, é importante olharmos, também para os minutos é diferente uma expulsão aos 21' ou aos 95', no caso da expulsão de Grujic (79') o apitadeiro de serviço expulsou logo um defesa da equipa de Sá Pinto para equilibrar as coisas. Nos jogos referidos o Porto perdeu dois pontos com o Sporting e o Sporting perdeu cinco pontos, dois com o Porto e três com o Santa Clara.

Parece equilibrado, não é?

Vamos introduzir outra variante os jogos disputados em superioridade numérica

Tondela (jogador expulso aos 28') 1 vs. Porto 3

Santa Clara (jogador expulso aos 63') 0 vs. Porto 3

Porto 2 vs. Vitória SC (jogador expulso aos 53') 1

Vizela (jogador expulso aos 52') 0 vs. Porto 4

Porto 3 vs. Benfica (jogador expulso aos 49') 1

B-SAD (jogadores expulsos 31'  e 94') 1 - Porto 4 [antes da expulsão a B-SAD vencia e dominava o jogo]

Porto 2 vs. Sporting (jogador expulso aos 49') 2

Porto 1 vs. Gil Vicente (jogador expulso aos 2') 1

Porto 4 vs. Tondela (jogador expulso aos 67') 0

Vitória SC (jogador expulso aos 80') vs. Porto 1.

Se não me enganei nas contas são 26 pontos "conquistados" em superioridade numérica.

E o Sporting, não venceu jogos em superioridade numérica?

Venceu o Estoril, o Portimonense e a B-SAD, curiosamente, o jogador do Portimonense expulso é um rapaz da Póvoa de Varzim (Pedro Sá) que na primeira volta tinha desbloqueado o resultado a favor do Porto marcando um vistoso golo na própria baliza.

Contas feitas; Porto 26, Sporting 9, mais uma goleada à Porto, são estes números que explicam a conquista do campeonato por parte dos betinhos bem comportados, na primeira imagem vemos o capitão do FC Porto a acariciar o capitão do Sporting, uma imagem que diz tudo.

Santos, anda cá ver isto, n.° trinta e três

22281815_2sOmC.png

Antes de começar a escrever sobre a jornada 33, devo dizer que tive um bloqueio criativo, não queria escrever sobre esta jornada, não queria escrever sobre o que se passou no estádio da freguesia de São Domingos de Benfica. Não queria admitir que por causa do Benfica (e não só mas lá iremos) o Sporting não teria a oportunidade de disputar o jogo em Portimão, a pensar no título, não teria oportunidade na última jornada, frente ao Santa Clara, de ser campeão em Alvalade, esqueçamos tudo isso (peço desculpa, também, pelos sucessivos adiamentos desta publicação que levaram à sua publicação inopinada). Vamos a isto:

O Bom:

- Pêpê Rodrigues, nasceu em Sátão, brilhou em Famalicão. Um jogão contra a empresa futebolística que vai descer de divisão. Quem não viu, visse.

- Sarabia, faz o difícil parecer fácil. O melhor jogador do campeonato português 2021/2022.

- Sporting, fez um jogo à campeão, em Portimão.

O Mau:

O cabelo de Darwin, não fosse aquele caracol por cima da orelha de Darwin e o uruguaio estaria em jogo. É impossível, sem margem de erro, com o sistema que existe actualmente (é por isso que todo o sistema do VAR vai ser alterado) determinar um fora-de-jogo de dois centímetros. Não se trata de confiar ou de desconfiar das pessoas é, simplesmente, impossível triangular o centésimo de segundo exacto em que a bola sai do pé do jogador que faz a assistência e o movimento do atacante e do defesa. O que dizem as regras: "em caso de dúvida, proteger quem ataca".

Para memória futura; arbitro Luís Godinho (com um penteado à Godinho, Darwin estaria em jogo e o golo seria legal) e VAR o nosso, bem conhecido, João Pinheiro, a par de Artur Soares Dias, os dois grandes responsáveis pelo título do FC Porto.

- As derrotas da B-SAD e do Tondela, ficaram, praticamente condenados à descida de divisão.

- O Vitória SC, outro dia mau, definitivamente, arredado do quinto lugar.

O Vilão:

O sistema, foi o sistema que fez do Porto campeão. O mesmo sistema que é esmiuçado pelas instâncias internacionais e que não permite a presença de nenhum árbitro português no Mundial. Cá se fazem, lá não se pagam.

Santos, anda cá ver isto, n.° trinta e dois

22281815_2sOmC.png

O Bom:

- Miguel Nogueira, normalmente, os árbitros só têm destaque pela negativa mas a excelente exibição do árbitro substituto em Alvalade merece ser referida.

- Sporting, o rolo compressor leonino voltou a funcionar. Desta vez foram quatro golos marcados ao quinto classificado do campeonato.

- Famalicão, uma época com altos e baixos mas a garantir a permanência a duas jornadas do fim.

- Ricardo Horta. Santos anda cá ver isto, estás à espera que (como aconteceu com João Mário) seja jogador do Benfica para merecer ir à selecção?

O Mau:

- Estoril, mais uma derrota, nas últimas cinco jornadas não conseguiu vencer.

- Gil Vicente, mais uma derrota, nas últimas cinco jornadas não conseguiu vencer, contudo, isso não justifica a azia de Ricardo Soares (como veremos abaixo).

O Vilão:

- Ricardo Soares, o Gil Vicente não vence há cinco jogos, facto. A quebra exibicional que é normal, não pode justificar o descontrolo verbal do treinador. Perder 4-1 e vir choramingar contra a arbitragem roça o patético, seria como se o terceiro classificado estivesse mais interessado em fazer comunicados a criticar a arbitragem do jogo Sporting / Gil Vicente do que em vencer o jogo com o Porto na Luz.

Santos, anda cá ver isto, n.° trinta e um

22281815_2sOmC.png

O Bom:

- Sporting, uma vitória esmagadora, incontestável, um futebol sem banhos tácticos mas com uma voracidade sôfrega de tragar e tragou. Tritragou uma das melhores equipas deste campeonato, a jogar em casa, um Boavista que ainda não tinha perdido, como visitado, sem influência arbitral (perdeu com o FC Porto nas circunstâncias conhecidas). As outras quatro equipas que estão nos cinco primeiros lugares marcaram dois golos nesta jornada (Braga e Gil Vicente, um; Porto e Benfica, bola) isso diz muito da capacidade concretizadora do Sporting nesta recta final do campeonato. Golo, golo, golo e golo anulado por 23 cm (o cumprimento de uma garrafa de água de 0.5 l) podia ser o resumo do jogo entre leões e panteras.

- A arbitragem de Hugo Miguel, depois do jogo Sporting - Braga e do jogo Porto - Benfica em que as equipas com sede em Lisboa foram, penosamente, castigadas mostrou que, afinal, sabe arbitrar. Bom nas decisões técnicas, péssimo no capítulo discipinar, Evanilson, Taremi e Pepe fizeram mais um jogo sem verem o cartão vermelho, será para continuar?

- Nélson Veríssimo, mais um banho táctico, desta vez ao Famalicão, conseguiu não sofrer golos, assegurar, matematicamente, o terceiro lugar e vencer um torneio internacional de sub-19 (espero bem que se mantenha como treinador principal do Benfica, está a fazer um excelente trabalho).

- Moreirense, depois do Portimonense estar há duas semanas a preparar "esta final" temia-se o pior. Uma goleada por 7 ou a mais a zero. Afinal o Portimonense só venceu por um, tanta poupança para quê?

O Mau:

- FC Porto, depois de não ter participado na Super Taça, de ter perdido a Taça da Liga, de ter sido eliminado da Liga dos Campeões, depois de ter sido rebuscado para a segunda divisão europeia, para sair sem honra nem glória da Liga Europa, com um pontapé no rabo, desferido por uma equipa que, em França, luta para não descer, depois de tudo isso, dizia mais um fracasso, desta vez provocado pela equipa de Ricardo Horta, um jogador mediano que não tem classe para a a selecção de Fernando Santos.

- Famalicão, levou um banho táctico na Luz e viu os adversários a celebrarem, efusivamente, a conquista do terceiro lugar.

O Vilão:

- Luís Gonçalves, há quem lhe chame gnomo de jardim com fato e gravata, nada mais incorrecto, eu chamar-lhe-ia o Usain Bolt com problemas capilares, é invejável o arranque e a velocidade que o vociferante dirigente demonstra, no final dos jogos, enquanto dispara perdigotos em todas as direções.

Péssima notícia para o Sporting

De banho táctico em banho táctico

22286411_nOnZf.png

Depois do banho táctico em Alvalade, Costa, Veríssimo e o Benfica aplicam outro banho táctico ao Famalicão.

O Famalicão entrou fanfarrão na Luz mas o Benfica não foi em cantigas, mais um jogo sem sofrer golos.

Este tem um sabor especial, matematicamente, Costa, Veríssimo e o Benfica asseguram o terceiro lugar.

Vamos agora ao que nos interessa, para o Sporting foi um péssimo resultado, será um Braga desmotivado e sem objectivos que entrará em campo com o FC Porto.

Santos, anda cá ver isto, n° trinta

22281815_2sOmC.png

O Bom:

- A farturinha de golos. Em três jogos marcaram-se 15 golos, uma média de 5 por jogo.

- O banho táctico, diz-se de uma equipa que tem, forçosamente, de vencer um jogo, engendra uma táctica com nove jogadores a defender, passa o jogo inteiro a fazer anti-jogo, há um jogador dessa equipa que imita o seu (dele) presidente e vê cartão amarelo por atrasar a substituição, enfim só elogios para uma equipa que na soma dos dois jogos foi inferior à equipa banhada tacticamente.

- A expulsão perdoada a Nuno Santos, quem vê futebol há alguns anos lembra-se deste lance entre Jorge Andrade e Deco. Foi justa a expulsão de Jorge? 

- Kevin Mirallas, o avançado do Moreirense (Sá Pinto) que já tinha marcado em seis campeonatos nacionais diferentes, nesta jornada tornou-se KM7.

O Mau:

- O Portimonense, fazer descansar o guarda-redes titular, Samuel Portugal, para estar au point para o jogo com o Moreirense parece anedota, não foi. Outros rapazes da equipa algarvia aproveitaram para descansar também, vamos ver o que dá tanta poupança.

- Taremi, não há Páscoa sem lua cheia nem jogo do Porto sem um penalty que os favoreça (já era assim no tempo de Mourinho e Deco)

- Gonçalo Inácio, não quero ser injusto, parece-me que sempre que o defesa, imprescindível para Fernando Santos, joga do lado esquerdo, as coisas correm mal, menos bem, vá.

O Vilão:

- Hélder Malheiro, foi para Guimarães com a lição bem estudada. Três penaltys a favor do Vitória e expulsão de um jogador do Paços. Pepa venceu à FC Porto.

Santos anda cá ver isto, n.° vinte e nove

22281815_2sOmC.png

O Bom:

- Sporting, num campo que se adequava mais a semear batatas que a jogar futebol, resolveu cedo e depois geriu o resultado, adaptando o futebol praticado às péssimas condições do terreno.

- Sá Pinto, venceu uma das equipas mais difíceis desta Liga, será que ainda vai a tempo de salvar o Moreirense?

- Paços de Ferreira, a César o que é de César, uma vitória importante sobre o Marítimo.

O Mau:

- Pinheiro, o apitador de serviço em Guimarães.

- Taremi, duas simulações que num futebol sério lhe teriam valido a expulsão, aqui deram três pontos ao clube do apito dourado.

O Vilão:

- António Miguel Cardoso, é sócio do FC Porto e presidente do Vitória Sport Clube. O silêncio ensurdecedor que se seguiu ao maior assalto ocorrido em solo português (maior que o de Tancos) diz-nos bem por quem sofre o Tó Miguel.

(infelizmente, desta vez, os pontos roubados não vão aparecer na Chamusca)

Santos anda cá ver isto, n.° vinte e oito

 

22276677_YQHaq.png

O Bom:

- A vitória do Sporting, foram dois mas podemos abdicar do primeiro golo e contar só com o segundo. Um a zero. Três pontos.

- André Silva, o deputado do PAN?

Não. Este joga futebol e fez pim, pim, PAN, pum. A ver e rever o segundo golo do Arouca, às vezes não é preciso caminhar muito com a bola, é preciso é encaminhá-la para a baliza.

- Hortas, em tempos de crise é bom ter Horta, poupa-se. Os irmãos Horta não se pouparam mas pouparam energia; desligaram a Luz.

- Desempatados, cinco vitórias em casa, quatro vitórias fora. Jogar para o empate? Só na selecção.

O Mau:

- VAR, intervém quando não pode e esquece-se de intervir quando deve.

- Estoril, derrotado em casa, os bichos da seda, de Vizela, comeram na Amoreira.

O Vilão:

- David Simão, tinha 10 anos quando começou a aprender a dar porrada ali para os lados de Carnide, anos depois, Camacho viu nele potencialidades, ter-lhe-á dito: "viene a iogar com nosoutros tu bates biene". Batia e continua a bater, o desgraçado do Gil Vicente que o diga, felizmente, para o Arouca, o ex-batedor do Benfica só atrapalhava. Com dez venceram os onze galos de Barcelos.

A queda e a polémica

2022044564_125056.png

Há queda.

Não há polémica.

O que o árbitro decide no campo neste tipo de lances, está decidido.

O protocolo do VAR não prevê a intervenção neste lance, como não prevê no lance de Taremi em Roma e como, também, não prevê no lance de Matheus Reis, em Alvalade, com o Braga.

O Sporting foi beneficiado neste lance? Foi.

Na minha opinião, o Sporting devia pedir para este golo ser retirado das contas finais, com a perda dos pontos que foram averbados graças a este golo.

Dever-se-ia tomar a mesma atitude, a mesma opção, em todos golos, em todos os resultados que foram fruto de jogos, indiscutivelmente, mal apitados neste campeonato.

Santos anda cá ver isto, n° vinte e sete

2022035205_152520~2.png

O Bom:

- Paulinho, golo e nota artística.

- Edwards, golo, nota artística e reacção de Homem.

- Ricardo Horta, exibição consistente, solidária e positiva do melhor marcador português do campeonato, 15 golos. Mais uma vez se comprova o olho de lince de Fernando Santos.

O Mau:

- Estupidan, afinal sabe. Sabe marcar golos. Confrontar com "golos falhados" no SLB vs. VSC. O que passou-se? (naquele dia).

- As vitórias por diferença mínima. O campeão nacional foi o único a marcar três golos e a vencer por dois golos de diferença.

- O golo de Rafa à Ingemar Stenmark.

O Vilão:

- Artur Soares Dias, dantes erravam porque não viam, agora vêem com a imagem em movimento, em câmara lenta e parada, vêem mas continuam a errar (sempre em benefício dos mesmos) porquê?

Santos anda cá ver isto, n° vinte e seis

2022035205_152520~2.png

O Bom:

- Matheus Nunes, muito bem a fazer aquilo que o jogo pedia. Na primeira parte, participa nos dois golos, transporta a bola, remata e fecha espaços. Na segunda parte, ajuda a guardar a vantagem, muito consistente, tacticamente, controla o ritmo (baixo) do jogo, nesta altura da época é essencial guardar forças.

- Francisco Geraldes, melhor em campo na Amoreira, "esteve" em todos os golos do Estoril.

- Paços de Ferreira, pela vitória fora, pelo futebol organizado que apresentou em Arouca.

- Janvier, golão do bretão da terra da imersão. Na cidade natal do jogador vimaranense o vinho bebe-se após uma "immersion" em água do mar.

O Mau:

- FC Porto, mais um jogo nacional "normal". Penalty à Taremi. Expulsão à frutóchoclate. Três golos em superioridade numérica e um de penalty. Sem extras, Porto e Tondela empatariam a zero.

- A arbitragem do Benfica vs. Vizela, os árbitros deviam procurar apitar o melhor possível, os jogadores deviam preocupar-se em jogar à bola. As simulações e as faltas e faltinhas (principalmente dos jogadores do Benfica) não contribuiram para um bom desempenho da equipa de arbitragem.

O Vilão:

-David Berenguer, ex-defesa central do Real Madrid (Real Madrid C, entende-se) actual presidente do Tondela. Despede o treinador que levou o clube beirão até à final da Taça de Portugal, numa semana em que o clube de Tondela foi, escandalosamente, roubado no Dragão.

Santos anda cá ver isto, n° vinte e cinco

2022035205_152520~2.png

O Bom:

- Slimani, Chéraga, ver e vencer, pelo Sporting. Dois golos num jogo, quase a igualar os três de Paulinho com o Portimonense.

- Vasco Seabra, quando aterrou no Cristiano Ronaldo, encontrou um clube com sete pontos em onze jornadas, catorze jornadas depois, o Marítimo, que estava em penúltimo, tem mais 25 pontos e espreita a Europa.

- Andrew, não estou a falar do Ridgeley que fazia fazia suspirar as adolescentes dos anos 80 com temas, tipo "Notlhing looks the same in the light". Foi no estádio da Light, da Luz que este Andrew se estreou com uma vitória e um golo sofrido, cinco jogos depois, mais dois golos sofridos. Média de meio golo por jogo.

O Mau:

- A escola de samba do FC Porto. No onze inicial, cinco atletas nascidos no Brasil mais o trio de percussão, Mbemba no pandeiro, Taremi no surdo e Uribe no tamborim. Restam três nascidos em Portugal para se saracotearem.

- Benfica, com tochas e apitador sai-se vencedor.

O Vilão:

- Os atiradores de tochas, de potes de fumo e de toda uma panóplia de artefactos pirotécnicos. Será necessário mais algum adepto de futebol ser assassinado, num estádio, para se tomarem medidas a sério?

Santos, anda cá ver isto, n° vinte e quatro

2022035215_081221.png

O Bom:

- Zainadine Júnior e Bruno Xadas, o moçambicano na defesa e o português a ligar a defesa e o ataque foram os principais responsáveis pelo empate conseguido pelos Ilhéus.

- Slimani, o regresso do goleador.

- Boavista, a primeira vitória conseguida fora de casa.

- Famalicão, depois de um início de época titubeante, está a aproximar-se do desempenho conseguido em épocas passadas. A chicotada psicológica resultou.

O Mau:

- Portimonense e Boavista, só um português no onze inicial.

- Benfica, Marítimo e Arouca, só dois portugueses no onze inicial.

- Pepa, goleado pela legião estrangeira de águia no peito.

- Empates, cinco empates, duas vitórias forasteiras e duas vitórias caseiras.

O Vilão:

- Manuel Mota, o árbitro que teve coragem de avermelhar Carvalho aos 2'. Foi uma arbitragem a rimar com o nome do jogador expulso, mesmo assim o FC Porto, apesar da vantagem numérica, esteve a perder quase até ao fim do jogo. Pode uma equipa que, mesmo com ajudas, joga tão pouco, ser campeã?

Os maridos de César

22253941_DmCS2.png

Dizia um velho ditado machista:

"À mulher de César não basta ser séria, tem de parecer séria".

Alguns árbitros portuguesa não são, nem parecem sérios.

O Gil Vicente já mostrou nestes 45 minutos iniciais que é melhor que o FC Porto, na minha opinião, não deviam entrar para a segunda parte.

A UEFA e a FIFA têm de tomar medidas em relação ao que está a acontecer no futebol português.

Pontos perdidos

202202273027_104030~2.png

Estes foram os clubes com os quais perdemos pontos.

Famalicão, Porto, Santa Clara e Marítimo; fora (9 pontos)

Porto e Braga; casa (5 pontos).

Dado curioso, os jogos disputados com o Santa Clara e com o Marítimo, implicaram várias alterações à rotina da equipa, viagens de avião, uma hora a que não é normal o Sporting jogar.

O jogo de ontem foi disputado às 18h00 o jogo nos Açores às 18h30 (cinco pontos perdidos).

As contas do título são muito fáceis de fazer, o Sporting não pode perder mais nenhum ponto, faltam-lhe 10 jogos, 30 pontos. O Porto se escorregar três vezes (duas derrotas e um empate) nos 11 jogos, 33 pontos, não será campeão.

É fácil?

Com arbitragens imparciais nos jogos do Porto não seria impossível, com mais "Estoril vs. Porto" ou "Moreirense vs. Porto" podemos entregar já o escudo de campeão ao clube de Bobby (o cão).

Vou estar muito atento à arbitragem de hoje, em jogo jogado, o Gil Vicente é superior a este Porto sem Diaz.

Santos, anda cá ver isto, n.° vinte e três

22252277_sMaZt.png

O Bom:

- Sporting, três golos sem resposta, a uma das melhores equipas deste campeonato. A qualidade dos canarinhos não oferece dúvidas, basta ver a forma como o FC Porto os conseguiu derrotar, com uma das arbitragens mais vergonhosas deste campeonato.

- Boavista, um clube bipolar. Uma primeira parte a pensar "Petit". Na segunda parte, os jogadores deram um murro na mesa,  foram para cima do Benfica, venceram esses 45' por 2-0 e poderiam ter goleado.

- Arouca, três a um em Guimarães. Pepa olha para as bancadas e vê lenços da cor do Vitória Sport Clube, será bom sinal?

- Banza, um golo e duas oportunidades falhadas no Caldeirão, decisivo na vitória do Famalicão.

O Mau:

- O toque, foi assim que os entendidos (não confrontar com definição da palavra por João Ubaldo) definiram o lance onde Godinho & Ferreira perdoaram a expulsão de Uribe e um penalty a favor do Moreirense. Mais um retoque no calor da noite. No final do encontro, mais uma vez, os provocadores do clube que proporciona viagens e aconselhamento matrimonial aos árbitros, provocaram distúrbios. Normal.

O Vilão:

- Fábio Cardoso, o novo Pepe, mais artista de teatro que desportista, mais lutador de "full-contact" que jogador de futebol. Como é possível ter acabado mais um jogo sem ver cartão vermelho?

Santos, anda cá ver isto, n° vinte e dois

20220213913_223809.png

O Bom:

- Sporting, não vou acrescentar mais nada, todos vimos, ouvimos e lemos o que se passou no estádio do Dragão, não podemos ignorar. Apesar do campo inclinado, de uma expulsão injusta, de balas espalhadas pelo campo, apesar de tudo, encurtámos a distância para o primeiro lugar.

- Safira, pouparam-lhe a expulsão e redime-se marcando um golo decisivo, nestes pormenores se decidem campeonatos, presenças nas provas da UEFA e descidas de devisão, recordemos:"Safira, uma cotevelada preciosa. Agride Gonçalo Inácio, falta para vermelho, nem vermelho, nem segundo amarelo, expulsões de jogadores da B-Sad, nem pensar, o jogo não era com o FC Porto".

- Ricardo Horta, mais um jogo a carregar o Sporting de Braga às costas, Fernando Santos faz como os três macacos; não ouve, não vê e não fala.

- Famalicão, o Manchester City do Minho. Famalicão 5, Moreirense 0 (interessante vai ser o Moreirense a retribuir a goleada na próxima jornada se "os poderes do futebol" o deixarem, claro)

O Mau:

- Fernando Santos, um seleccionador nacional não pode servir só para ganhar milhões e estender o peito às comendas e às medalhas, não pode fazer como os três macacos; não ouve, não vê e não fala.

Numa situação como a que ocorreu no final do jogo no Dragão, o seleccionador nacional, que já foi treinador do FC Porto e do Sporting, tem de ter uma opinião sobre a organização do jogo, tem de se pronunciar sobre o comportamento de Pepe, de Otávio e de Palhinha como jogadores da selecção nacional.

- A organização do jogo no Dragão. Hoje há um jogo no mesmo estádio, se existirem coletes amarelos, coletes azuis e dirigentes do Porto baixinhos e carecas a agredirem ou a tentarem agredir os jogadores da Lázio, se roubarem o telemóvel e a carteira do presidente da Lázio, se roubarem o relógio do Jovane, se isso tudo voltar a acontecer,o que se passou na sexta-feira foi normal, é futebol, se nada disso ocorrer, é simples, o que aconteceu na sexta-feira não foi normal, não é futebol, o clube que organizou o jogo tem de ser castigado com descida de divisão se for necessário.

- Pepe, um jogador a mais no futebol. O vinho do Porto envelhecido, em cascos de carvalho, fica melhor, Pepe quanto mais envelhece, mais vontade tenho de o mandar para o cara...mulo, beber água, relaxar nas termas.

- O Vitória Sport Clube, 17 jogos consecutivos sempre a enfardar golos, temos de recuar à época 1950/1951 para encontrar semelhante registo.

O Vilão:

- Taremi, a impunidade à solta. Faz o que quer, no Rio Ave simulou três penaltys em Alvalade e foi o que foi. Na sexta-feira agride Coates em falta para vermelho (Tabata e Daniel Bragança foram expulsos por menos) no lance do golo faz falta sobre Feddal (jurisprudência, Coates sobre o guarda-redes do Famalicão, na época passada) e ninguém viu, o VAR, Godinho, provavelmente, foi fazer cocó, nesses dois momentos. A impunidade de Taremi começa a ultrapassar a justiça desportiva. Um cidadão português pode ir, impunemente, para a Republica Islâmica do Irão agredir pessoas e ludibriar as regras da antiga Pérsia?

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D