Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Varandas: um ano em balanço

img_920x518$2019_09_07_19_37_18_1598835[1].jpg

 

Frederico Varandas iniciou funções faz hoje um ano, mandatado nas urnas por uma expressiva maioria dos votos dos sócios: 42,3%. Derrotando João Benedito (36,8%), José Maria Ricciardi (14,5%), Dias Ferreira (2,3%), Fernando Tavares Pereira (0,9%) e Rui Jorge Rego (0,5%).

Virava-se uma página convulsiva no Sporting - uma das mais atribuladas e trumáticas de sempre, marcada pelo ataque selvagem de membros das claques à Academia de Alcochete, pela rescisão unilateral de contratos de nove jogadores do futebol profissional, pela violação de normas estatutárias e disciplinares por parte do Conselho Directivo liderado por Bruno de Carvalho, pela destituição dos órgãos sociais do clube e pela expulsão do presidente, que deixou de ser sócio. De caminho, perdíamos a final da Taça de Portugal frente ao Aves e o treinador Jorge Jesus partia para outras paragens.

Nem os mais pessimistas foram capazes de antever um cenário tão dantesco neste nosso centenário clube que é instituição de utilidade pública. E poucos prognosticaram que, apesar de tudo, o Sporting acabasse por regressar ao trilho da normalidade, visível um ano depois. Um ano difícil, complexo, ainda cheio de traumas. Mas que fez acender sinais de esperança novamente em Alvalade.

Vale a pena fazer um breve balanço deste primeiro ano de mandato de Frederico Varandas, nas suas luzes e sombras. Aqui fica, pela parte que me toca:

 

Positivo

Duas taças conquistadas. Com Marcel Keizer ao comando da equipa técnica, o Sporting venceu dois troféus: a Taça da Liga (em Janeiro) e a Taça de Portugal (em Maio). Derrotando o FC Porto em ambas as finais após termos eliminado o Braga na primeira competição e o Benfica na segunda. Foram os cinco meses mais conseguidos no futebol leonino desde 2002, quando conquistámos pela última vez a dobradinha, com o treinador Laszlo Boloni.

Seis títulos europeus. Contra a expectativa de muitos, este foi um ano de forte protagonismo do Sporting nas modalidades, com destaque para as conquistas europeias. Com nada menos de seis títulos internacionais acumulados em cinco modalidades: Liga dos Campeões de futsal, Liga Europeia de hóquei em patins, Liga dos Campeões de judo, Taça dos Clubes Campeões Europeus de corta-mato feminino e campeonatos europeus de golbol (masculino e feminino). No judo, Jorge Fonseca e Daria Bilodid sagraram-se campeões mundiais. E vencemos a Taça Ibérica em râguebi (masculino e feminino).

Modalidades em alta. Apesar das mudanças ocorridas, o Sporting continuou a marcar posição como clube eclético. Com vitórias no futsal (Taça de Portugal, Supertaça  e campeonato sub-20), andebol (campeonato de juniores), atletismo masculino (campeonatos de estrada e corta-mato), atletismo feminino (estrada, corta-mato e pista coberta), judo (campeonato), natação (campeonato), ténis de mesa (campeonato, Taça de Portugal e Supertaça), ginástica masculina (campeonato por equipas em trampolins) e râguebi feminino (campeonato, Taça de Portugal e Supertaça). Novidade: o basquetebol regressou a Alvalade 24 anos depois.

Investimento na Academia. Iniciaram-se as obras de ampliação e beneficiação da Academia de Alcochete, que se encontrava visivelmente degradada. Estando já em curso a renovação dos campos de treino e a remodelação de diversas infraestruturas de apoio desportivo. Este projecto - que, segundo Varandas, totalizará entre 10 milhões e 12 milhões de euros - prevê o alargamento de toda a ala destinada à formação dos sub-7 aos sub-23, que deverá estender-se por mais sete hectares até 2021.

55 milhões no Verão. A janela de transferências estival saldou-se pela maior soma de sempre na venda de passes de jogadores que pertenciam ao plantel leonino: mais de 55 milhões de euros ficaram garantidos para os cofres de Alvalade. Com destaque para as saídas de Raphinha (para o Rennes) por 21 milhões e Thierry Correia (para o Valência) por 12 milhões. Ficou também solucionado o conflito com o Olympiacos, tendo o clube grego assumido o pagamento de sete milhões de euros ao Sporting por Podence, um dos nove jogadores que rescindiram unilateralmente contrato após o assalto à Academia de Alcochete.

 

Negativo

Instabilidade técnica. Vamos no quarto treinador no futebol profissional - e nada garante que não esteja para chegar um quinto a curto prazo. Varandas apontou a porta de saída a José Peseiro menos de dois meses após ter tomado posse. Seguiu-se Tiago Fernandes, interino, que comandou a equipa em três jogos sem derrotas. Em Novembro, chegou Marcel Keizer, que acabou despedido dez meses mais tarde. Leonel Pontes, que vinha orientando com sucesso a equipa sub-23, assegura provisoriamente o comando do plantel principal. Resta ver até quando.

Formação à margem. Em Janeiro, pela primeira vez desde Outubro de 2007 (568 jogos depois), a nossa equipa de futebol entrou em campo sem nenhum jogador da formação no onze titular. Aos poucos, os elementos formados na Academia de Alcochete eram emprestados (Matheus Pereira, Francisco Geraldes e Domingos Duarte, por exemplo), saíam sem lucro para a SAD (Nani) ou eram relegados para a bancada (Jovane e Miguel Luís). Desmentindo uma das promessas mais emblemáticas feitas pelo candidato Varandas durante a campanha.

Reforços por exibir. Desde Janeiro chegaram 13 reforços. Mas apenas dois têm actuado regularmente como titulares: Luiz Phellype e Idrissa Doumbia. Ilori foi promovido e logo despromovido, Borja joga com intermitências, Neto faz aparições esporádicas. Vietto ainda só fez dois jogos como titular, Eduardo e Plata mal actuaram ainda e Camacho e Rosier (que chegou lesionado) aguardam estreia em desafios oficiais. No último dia do mercado de Verão desembarcaram mais três, todos por empréstimo: Jesé, Fernando e Bolasie. Três incógnitas, cada qual a seu modo.

Bruno e Bas Dost. A gestão dos casos Bruno Fernandes e Bas Dost pecou por improvisação, passividade e amadorismo. A SAD aguardou quase até ao limite do fecho do mercado por propostas de aquisição do nosso médio criativo, acabando por não receber nenhuma pela quantia que havia fixado: cerca de 70 milhões de euros. Gorada esta venda, houve que apressar outras saídas, incluindo a do nosso maior goleador, Bas Dost, que saiu por apenas sete milhões - cifra baixíssima para um jogador que marcou 93 golos em três temporadas no Sporting e chegou a ser o segundo maior goleador dos campeonatos europeus. Pior: ficámos sem ponta-de-lança alternativo. Luiz Phellype é agora o único.

Duas goleadas. Custa sempre sofrer muitos golos, mas ainda mais quando o adversário é o nosso mais velho rival. Sucedeu duas vezes nestes últimos seis meses: primeiro no campeonato, em Fevereiro, quando o Benfica nos derrotou por 2-4 em Alvalade; depois em Agosto, na Supertaça, ao sermos humilhados pela mesma equipa no estádio do Algarve, de onde saímos derrotados por 0-5. Uma goleada que (Varandas viria a confessar um mês depois) traçou o destino de Marcel Keizer. E fez começar da pior maneira a época 2019/2020.

81.ª Volta a Portugal - balanço

O balanço da 4ª participação na Volta a Portugal, após o regresso ao ciclismo em 2016, da equipa do Sporting/Tavira acaba por seguir o registo das 3 participações anteriores: discreto e desapontante.

Na geral em equipas, ficámos em 3.º lugar. Na geral individual, tivemos apenas 2 corredores (em 7) no top-15 (14.º e 15.º lugares, concretamente), nem um no top-10!  Nas etapas disputadas, não conseguimos nenhuma vitória. Em 4 anos de Volta a Portugal, não lográmos colocar qualquer corredor no pódio final; só conseguimos uma vitória por etapas (em 40!). Um saldo, francamente, muito pobre numa modalidade a quem o Sporting tanto deve o seu prestígio nacional e extra muros.

Poderíamos aqui discorrer sobre as razões que levaram a este regresso em falso do Sporting ao ciclismo. Mas é exercício que, por ora, de pouco servirá face ao mais que provável novo abandono da modalidade. 

O ciclismo é uma modalidade que projeta, geograficamente falando, o Sporting mais longe do que qualquer outra. Destaco, aqui, o seguinte comentário (por Filipe o Leão da Serra) deixado na caixa de comentários da Tasca e que ilustra muito bem o que pretendo dizer: "Tenho pena que o Ciclismo acabe no nosso Clube. Mesmo sem passarem à frente, gostei de ver passar as nossas Camisolas na minha terra, a mais de 200 km de Lisboa(destaque meu)". 

O Sporting não pode virar costas outros 30 anos ao ciclismo!

Escrevo isto com sentida emoção, pois, como aqui já contei há anos, devo ao ciclismo a adesão da família ao Sporting e, consequentemente, o meu sportinguismo! Estarei, por isso, eternamente grato à modalidade. 

Uma nota final para saudar Frederico Figueiredo, o melhor leão em estrada na Volta. Uma grave queda na penúltima etapa levou-o a abandonar a prova no último dia. Não fosse isso e provavelmente terminaria no top-10, posição onde estava à partida para a última etapa.

Frederico Figueiredo teve uma queda grave antes da subida à Senhora da Graça, mas concluiu a etapa e nos primeiros lugares. Infelizmente, os ferimentos sofridos (fraturas no pulso e no braço) impediram-no de prosseguir na prova no dia seguinte.

O corredor leonino foi exemplo categórico de leão que caiu, mas que se levantou de novo!

Tivessem os desportistas que vestem o manto verde-e-branco a bravura, sofrimento e superação de Frederico Figueiredo e seríamos melhor Sporting.

Que o seu exemplo possa inspirar outros quando se preparam para arrancar novas épocas nas demais modalidades, e, já agora, também, no futebol.

26775437_770x433_acf_cropped.jpg

Onze jogos sem vencer em campo

11 de Maio: Sporting, 1 - Tondela, 1

Jogo da 33.ª jornada da Liga 2018/2019. Golo de Bruno Fernandes (de penálti).

 

18 de Maio: FC Porto, 2 - Sporting, 1

Jogo da última jornada da Liga 2018/2019. Golo de Luiz Phellype.

 

25 de Maio: Sporting, 2 - FC Porto, 2

Final da Taça de Portugal, com autogolo de Danilo e golo de Bas Dost. Nos penáltis, após o prolongamento, desempate por 5-2. Grandes penalidades convertidas por Bruno Fernandes, Mathieu, Raphinha, Coates e Luiz Phellype.

 

10 de Julho: FC Rapperswil, 2 - Sporting, 1

Jogo de preparação, no âmbito do estágio da equipa na Suíça, frente a uma turma da terceira divisão helvética. Golo de Bruno Fernandes.

 

13 de Julho: St. Gallen, 2 - Sporting, 2

Segundo jogo da pré-temporada, ainda na Suíça. Golos de Bruno Fernandes e Wendel.

 

16 de Julho: Sporting, 0 - Estoril, 1

Jogo-treino na Academia de Alcochete, frente a uma equipa da segunda divisão.

 

19 de Julho: Club Brugge, 2 - Sporting, 2

Regresso aos jogos de preparação da pré-temporada e regresso aos empates. Golos de Bruno Fernandes (de penálti) e Jovane.

 

25 de Julho: Liverpool, 2 - Sporting, 2

Partida disputada em Nova Iorque, ainda na pré-temporada, frente ao campeão europeu em título. Golos de Bruno Fernandes e Wendel.

 

28 de Julho: Sporting, 1 - Valência, 2

Troféu Cinco Violinos, perdido no Estádio José Alvalade em confronto com o quarto classificado da Liga espanhola. Golo de Bas Dost.

 

4 de Agosto: Benfica, 5 - Sporting, 0

Supertaça, perdida no Estádio do Algarve em goleada infligida pelo SLB.

 

11 de Agosto: Marítimo, 1 - Sporting, 1

Início da Liga 2019/2020, com empate no Funchal. O nosso golo foi marcado por Coates.

 

............................................................................................

 

Balanço destes três meses:

- Seis empates (um deles desfeito nos penáltis, a nosso favor, na final do Jamor);

- Cinco derrotas.

Treze golos marcados, 22 golos sofridos.

Volta a Portugal - fim de ciclo à vista

Estamos em plena Grandíssima e, aproveitando a pausa na prova, é altura para um brevíssimo balanço.

Volvidas cinco etapas, a corrida é dominada, como seria de esperar e em linha com os últimos anos, pela equipa da W52/FC Porto, com a liderança na geral e por equipas, vitórias em etapas e, ainda, 5 corredores (em 7!) nos 15 primeiros lugares.  

Quanto ao Sporting/Tavira, temos para já um 4.º lugar na geral por equipas, nenhuma etapa ganha (o melhor que conseguimos foi um 2.º lugar) e apenas 1 corredor no top-15, a já mais de 2 minutos e sem sequer conseguir entrar no top-10.

Não está, pois, a ser uma prestação brilhante nas estradas portuguesas por parte da equipa leonina, de resto, à semelhança, também, das edições anteriores.

O Sporting arrisca-se, pois, a chegar ao fim de 3 participações na Volta a Portugal com apenas 1 etapa ganha, sem qualquer top-3 na geral final. É, manifestamente, muito pobre.

Por isso, não surpreendem as notícias que apontam para o termo da parceria com o Clube de Ciclismo de Tavira. O Sporting prepara-se, tudo indica, para deixar, novamente, o ciclismo.

Como sportinguista e aficcionado pelas duas rodas, lamento muito esse cenário, mas a verdade é que o regresso ao pelotão está longe de corresponder às expectativas, nem sequer às mínimas. O Sporting não está a acrescentar valor ao ciclismo, nem a tirar proveito da modalidade. 

Este ano contratámos Tiago Machado, corredor que nos últimos anos andou a correr lá por fora e chegou a participar no Tour. Esperava que o corredor famalicense fosse o condão certo para arrepiarmos caminho, mas a verdade é que está longe de o ser. O actual 16.º lugar a quase 4 minutos do camisola amarela, só reforça a desilusão. 

Caminhamos, portanto, para um final de ciclo. Só não queria era esperar outros 30 anos para se abrir um novo ciclo. O Sporting tem uma marca identitária muito forte na modalidade, adeptos e projecção. Há que tirar os devidos ensinamentos desta parceria com o Tavira para, no futuro, quando surgir a ocasião, se repensar o regresso noutros termos e, sobretudo, com outra exigência.   

Balanço dos prognósticos 2018/2019

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2019/2020, relembro os prognósticos sobre a prestação do Sporting em cada jornada da Liga anterior feitos aqui no És a Nossa Fé.

É um passatempo que aqui recomeçará, pelo sexto ano consecutivo, mal soe o apito de saída da próxima Liga.

 

12 de Agosto (Moreirense, 1 - Sporting, 3): António de Almeida, FMJC, Leão de Queluz

18 de Agosto (Sporting, 2 - V. Setúbal, 1): CAL, FMJC

25 de Agosto (Benfica, 1 - Sporting, 1): Vasco Matos

1 de Setembro (Sporting, 1 - Feirense, 0): Carlos Pereira, José Manuel, Luís Ferreira

24 de Setembro (Braga, 1 - Sporting, 0): Ninguém acertou

29 de Setembro (Sporting, 2 - Marítimo, 0): Ângelo, António de Almeida, CAL, Cristina Torrão, FMJC, José da Xã, Luís Ferreira, Vasco Matos

7 de Outubro (Portimonense, 4 - Sporting, 2): Ninguém acertou

28 de Outubro (Sporting, 3- Boavista, 0): João Santos

4 de Novembro (Santa Clara, 1 - Sporting, 2): Horst Neumann, JF 1965

11 de Novembro (Sporting, 2 - Chaves, 1): Luís Ferreira

3 de Dezembro (Rio Ave, 1 - Sporting, 3): JF 1965, Luís Lisboa, Verde Protector

9 de Dezembro (Sporting, 4 - Aves, 1): Ninguém acertou

16 de Dezembro (Sporting, 5 - Nacional, 2): Ninguém acertou

23 de Dezembro (V. Guimarães, 1 - Sporting, 0): Ninguém acertou

3 de Janeiro (Sporting, 2 - Belenenses SAD, 1): JHC, Luís Ferreira

7 de Janeiro (Tondela, 2 - Sporting, 1): Ninguém acertou

12 de Janeiro (Sporting, 0 - FC Porto, 0): Ninguém acertou

19 de Janeiro (Sporting, 2 - Moreirense, 1): Ângelo

30 de Janeiro (V. Setúbal, 1 - Sporting, 1) Ângelo

3 de Fevereiro (Sporting, 2 - Benfica, 4): Ninguém acertou

10 de Fevereiro (Feirense, 1 - Sporting, 3): António de Almeida, CAL, Leão de Queluz

17 de Fevereiro (Sporting, 3 - Braga, 0): Ninguém acertou

25 de Fevereiro (Marítimo, 0 - Sporting, 0): Ninguém acertou

3 de Março (Sporting, 3 - Portimonense, 1): Verde Protector

9 de Março (Boavista, 1 - Sporting, 2): Ambrósio Geraldes, Fernando Luís, José Vieira, Leonardo Ralha, Luís Lisboa, Pedro Batista

15 de Março (Sporting, 1 - Santa Clara, 0): Ninguém acertou

30 de Março (Chaves, 1 - Sporting, 3): Ricardo Roque

7 de Abril (Sporting, 3 - Rio Ave, 0): Ambrósio Geraldes, José da Xã, Luís Ferreira

13 de Abril (Aves, 1, - Sporting, 3): António de Almeida, Ricardo Roque

19 de Abril (Nacional, 0 - Sporting, 1): Ninguém acertou

27 de Abril (Sporting, 2 - V. Guimarães, 0): Fernando Luís, João Santos, Pedro Batista, Verde Protector

5 de Maio (Belenenses SAD, 1 - Sporting, 8): Ninguém acertou

11 de Maio (Sporting, 1 - Tondela, 1): Ninguém acertou

18 de Maio (FC Porto, 2 - Sporting, 1): 

 

CONCLUSÃO:

Registou-se um vencedor, que cumprimento efusivamente pela pontaria tão certeira: o nosso leitor LUÍS FERREIRA, que se destacou com cinco palpites correctos. No Sporting-Feirense, no Sporting-Marítimo, no Sporting-Chaves, no Sporting-Belenenses SAD e no Sporting-Rio Ave.

 

Outra palavra de saudação especial aos leitores ÂNGELO (Sporting-Marítimo, Sporting-Moreirense e V. Setúbal-Sporting), CAL (Sporting-V. Setúbal, Sporting-Marítimo e Feirense-Sporting), FMJC (Moreirense-Sporting, V. Setúbal-Sporting e Sporting-Marítimo) e VERDE PROTECTOR (Rio Ave-Sporting, Sporting-Portimonense e Sporting-V. Guimarães). Todos com três vaticínios que se confirmaram acertados.

Dos meus estimados colegas de blogue, destacou-se o ANTÓNIO DE ALMEIDA, com quatro palpites correctos (Moreirense-Sporting, Sporting-Marítimo, Feirense-Sporting e Aves-Sporting. Com dois, o JOSÉ DA XÃ (Sporting-Marítimo e Sporting-Rio Ave), o LUÍS LISBOA (Rio Ave-Sporting e Boavista-Sporting) e o RICARDO ROQUE (Chaves-Sporting e Aves-Sporting).

 

Foi pena que ninguém tenha acertado em 14 dos 34 jogos.

Esperemos que no campeonato 2019/2020 a pontaria se revele ainda mais afinada. Não apenas a nossa, mas sobretudo a dos nossos jogadores.

 

Aproveito para recordar que na Liga 2013/2014 houve por cá sete vencedoresBruno Cardoso, Edmundo Gonçalves, João Paulo Palha, João Torres, José da Xã, Lina Martins e Octávio.

No campeonato 2014/2015, apenas umLeão do Fundão.

Em 2015/2016, triunfou o Grande Artista Goleador.

Em 2016/2017, o vencedor foi novamente o José da Xã.

Em 2017/2018, venceu o leitor J. Ramos.

 

Falta pouco mais de uma semana para começar o próximo. Aberto, como os anteriores, a todos quantos fazem e lêem este blogue.

Pódio 2018/2019: Bruno, Raphinha, Nani

Em jeito de balanço, aqui fica a lista dos jogadores que receberam a menção de melhores em campo no último campeonato pela soma das classificações atribuídas pelos diários desportivos após cada jornada.

De salientar que Bruno Fernandes lidera as três classificações, largamente destacado, enquanto Raphinha e Nani compartilham os três pódios. Vale a pena salientar que o ex-capitão leonino jogou pouco mais de meia época, tendo mesmo assim garantido lugar entre os três primeiros.

Entre as subidas, em comparação com a temporada anterior, regista-ss uma progressão: Acuña sobe de 1 para 6 votos. Inversamente, Bas Dost (líder destacado em 2016/2017 e segundo em 2017/2018) cai para a sexta posição, baixando de 18 para apenas 5 votos.

Em relação aos reforços de Inverno, só Luiz Phellype marca posição neste quadro, valorizado com a inclusão de Jovane e Miguel Luís, jogadores oriundos da formação leonina. Desta vez Coates ficou ausente.

Só a A Bola destacou Miguel Luís. E apenas O Jogo fez alusão a Wendel e Diaby. Vale a pena ainda sublinhar a boa posição de Renan, com apenas menos dois votos do que os obtidos por Rui Patrício na temporada anterior.

 

Bruno Fernandes: 41

Raphinha: 16

Nani: 11

Renan: 7

Acuña: 6

Bas Dost: 5

Mathieu: 4

Jovane: 4

Salin: 3

Luiz Phellype: 2

Miguel Luís: 1

Diaby: 1

Wendel: 1

 

A Bola: Bruno Fernandes (15), Nani (4), Raphinha (4), Acuña (3), Renan (3), Bas Dost, Salin, Jovane, Miguel Luís, Mathieu.

Record: Bruno Fernandes (15), Raphinha (6), Nani (4), Acuña (2), Renan (2), Bas Dost, Salin, Jovane, Mathieu, Luiz Phellype.

O Jogo: Bruno Fernandes (11), Raphinha (6), Nani (3), Bas Dost (3), Jovane (2), Renan (2), Mathieu (2), Salin, Diaby, Acuña, Wendel, Luiz Phellype.

 

Nota:

Há um ano foi assim.

Há dois anos foi assim. 

Há três anos foi assim.

Os melhores jogadores da época passada (3)

Balanço dos jogadores do Sporting que mais se destacaram em cada desafio do campeonato 2018/2019:

 

Bruno Fernandes: 10 (Moreirense-Sporting; Rio Ave-Sporting; Sporting-Aves; Sporting-Benfica; Feirense-Sporting; Sporting-Braga; Boavista-Sporting; Chaves-Sporting; Aves-Sporting; Belenenses SAD-Sporting)

Raphinha: 6 (Braga-Sporting; Tondela-Sporting; Marítimo-Sporting; Sporting-Portimonense; Sporting-Santa Clara; Sporting-V. Guimarães)

Nani: 3 (Sporting-V. Setúbal; Portimonense-Sporting; Sporting-Boavista)

Acuña: 3 (Santa Clara-Sporting; Sporting-Moreirense; Nacional-Sporting)

Mathieu: 3 (Sporting-FC Porto; Sporting-Tondela; FC Porto-Sporting)

Bas Dost: 2 (Sporting-Chaves; Sporting-Nacional)

Salin: 1 (Benfica-Sporting)

Jovane: 1 (Sporting-Feirense)

Montero: 1 (Sporting-Marítimo)

Renan: 1 (V. Guimarães-Sporting)

Miguel Luís: 1 (Sporting-Belenenses SAD)

Coates: 1 (FC Porto-Sporting)

Wendel: 1 (Sporting-Rio Ave)

 

Na época 2014/15, os melhores jogadores foram Nani, William Carvalho e Montero.

Na época 2015/16, os melhores jogadores foram Slimani, Adrien e João Mário.

Na época 2016/17, os melhores jogadores foram Gelson Martins, Bas Dost e Adrien.

Na época 2017/18, os melhores jogadores foram Gelson Martins, Bruno Fernandes e Rui Patrício.

Os melhores jogadores da época passada (2)

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2018/2019, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio.

 

19 de Janeiro (Sporting, 2 - Moreirense, 1): ACUÑA

«Foi dele a assistência para o nosso golo inicial, ao cobrar muito bem um canto. Grandes cruzamentos aos 26' e 47'. Lutou sempre muito, disputou bolas, causou desequilíbrios na sua ala, nunca desistiu de um lance.»

 

30 de Janeiro (V. Setúbal, 1 - Sporting, 1): COATES

«Sem Mathieu e André Pinto (ambos lesionados), seus habituais parceiros no eixo da defesa, actuando com um improvisado central a seu lado e tendo à sua frente um médio defensivo em estreia absoluta pelo Sporting, foi um gigante neste sector.»

 

3 de Fevereiro (Sporting, 2 - Benfica, 4): BRUNO FERNANDES

«Nani [desenhou] uma bela diagonal do centro para a direita enquanto Bas Dost fazia a manobra inversa à sua frente, arrastando dois defesas e ampliando terreno para o pé-canhão de Bruno Fernandes. Um golaço, infelizmente sem sequência.»

 

10 de Fevereiro (Feirense, 1 - Sporting, 3): BRUNO FERNANDES

«Keizer apostou nele, sem o poupar para o desafio de quinta-feira da Liga Europa frente ao Villarreal, e a verdade é que sem o n.º 8 provavelmente não teríamos saído com três pontos do estádio do Feirense.»

 

17 de Fevereiro (Sporting, 3 - Braga, 0): BRUNO FERNANDES

«Outra grande exibição do capitão leonino, comandante do onze em campo. Foi ele a abrir o marcador, aos 34', marcando um livre directo de forma perfeita com um forte remate, muito bem colocado, ao canto superior esquerdo da baliza braguista. Foi também ele a fazer a assistência para o terceiro golo, com uma assistência em diagonal a partir da linha de fundo, servindo na perfeição Bas Dost.»

 

25 de Fevereiro (Marítimo, 0 - Sporting, 0): RAPHINHA

«Alterou o cariz do jogo, tornando a nossa equipa mais acutilante e determinada nos lances ofensivos. Foi dele a jogada mais perigosa do encontro, travada in extremis, aos 76', por uma excelente intervenção do guarda-redes Charles, naquela que foi a defesa da noite.»

 

3 de Março (Sporting, 3 - Portimonense, 1): RAPHINHA

«O melhor em campo. Sobretudo pelo que fez na primeira parte, conduzindo três jogadas muito perigosas nos primeiros 11 minutos - a última das quais concluída com êxito por ele próprio, num belo golo (com o pé direito) que fez levantar o estádio.»

 

9 de Março (Boavista, 1 - Sporting, 2): BRUNO FERNANDES

«Foi ele a marcar o penálti decisivo, de forma impecável. Também ele quem puxou sempre a equipa para diante e fez a diferença num meio-campo que nunca foi capaz de se impor categoricamente frente à equipa adversária.»

 

15 de Março (Sporting, 1 - Santa Clara, 0): RAPHINHA

«Causou vários desequilíbrios nas suas constantes incursões a partir da ala direita para o centro. Sempre o mais inconformado dos leões, foi ele o autor do nosso solitário golo, aos 59'. Estreou-se assim a marcar neste campeonato, valendo os três pontos à nossa equipa.»

 

30 de Março (Chaves, 1 - Sporting, 3): BRUNO FERNANDES

«Mesmo vindo de lesão, o que aliás condicionou a sua actuação em campo, foi o melhor jogador desta partida. Marcou um grande golo, aos 80', com um disparo fortíssimo fora da grande área. Foi o golo que nos valeu os três pontos - e também o melhor do jogo. Já tinha participado na construção do primeiro.»

 

7 de Abril (Sporting, 3 - Rio Ave, 0): WENDEL

«Primeiro golo do jovem brasileiro nesta Liga 2018/2019. Mais que merecidos, os fortes aplausos que recebeu enquanto apontava para o emblema do Sporting na sua camisola. É o jogador que mais tem evoluído sob a orientação de Marcel Keizer.»

 

13 de Abril (Aves, 1 - Sporting, 3): BRUNO FERNANDES

«Esteve nos três golos leoninos. Primeiro aos 24', com o lançamento lateral e uma tabelinha com Acuña antes de o argentino cruzar. Depois aos 44': foi ele a marcar o livre directo de que resultou o golo apontado por Mathieu. Finalmente, aos 84', quando marcou o terceiro, a passe de Ristovski.»

 

19 de Abril (Nacional, 0 - Sporting, 1): ACUÑA

«Mesmo amarelado logo aos 7', não se deixou condicionar, comandando todas as operações ofensivas do nosso flanco esquerdo apesar de ter alinhado desta vez como lateral. Revelou-se incansável durante toda a partida, criando constantes desequilíbrios. E dos pés dele saíram sucessivos cruzamentos perigosos, infelizmente desaproveitados.»

 

27 de Abril (Sporting, 2 - V. Guimarães, 0): RAPHINHA

«Marcou um grande golo aos 39', revelando um domínio técnico da bola só ao alcance de uma minoria de profissionais do futebol. E foi dele a assistência para o segundo, num soberbo centro aos 51'. Aos 18', já tinha acertado com estrondo na barra. Vai-se mostrando cada vez mais influente na equipa leonina.»

 

5 de Maio (Belenenses SAD, 1 - Sporting, 8): BRUNO FERNANDES

«Tarde de sonho para o capitão do Sporting: três golos marcados. O que o torna no melhor marcador de sempre do futebol europeu para um jogador que actua na sua posição. Leva já 31 golos marcados nesta temporada - 19 no campeonato, onde também já fez 17 assistências.»

 

11 de Maio (Sporting, 1 - Tondela, 1): MATHIEU

«Exibição superlativa do central francês, o melhor em campo. Autor de cortes que mereceram palmas, aos 29' e aos 67', apontou um livre teleguiado aos 12' que esteve a escassos centímetros de furar as redes do Tondela. Passes de ruptura aos 22' e aos 24' como só ele e Bruno Fernandes sabem fazer. E esteve quase a marcar, de forma acrobática, aos 66', suscitando a defesa da noite do guardião do Tondela, Cláudio Ramos.»

 

18 de Maio (FC Porto, 2 - Sporting, 1): MATHIEU

«Exibição impecável do central francês, novamente o melhor Leão em campo. Patrão incontestado da nossa defesa, cortou tudo quanto havia para cortar (30', 59', 65', 70', 71'). Aos 85', salvou um golo na linha de baliza, num salto providencial que lhe permitiu travar de cabeça uma bola que se encaminhava para o canto superior esquerdo das nossa redes.»

 

(Conclusão do balanço iniciado ontem)

Os melhores jogadores da época passada (1)

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2018/2019, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio.

 

12 de Agosto (Moreirense, 1 - Sporting, 3): BRUNO FERNANDES

«Foi sempre o nosso jogador mais dinâmico e esclarecido. Vital para termos saído de Moreira de Cónegos com um resultado muito positivo. Coube-lhe o golo inaugural do Sporting nesta temporada oficial, marcado aos 16' num bom lance de área em que fez tudo bem: recepção, colocação e remate. E fez a assistência para o terceiro, num excelente passe de ruptura que isolou Bas Dost.»

 

18 de Agosto (Sporting, 2 - V. Setúbal, 1): NANI

«Exibição muito positiva do capitão da nossa equipa, coroada com dois belos golos e uma merecida ovação dos adeptos ao ser substituído, aos 85'. O primeiro logo aos 9', com um remate seco, traçando uma diagonal perfeita a partir da esquerda, quase no bico da área. O segundo de cabeça, bem colocado frente à baliza, dando a melhor direcção a um cruzamento de Jovane quando iam decorridos 66'. Foi, desde sempre, o primeiro bis do campeão europeu ao serviço do Sporting, agora na sua terceira etapa de verde e branco.»

 

25 de Agosto (Benfica, 1 - Sporting, 1): SALIN

«De longe o melhor em campo nesta sua estreia em clássicos do futebol português. Actuação superlativa do guarda-redes francês, que assinou seguramente uma das mais conseguidas exibições da sua carreira.»

 

1 de Setembro (Sporting, 1 - Feirense, 0): JOVANE

«Esticou o jogo, deu-lhe intensidade e comprimento, criou desequilíbrios, trazendo mais acutilância ofensiva ao onze leonino. E foi também ele a destacar-se ao marcar o golo que nos valeu três pontos. Golo mais que merecido face à exibição da equipa em geral e do jovem caboverdiano em particular.»

 

24 de Setembro (Braga, 1 - Sporting, 0): RAPHINHA

«Não marcou, mas esteve muito próximo. Com dois disparos que rasaram o poste, aos 73' e aos 82'. Fez um excelente cruzamento aos 76' que Coates desperdiçou. E poderia ter marcado mesmo se Bruno Fernandes, em vez de ter optado por fazer tudo sozinho, lhe tivesse endossado a bola aos 75': Raphinha estava em posição frontal para a baliza e dificilmente falharia.»

 

29 de Setembro (Sporting, 2 - Marítimo, 0): MONTERO

«Foi sempre um quebra-cabeças para a defesa adversária, que várias vezes o travou em falta. E marcou o nosso único golo de bola corrida, na sequência de um canto, à ponta-de-lança. Já tínhamos saudades do Montero goleador.»

 

7 de Outubro (Portimonense, 4 - Sporting, 2): NANI

«Foi o menos mau dos jogadores leoninos. Estranhamente, Peseiro deixou-o fora do onze inicial, vendo-se forçado a lançá-lo em campo no segundo tempo, por lesão de Raphinha. O campeão europeu correspondeu: dos pés dele saíram as assistências para os nossos dois golos, marcados por Montero aos 63' e Coates aos 88'.»

 

28 de Outubro (Sporting, 3 - Boavista, 0): NANI

«O campeão europeu formado em Alcochete festejou o primeiro golo à moda antiga, com um salto mortal; no segundo, beijou o emblema do nosso clube. Um enorme Leão, de corpo e alma. O melhor em campo.»

 

4 de Novembro (Santa Clara, 1 - Sporting, 2): ACUÑA

«É um desperdício ter o internacional argentino recuado na lateral. Quando surge à frente, com a sua dinâmica e a sua combatividade, rende muito mais à equipa. Hoje foi o melhor em campo, protagonista de bons cruzamentos e sobretudo do nosso golo da vitória, marcado de cabeça, a partir da ala direita.»

 

11 de Novembro (Sporting, 2 - Chaves, 1): BAS DOST

«Resolveu a partida, com dois golos. Aos 23', de cabeça, correspondendo da melhor maneira a um excelente cruzamento de Acuña na primeira oportunidade de que dispôs. E aos 86', concretizando uma grande penalidade que se seguiu ao golo do empate flaviense. Mas não teve uma actuação muito positiva só por isto: envolveu-se da melhor maneira nas movimentações colectivas, ganhou quase todos os lances de cabeça e arrastou a defesa adversária quando eram companheiros de equipa a transportar a bola.»

 

3 de Dezembro (Rio Ave, 1 - Sporting, 3): BRUNO FERNANDES

«Foi o homem do jogo, tendo sido peça essencial no meio-campo leonino e autor da assistência para o terceiro golo. É um dos jogadores que mais têm subido de forma desde a chegada de Keizer a Alvalade.»

 

9 de Dezembro (Sporting, 4 - Aves, 1): BRUNO FERNANDES

«O nosso médio de ligação em boa hora regressado a Alvalade no final de um dos defesos mais complicados de que há memória está também de volta à excelente forma a que habituou os adeptos na época passada. Hoje foi extremamente influente na vitória leonina, com assistências para os três golos marcados em lances de bola corrida.»

 

16 de Dezembro (Sporting, 5 - Nacional, 2): BAS DOST

«Eficácia a toda a prova, uma vez mais. Com a equipa correndo o risco de se desorganizar, perdendo por 0-2, o holandês voltou a ser um elemento crucial no onze leonino. Ao conquistar uma grande penalidade e ao convertê-la ele mesmo, aos 36'. Repetiria a façanha aos 84', elevando a conta para 4-2 novamente de cabeça fria, sem dar hipóteses ao guardião adversário.»

 

23 de Dezembro (V. Guimarães, 1 - Sporting, 0): RENAN

«Evitou por cinco vezes o golo vimaranense, com grandes defesas, numa demonstração clara de que a baliza leonina está bem entregue. Sem estas intervenções dele (15', 48', 62', 65', 90') teríamos sido goleados. No mesmo estádio onde há um ano goleámos o Vitória por 5-0. A vida tem destas coisas. E o futebol também.»

 

3 de Janeiro (Sporting, 2 - Belenenses SAD, 1): MIGUEL LUÍS

«Assegurou a ligação entre sectores, no miolo do terreno, e cumpriu com zelo a missão. Recuperou bolas, fez passes bem medidos, foi sempre muito combativo - e sobretudo marcou um grande golo, aos 80'. O golo do 2-1, que nos valeu os três pontos, com um disparo fortíssimo à entrada da área, sem hipóteses para o guarda-redes »

 

7 de Janeiro (Tondela, 2 - Sporting, 1): RAPHINHA

«Excelente cruzamento, logo aos 8', servindo Bruno Fernandes, que falhou o golo. Aos 37', inverteram-se os papéis: Bruno serviu-o da ala direita e o brasileiro cabeceou com muita colocação para o ângulo superior da baliza, com o guarda-redes Cláudio Ramos a impedir-lhe in extremis o golo fazendo a defesa da noite.»

 

12 de Janeiro (Sporting, 0 - FC Porto, 0): MATHIEU

«Neutralizou Marega e Soares, ganhou todos lances aéreos, fez vários cortes providenciais e ainda foi o mais lúcido no início da construção ofensiva do Sporting. Um elemento indispensável no onze leonino.»

 

(Conclui amanhã)

Balanço (34)

Golos marcados pelos jogadores do Sporting na Liga 2018/19:

 

Bruno Fernandes: 20

(Moreirense, Marítimo, Boavista, Rio Ave, Nacional, Nacional, Moreirense, Benfica, Feirense, Feirense, Braga, Braga, Portimonense, Boavista, Rio Ave, Aves, Belenenses  SAD, Belenenses SAD, Belenenses SAD, Tondela)

Bas Dost: 15

(Moreirense, Moreirense, Santa Clara, Chaves, Chaves, Rio Ave, Aves, Aves, Nacional, Nacional, V, Setúbal, Benfica, Braga, Braga, Belenenses SAD)

Luiz Phellype: 8

(Chaves, Chaves, Rio Ave, Aves, Nacional, V. Guimarães, Belenenses SAD, FC Porto)

Nani: 7

(V. Setúbal, V. Setúbal, Benfica, Boavista, Boavista, Aves, Moreirense)

Raphinha: 4

(Portimonense, Santa Clara, V. Guimarães, Belenenses SAD)

Mathieu: 3

(Nacional, Tondela, Aves)

Montero: 2

(Marítimo, Portimonense)

Jovane: 2

(Feirense, Rio Ave)

Diaby: 2

(Aves, Portimonense)

Coates: 1

(Portimonense)

Acuña: 1

(Santa Clara)

Miguel Luís: 1

(Belenenses)

Bruno Gaspar: 1

(Belenenses SAD)

Wendel: 1

(Rio Ave)

Idrissa Doumbia: 1

(Belenenses SAD)

Gudelj: 1

(Belenenses SAD)

Houve ainda um autogolo do Feirense em Santa Maria da Feira e outro do Boavista no Bessa.

 

Na época 2014/15, os melhores marcadores foram Slimani, Montero e Adrien.

Na época 2015/16, os melhores marcadores foram Slimani, Teo Gutiérrez, Adrien e Bryan Ruiz.

Na época 2016/17, os melhores marcadores foram Bas Dost, Alan Ruiz e Gelson Martins.

Na época 2017/18, os melhores marcadores foram Bas Dost, Bruno Fernandes e Gelson Martins.

Balanço (33)

 

OS CINCO MELHORES GOLOS DO SPORTING - V

 

Wendel, no Feirense-Sporting

(16 de Janeiro de 2019)

 

Quartos-de-final da Taça de Portugal, em Santa Maria da Feira. Wendel pegou na bola no meio-campo, progrediu com ela dominada no corredor esquerdo, afastou um defesa e rematou bem colocado, numa zona mais central, fazendo a bola seguir uma trajectória indefensável para o guarda-redes adversário, ligeiramente adiantado. Um belo golo do jovem médio brasileiro, que assim consolidava a sua posição como elemento do onze titular leonino.

Balanço (32)

 

OS CINCO MELHORES GOLOS DO SPORTING - IV

 

Bruno Fernandes, no Benfica-Sporting

(6 de Fevereiro de 2019)

 

Bruno Fernandes foi decisivo nesta primeira mão da meia-final da Taça de Portugal. Perdida por 1-2 na Luz, mas com o golo do nosso n.º 8 a revelar-se vital para a reviravolta verificada no embate posterior, em Alvalade, que nos abriu caminho para a conquista do ambicionado troféu. Já bastaria isto para torná-lo especial, mas foi um belíssimo golo, marcado de livre, a 30 metros das redes. Um tiraço do capitão leonino, sem defesa possível para o guarda-redes Svilar, dirigido ao canto superior mais distante da baliza. O livre nasceu de uma falta sobre o próprio Bruno, de longe o melhor em campo neste clássico.

Balanço (31)

 

OS CINCO MELHORES GOLOS DO SPORTING - III

 

Bruno Fernandes, no Sporting-Benfica

(3 de Abril de 2019)

 

Um golaço. Que ajudou a desfazer o nó frente aos nossos mais velhos rivais na meia-final da Taça de Portugal. Bruno Fernandes recebe a bola na ponta direita, liberta-se de marcação pregando um defesa adversário no chão e serve-se do pé esquerdo para um potente remate, sem defesa possível para o guardião encarnado, Svilar. Foi a nossa primeira vitória frente ao Benfica em futebol profissional desde 15 de Novembro de 2015. Seguimos em frente na competição, que viríamos a vencer. Graças a este grande golo do nosso capitão, iniciado com uma recuperação de bola que ele próprio protagonizou.

Balanço (30)

 

OS CINCO MELHORES GOLOS DO SPORTING - II

 

Jovane, no Rio Ave-Sporting 

(3 de Dezembro de 2018)

 

Lance de insistência do ataque leonino. A bola ressalta para Bruno Fernandes no corredor central. O médio criativo resiste à tentação de disparar, face à muralha que tem na frente: simula o remate mas toca para a direita, onde aparece Jovane, livre de marcação junto ao ângulo da grande área. Com o pior pé, o esquerdo, o jovem luso-caboverdiano desfere um potente remate que leva a bola a desenhar uma ogiva e a anichar-se ao canto superior direito da baliza. Selava-se a nossa vitória (3-1): três prontos trazidos de Vila do Conde.

Balanço (29)

 

OS CINCO MELHORES GOLOS DO SPORTING - I

 

Bruno Fernandes, no Feirense-Sporting 

(29 de Dezembro de 2018)

 

Um grande golo com apenas dois toques. Começa num soberbo passe de Coates que percorre 50 metros sobrevoando todos os jogadores de campo da equipa adversária para servir Bruno Fernandes lá à frente. O nosso médio criativo, numa inegável demonstração de virtuosismo técnico, deixa a bola bater uma só vez na relva e, vendo o guarda-redes de Santa Maria da Feira adiantado, dispara-a em arco, num ângulo indefensável. Foi o segundo da nossa goleada por 4-1, para a Taça da Liga.

Balanço (28)

21376026_JjEQH.jpeg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre BRUNO FERNANDES:

 

- Pedro Azevedo: «Hoje capitão, foi o maestro que pautou o compasso de todo o jogo dos leões.» (14 de Dezembro)

Eu: «Recuperada a plena forma após um início de temporada menos vistoso, Bruno Fernandes volta a deslumbrar as bancadas do nosso estádio. «Sou um jogador que não lida da melhor maneira com as derrotas», assumiu ontem numa longa entrevista ao diário A Bola, confessando-se indiferente aos poucos que ainda lhe chamam Judas por se ter afastado esporadicamente do clube no mais triste Verão de que há memória em Alvalade.» (29 de Dezembro)

Leonardo Ralha: «A execução do chapéu ao guarda-redes e a sincronia com o passe feito de muito longe por Coates fazem do seu golo mais um marco na carreira de um dos melhores médios de sempre a ter o leão ao peito.» (30 de Dezembro)

Luís Lisboa: «Fez mais uma vez de tudo, foi o melhor a defender, foi o melhor a organizar, foi o melhor na transição ofensiva, foi o melhor (e único) a marcar. Um grande golo, mais um.» (6 de Fevereiro)

- António de Almeida: «Claramente o melhor jogador do Sporting. Hoje é ele e mais dez.» (4 de Março)

Francisco Vasconcelos: «É de outro planeta. Não é formado em Alcochete mas dá lições de sportinguismo e profissionalismo. Um craque da cabeça aos pés, dentro e fora de campo. Se não for a melhor venda da nossa história, algo de muito errado se passa.» (8 de Março)

- Pedro Boucherie Mendes: «É evidente que Bruno Fernandes é excelente, excitante e entusiasmante, mas será que não é também um jogador que desequilibra a própria equipa?» (8 de Março)

- José da Xã: «É sem dúvida um fora de série. Daqueles que deixam sempre um boa marca nos relvados por onde passam. (2 de Junho)

Balanço (27)

transferir.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre LUIZ PHELLYPE:

 

João Goulão: «Se Luiz Phellype já está inscrito na Liga, e se tão boas indicações foi dando como melhor avançado da 2.ª Liga, qual a razão da sua não convocatória para um jogo que se prevê bastante durinho e em que o nosso principal avançado, Bas Dost, não pode jogar?» (6 de Janeiro)

Francisco Vasconcelos: «Foi um erro de casting.» (8 de Março)

- Luís Lisboa: «Hoje tivemos um ponta-de-lança batalhador, com presença na área e frio na concretização. Um Phellype que justificou enfim a contratação para a posição 9. Como alternativa a Bas Dost, obviamente.» (30 de Março)

Eu: «Começa a ser difícil adjectivar o desempenho do brasileiro, que marcou o sexto golo em cinco jogos consecutivos no campeonato. Igualando assim as marcas de Jardel, Slimani e Bas Dost. Ontem foi dele o nosso segundo, correspondendo da melhor maneira a um centro de Raphinha, com um desvio subtil na grande área vimaranense, à ponta-de-lança clássico. Aos 32', de cabeça, ia marcando também: a bola embateu no poste.» (28 de Abril)

Leonardo Ralha: «O sétimo golo numa série de seis jogos consecutivos a marcar na Liga NOS foi um remate oportuno e possante, à imagem do seu autor (...). Nem a presença no banco de alguém no escalão de IRS de Bas Dost o perturbou, sofrendo um pénalti devido a uma antecipação rápida antes de contornar Guilherme Oliveira em jeito e velocidade para servir Bruno Fernandes. Saiu com a missão cumprida e não será fácil retirar-lhe a titularidade.» (6 de Maio)

Balanço (26)

20809445_l3Mhz.jpeg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre BAS DOST:

 

- António de Almeida: «Orgulho dos aplausos dos sportinguistas aos nossos jogadores, de enorme significado os aplausos a Bas Dost e Bruno Fernandes, demonstrando sem margem para dúvidas que a razão foi recuperada no Sporting a 23 de Junho.» (29 de Julho)

Eu: «Em dois momentos decisivos, cumpriu - tornando-se no improvável homem do jogo. Chamado a converter o penálti após os 90', foi frio e eficaz, metendo-a lá dentro. E redobrou a dose, atirando-a para as malhas da baliza a abrir a ronda final de grandes penalidades. Pressionou muito à frente, ganhou lances aéreos. Podia ter marcado aos 81', mas assim a final teria sido menos emocionante.» (27 de Janeiro)

- Luís Lisboa: «Je suis Bas Dost.» (7 de Fevereiro)

- José Navarro de Andrade: «Fez de Bryan Ruiz mesmo no final do jogo.» (21 de Fevereiro)

Francisco Vasconcelos: «Para a frente de ataque há Dost que, já dizia Jesus, não pode jogar sempre» (8 de Março)

Francisco Melo: «Bas Dost, nosso artilheiro-mor, também se estreou há poucos meses no papel de "pai" e, curiosamente, vive nesta altura a pior fase da sua carreira. Não deixa de ser sintomático que as crises de golo de Montero e Bas Dost ocorram, precisamente, pouco tempo depois de terem sido pais.» (16 de Março)

Leonardo Ralha: «Entrou, viu e esticou a perna no momento certo, tirando partido do desvio de Felipe ao cruzamento de Acuña. Foi o melhor regresso a uma final da Taça de Portugal para o holandês, tendo em conta que na anterior tinha uma ligadura na cabeça e planos para rescindir contrato. Voltou a demonstrar uma taxa de eficácia ao nível que lhe deu fama, ganhando ainda diversos duelos aéreos, apesar de ter ficado perto de borrar a pintura ao atirar à barra no início do desempate por grandes penalidades.» (26 de Maio)

Balanço (25)

image.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre MONTERO:

 

Pedro Azevedo: «O seu futebol de filigrana ganha fulgor quando a confiança e a capacidade física aumentam. Aí, torna-se uma dor de cabeça para os adversários, impotentes face ao seu futebol feito de toque, refinada técnica e inteligência, ingredientes bem presentes no seu golo.» (30 de Setembro)

Eu: «Gostei que aos 17' já estivéssemos a vencer, com um golo de Montero. O colombiano também teve participação no segundo, com uma recuperação que denotou mestria técnica e fez uma movimentação quase à boca da baliza, crucial para o terceiro. Considero-o o homem do jogo.» (13 de Dezembro)

- Leonardo Ralha: «No lance do primeiro golo provou que é capaz de cabecear por instinto e a sua presença bastou para induzir um adversário a fazer autogolo. Sempre excelente a combinar com Bruno Fernandes, não merecia o extremo azar de sair de maca devido a uma bola dividida no meio-campo.» (14 de Dezembro)

- Francisco Melo: «Num ano muito delicado, a viver a pior fase da época, o Sporting deixa Nani e Montero irem embora??? Logo dois dos mais virtuosos e dedicados jogadores do plantel?! Desculpem, mas esta notícia fere mais a nossa alma de leão do que a derrota de ontem.» (15 de Fevereiro)

Francisco Chaveiro Reis: «Dir-me-ão que se poupa no ordenado. Eu preferia aumentar Montero e não pagar sequer um ordenado mínimo a Gaspar, Pinto ou Petrovic. Pela porta pequena sai um homem que venceu três taças, participou em 131 jogos e marcou 46 golos. Segundo avançado, franzino mas com faro de golo, Montero, espécie de João Vieira Pinto dos 150´, apresentou-se em Alvalade, numa tarde de agosto com um hat-trick ao Arouca. Marcaria 16 vezes no ano de estreia e mais 18 no seguinte.» (15 de Fevereiro)

Francisco Vasconcelos: «Já não há Montero e, neste momento, faltam na Academia jogadores que tenham capacidade para fazer essa posição.» (8 de Março)

Balanço (24)

image.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre MATHEUS PEREIRA:

 

Eu: «Revelando sempre grande mobilidade, marcou o golo da vitória com um remate forte e bem colocado, e aos 54' ia assistindo Montero para outro golo.» (14 de Julho)

Pedro Azevedo: «Soltou o génio que todos lhe reconhecemos e que só necessita de estabilidade para uma afirmação plena. Marcou um golo de enorme categoria, colocando a bola junto ao ângulo superior direito da baliza gaulesa, e assistiu Montero para uma perdida incrível do colombiano, para além de ter sido o inferno de Dante (aquele túnel...).» (14 de Julho)

- António de Almeida: «Reacção do jogador denotou falta de compromisso para com a equipa e até de profissionalismo que prejudica em primeiro lugar o próprio atleta. Porque não é possível pactuar com actos de indisciplina, apesar de não ver neste episódio mais que um caso de balneário, sem necessiadade de aplicação de castigo,» (13 de Agosto)

Francisco Vasconcelos: «Pode regressar Matheus, ainda com muito a provar, depois dos problemas ocorridos no início da época. O potencial está lá, mas a cabeça tem de ser outra.» (8 de Março)

- Francisco Chaveiro Reis: «Ivanildo Fernandes, Daniel Bragança, Elves Baldé, Gelson Dala e Matheus Pereira devem pelo menos seguir para estágio).» (25 de Maio)

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D