Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Batucada

96843bd397fbcbb801ce77ac8a8d3c77--guiné-bissau-an

Cabo Verde é uma terra de gente boa, com poucos recursos naturais demonstram um nível cívico elevado e um histórico de tranquilidade e convivência. De Cabo Verde sairam para o Sporting atletas e homens como Oceano e Nani e mais recentemente Jovane. E gostam de batucada. 

Tal como a sardinha atrai tubarões, a gente boa atrai espertalhões, e houve um desses que resolveu inventar um protocolo com um tal clube chamado Batuque, com base em 7 nomes de jogadores mais ou menos desconhecidos e alguns em parte incerta, dias depois do assalto a Alcochete, e lá foram 330,000€ transferidos com as assinaturas de Bruno de Carvalho e Carlos Vieira destinados ao tal Batuque.

Dizem que o vinho melhora muito quando se leva a navegar pelos trópicos, parece que o "torna-viagem" esteve na origem do que é o vinho da Madeira.

O dinheiro também ? Mesmo com "marinheiros de primeira viagem", como dizia um empresário amigo do presidente do tal Batuque ?

SL

 

Adereços de grande área

Nem tudo muda na selecção nacional. Éder e Hugo Almeida continuam a ser convocados como adereços de grande área. Um conserva a sólida mobilidade de um pinheiro manso, o outro mantém incólume a virtuosa virgindade em matéria de golos que já lhe granjeou fama com o emblema das quinas ao peito.

Este cenário tão familiar é de algum modo aconchegante. A tal ponto que remete para nota de rodapé a inédita derrota da selecção portuguesa ocorrida esta noite frente à de Cabo Verde. Levámos tão à letra o facto de se tratar de uma partida amigável que abdicámos de pontas-de-lança. Ou antes: fizemos alinhar consecutivamente Hugo e Éder, o que vem a dar no mesmo.

Sporting além-fronteiras

Em 2005 fiz uma visita de trabalho a Cabo Verde quando faltavam poucas jornadas para o fim do campeonato. Como muitos de vós se recordam, esse foi um campeonato renhido quase até ao fim, com aquele clube de nome de bairro a roubar-nos a taça, depois de uma vitória sobre o Sporting (odiei o Luisão…) e, na última jornada, a empatar com o Boavista (fracos!), assegurando o título.

Durante a semana que passei naquele arquipélago africano senti-me em casa por vários motivos, entre os quais futebolísticos. Ouvi o relato Benfica-Sporting na ilha do Fogo, rodeado de diversas personalidades cabo-verdianas, onde pontuavam benfiquistas e sportinguistas. Fomos para um jantar oficial, que coincidiu com a hora do jogo, e confesso-vos que foi muito divertido ver a quantidade de vezes que os convivas (incluindo eu próprio) se levantavam para tentar saber como é que estava o derby. Tudo isto perante a surpresa da delegação chinesa presente, que estranhava ver membros do Governo cabo-verdiano a torcer e a sofrer por um clube estrangeiro.

O jogo lá terminou, com Luisão a marcar nos últimos minutos de jogo (raiva!!!), e o resto do jantar foi passado a discutir que hipótese teria ainda o Sporting de ganhar o campeonato, depois deste desaire. Foi surreal, por se passar num país estrangeiro, mas mostrou-me uma realidade que até então nunca me tinha apercebido. Mais do que a língua, a história comum, a herança cultural e o que se quiser, o que une Portugal e as suas ex-Províncias Ultramarinas são os clubes de futebol.

O Sporting liga portugueses e lusófonos. Torna-nos iguais. No sofrimento e nas alegrias que o Clube nos dá. Independentemente da nossa nacionalidade ou da nossa geografia. E isso vale mais do que anos e anos de diplomacia entre Estados e entre Governos. Fica o desafio: Para quando a inclusão dos jogadores de futebol nas comitivas oficiais do Estado Português para ajudarem a fechar negócios em África?

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Mais comentados

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D