Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O amigo que vem de Famalicão

thumbnail_20210410_134458[1].jpg

 

Confesso: já poucas coisas me espantam. Mas fiquei estupefacto ao ler hoje, num dos jornais desportivos, que o actual presidente da SAD do Famalicão está em vias de transitar para o Benfica, para ali desempenhar as funções de director-geral do futebol na próxima época, com início daqui a um par de meses. 

Isto enquanto ainda se desenrola uma competição em que se joga o acesso a milhões de euros provenientes das competições europeias, e perante o aparente alheamento das entidades que deviam fiscalizar a transparência desportiva, em todas as frentes.

Por mera coincidência, esta notícia vem a público na véspera do Sporting-Famalicão.

Se não nos indignamos com uma coisa destas, deixaremos de nos indignar seja com o que for.

 

ADENDA: A maior goleada do SLB na Liga 2020/2021 ocorreu precisamente no Famalicão-Benfica (1-5), a 18 de Setembro. Mera coincidência...

Favores ao Benfica, nem pensar

O Governo já veio esclarecer que não haverá público nas últimas cinco jornadas do campeonato nacional de futebol. Contrariando assim aquilo que o presidente da Liga, Pedro Proença, apressadamente viera declarar mal foram conhecidas as primeiras medidas de suavização do confinamento ainda em vigor.

Por uma vez, concordo com o Governo, que tão mal tem andado em matéria de desporto. Não faria qualquer sentido alterar as regras numa altura crucial da competição, favorecendo claramente um dos quatro clubes que disputam os dois lugares de acesso directo à Liga dos Campeões. Refiro-me ao Benfica, que beneficiaria com a presença de adeptos a puxar pela equipa no estádio da Luz em dois confrontos que poderão decidir a classificação final: o Benfica-FC Porto (que deverá disputar-se a 9 de Maio) e o Benfica-Sporting (previsto para 16 de Maio). Em flagrante contraste com o que sucedeu nos desafios correspondentes da primeira volta, disputados no Dragão e em Alvalade, com as bancadas vazias.

Assim as regras serão iguais para todos. É fundamental para manter a seriedade, a equidade e a transparência na principal competição desportiva em Portugal, garantindo a credibilidade daquilo a que alguns chamam "indústria do futebol". 

Durante meses, em textos vários, aqui defendi o regresso do público aos estádios. Quando as praias estavam cheias, as touradas decorriam com bancadas bem preenchidas e 30 mil espectadores acorriam ao autódromo de Portimão para verem provas motorizadas. Nessa altura os estádios mantiveram-se interditos por decisão governamental.

Paciência, se foi assim até agora será também assim até final. Favores ao Benfica, nem pensar.

0nze de cada lado

22043434_ZKfaE.jpeg

 

Hoje no canal 11 às 18H00.

Sporting vs. Benfica, as meninas portuguesas enfrentam a legião estrangeira com um roda de bicicleta no peito.

Mais tarde, às 21H00 no mesmo canal, os meninos do Sporting enfrentam os veteranos de Carnide, perdão, de São Domingos de Benfica.

Dois jogos que comentaremos depois, é curioso que Monopólio se escreva de vermelho e branco, será que as notas do monopólio valerão mais que o futebol e o futsal praticados no relvado e no pavilhão?

Mais logo saberemos.

Como uma brincadeira de crianças

IMG_20210307_143657~2.jpg

O futebol praticado por crianças é uma brincadeira.

Duas pedras no chão chegam para marcar a baliza ou em casos mais sofisticados, como o da imagem, dois pinos.

Olhemos com atenção, o pino verde com a estrela em cima tem o algarismo um.

O pino vermelho com uma bola (ganhar bola [zero]) em cima tem o algarismo cinco.

Será premonição?

O verde em primeiro com a estrelinha de campeão, o vermelho em quinto a ganhar bola?

Os melhores prognósticos

Desta vez houve sete vencedores, nada menos que isto. Acertaram no resultado do Sporting-Benfica (1-0) e foi quanto bastou.

Como ninguém antecipou o nome do marcador do golo, Matheus Nunes, o primeiro posto ficou preenchido - sem qualquer excepção - pelos sete magníficos.

Eis os seus nomes: CAL, Fernando, Fernando LuísLeão do FundãoManuel ParreiraRicardo RoqueVerde Protector.

Todos estão de parabéns.

O dia seguinte

spo.jpg

O Sporting conquistou ontem uma vitória mais que merecida no dérbi de Lisboa. Um jogo em que foi superior em todos os domínios, distanciando-se do rival na corrida pelo acesso directo à Champions.

Na antevisão do jogo eu dizia que "de qualquer forma o Sporting vai entrar em campo do jeito habitual. Amorim acredita mais na consistência que vem dos treinos do que dos coelhos que saem das cartolas. Já do outro lado, mesmo com Jesus de cama, deve haver alguma surpresa que se correr bem é porque realmente ele é genial; se correr mal, claro, os jogadores são burros e não percebem."

E foi isso mesmo que aconteceu. O Sporting entrou com Matheus Nunes e João Mário a dominar o meio-campo, Nuno Mendes e Porro bem activos nas alas e Tiago Tomás endiabrado no ataque. O Benfica entrou como uma equipa pequena, com a defesa reforçada por mais um central, intenção de ganhar a bola em zonas recuadas e lançar as cavalgadas de Rafa e Darwin Nunes.

O Sporting tinha a lição bem estudada. Castigava os centrais adversários com sucessivos lançamentos em profundidade, e dum deles surgiu o pique e a lesão de Jardel, que forçou ao recuo de Weigl.

 

A primeira parte foi toda nossa e podíamos bem ter ido para o intervalo em vantagem: o Benfica criou perigo por Pizzi uma única vez depois duma perda de bola de Pedro Gonçalves. Na segunda, o Benfica equilibrou até às substituições quando o Sporting recuperou o domínio do jogo com Palhinha, Jovane e Tabata a entrarem muito bem.

E o golo finalmente surgiu de mais um lançamento em profundidade, este tipo rugby, de Coates, que sobrevoa o povoado meio-campo, Tabata atrapalha o tal Weigl, a bola segue para Jovane, que lhe dá um nó cego (quantos milhões é que custou afinal ?) e centra ao segundo poste, Porro passa tranquilamente pelo Nuno Tavares (era este que o Jesus dizia que ia ser o defesa esquerdo da selecção, ou era algum primo?), Odisseas corta como pode, e Matheus Nunes... marca à Yazalde.

A cereja em cima do bolo para o melhor jogador em campo. Que belo lance de ataque. Que golo fabuloso!

 

Mas o que se passou no campo só foi possível pelo que se passou antes fora dele. Num dia marcado pelo fecho da janela de transferências, com toda a instabilidade que isso provoca no plantel, a que se somou a questão CD/Palhinha, Frederico Varandas, Hugo Viana e Rúben Amorim conseguiram realizar um trabalho notável, resolver da melhor forma casos que poderiam causar dano como os de Plata, Sporar e Borja, recuperar via tribunal Palhinha para o jogo sem comprometer a preparação efectuada, moralizar e focalizar o grupo e levá-lo à vitória.

E assim, em pouco mais de duas semanas, ganhámos no campo, em Alvalade e fora dele, com chuva e sem ela, com Unilabs, CDs e Fábios Veríssimos a torpedearem, e sem "colinhos" arbitrais, a Benfica, Porto e Braga. Francamente, não me recordo que isso alguma vez tenha acontecido no passado: é mesmo dia dos ressabiados meterem a viola no saco e largarem de vez o disco da falta de ambição. O Sporting está com mais ambição do que nunca, mas ambição com trabalho, humildade e sem lugar a bazófia. Porque a bazófia, se por si só não perde campeonatos, contribui muito para isso.

Concluindo, o Sporting ganhou mais que merecidamente ao grande rival.

Palco para os artistas. E os artistas estão na foto.

#OndeVaiUmVãoTodos

SL

Rescaldo do jogo de ontem

Gostei

 

Do nosso triunfo em casa frente ao velho rival. Derrotámos o Benfica por 1-0 (ao minuto 92, fatal para Jorge Jesus) num jogo que dominámos quase por inteiro. O SLB, com reforços de 100 milhões, foi levado ao tapete por um Sporting que gastou apenas cerca de 14 milhões para formar o plantel desta temporada. Comprovando-se, uma vez mais, que não basta contratar jogadores caros: é preciso haver também quem saiba orientá-los. No início da época, Jesus prometeu "arrasar": afinal a equipa dele é que está arrasada. 

 

De termos terminado um jejum de nove anos. Desde Abril de 2012 (Godinho Lopes era o presidente e Sá Pinto era o treinador) que não vencíamos o Benfica, em casa, para o campeonato. Tinham Nuno Mendes e Tiago Tomás apenas nove anos. Era mais que tempo de pôr fim a isto. E faço desde já votos para que um tão grande período sem derrotarmos as papoilas em Alvalade nunca mais volte a acontecer.

 

De Matheus Nunes. Há males que vêm por bem: a inacreditável sanção disciplinar a Palhinha no jogo anterior, decidida pelo árbitro Fábio Veríssimo, forçou Rúben Amorim a apostar no jovem luso-brasileiro como titular do nosso meio-campo defensivo. Aposta ganha: ele foi o melhor em campo. Não apenas por ter cumprido de modo exemplar a sua primeira missão, segurando muito bem a bola e transportando-a com qualidade e critério, como foi ele a fazer a diferença num espectacular mergulho em zona frontal a aproveitar um mau alívio do guarda-redes Vlachodimos. Assim surgiu o golo solitário que nos consolida no comando da Liga, com 42 pontos - mais nove do que o Benfica. Desde 1951 não havia uma diferença pontual tão grande entre as duas equipas nesta mesma fase do campeonato.

 

De Nuno Mendes. Outra excelente exibição do nosso ala esquerdo, que entrou em 2021 com o mesmo fulgor que já havia evidenciado no final da temporada anterior ao ser lançado por Amorim na equipa principal. Hoje ganhou sucessivos duelos a Gilberto, causou constantes desequilíbrios no seu corredor e aos 44' esteve a centímetros de marcar um golaço num chapéu que Vlachodimos só travou in extremis, em cima da linha da baliza.

 

De Coates. Revela segurança olímpica, controlo absoluto do sector defensivo e natural capacidade de comando junto dos companheiros que o complementam nessa missão, novamente coroada de sucesso. Excelente leitura de jogo, como se comprovou num corte magnífico feito aos 62'. Os números não enganam: o Sporting é - de longe - a defesa menos batida do campeonato, com apenas nove golos sofridos em 16 jogos. O capitão uruguaio é um dos grandes responsáveis por estes números que as outras equipas tanto nos invejam.

 

De Adán. Seguríssimo entre os postes. Atento aos cruzamentos. Antecipou-se sempre aos adversários, reduzindo (por exemplo) Darwin a uma inutilidade em campo. Confere tranquilidade a toda a equipa, até pela sua linguagem gestual. Um dos pilares deste Sporting que cada vez mais sonha com o título de campeão.

 

De Porro. Imprescindível neste onze titular, voltou a fazer a diferença em diversos lances - incluindo o momento decisivo da partida. Grande passe a isolar Tiago Tomás, aos 23'. Uma quase-assistência para Pedro Gonçalves, aos 31'. Autor de um disparo com selo de golo, aos 35', desviado no limite por Otamendi. Cereja em cima do bolo: é ele quem centra no lance que culmina no golo que nos valeu três pontos. Outra partida em grande nível.

 

De Tiago Tomás. Muito combativo, deu sempre imenso trabalho aos três centrais adversários (sistema agora implantado por Jesus no Benfica, copiando o que Amorim trouxe há quase um ano para o Sporting). Com um desvio de cabeça dentro da área, aos 40', ofereceu um golo que Neto desperdiçou. Atacou a profundidade com inegável competência, quase fazendo esquecer-nos que tem apenas 18 anos. 

 

De Rúben Amorim. Menos de um ano depois, já conseguiu silenciar todos os críticos. Até aqueles que não há muito tempo murmuravam que ele era incapaz de vencer as equipas situadas nos cinco primeiros lugares da tabela. Os factos só destas semanas mais recentes falam por si: derrotámos o FC Porto, derrotámos o Braga (duas vezes), derrotámos agora o Benfica, conquistámos a Taça da Liga. E não vamos parar aqui. Já com os críticos caladinhos.

 

De ver o Sporting ainda invicto. Extraordinário: somamos 16 jogos sem perder no campeonato. Estamos há dez jornadas consecutivas no primeiro posto. E continuamos a marcar em todos os jogos desta Liga 2020/2021, que comandamos com brilho e competência. Mérito do treinador e de toda a equipa de trabalho, que revela uma unidade inquebrantável.

 

 

Não gostei
 

 

Do Benfica. Péssimo a atacar, medíocre a defender, sem consistência, sem fio de jogo, sem uma verdadeira oportunidade de golo, estreando neste clássico o sistema de três centrais em que não está rotinado, numa demonstração evidente de temor reverencial pelo Sporting, esta equipa que agora segue em quarto no campeonato abandonou qualquer hipótese de conquistar o título - que agora vê à distância de 14 pontos (nove do Sporting e cinco do FC Porto). No início da época, Jesus tinha prometido aos adeptos jogar "três vezes mais". Mera publicidade enganosa, algo em que o veterano técnico é exímio, como nós infelizmente bem sabemos.

 

De todo o "folhetim" em torno do cartão a Palhinha. O jogador estava fora da convocatória, mas a meio da tarde soube-se que o Tribunal Administrativo Central do Sul autorizara uma providência cautelar que suspendia o efeito do castigo imposto pelo Conselho de Disciplina. Acabou convocado, entrando aos 60' para render João Mário. É um dos jogadores com mais talento do campeonato português, não merecia todo este injustíssimo desgaste em redor do seu nome. 

 

Da ausência de público. Os números trágicos da pandemia não permitem outro cenário senão o actual, mas voltou a ser profundamente triste ver o nosso Estádio José Alvalade palco do maior clássico do futebol português com todas as bancadas vazias. E nós, adeptos, acabámos por fazer a festa como foi possível, confinados mais que nunca, entre as quatro paredes domésticas. Festejo a sério, agora, só em sonhos.

Ninguém pense que é fácil

Eis a melhor prova de que um clássico como o de hoje é sempre um um jogo muito dificil para nós: o Sporting não vence o Benfica em casa, para o campeonato, desde 9 de Abril de 2012.

Vai fazer nove anos.

Nesse dia vencemos 1-0. Com golo (de penálti) apontado por Wolfswinkel. Curiosamente, numa partida também com arbitragem de Artur Soares Dias, o árbitro desta noite. Ele que também apitou os dérbis de 2016, 2017 e 2019.

Por curiosidade, recordo o nosso onze titular desse desafio já longínquo: Rui Patrício; João Pereira, Polga, Xandão, Insúa; Matías Fernández, Schaars, Elias; Izmailov, Capel, Wolfswinkel.

Reparem: só dois portugueses. E apenas um oriundo da Academia.

O treinador era Ricardo Sá Pinto.

 

Nos anos seguintes, os resultados foram estes:

2012/2013 - Sporting, 1 - Benfica, 3. Treinador: Franky Vercauteren.

2013/2014 - Sporting, 1 - Benfica, 1. Treinador: Leonardo Jardim.

2014/2015 - Sporting, 1 - Benfica, 1. Treinador: Marco Silva.

2015/2016 - Sporting, 0 - Benfica, 1. Treinador: Jorge Jesus.

2016/2017 - Sporting, 1 - Benfica, 1. Treinador: Jorge Jesus.

2017/2018 - Sporting, 0 - Benfica, 0. Treinador: Jorge Jesus.

2018/2019 - Sporting, 2 - Benfica, 4. Treinador: Marcel Keizer.

2019/2020 - Sporting, 0 - Benfica, 2. Treinador: Silas.

Prognósticos antes do jogo

Muitos de nós encaramos com optimismo o desfecho do Sporting-Benfica que vai ter início logo à noite, às 21.30, num estádio José Alvalade ainda sem público. Ambicionamos algo nos antípodas da triste derrota da época passada, sofrida a 17 de Janeiro de 2020, em que até duas claques "leoninas" decidiram ajudar a equipa adversária arremessando potes de fumo e material pirotécnico contra a baliza Vítor Damas, nesse dia confiada a Luís Maximiano.

Um dia de péssima memória também por causa disto: confirmava-se a existência de grupos organizados de adeptos, em Alvalade, que praticavam literalmente a política de terra queimada, fiéis ao slogan "quanto pior, melhor". Quase dois anos após o miserável assalto à Academia de Alcochete.

De então para cá, as coisas mudaram imenso. Para muito pior no País (e no mundo), para bastante melhor no Sporting. 

Quais são os vossos prognósticos para este jogo - o clássico dos clássicos do futebol português?

Numerologia, o falso nove, o dez

Passaram nove anos, nove anos e qualquer coisa, quase dez.

A maior vergonha de sempre na carreira de Rúben Amorim.

A maior vergonha de sempre, para qualquer pessoa que ame o seu país e que ame o futebol.

Estávamos no dia 3 de Agosto de 2011, pela primeira vez na História do futebol, um clube (neste caso o Benfica de Jorge Jesus) entra em campo para defrontar uma equipa estrangeira (não estou a ser irónico) sem nenhum jogador português.

Nesse jogo, Jesus, utilizou jogadores da Sérvia, do Brasil, da Argentina, do Uruguai, de Espanha, da Bélgica, enfim, utilizou quinze Jorges Gomes para conseguir empatar na Turquia com o Trabzonspor, Rúben Amorim sentado no banco, sem máscara.

Cara destapada, olhar fixo no campo e a pensar: "talvez um dia te FOD (linguagem técnica de aviação), talvez um dia sejam nove pontos verdadeiros a separarem-nos".

Talvez esse dia seja amanhã, o jogo começa às nove, nove e tal, quase dez.

Adenda: Desejo, obviamente, a melhoria do estado de saúde de Jorge Jesus.

Sei distinguir o treinador, as opções que tomou como treinador, do homem, do pai.

Saúde que é o mais importante neste contexto (em todos os contextos).

Derby de futsal

O fim do mundo em cuecas

21961541_uIZ8T.jpeg

 

"Bomba em dia de derby, Luís Filipe Vieira bate com a porta"

Faltam cerca de dez minutos, no canal 11.

Sporting vs. Benfica.

Vieira, o presidente que comemorou, em cuecas, um título de campeão  nacional de futsal vs. Varandas, o presidente que foi campeão europeu de futsal e não apareceu nas fotografias.

Faltam cerca de cinco minutos...

A vingança de Iuri Medeiros

naom_59eed6b45d0ba.jpg

 

Quando era treinador do Sporting, Jorge Jesus fez aquilo que agora volta a fazer no Benfica: desprezou por completo a formação. Trabalhar com jovens jogadores - desde que não sejam sérvios ou brasileiros - não é com ele.

Em Alvalade foi cortando as pernas - em sentido metafórico, claro - a uma impressionante série de jogadores talentosos: João Palhinha, Ricardo Esgaio, Carlos Mané, Matheus Pereira, Ryan Gauld, Domingos Duarte, Francisco Geraldes, Merih Demiral e Gelson Dala. 

Outro desses jovens oriundos da Academia de Alcochete a quem o "mestre da táctica" nunca ligou pevide é Iuri Medeiros. Por ironia, foi ele o marcador do primeiro dos três golos encaixados pelo Benfica na recente derrota da equipa encarnada frente ao Braga. Terceiro jogo consecutivo com Jesus a sofrer três - algo que nunca tinha acontecido ao SLB - apesar dos 120 milhões de euros gastos em reforços para a Luz, incluindo a equipa técnica. 

A vingança serve-se fria: este golo, pelo seu simbolismo, funcionou como justiça poética para Iuri. Enquanto a chuva de milhões não evita que esta seja a equipa do Benfica com mais golos sofridos, em 59 anos, nos primeiros 11 jogos da temporada

Nada que belisque, no entanto, a boa imprensa de que Jesus continua a beneficiar: mesmo quando perde, recebe tratamento de vencedor. Acaba até de ser eleito "melhor técnico da Liga" - alusão eventualmente irónica ao facto de o SLB seguir em terceiro no campeonato 2020/2021 e ter, à sétima jornada, menos três pontos do que na época anterior. É apenas a terceira equipa mais goleadora, havendo nove equipas com menos golos sofridos

Aposto que a bola nas redes que mais doeu ao idolatrado "mestre" foi mesmo a do Iuri.

Vieira

Luis_Filipe_Vieira_LUSA_y6lDcXJ.jpg

 

«Segundo um email trocado entre Ana Paula Godinho [responsável pelo departamento de relações públicas do Benfica] e Luís Filipe Vieira (em Novembro de 2016, apenas dois anos antes do aparecimento das primeiras investigações judiciais), de uma assentada, o camarote presidencial [do estádio da Luz] chegou a ter 11 magistrados (dez juízes e um procurador) sentados para assistirem ao jogo entre Benfica e Moreirense. Celso Manata (procurador, na altura, director-geral dos serviços prisionais), os juízes conselheiros António Grandão e José Nunes Lopes; os juízes desembargadores Rui Rangel, António Ramos, Frederico Cebola, Calvário Antunes, Carlos Benido e o juiz de primeira instância António Gaspar.»

 

«Luís Filipe Vieira diz que apenas falou uma vez com os juízes que iam a um pavilhão no Estádio da Luz para "dar uns chutos na bola", como refere um email do juiz Pedro Mourão para o presidente do Benfica, em Março de 2014, pedindo-lhe que autorizasse a utilização de um pavilhão para a futebolada judicial de um grupo de magistrados do Supremo Tribunal de Justiça. Porém, o email de Ana Paula Godinho para o presidente termina afirmando que o juiz desembargador Pedro Mourão "ficou de lhe apresentar os magistrados que, eventualmente, não conhece pessoalmente".»

 

«Outro juiz cujo trajecto profissional se tem cruzado com o Benfica é Antero Luís, actual secretário de Estado adjunto da Administração Interna. Em 2014, vestindo o fato de secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, o juiz assistiu a vários jogos do SLB, ora na qualidade de convidado, ora a "fazer-se" ao bilhete: o primeiro registo refere-se a 2012 e a um jogo Benfica-Barcelona, quando Antero Luís integrou uma task force entre segurança e espionagem: a acompanhar o então secretário-geral estiveram os directores do Serviço de Informações e Segurança (SIS), o também juiz Horácio Pinto e o adjunto Luciano Oliveira.»

 

«Antero Luís regressou ao Estádio da Luz em 2014, juntamente com Horácio Pinto e Neiva da Cruz, este último actual director do SIS, para assistir ao Benfica-PAOK. Uma vez mais, o clube tinha-o convidado, mas o secretário-geral da segurança interna ainda pediu mais um bilhete para o seu chefe de gabinete, Alexandre Coimbra, intendente da PSP. (...) Em Abril de 2014, novo pedido: Benfica-AZ Alkmaar. Desta vez, Antero Luís não levou o chefe de gabinete, mas pediu credenciais de acesso para o segurança pessoal e para o motorista.»

 

«É nos ficheiros apreendidos na Operação Lex (...) que se encontra o nome do antigo vice-procurador-geral da República, Agostinho Homem, como um dos convidados frequentes do SLB, seja para jogos em casa seja para integrar a comitiva oficial do Benfica em disputas europeias. Agostinho Homem integrou, por exemplo, a comitiva oficial dos encarnados a Moscovo para o jogo com o CSKA, uma viagem com um custo-pessoa superior a mil euros.»

 

«No que diz respeito às forças de segurança/justiça, a distribuição de bilhetes arrastou-se ainda, durante vários anos, à PSP, GNR, SEF e Polícia Judiciária. Nesta última, o contacto permanente dos encarnados estava identificado como Carlos Elias, um inspector que, segundo informações recolhidas pela Sábado, já está reformado, tendo trabalhado durante vários anos na investigação de crimes económicos.»

 

«O charme benfiquista alastrou ao mundo empresarial e financeiro. Os antigos administradores executivos da PT e da Central de Cervejas, Zeinal Bava e Alberto da Ponte, respectivamente, foram convidados para a final da Liga Europa, em 2014, que opôs o Benfica ao Sevilha. Mas era com Amílcar Morais Pires, que integrou a comitiva de convidados às finais da Liga Europa em 2013 e 2014, antigo administrador do Banco Espírito Santo, que Luís Filipe Vieira mantinha uma relação de maior proximidade, como documentam vários emails apreendidos no processo da Operação Marquês. Uma das mensagens, aliás, revela a paixão de Frederico Morais Pires, um dos filhos do antigo banqueiro, pelo Benfica.»

 

«A área das figuras públicas/celebridades também não foi descurada pelo departamento de Relações Públicas do Benfica. Uma extensa base de dados com contactos de actores, cantores, bloggers, instragramers, etc, foi criada para alimentar uma estratégia de convites para jogos. Ricardo Araújo Pereira, hoje apoiante da candidatura de João Noronha Lopes, foi um dos contemplados com uma "carta-mistério" enviada a várias figuras públicas. (...) Esta estratégia foi utilizada também, por exemplo, com Teresa Guilherme, Isabel Angelino, Ricardo Pereira, Jorge Corrula, etc.»

 

Excertos de uma investigação do jornalista Carlos Rodrigues Lima, publicada na Sábado a 29 de Outubro

A ver se nos entendemos

As buscas feitas hoje pela Polícia Judiciária e pelo Ministério Público (e finanças e PGR e o diabo a sete) às SAD's de Benfica e Sporting é em tudo semelhante: Um número elevado de inspectores e operacionais "invadiu" as instalações daquelas SAD's ( e também do Santa Clara e soube-se mais tarde, Académica ) em busca de indícios, provas, para acusações já formalizadas anteriormente.

Bom em tudo, em tudo... não! Passo a tentar explicar: A "Judite" foi a Alvalade em busca de provas do suposto branqueamento de 20 milhões de Euros por parte de Álvaro Sobrinho, um dos accionistas de referência da SAD do Sporting, através da sua empresa Holdimo, quando esta comprou grande parte da sua posição. Sporting a ver com isto? Nada, ou pouco mais, pelo menos pela informação prestada pelas autoridades. Já a entrada retumbante pela porta 18 do batalhão de polícias, teve como fito "negócios no futebol". E que "negócios no futebol" serão então esses? Ora bem, "durante a manhã de hoje, a Procuradoria Geral da República (PGR) confirmou a realização de 29 buscas: "oito domiciliárias; uma, a uma fundação; seis, a instalações de três sociedades desportivas; nove, a outros tipos de sociedade; três, a dois clubes desportivos; e duas, a dois escritórios de advogados"." Segundo o Sapo, esta plataforma onde estamos alojados, que consegue misturar o comunicado da Sporting SAD no  meio da notícia sobre o Benfica e Santa Clara. Querem saber o que querem dizer esses "negócios do futebol" que levaram um autocarro de autoridades de polícia criminal e alguns magistrados do MP e inspectores de finanças ao Estádio da Luz e aos Açores e a mais um ror de sítios e locais? Pois bem, lá vai o rol: Participação económica em negócio ou recebimento indevido de vantagem, corrupção ativa e passiva no fenómeno desportivo, fraude fiscal qualificada e branqueamento; Negócios de diversa natureza, todos relacionados com o futebol profissional; Aquisição dos direitos desportivos e económicos de jogadores por parte de clubes nacionais de futebol, empréstimos concedidos a um destes clubes e a uma sociedade desportiva por um cidadão de Singapura com interesses em sociedades sediadas nas Ilhas Virgens Britânicas e a utilização das contas do mesmo clube e de outro, para a circulação de dinheiro; Pagamento em dinheiro de prémios de jogo, a satisfação de dívidas pessoais de dirigentes, a utilização por estes de valores dos clubes e a omissão declarativa de operações fiscalmente relevantes; A falsificação, através dos meios atrás descritos, da verdade desportiva, concretamente o campeonato 2015/2016 o qual pode ter sido (segundo a acusação) conseguido com recurso a corrupção de jogadores adversários, tudo consubstanciado nos processos e-toupeira e mala ciao.

Como vemos, um pouco diferente, até porque Godinho Lopes (ao tempo dos factos buscados hoje, presidente do Sporting) ao lado de Vieira é um moço de coro e até Bruno de Carvalho, que lhe sucedeu e ainda é "apanhado" por um ano neste assunto, era ao lado de Luís Filipe, um aprendiz de feiticeiro.

O que as notícias não referem e não acredito que por ignorância, é que a provarem-se ambas as acusações, na primeira Álvaro Sobrinho poderá acabar preso (tenho sérias dúvidas que mesmo provando-se, isso venha a acontecer); Na segunda, a provarem-se as acusações, o Benfica e o Santa Clara serão punidos com a despromoção e a consequente descida aos campeonatos amadores. Juro que se isso viesse a acontecer, começaria a acreditar no Pai Natal.

O novo normal

A acreditar na imprensa de hoje o que aconteceu ontem no Bessa, Boavista 3 vs. Benfica 0, foi normal.

Não foi.

Antes deste jogo, o Boavista tinha dois jogos em casa, duas derrotas, seis golos sofridos, zero marcados.

Parece que palavras como: humilhação, descalabro, vergonha, desgraça e assim, estão reservadas para as goleadas sofridas pelo Sporting.

Vejamos alguns títulos, A Bola opta pelo título fofinho de: "Lição de xadrez"; Record: "A águia cai do pedestal"; O Jogo: "Boavistão tira águia do poleiro"; JN: "Pantera crava as garras"; CM: "Pantera trava voo da águia". 

Nenhum destes jornais puxa para manchete o resultado, lendo alguns dos títulos até poderíamos pensar num empate.

Os do costume virão dizer que me preocupo mais com o Benfica que com o Sporting, a questão não é essa, às vezes, faz falta olharmos para além do óbvio, como dizia Sophia: "vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar" ou num outro registo, Zeca Afonso: "o faz falta é avisar a malta".

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D