Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O bom, o óptimo e o filão

202201132413_143424.png

André Franco, começou a jogar no Sporting Clube de Portugal, com seis anos de idade, actualmente, está no Estoril-Praia.

Com 23 anos de idade, André Franco é a grande revelação da primeira volta.

Sobre ele escrevi em 2022.01.04 neste postal do Pedro Correia:

"O médio, actualmente, no Estoril é a grande revelação da época.
Com 23 anos, mais de metade dos quais passados ao serviço do Sporting Clube de Portugal, é um médio evoluído, tacticamente, fecha bem os caminhos para a baliza e é rápido e inteligente a construir jogadas de ataque.
Uma excelente alternativa a Matheus Nunes, a Daniel Bragança ou mesmo para jogar mais encostado às linhas".

Escrevi em 2021.10.30:

"O bom; André Franco do Estoril, um autêntico nove e meio, faz a equipa jogar e marca golos, já vai com cinco tiros certeiros".

Em 2021.12.29:

"O bom; André Franco, mais duas assistências, uma delas à Madjer de pé descalço [aqui numa referência óbvia ao sportinguista Madjer do futebol de praia]".

No dia passada segunda-feira voltei a referir André Franco, desta forma:

"O bom; Estoril-Praia, heróis e mártires. Bruno Pinheiro, o treinador e André Franco, o jogador. Sobre André já escrevi várias vezes, é só rever as recepções de bola, os passes, a inteligência técnico-táctica (ah pois é, também, sei escrever à Freitas Lobo) que coloca em tudo o que faz. Até a protestar tem classe, chamou ao árbitro: "ignóbil descendente de Madalena bíblica", o apitador, coitado, não percebeu mas mostrou-lhe cartão amarelo. Bruno Pinheiro disse tudo em duas palavras: Campo inclinado".

A carreira de André, de leão rampante ao peito, aparece em diversos vídeos no YouTube (provavelmente noutras plataformas, também) fiquem com este resumo do leãozinho

Para conhecer o desempenho de André na actualidade podemos conferir aqui.

Santos, anda cá ver isto, n° dezassete

20220110710_101207.png

O Bom:

- Santa Clara, a única equipa a conseguir vencer o campeão nacional. Excelente desempenho da equipa de São Miguel, Açores.

- O regresso vitorioso de Ricardo Coração de Leão, andou em cruzada em terras de infiéis (não acreditaram nele). Voltou. Jogou fora e venceu. Ricardo Sá Pinto, melhor que Sérgio Conceição, melhor que Amorim, comparando com outros campeonatos, melhor que Mourinho (rir), melhor que Ancelotti e melhor que Guardiola, 100% vitorioso.

- Estoril-Praia, heróis e mártires. Bruno Pinheiro, o treinador e André Franco, o jogodor. Sobre André já escrevi várias vezes, é só rever as recepções de bola, os passes, a inteligência técnico-táctica (ah pois é, também, sei escrever à Freitas Lobo) que coloca em tudo o que faz. Até a protestar tem classe, chamou ao árbitro: "ignóbil descendente de Madalena bíblica", o apitador, coitado, não percebeu mas mostrou-lhe cartão amarelo. Bruno Pinheiro disse tudo em duas palavras: Campo inclinado.

- Portimonense, o Algarve pela sua localização é apetecível para ataques vindos pelo mar, ataques marítimos, foi o que aconteceu, os piratas atacaram, roubaram (cf, com golo anulado ao Portimonense) e foram-se embora cantando alegremente: "eu sou o pirata da perna de pau, com olho de vidro e cara de mau". Um abraço solidário para Paulo Sérgio, assim é difícil ganhar jogos.

- Oday, o israelita (palestiniano para alguns) foi um verdadeiro 7, entrou no minuto 27, marcou no minuto 37, viu amarelo no minuto 57 e foi expulso no minuto 77.

O Mau:

- Oday, o palestiniano (israelita para alguns) substituiu, marcou, amarelou e avermelhou, é obra.

- Grimaldo, apesar do renitec, senti o coração disparar. Queres ver que ele se apaga, pensei. O anão vermelho (excesso de linguagem sem ofensa para as pessoas que padecem de nanismo) revolvia-se com convulsões, a espumar pela boca, quase no estertor final. Afinal não foi nada. Foi. O jogador do Paços de Ferreira foi expulso.

O Vilão:

- Wendell, não é necessário dizer a razão.

- Otamendi, o outro Wendell.

Santos, anda cá ver isto, n° dezasseis

202112304230_213742.png

O Bom:

- Nélson Veríssimo, há coisas que estão para além das rivalidades e do pontapé na bola. Um abraço solidário para Nélson no momento difícil, a nível pessoal, que atravessa.

- Paulinho, três golos, "hat-trick" verdadeiro.

- Vitinha do Braga, imita Paulinho, "hat-trick" verdadeiro, também.

- Roger, não é o Buck Rogers, nem sequer o Roy Rogers, é Fernandes de apelido, entrou aos 62' e ainda foi a tempo de ser herói, marcou dois golos para o Atlético Mineiro, perdão, o treinador é que vai para o Brasil, Roger continua no Braga.

- Gil Vicente, três golos fora, o último dos quais com dois carros em confronto. Relato: "Boubacar avança, Babacar recua, Boubacar prepara o remate, Babacar posiciona-se, Bouba e Baba, Car olham-se como num duelo na rua empoeirada, o filho de Hanne Tanou* dispara certeiro.

* Hanne Tanou, avançado que representou 18 clubes, a maior glória foi de listas horizontais verdes e brancas, as cores do Arrifanense, Santa Maria da Feira, dois jogos, três golos. Representou mais 17 clubes, fez mais 116 jogos, marcou mais 6 golos.

O filho parece melhor, entrou aos 90' e marcou um golo.

O Mau: 

- Arouca, meia dúzia de golos sofridos a jogar em casa

- Benfica, também, encheu meia caixa de ovos, em duas visitas ao Porto.

O Vilão:

- Nuno Moreira, capaz do melhor e do pior, uma inconstância que define todo o seu percurso. Desta vez foi uma cotevelada em Winck.

Ainda vai a tempo de perceber que o futebol não se joga com os cotovelos, nem só com os pés, joga-se, principalmente, com o interior da cabeça.

Santos, anda cá ver isto, n° quinze

22214298_ZDbj8.png

 

O Bom:

- Sporting, na mais difícil deslocação que tinha, até ao final do ano, mostrou a razão pela qual carrega o símbolo de campeão. Apesar de, injustamente, reduzido a dez jogadores, "galeou" o clube do galo e "galou" os profetas da desgraça.

- Lincoln, um jogo quase perfeito, a  defender e a atacar. O golo do Santa Clara é uma obra de arte, o passe, a recepção controlada e o golo, tudo bem feito.

- André Franco, mais duas assistências, uma delas à Madjer de pé descalço.

O Mau:

- Pepa, o Vitória Sport Clube continua inconsistente.

- Apenas quatro triunfos caseiros, três deles por 1-0.

- O fosso entre os três primeiros e os outros. Sporting, Porto e Benfica marcaram 14 golos. Só o clube do Pizzidente consentiu que as suas redes fossem violadas (uma vez).

O Vilão:

- Tiago Martins, depois da arbitragem no ano passado em Moreira de Cónegos, voltou a fazer das dele. O ano passado ele e Jorge Sousa conseguiram roubar dois pontos ao Sporting, desta vez o VAR conseguiu que existisse justiça no resultado.

Santos, anda cá ver isto, n° quatorze

202112151515_090315.png

O Bom: 

- Sporting, 14 jogos, uma dúzia de vitórias, meia dezena de golos sofridos. A propósito de golos sofridos, dizia a um colega/camarada, de trabalho, lampião: "é pá, já apanharam com três em casa e têm mais do dobro de golos sofridos que nós"; resposta: "não me f*das (ele é lampião, como já tinha dito) no futebol o que interessa são os golos marcados, já marcamos duas ou três vezes mais que vocezes (ele atrapalha-se, um pouco, com as palavras, principalmente, depois do almoço). Contas feitas, para ter o dobro de golos marcados que o Sporting, o Benfica deveria ter 48 golos, tem 32.

- Vizela, 100% de aproveitamento. Quatro remates à baliza, quatro golos.

- Marítimo, a perder desde o primeiro minuto, soube dar a volta à crónica de uma morte anunciada, igualou o Vizela, 100% de aproveitamento. Quatro remates à baliza, quatro golos.

O Mau:

- Famalicão, capaz do melhor (o empate com o Sporting) e do pior a derrota com um Benfica ligado à máquina de oxigénio (há que lhe chame: arbitragens manhosas).

- Fábio Melo, quatro penaltys assinalados, mais um desaire para o Tondela. Há tradições que não mudam, Carnaval à terça-feira, Páscoa num domingo e derrota para o Tondela sempre que é apitado pelo Fábio.

- Taremi, mais um jogo apagado. Apagado dos titulares, apagado dos golos, apagado das assistências, apagado dos mergulhos na área, no Porto irão sem Taremi?

- O Vilão:

- Manu Hernando, o jogador emprestado pelo Real Madrid (terá aprendido com Pepe?) entrou aos 56', fez-se expulsar aos 61'. Facilitou a vida a Fábio e a Pepa, ajudou a enterrar o Tondela.

Santos, anda cá ver isto, n.° treze

22207584_1Dai4.png

 

O Bom:

- Sporting, podia falar nos números, nos três golos de diferença (o primeiro golo de Paulinho é legal, a linha foi colocada no momento errado) mas prefiro falar na exibição, na forma como a equipa leonina dominou todos as situações do jogo. Uma fantástica exibição colectiva servida por excelentes desempenhos individuais.

- Ricardo Horta, mais uma excelente exibição do médio do Braga. Terá, também, de ser convocado por Tite para ter uma oportunidade na equipa dos amigos de Fernando Santos?

- Ricardo Soares, um treinador que não diz que vai arrasar, que não diz que vai jogar a triplicar, que não diz que com ele a Roma será campeã europeia. Um treinador que não é pantomineiro mas que consegue colocar as equipas, por onde passa, a jogar um futebol positivo, com critério e com uma estratégia cujo objetivo principal é marcar golos. Ontem num jogo "a roçar a perfeição" a equipa do galo marcou quatro, ironicamente, na mesma jornada que a "galinha" sofreu outros tantos.

- Vítor Machado, "não há machado que corte a raíz ao pensamento'. O rapaz cuja cidade de nascimento tem Aquino como orago seguiu os ensinamentos do escolástico e procurou a felicidade no estado de espirito. Pensou bem, executou melhor e foi feliz. A felicidade de Vitinha foi a infelicidade dos marafados da foz do Arade.

O Mau:

- O golo anulado a Paulinho. O momento que interessa para a definição da linha é o instante em que a bola sai da bota de Sarabia.

- O golo anulado a Darwin por o ombro de Yaremchuk estar adiantado seis centímetros. Já o escrevi noutras ocasiões, devia haver uma margem de tolerância (30 cm) para se proteger quem ataca.

- Luís Diaz, a fazer de Taremi, numa jogada estudada que consiste em adiantar a bola, projectar-se contra o defesa e "morrer" dentro da área. Quando este tipo de lances forem punidos com vermelho directo terminarão os mergulhos.

O Vilão:

- A Liga, depois da barracada B-SAD vs. Benfica, impede a realização do Vizela vs. B-SAD reagendando o jogo para o fim-de-semana da passagem de ano (2 de Janeiro) às 20h30 sem se dar ao incómodo de consultar os anfitriões e os visitantes.

Santos, anda cá ver isto, n° doze

202111291929_092319.png

O Bom:

- O Sporting, mais uma jornada sem sofrer golos. Foi a única equipa visitada com a rede imaculada.

- O Portimonense, uma expressiva vitória em Famalicão, três golos sem resposta.

- O Marítimo, regressou às vitórias na estreia do novo treinador

- Ricardo Horta, mais uma excelente exibição. Mais um a precisar de se nacionalizar português (tal como Pedro Gonçalves) para ver se consegue uma vaga no grupo de amigos de Fernando Santos

O Mau:

- A lesão de Palhinha

O Vilão:

-  O sistema.

Não sei, não sabe ninguém, porque canto o fado neste tom magoado, uma pequena homenagem ao fado, património imaterial da Humanidade, há dez anos.

O nosso fado, o nosso destino, é sermos condescendentes com a trafulhice, com a aldrabice, com cenas mal explicadas.

O fado do Benfica é estar sempre envolvido no lado obscuro do futebol português. Para a posteridade fica a realização do jogo da  B-Sad graças à acção da DGS e à inacção da Liga. Para a posteridade fica a atitude à cãozinho de loiça, colocado por cima dos bancos traseiros do automóvel, que passava a viagem toda a dizer que sim com o focinho, o Benfica, coitado, também disse que sim.

Adenda: esta jornada começou no dia 26 de Novembro e terminou a 30. Serão necessários quatro dias para se disputarem nove jogos?

Começo a sentir saudades de quando era miúdo me dizerem: "o domingo de manhã é para ir à missa e à tarde ao futebol". Todos os jogos se disputavam às três ou às quatro da tarde e eram acompanhados de rádio colado ao ouvido.

Santos, anda cá ver isto, n° onze

22191521_8RYDW.png

 

O Bom:

- Nasceu em São João, estado de São Paulo, contribuiu para que o último jogo fosse uma procissão dos Paços mas com os de Ferreira a carregarem a cruz, duas cruzes. Domingo foi dia de São Matheus e de Reis. Matheus Reis.

- Os canarinhos de Famalicão, parece que conseguiram abandonar a mina. Nos últimos três jogos, um empate e duas vitórias, esta última frente ao Boavista, no Bessa. As panteras ainda não tinham perdido em casa, desta vez levaram com cinco bicadas.

- O Moreirense, perdeu mas merecia ter vencido ou pelo menos empatado, grande jogo no "castelo" dos verdes e brancos.

- O Marítimo, perdeu mas merecia ter empatado. Sofreu três golos de penalty (nós sabemos o que isso é) cerrou os dentes, reduziu para 3-2 e quanto procurava empatar levou a estocada final. Um 4-2 muito enganador.

O Mau:

- As lesões, jornada com muitos jogadores lesionados. Desejo a todos um rápido restabelecimento.

- O Braga, jogo 2001 no escalão principal. Uma autêntica odisseia. Odisseia no chaço.

- Manuel Mota, a expulsão de Reggie Cannon, com vermelho directo, é anedótica. Recordo que é o mesmo Reggie Canon que na jornada passada teve de ser substituído com um traumatismo no joelho, num lance onde não foi assinalada falta, critérios, se calhar, falta de critério.

O Vilão:

- Everton Cebolinha, minuto 49, o Benfica vencia o Braga por 4-1, Sequeira e Cebolinha disputam a bola, o desenho animado com o braço esquerdo empurra o defesa do Braga que põe mal o pé no relvado*, lesão grave, evidente para toda a gente, em casa e no estádio, excepto para a personagem criada por Maurício que continua a jogada vendo o colega de profissão, no chão a contorcer-se com dores.

* O jogo da selecção da república portuguesa foi mudado de Alvalade para a Luz, devido ao estado da relva no recinto do Sporting. Neste domingo lesionaram-se dois jogadores com gravidade, não jogam mais esta época, devido ao estado da relva no recinto de Benfica.

Santos, anda cá ver isto, n° dez

22187007_YY4Ty.png

 

O Bom:

- Paulinho e Coates, os "jovens" turcos, depois de em Istambul terem ataturkado a defesa dos persas, voltaram a fazer estragos em Alvalade, mais uma assistência, mais um golo, mais um triunfo, parece fácil. 

- Reggie Cannon, estava a ser o melhor jogador do Boavista até sofrer um forte traumatismo no joelho, numa falta não assinalada por Tiago Martins, o melhor jogador do Boavista, sublinho, foi agredido, teve de ser substituído e nem sequer foi apitada falta no lance. Concordo com Sérgio Conceição, péssima arbitragem, aos 17' o FC Porto devia ter ficado a jogar com 10 numa altura em que o jogo estava empatado a zero.

- Fugimoto e o Gil Vicente, o aeroporto da Madeira é curto mas as auto-estradas são boas (e de borla), o japonês fugiu de moto, marcou e Gil Vicente escreveu o "auto da glória" depois de sete jornadas a navegar na "barca do inferno".

- Estoril, empatou mas merecia vencer, uma curiosidade, se o Estoril tivesse vencido o Benfica e o Sporting seria segundo classificado.

- Dylan, o jogador do Famalicão, bem podia cantar como o outro em Like a Rolling Stone: When you got nothing, you got nothing to lose. Os famalicences chegaram aos 98' sem nada, não tinham nada a perder, foi o Vizela que perdeu dois pontos, mais uma vez ao cair do pano, injustamente, também.

O Mau:

- O Benfica, mais um jogo, mais um desastre. Em dia de Santos, com Espírito Santo disponível é melhor Jesus rezar às alminhas. Um desaire no próximo jogo e ficará a conhecer o inferno da Luz.

- Santa Clara, a acusar o esforço da Taça da Liga de onde eliminou, justamente, o mergulhador e o resto da rapaziada. Perdeu com o clube triste, SAD. 

O Vilão:

- Taremi, o mergulhador. Está a perder o jeito para a coisa, a sua jogada típica começa a ser conhecida, adianta a bola, fazendo-a passar perto de um defesa e depois vai esbarrar na vítima escollhida atirando-se, empenhadamente, para o relvado (fazia falta a Taremi uns jogos nos pelados de antigamente com as áreas delimitadas com cal viva, se calhar, perdia a vontade de se espojar no chão). Desta vez o teatro foi tão mau que Conceição teve de proceder a uma troca de actores.

Santos, anda cá ver isto, n° nove

22184769_Wdj5Y.png

 

O Bom:

- Sporting, mais um jogo sem sofrer golos, mais um triunfo. Soma e segue.

- Vizela, um jogo bem conseguido, contudo, seria travado pelo apitador de serviço. Foi-nos dito que o jogo teria 90'+7' de compensação, nesse período ficou 0-0.

- André Franco do Estoril, um autêntico nove e meio, faz a equipa jogar e marca golos, já vai com cinco tiros certeiros.

O Mau:

- Jorge Jesus. Na conferência de imprensa, após o jogo com o Vitória Sport Clube, dirige-se a uma jornalista, nestes termos:

"A si dou-lhe duas"

É uma frase revoltante em quaisquer circunstâncias, ainda para mais, dirigida a uma profissional no exercício da sua profissão.

A violência verbal terá menor importância que a violência física?

Ficámos indignados com a agressão a um repórter de imagem por parte de elementos ligados ao FC Porto, já a agressão verbal de Jesus, até agora, está impune, não existe um sindicato de jornalistas? Não existem associações de defesa do género feminino?

Aguardemos.

O Vilão:

- Fábio Veríssimo e o resto do gang, foi muito mau o que assistimos em Tondela, mais um espectáculo de mergulho premiado, mais uma expulsão perdoada a Pepe, enfim, muitos casos para ser só incompetência.

Nota final: O episódio de Jorge Jesus não ocorreu na nona jornada, contudo é tão grave que teria de ser referido.

Santos, anda cá ver isto, n° oito

22169594_pz30q.png

 

O Bom:

- Sporting, oito jornadas, zero derrotas, média de meio golo sofrido.

- Porto, zero derrotas, uma média superior de golos sofridos.

- Portimonense, média de meio golo sofrido, também, mas com derrotas, como quase todos.

- Paulo Sérgio, o nosso ex-treinador, para alguns continua a ser o Pal Serge, colocou Jorge Jesus e Rui Costa na "gloriosa história" do "glorioso". Pela primeira vez um treinador do Portimonense chegou à Luz e disse: "cheguei, vi e venci".

- As quatro vitórias fora de casa, Sporting, Tondela, Portimonense e Vitória Sport Clube (como eu suspeitava, o Vitória de Pepa sabe jogar bom futebol, "o que passou-se" na anterior jornada?)

- Kenji Gorré, o suplente do Boavista tem mais um excelente momento de futebol, com esta soma três assistências para golo.

O Mau:

- Benfica, num clube cuja história remonta a 1908 foi necessário reunirem-se dois factores, o presidente não eleito (Rui Costa) e o ex-treinador do Olhanense brasileiro (Jorge Jesus) para o Portimonense vencer a primeira vez, como visitante.

- B-eiria, mais uma derrota como visitado, desta vez, com o Tondela.

- Boavista, uns verdadeiros empatas, oito jogos, quatro empates, duas vitórias, duas derrotas, onze golos marcados, onze golos sofridos.

- Ivo Vieira, os resultados não aparecem em Famalicão, apesar da competência, do comportamento e da capacidade de comunicação do "mister" sabemos bem qual será a primeira cabeça a rolar.

O Vilão:

- Taremi, o poeta é um fingidor (para Fernando Pessoa) mas o jogador de futebol não deve ser um simulador, não pode cada vez que ultrapassa a linha da grande área, atirar-se para o chão e gritar, "iraniando" dor por todos os poros.

Santos, anda cá ver isto, n° sete

O202110282_094208.png

O Bom:

- O regresso dos adeptos aos estádios, parece ajudar aos resultados positivos, apenas, duas equipas foram derrotadas em casa.

- O Sporting, nos dois últimos jogos com o Marítimo marcou seis golos e sofreu um. Esta sétima jornada foi mais uma em que os campeões nacionais não sofreram golos.

- Pedro Porro, bom a defender e a atacar, infalível (até agora) a marcar penaltys

O Mau:

- Gil Vicente, uma falta mal assinalada e mal defendida, dois pontos a mais para o adversário do clube de Barcelos, galo.

- Vitória Sport Clube, um clube digno, merecedor de respeito, no próximo dia 22 de Setembro completa 100 anos, verdadeiros. Bem orientado por Pepa, o próximo contrato do treinador ribatejano pode trazer alguma luz sobre as sombras que caiem sobre este Vitória vs. Benfica.

O Vilão:

Penetra, o Diogo Gonçalves desta jornada.

Hesíodo escreveu: "No princípio, o Caos (...)". A carreira de Alexandre Penetra começou n' Os Pestinhas, como aquelas pessoas que nascem com o destino traçado na palma da mão, no caso de Penetra parece querer traçar o destino com a ponta do pé, à cacetada.

Santos, anda cá ver isto, n° seis

22162574_jatQG.png

 

O Bom:

- O único clube a vencer fora, Sporting.

- A jarra, os dois protagonistas, pela negativa, da jornada cinco, responsáveis pelo "antiverdadedesportiva" dos Açores, Artur Soares Dias (VAR) e Rui Costa (apitadeiro).

- Fábio Vieira do FC Porto, três assistências para golo.

- Murilo Souza e Giorgi Aburjania, dois suplentes do Gil Vicente, o primeiro faz a assistência, o segundo (entrou aos 86') faz o clube de Barcelos pontuar no jogo com o B-eiria

O Mau:

- Ivo Rodrigues, penalty falhado no Famalicão vs. Marítimo. Jogo de sentido único, aconteceu tudo, ao clube da cidade onde se situa o Centro Português do Surrealismo, incluindo a surrealidade de desperdiçar o castigo máximo.

- Petit, um jogo inteiro a pensar "petit" e no final tentar pensar "grand". Aos 95', depois de estar empatado, tira uma pedra preciosa, Safira, para colocar no jogo, Pedro Nuno. Santos da casa não fazem milagres.

- Hugo Miguel (alguns comentadores assíduos, chamam-lhe Hugo Macron) nos quatro últimos jogos que apitou do Benfica, zero derrotas dos lampiões dez golos marcados e, apenas, um sofrido, a oferta de Weigl no último jogo. Hugo Adidas?

- Vasco Santos, o VAR que não VARificou o penalty, do tamanho da Igreja da Luz, cometido por Otamendi sobre Makouta (não verificou mas viu, todos vimos, todos vimos que ele viu). Mais dois para a jarra?

O Vilão:

- Hélder Ferreira do Paços de Ferreira, uma cacetada, à Diogo Gonçalves, fez com que fosse expulso aos 28' de jogo.

Santos, anda cá ver isto, n° cinco

22159674_zlDZ4.png

 

O Bom: 

- As arbitragens que nunca nos desiludem, no capítulo anterior escrevi: "Nas arbitragens, uns jogos são da caça (o Santa Clara) outros jogos são do caçador. Coincidência, é o Benfica que vai tentar caçar nos Açores, na quinta jornada". O caçador, caçou, à custa da verdade desportiva.

Não viram a falta para vermelho do guarda-redes do Benfica nem viram mais uma agressão de Diogo Gonçalves.

Ficou 0-5, ficou, só que antes do primeiro golo deveria ter sido marcado um penalty a favor do Santa Clara e deveriam ter sido expulsos dois jogadores do Benfica. A vencer por 1-0 e a jogar contra nove, o Santa Clara perderia por 5?

- A análise imparcial do jornal O Jogo, logo na primeira página afirma: "Amorim teve o melhor futebol do clássico", mais adiante na página 4, diz o óbvio: "Na sequência do canto, Pepe socou no rosto Coates. Seria penalty e cartão vermelho que passaram impunes". Um jornal engajado que diz preto no branco que os gajos do Porto não mereciam empatar.

- Leonardo Ruiz e o Estoril, um jogador que gostaria de ter visto jogar pela equipa principal do Sporting, um clube que neste momento ocupa o segundo lugar (podia ser primeiro não fossem as missas vermelhas).

- Bracali, guarda-redes do Boavista, precioso a impedir que o resultado se avolumasse, recompensado já nos descontos.

Ntep, Musa e Bracali eis a receita axadrexada para a conquista de um ponto.

- O golo de Díaz, há quem prefira atirar pedras à defesa, eu permito-me aplaudir um excelente golo

O Mau:

- As arbitragens que nunca nos desiludem, no capítulo anterior escrevi: "Nas arbitragens, uns jogos são da caça (o Santa Clara) outros jogos são do caçador. Coincidência, é o Benfica que vai tentar caçar nos Açores, na quinta jornada". O caçador, caçou, à custa da verdade desportiva.

Não viram a falta para vermelho do guarda-redes do Benfica nem viram mais uma agressão de Diogo Gonçalves.

Ficou 0-5, ficou, só que antes do primeiro golo deveria ter sido marcado um penalty a favor do Santa Clara e deveriam ter sido expulsos dois jogadores do Benfica. A vencer por 1-0 e a jogar contra nove, o Santa Clara perderia por 5?

- A arbitragem do Sporting vs. Porto quando O Jogo, logo na primeira página afirma: "Amorim teve o melhor futebol do clássico", mais adiante na página 4, diz o óbvio: "Na sequência do canto, Pepe socou no rosto Coates. Seria penalty e cartão vermelho que passaram impunes". Quando um jornal engajado que diz preto no branco que os gajos do Porto não mereciam empatar, o que mais podemos dizer?

- As mãos de Taremi, ora empurram, ora marcam golos, num caso a falta foi assinalado no outro, não.

O Vilão:

- Diogo Gonçalves a jogar feio, à Diogo Gonçalves, pontapeia um adversário no peito dentro da sua área defensiva mas o árbitro não viu na altura, nem VARificou depois, tudo tranquilo. 

Para quando ficar a fazer companhia a Taarabt (punido com dois jogos e 23 dias de suspensão)?

Santos, anda cá ver isto, n° quatro

2021099269_093226~2.png

O Bom:

- O Estoril, líder do campeonato, após quatro jornadas, entre as 23H15 de sexta-feira, 27 de Agosto e as 20H00 de domingo, 29.

- O Famalicão, excelente exibição perante a equipa campeã nacional, conquistou um ponto mas podiam ter sido três.

- O Paços de Ferreira, vitória em Portimão, muito bem a guardar os três pontos.

- A exibição de Luiz Felipe na baliza do B-eiria (chamam-se B e jogam em Leiria). Defendeu tudo o que havia para defender, incluindo um penalty.

O Mau:

- A arbitragem do Santa Clara vs. Gil Vicente. Nas arbitragens, uns jogos são da caça (o Santa Clara) outros jogos são do caçador. Coincidência, é o Benfica que vai tentar caçar nos Açores, na quinta jornada.

- Os empatas, nove jogos, quatro empates, três vezes 1-1, uma vez 0-0, média inferior a um golo marcado por equipa nesses jogos.

O Vilão:

- Trova Boni, cabe-lhe o record (numa altura em que tanto de fala de recordes) de ter sido o primeiro jogador burkinabé (natural de Burkina Faso) e ser expulso no campeonato português, por uma entrada à Diogo Gonçalves, de sola no joelho do adversário, sem bola; foi preciso a intervenção do VAR, o árbitro, coitadinho, não se apercebeu. 

Santos, anda cá ver isto, n° três

3333.jpeg

 

O Bom:

- Sporting, três jogos, três vitórias, nove pontos, 7-1 () em golos marcados/sofridos.

- Estoril, dois jogos fora, duas vitórias, 5-1 em golos marcados/sofridos.

- Vitória Sport Clube, maior goleada até agora, quatro golos sem resposta do Vizela.

- Portimonense, triunfo em Tondela trimarcando e não sofrendo.

-  O desempenho dos Netos. Do nosso Neto e do neto do nosso ex-jogador António Sousa. Afonso Sousa, grande exibição no meio-campo do B-eiria.

O Mau:

- Os clubes que só perderam Famalicão e B-eiria.

- As queixinhas de Serginho e as birras de Francisquinho.

O Vilão:

- Afonso Taira, o Diogo Gonçalves da terceira jornada.

(a imagem é uma homenagem a Fernando Santos e a Otávio)

Santos, anda cá ver isto, n° dois

2021089209_163620.png

O Bom:

- Sporting,  no primeiro lugar  campeonato. Equipa mais concretizadora já depois de ter jogado no estádio do adiado grande.

- Gil Vicente, dois jogos, duas vitórias, quatro golos marcados, zero sofridos. Vítor Oliveira sorrirá com este desempenho.

- Pedro Gonçalves, dois jogos, três golos, uma média, quase, à Peyroteo.

- A revolta dos paineleiros. Finalmente ouviram-se gritos contra a centímetrização do futebol.

O Mau:

- Os clubes que só perderam; o Famalicão, o Arouca e o B-eiria.

O Vilão:

No plural.

As arbitragens e os VAR nos jogos dos três grandes. Ao Benfica e ao Porto, beijos na boca, abraços e colinho, ao Sporting golpes de capoeira (mais um jogo 11 vs. 10 contra as galinhas minhotas).

- Raul Silva, o Diogo Gonçalves da segunda jornada (cf. com comentário de Francisco Gonçalves)

Santos, anda cá ver isto, n° um

22139454_OnhnT.png

 

O Bom:

- A entrada a vencer por três golos de diferença, sem ver as redes das suas balizas balançar. Por ordem alfabética, os três clubes que o conseguiram, Gil Vicente, Sporting e Tondela.

- Rúben Amorim e Pedro Gonçalves. Três troféus em oito meses. Embora um deles seja o melhor marcador da época passada e continue com veia goleadora não calçou na selecção de amigos de Fernando Santos, talvez por falta de nível (ou é o Amorim que não tem nível?).

- O regresso dos espectadores aos estádios.

- João Mário do Futebol Clube do Porto, para mim, foi o melhor jogador desta jornada, excelente exibição a atacar e a defender.

O Mau

- Jorge Jesus pela forma como se comporta, pelo mau exemplo que é, desta vez só faltou enfiar o indicador direito na narina do director, coitado do Brás & Braz.

- Os "adeptos desorganizados" do Sporting (Luís Lisboa já escreveu e bem sobre o assunto). O clube está a ser penalizado, multado, pelo comportamento inadequado do José, do João ou da Maria, a atitude é individual, o castigo deve ser para o indivíduo e não para o clube.

- A entrada em falso do Vitória Sport Clube de Pepa, do Boavista e do Santa Clara

O Vilão:

- Diogo Gonçalves, pela forma como não tenta jogar a bola. Pela agressão, cobarde, à traição, por trás. Deveria ser penalizado pelo acto que praticou segundo a jurisprudência Paulinho Santos; só voltaria aos campos quando Abdu Conté recuperar da agressão bárbara de que foi vítima e puder fazer o que mais gosta, jogar futebol.

Santos, anda cá ver isto, n° zero

22138092_CmMtZ.png

 

Cada jornada da Liga, vista sob uma análise fina, o bom, o mau e o "feio" (o feio por dentro, "cattivo" em italiano).

Aberto à participação de todas as pessoas, na caixa de comentários, com um postal publicado à quinta-feira, arrumando a jornada anterior e lançando a próxima.

O Bom: o Sporting, o Tondela, o João Mário do Porto e o Paços de Ferreira.

O Mau: o Vitória Sport Club, as simulações de Luís Diaz, o Santa Clara.

O "feio": Diogo Gonçalves.

É este tipo de análise que se pretende, podem haver outras.

Da discussão, nasce a sabedoria, vão escrevendo, na próxima quinta-feira tentarei fazer um resumo desta primeira jornada, tendo em consideração todas as opiniões.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D