Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Pedro Mendes: estão à espera de quê?

960[1].jpg

 

Vi ontem o Sporting-Portimonense, para a Liga Revelação. Triunfo concludente da nossa equipa, por 4-3: é a sexta vitória em seis jogos.

Excelente movimentação verde e branca, com um futebol muito compacto e veloz. Vê-se aqui fio de jogo, trabalho colectivo, treino competente.

Destaco as exibições de Nuno Mendes (lateral esquerdo, 17 anos), dono absoluto do seu corredor. De Bruno Tavares (ala direito, 17 anos), autor de duas assistências para golo. De João Oliveira (lateral direito, 20 anos), que assistiu no terceiro e marcou o quarto, com um belíssimo remate de meia distância. De Joelson Fernandes (extremo, 16 anos), um criativo por excelência e dono de uma técnica muito evoluída para a sua idade.

Mas realço, acima de todos, Pedro Mendes. O nosso avançado com maior rendimento no campeonato sub-23. Ontem marcou os três primeiros golos do Sporting nesta partida disputada no estádio Aurélio Pereira, em Alcochete: o primeiro, num cabeceamento indefensável, em mergulho, correspondendo da melhor maneira a um cruzamento de Tomás Silva, é daqueles que merecem ser vistos e revistos

Mal acabei de assistir ao jogo, questionei-me: por que motivo não é Pedro Mendes convocado de imediato para o escalão principal, tão carente de goleadores e agora sem ponta-de-lança alternativo? Como é possível que tenha sido ignorado por Marcel Keizer este jovem que já leva sete golos marcados em seis jogos da Liga Revelação? Irá Leonel Pontes contar com ele?

 

P. S. - A coisa promete: Luiz Phellype com lesão traumática, Vietto com queixas musculares.

Não é só azar

Não foi preciso esperar muito. O primeiro teste da nossa equipa em campo desde o encerramento do atribulado mercado de transferências vai ocorrer amanhã, no difícil estádio do Bessa, provavelmente sem termos ponta-de-lança no onze titular. Luiz Phellype lesionou-se num treino, sofrendo uma lesão traumática no tornozelo esquerdo.

Azar? Claro. Mas os maiores azares acontecem quando a planificação do plantel é deficiente. E desta vez não foi por falta de advertência.

Ele nunca mais foi o mesmo

21537522_ywfc7[1].jpg

Diz o Francisco aqui ao lado e muito bem que "Bas Dost será sempre o rosto do ataque à Academia, mas por muito carinho que os adeptos tenham por ele, não voltou a ser o mesmo, precisando de um novo ciclo;"

Diz o Paulo Futre mais ou menos a mesma coisa, que "ele nunca mais foi o mesmo". Chama-lhe até "o mistério Bas Dost". (https://www.record.pt/multimedia/videos/detalhe/paulo-futre-sobre-o-misterio-de-bas-dost-ele-nunca-mais-foi-o-mesmo);

Será que o novo ciclo de que Bas Dost precisava não seria Marcel Keizer sair e vir alguém que colocasse a equipa a jogar em função do ponta de lança, como fizeram antes dele Jorge Jesus (Slimani/Bas Dost), Boloni (Jardel) e Inácio (Acosta)?

E se Bas Dost sair amanhã e se no domingo em Portimão se repetir a hecatombe da época passada, Marcel Keizer ficar sem condições para continuar e apresentar a demissão ou ser demitido, e se vier um novo treinador, olhar para o plantel e perguntar: "Pois, avançados há muitos, mas... onde é que está o ponta de lança?"

 

PS: Quanto é custou cada golo do Castaignos? Ou do Spalvis? Ou do Barcos? Ou mesmo do Montero? Bas Dost foi mesmo uma pechincha...

SL

Bas Dost e Slimani

Circulam já por aí notícias sobre o eventual interesse da SAD leonina em despachar Bas Dost e trazer de volta Slimani.

Espero que tudo isto seja muito bem ponderado e não fruto de impulsos ou de improvisos. À primeira vista, confesso, está muito longe de me parecer boa ideia. E neste caso as estatísticas ajudam a fornecer uma sólida base argumentativa: nas últimas três épocas, ao serviço de três clubes (Leicester, Newcastle e Fenerbahçe), o argelino marcou apenas 18 golos em 75 jogos. Números medíocres para um avançado de referência. 

No mesmo período, vestindo a camisola do Sporting, o ponta-de-lança holandês marcou 76 golos em 83 jogos - só para o campeonato.

Uma diferença abissal. Que deve fazer reflectir seriamente os responsáveis do futebol em Alvalade.

É preciso partir o funil

O jogo de ontem permitiu tirar algumas conclusões sobre o que está claramente errado na frente de ataque do Sporting.

Bas Dost é menos útil à medida que a equipa tem um fio condutor de jogo. Quando não é preciso despejar bolas para o ataque nem se passa o jogo a fazer cruzamentos para a área, Bas Dost desaparece totalmente do jogo. Talvez seja uma boa altura para vender.

Luiz Phellype é mais útil que Bas Dost à equipa mas parece ainda à procura da melhor forma.

Vietto à esquerda é um desperdício de talento e, como procura constantemente o meio, afunila o jogo e retira linhas de passe. Com a baixa de forma dos outros dois pontas de lança, porque não o meter no meio?

Raphinha, Plata e Jovane têm sido os grandes criadores de oportunidades. Estou propositadamente a ignorar Bruno Fernandes pois este artigo é focado nos avançados.

O Sporting não pode voltar ao "cruzebol" mas tem que partir este funil que se montou nos últimos jogos. O campo não se resume à largura da grande-área.

Dá Deus nozes a quem não tem dentes...

Farto das baboseiras do destituído, que nem merecem resposta, andava a passear pelos canais quando oiço Tiago Fernandes na Sport TV a dizer o óbvio, que o Bas Dost com um modelo de jogo a privilegiar o jogo interior, extremos de pés contrários e laterais incapazes de centrar bolas em condições está condenado ao insucesso.

Só um cego é que não vê. Até pode ser holandês também mas, por amor da Santa, se tem um ponta de lança de eleição, ponha a equipa a funcionar em função dele.

Foi assim que Boloni fez com Jardel, com Quaresma dum lado e João Pinto do outro a centrar para o "cabecinha de ouro", mas se calhar com Keizer andava a fazer tabelinhas no meio campo... e haveria aqui quem se queixasse que o brasileiro era um cepo.

Se do lado esquerdo Borja e Acuña garantem profundidade e cruzamentos, mas é preciso insistir e rotinar os dois, do outro Raphinha não faz um centro e os dois laterais são mais que medíocres nesse domínio. Quando entra Diaby, pior um pouco. Nani jogava tambem de pé contrário. Que saudades Bas Dost deve ter de Gelson e Podence...

O desempenho extra de Bruno Fernandes tem tapado muita coisa...

SL

Soma e segue

img_818x455$2018_06_27_23_34_25_752207[1].jpg

 

 

Bas Dost leva 83 golos de Leão ao peito.

Na primeira época ao serviço do Sporting, em 2016/2017, marcou 36. Na temporada seguinte, 34. Esta época já contabiliza 13. Dá sorte, não azar.

Um dos melhores avançados de sempre na história do nosso clube.

 

ADENDA: com mais dois golos marcados hoje, ao Rio Ave, já vai em 15 nesta época. 85 no total.

Mais de dez milhões deitados fora

Doumbia custou 7,2 milhões de euros ao Sporting por 70% do seu passe. Vai abandonar Alvalade, aparentemente a custo zero, sem ter marcado um único golo no campeonato nacional de futebol. 

Castaignos custou 3 milhões de euros ao Sporting por 80% do seu passe. Prepara-se para sair, também a custo zero, sem ter marcado um só golo em nenhuma competição ao serviço do nosso clube.

Só Messi marcou mais que ele

Y1XFZ2KD.jpg

 

Marcou 34 golos no campeonato - mais do que os jogos que disputou nesta prova com a camisola do Sporting, metade do total de golos leoninos na Liga 2016/17. E 36 de verde e branco no total da temporada.

Desde Mário Jardel que não tínhamos um artilheiro de pé (e cabeça) tão quente como ele. Além disso é um exemplo de companheirismo e camaradagem, no relvado e no balneário. Alguém com fibra de Leão: tem espírito de equipa, é leal na disputa dos lances, nunca nega o contributo para as vitórias e detesta sair do campo derrotado, mesmo que o jogo seja a feijões.

Foi um verdadeiro reforço no Verão passado: por isso o aplaudimos em Alvalade como se tivesse sido sempre um dos nossos. É goleador máximo do campeonato português. E o vice-campeão dos goleadores da Europa, só suplantado por Messi.

O gigante Bas Dost.

À falta de Suk e Marega...

Que me dizem deste para o nosso ataque?

rmartins.jpg

Logo na época de estreia na Liga portuguesa (2013/2014), marcou 15 golos, um score que Slimani, por exemplo, só conseguiu atingir na sua 3ª temporada.

No final desse campeonato, noticiou-se que o Sporting queria contratar o artilheiro brasileiro, mas o desencontro de verbas acabou por não permitir o desenlace pretendido.

Depois do fracasso da experiência espanhola, eis que Rafael Martins regressa ao futebol português e, ao cabo de 19 jornadas, já atingiu os 9 golos.

Rafael Martins parece ser daqueles avançados que não enganam, isto é, que muito facilmente fazem mais de 10 golos por época. Acresce, a isso, o facto de ter apenas 26 anos. 

Será um avançado talhado para o Sporting?

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D