Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Balanço dos prognósticos 2021/2022

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2022/2023, relembro os prognósticos sobre a prestação do Sporting em cada jornada da Liga anterior feitos no És a Nossa Fé.

É um teste à vossa perspicácia que aqui recomeçará, pelo décimo ano consecutivo, mal soe o apito de saída da próxima Liga.

 

6 de Agosto (Sporting, 3 - Vizela, 0): Leão 79

14 de Agosto (Braga, 1 - Sporting, 2): Carlos Estanislau Alves e Paulo José Ramos

21 de Agosto (Sporting, 2 - B-SAD, 0): Manuel Parreira

28 de Agosto (Famalicão, 1 - Sporting, 1):  Ninguém acertou

11 de Setembro (Sporting, 1 - FC Porto, 1): Maria Sporting

19 de Setembro (Estoril, 0 - Sporting, 1):  Cristina Torrão e José da Xã

24 de Setembro (Sporting, 1 - Marítimo, 0): RASR

2 de Outubro (Arouca, 1 - Sporting, 2):  Luís Ferreira e Luís Lisboa

23 de Outubro (Sporting, 1 - Moreirense, 0): Ninguém acertou

30 de Outubro (Sporting, 1 - V. Guimarães, 0): Leão do Algarve e Luís Barros

7 de Novembro (Paços de Ferreira, 0 - Sporting, 2): AHR, Edmundo Gonçalves, Leoa 6000, Luís Barros, Luís Lisboa, Madalena Dine, Ricardo Roque, Verde Protector

28 de Novembro (Sporting, 2 - Tondela, 0): Fernando, Paulo Batista

3 de Dezembro (Benfica, 1 - Sporting, 3): João Grácio

11 de Dezembro (Sporting, 2 - Boavista, 0): Fernando, João Galhardo, Leão 79, Luís Lisboa, Manuel Parreira, Maria Sporting, Pedro Batista, Scorpion 71, Verde Protector

18 de Dezembro (Gil Vicente, 0 - Sporting, 3): Leão 79

29 de Dezembro (Sporting, 3 - Portimonense, 2):  Ninguém acertou

7 de Janeiro (Santa Clara, 3 - Sporting, 2): Ninguém acertou

16 de Janeiro (Vizela, 0 - Sporting, 2): Cristina Torrão, João Luís, Jorge Luís, Leoa 6000

22 de Janeiro (Sporting, 1 - Braga, 2): Ninguém acertou

2 de Fevereiro (B-SAD, 1 - Sporting, 4): Luís Lisboa

6 de Fevereiro (Sporting, 2 - Famalicão, 0):  Fernando e Luís Ferreira

11 de Fevereiro (FC Porto, 2 - Sporting, 2): Ninguém acertou

20 de Fevereiro (Sporting, 3 - Estoril, 0): Madalena Dine, Orlando Santos e Paulo Batista

26 de Fevereiro (Marítimo, 1 - Sporting, 1):  Ninguém acertou

5 de Março (Sporting, 2 - Arouca, 0): João Gil e Manuel Oliveira

14 de Março (Moreirense, 0 - Sporting, 2): Madalena Dine

19 de Março (V. Guimarães, 1 - Sporting, 3): Leão de Queluz

3 de Abril (Sporting, 2 - Paços de Ferreia, 0): Leão 79 e Madalena Dine

9 de Abril (Tondela, 1 - Sporting, 3): Leão do Fundão, Leão do Xangai, Ulisses Oliveira

17 de Abril (Sporting, 0 - Benfica, 2): Ninguém acertou

25 de Abril (Boavista, 0 - Sporting, 3): Paulo Batista

1 de Maio (Sporting, 4 - Gil Vicente, 1): Ulisses Oliveira

7 de Maio (Portimonense, 2 - Sporting, 3): Ninguém acertou

19 de Maio (Sporting, 4 - Santa Clara, 0): Allfacinha

 

CONCLUSÃO:

A vitória, nesta temporada, coube a um trio de felizes vaticinadores que aproveito para cumprimentar agora: a minha colega de blogue Madalena Dine, o meu colega de blogue Luís Lisboa e o leitor Leão 79. Cada um com quatro palpites certos.

Todos estreantes, como triunfadores, nesta Liga dos Prognósticos.

Seguiram-se, com três previsões correctas, os leitores Fernando e Paulo Batista.

 

Foi pena ninguém ter acertado em nove dos 34 jogos. Incluindo em três partidas que o Sporting venceu. 

Esperemos que a pontaria se revele ainda mais afinada na Liga 2022/2023. Não apenas a nossa, por cá, mas sobretudo a dos jogadores leoninos em campo.

 

Aproveito para recordar que na Liga 2013/2014 houve por cá  sete vencedores:  Bruno Cardoso, Edmundo Gonçalves, João Paulo Palha, João Torres, José da Xã, Lina Martins e Octávio.

No campeonato 2014/2015, apenas umLeão do Fundão.

Em 2015/2016, triunfou o Grande Artista Goleador.

Em 2016/2017, o vencedor foi novamente o José da Xã.

Em 2017/2018, venceu o leitor J. Ramos.

Em 2018/2019, destacou-se o leitor Luís Ferreira.

Em 2019/2020, a vitória isolada foi feminina pela primeira vez, sorrindo à Cristina Torrão.

Em 2020/2021, emergiu um quarteto vencedor: CAL, Carlos Correia, Pedro Batista e Ricardo Roque.

 

Já falta pouco para começar a próxima ronda de palpites. Aberta, como as anteriores, a todos quantos fazem e lêem este blogue.

Pódio: Sarabia, Porro, Nuno Santos

Em jeito de balanço, aqui fica a lista dos jogadores que receberam a menção de melhores em campo no último campeonato, em resultado da soma das classificações atribuídas pelos diários desportivos após cada jornada. Num total de 102 votos.

 

Sarabia foi o futebolista mais em destaque na temporada 2021/2022. Mas teve forte concorrência do seu compatriota Pedro Porro. De notar que o consagrado internacional espanhol, que esteve em Alvalade por empréstimo do PSG, só recebe a primeira menção à oitava jornada (Arouca-Sporting, 2 de Outubro). E nos destaques do Record só se estreia muito mais tarde, à jornada 12 (Sporting-Tondela, 28 de Novembro).

Porro confirma nesta tabela a sua progressão desde a época anterior, quase quadruplicando o número de destaques como melhor em campo - dos 4 então recebidos para os 15 desta temporada, saltando do oitavo para o segundo lugar.

Em sentido inverso, Pedro Gonçalves. "Campeão" indiscutível em 2020/2021, com 31 nomeações, baixa drasticamente: apenas mereceu 5. Foi a maior queda, em termos percentuais e absolutos. Em baixa também Palhinha (de 10 para 5), ao contrário de Nuno Santos (mais que duplica, subindo de 5 para 12), Matheus Nunes (de 4 para 9) e Paulinho (de 4 para 7). 

Matheus Reis, ausente há um ano, tem desta vez 6 votos. Enquanto Tabata, Feddal e Tiago Tomás foram agora excluídos. Enquanto Neto, mencionado duas épocas atrás e excluído na anterior, volta a merecer um destaque.

Em posições similares, confirmando a sua regularidade, estão Coates (antes 9, agora 8) e Adán (desliza ligeiramente de 6 para 5).

 

Uma curiosidade: só no jornal O Jogo a liderança de Sarabia é clara. No Record e n'A Bola, empata com Porro.

Apenas o mais antigo jornal desportivo menciona Jovane e Neto, com votos isolados. Mas esquece Daniel Bragança, que recebe dois destaques no Record e um n' O Jogo

No Record, ao contrário dos dois outros jornais, Porro comandava no final da primeira volta. E O Jogo é o único a distinguir duas vezes Slimani neste seu fugaz e malogrado regresso ao Sporting, entre Fevereiro e Abril. Também só o diário com sede no Porto vota em Gonçalo Inácio e Ugarte. Comprovando que não há visões unívocas para quem vê jogos de futebol.

 

Sarabia: 19

Porro: 15

Nuno Santos: 12

Matheus Nunes: 9

Coates: 8

Paulinho: 7

Matheus Reis: 6

Pedro Gonçalves: 5

Palhinha: 5

Adán: 5

Slimani: 4

Daniel Bragança: 3

Jovane: 1

Gonçalo Inácio: 1

Ugarte: 1

Edwards: 1

 

A BOLA: Porro (7), Sarabia (7), Nuno Santos (5), Matheus Nunes (3), Palhinha (2), Coates (2), Paulinho (2), Matheus Reis (2), Pedro Gonçalves, Adán, Jovane, Slimani.

RECORD: Porro (5), Sarabia (5), Nuno Santos (4), Matheus Nunes (3), Coates (3), Matheus Reis (3), Pedro Gonçalves (2), Palhinha (2), Daniel Bragança (2), Paulinho (2), Adán, Slimani, Edwards.

O JOGO: Sarabia (7), Adán (3), Nuno Santos (3), Porro (3), Coates (3), Matheus Nunes (3), Paulinho (3), Pedro Gonçalves (2), Slimani (2), Palhinha, Gonçalo Inácio, Daniel Bragança, Matheus Reis, Ugarte.

 

Há um ano foi assim: Pedro Gonçalves, Palhinha e Coates

Há dois anos  foi assim: Bruno Fernandes, Jovane, Vietto

Há três anos foi assim: Bruno Fernandes, Raphinha, Nani.

Há quatro anos foi assim: Bruno Fernandes, Bas Dost, Gelson Martins.

Há cinco anos foi assim: Bas Dost, Gelson Martins, Bruno César. 

Há seis anos foi assim: Slimani, João Mário, Gelson Martins.

Os melhores jogadores da época passada

Balanço dos jogadores do Sporting que mais se destacaram em cada desafio do campeonato 2021/2022:

 

Sarabia: 9 (Sporting-Tondela; Sporting-Boavista; Santa Clara-Sporting; B-SAD-Sporting; Sporting-Estoril; Sporting-Paços de Ferreira, Tondela-Sporting; Sporting-Benfica; Portimonense-Sporting)

Adán: 3 (Braga-Sporting; Famalicão-Sporting; Sporting-Famalicão)

Coates: 3 (Sporting-Moreirense; Sporting-V. Guimarães; Boavista-Sporting)

Nuno Santos: 3 (Arouca-Sporting; Gil Vicente-Sporting; Sporting-Gil Vicente)

Porro: 3 (Sporting-FC Porto; Sporting-Marítimo; Sporting-Santa Clara)

Pedro Gonçalves: 2 (Sporting-Vizela; Sporting-Braga)

Palhinha: 2 (Sporting-B-SAD; Estoril-Sporting)

Matheus Reis 2: (FC Porto-Sporting; Marítimo-Sporting)

Slimani: 2 (Sporting-Arouca; Moreirense-Sporting)

Paulinho: 2 (Sporting-Portimonense; V. Guimarães-Sporting)

Esgaio: 1 (Paços de Ferreira-Sporting)

Matheus Nunes: 1 (Benfica-Sporting)

Daniel Bragança: 1 (Vizela-Sporting) 

 

Na época 2014/15, os melhores jogadores foram Nani, William Carvalho e Montero.

Na época 2015/16, os melhores jogadores foram Slimani, Adrien e João Mário.

Na época 2016/17, os melhores jogadores foram Gelson Martins, Bas Dost e Adrien.

Na época 2017/18, os melhores jogadores foram Gelson Martins, Bruno Fernandes e Rui Patrício.

Na época 2018/19, os melhores jogadores foram Bruno Fernandes, Raphinha e Nani.

Na época 2019/20, os melhores jogadores foram Bruno Fernandes, Jovane e Coates.

Na época 2020/21, os melhores jogadores foram Pedro Gonçalves, Coates e Palhinha.

Balanço (35)

22299358_zwnIn.jpeg

Rúben Amorim despede-se de Sarabia no Sporting-Santa Clara (14 de Maio)

 

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2022/2023, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio. Esta é a última de quatro partes.

 

14 de Março (Moreirense, 0 - Sporting, 2): SLIMANI

«Pela primeira vez, Amorim desenhou uma equipa titular contando com um triângulo ofensivo composto por Edwards, Paulinho e Slimani - com o argelino em zona mais central. Teste superado com distinção: acertou à primeira. Quem dizia que estes jogadores poderiam não combinar se actuassem juntos estava a ver o filme errado.»

 

19 de Março (V. Guimarães, 1 - Sporting, 3): PAULINHO

«Estivemos a perder desde o minuto 23, na única falha colectiva da nossa equipa no plano defensivo, mas fomos capazes de dar a volta. Chegando ao empate mesmo à beira do intervalo e fazendo dois excelentes golos no segundo tempo. Há 13 anos que não conseguíamos virar o resultado neste estádio, sempre difícil para as equipas forasteiras.»

 

3 de Abril (Sporting, 2 - Paços de Ferreira, 0): SARABIA

«Outro jogo termina com as redes leoninas imaculadas. Em 28 jogos da Liga 2021/2022, este foi o 16.º em que não sofremos golos. Reforçamos a nossa posição como equipa mais intransponível. Elogio para o trio de centrais desta recepção ao Paços: Gonçalo Inácio, Coates e Matheus Reis. Além de Adán, claro.»

 

9 de Abril (Tondela, 1 - Sporting, 3): SARABIA

«Exibição de classe da nossa equipa, com domínio absoluto no terreno bem reflectido nas estatísticas dos remates: nove do Sporting, nem um para amostra do Tondela. Sem ponta-de-lança, com três avançados em constante mobilidade (Edwards, Sarabia e Pedro Gonçalves) a baralhar as marcações adversárias, e o nosso trio defensivo muito subido, actuando perto da linha do meio-campo, sufocámos o Tondela, incapaz de sair do seu reduto nos 45 minutos iniciais.»

 

17 de Abril (Sporting, 0 - Benfica, 2): SARABIA

«Mais de 40 mil adeptos compareceram em Alvalade em noite de domingo de Páscoa para ver aquele que foi o nosso pior jogo desta época em competições internas. O jogo em que entregámos de bandeja o título ao FC Porto e reabrimos a discussão para o segundo lugar na Liga, permitindo a aproximação do Benfica - agora com menos seis pontos.»

 

25 de Abril (Boavista, 0 - Sporting, 3): COATES

«Falta-nos apenas um ponto, nestas três rondas finais, para garantirmos o acesso directo à Liga dos Campeões. E aos largos milhões de euros que esta qualificação nos proporciona.»

 

1 de Maio (Sporting, 4 - Gil Vicente, 1): NUNO SANTOS

«Dominámos todo o desafio - desde os minutos iniciais, em que entrámos de pé no acelerador. Tivemos posse de bola com qualidade, fazendo-a rolar rumo à baliza adversária, sem a desperdiçar com trocas inconsequentes e estéreis no nosso reduto. No final da primeira parte já tínhamos 12 remates, sete dos quais enquadrados.»

 

7 de Maio (Portimonense, 2 - Sporting, 3): SARABIA

«Estivemos a perder entre os minutos 30 e 76. Soubemos virar o resultado contra um Portimonense bem apetrechado e que deu muita luta - nada a ver com a miserável prestação de há dias, no amigável frente ao FC Porto em que entrou em campo já resignado à derrota, com o consentimento expresso do treinador Paulo Sérgio.»

 

14 de Maio (Sporting, 4 - Santa Clara, 0): PORRO

«Não bastava vencer: era preciso convencer. E foi isso que fizemos em campo. Após um período algo titubeante, em que andámos a mastigar jogo e sofremos pelo menos um calafrio, impusemos o nosso domínio e os golos foram saindo de rajada.»

Balanço (34)

descarregar.webp

Matheus Reis e Matheus Nunes festejam golo do primeiro no Sporting-Famalicão (6 de Fevereiro)

 

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2022/2023, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio. Esta é a terceira de quatro partes.

 

16 de Janeiro (Vizela, 0 - Sporting, 2): DANIEL BRAGANÇA

«Voltámos às vitórias, depois do percalço ocorrido em Ponta Delgada na jornada anterior, num jogo que dominámos por completo a partir do quarto de hora inicial. Na segunda parte limitámo-nos a segurar a vantagem, aspecto em que somos muito fortes. Continuamos a fazer marcação cerrada ao FC Porto e ampliámos a distância face ao Benfica, terceiro classificado da Liga, agora seis pontos abaixo de nós.»

 

22 de Janeiro (Sporting, 1 - Braga, 2): PEDRO GONÇALVES

«Onde foi parar a muralha defensiva leonina, ainda há pouco tão elogiada pela sua segurança e consistência? Sete golos sofridos nos últimos quatro desafios do campeonato (dois contra o Portimonense, três contra o Santa Clara, agora outros dois). Mais do que nas 15 partidas anteriores.»

 

2 de Fevereiro (B-SAD, 1 - Sporting, 4): SARABIA

«Futebol alegre e vertical, demonstrando que aquele período de mini-crise em que perdemos dois jogos (contra o Santa Clara nos Açores e contra o Braga em casa) está superado. O facto de nos termos sagrado campeões de Inverno, derrotando o Benfica na final da Taça da Liga, ajudou muito.»

 

6 de Fevereiro (Sporting, 2 - Famalicão, 0): ADÁN

«Há cinco jogos que não mantínhamos a baliza a zero: desta vez foi possível conservá-la intacta. Para isso muito contribuiu o regresso de Coates, após convocatória para a selecção do Uruguai. Com ele em campo a equipa melhora em concentração competitiva, na pressão aos atacantes adversários e no controlo da profundidade.»

 

11 de Fevereiro (FC Porto, 2 - Sporting, 2): MATHEUS REIS

«Fomos ao Dragão arrancar o empate mais difícil e suado deste campeonato. Não por causa do poder de fogo do adversário - que perdeu ontem os primeiros dois pontos em casa - ou da sua superioridade técnica ou táctica, mas porque ficámos reduzidos a dez durante mais de 45 minutos, quase toda a segunda parte acrescida de 12(!) minutos de tempo complementar. E enfrentámos doze: não apenas o onze portista, que se manteve incólume até ao apito final, como seria de esperar sobretudo em casa, mas também o inefável João Pinheiro, um dos mais incapazes e incompetentes árbitros portugueses.»

 

20 de Fevereiro (Sporting, 3 - Estoril, 0): SARABIA

«A superioridade leonina foi indiscutível: o 1-0 que se registava ao intervalo só pecava por escasso. Consumou-se assim o 18.º triunfo do Sporting nesta Liga 2021/2022. Num embate em que a equipa adversária não fez um só remate à baliza leonina.»

 

26 de Fevereiro (Marítimo, 1 - Sporting, 1): MATHEUS REIS

«A estrelinha ficou em Lisboa: empatámos 1-1- resultado que já estava construído ao intervalo. Mais dois pontos perdidos, após as recentes derrotas contra Santa Clara e Braga, além do empate no Dragão.»

 

5 de Março (Sporting, 2 - Arouca, 0): SLIMANI

«Estava a ficar difícil: apenas um triunfo nos cinco desafios anteriores. Quebrámos o enguiço, mas só na segunda parte do jogo de ontem contra o Arouca, perante 25 mil espectadores que assistiram ao vivo em Alvalade, e após o treinador ter feito algo muito raro: mudar três futebolistas ao intervalo.»

 

(Conclui amanhã)

Balanço (33)

descarregar.webp

Coates, herói do Sporting, 1 - Moreirense, 0 (23 de Outubro de 2021)

 

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2022/2023, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio. Esta é a segunda de quatro partes.

 

23 de Outubro (Sporting, 1 - Moreirense, 0): COATES

«O capitão leonino - homenageado antes do jogo por já ter envergado 250 vezes a camisola verde e branca - parece querer repetir as excelentes exibições da época anterior, coroada com o título de campeão nacional para o Sporting e com ele a sagrar-se o melhor jogador do campeonato.»

 

30 de Outubro (Sporting, 1 - V. Guimarães, 0): COATES

«Em casa, já somamos 33 jogos seguidos sem derrotas para o campeonato. E ganhamos há cinco partidas consecutivas. Não é só estrelinha, ao contrário do que alguns dizem. É muita competência, muito mérito. E muito trabalho bem orientado.»

 

7 de Novembro (Paços de Ferreira, 0 - Sporting, 2): ESGAIO

«Na noite fria de Paços de Ferreira, nunca esmoreceram. Melhor assistência do estádio da Capital do Móvel nesta época, com mais de cinco mil nas bancadas. Sportinguistas em evidente maioria. As restrições provocadas pela pandemia ficaram felizmente para trás.»

 

28 de Novembro (Sporting, 2 - Tondela, 0): SARABIA

«[Sarabia] movimentou-se muito bem, revelando automatismos na articulação com os companheiros, abrindo linhas de passe e demonstrando a capacidade técnica que o creditou como titular da selecção espanhola. Estreou-se a marcar no nosso campeonato logo aos 10', aproveitando da melhor maneira um atraso dentro da grande área do Tondela. E foi ele a rematar no lance de que resultou o segundo golo leonino, aos 50', nascido da recarga a esse forte pontapé.»

 

3 de Dezembro (Benfica, 1 - Sporting, 3): MATHEUS NUNES

«Fomos ao estádio do nosso velho rival conquistar os mais saborosos três pontos até agora conseguidos no campeonato. Triunfo concludente, com superioridade táctica indiscutível, impecável organização defensiva e eficaz exploração do contra-ataque. Ao intervalo, já vencíamos por 1-0, com uma bola (de Pedro Gonçalves) ao poste e um golo (de Paulinho) anulado. Desde 2015 que não saíamos vencedores desse estádio, o que soube ainda melhor.»

 

11 de Dezembro (Sporting, 2 - Boavista, 0): SARABIA

«A verdadeira juventude leonina estava no relvado. A falsa, nas bancadas, continua a ser letal ao Sporting, provocando multas atrás de multas que a SAD tem de pagar. Desde o início da temporada estes vândalos já causaram 127 mil euros em prejuízos. Custa perceber como é que não são identificados e continuam a ser autorizados a entrar no estádio.»

 

18 de Dezembro (Gil Vicente, 0 - Sporting, 3): NUNO SANTOS

«Mandámos por completo no jogo, desboqueámos o nulo inicial e podíamos até ter terminado a partida com goleada. Destaque para os 11 minutos em que fizemos dois golos e para o quarto de hora final, com domínio absoluto do Sporting, continuamente incentivado por muitos adeptos presentes no estádio.»

 

29 de Dezembro (Sporting, 3 - Portimonense, 2): PAULINHO

«A equipa veio do intervalo com vontade indómita de virar o jogo e manter-se no topo da classificação, aguardando agora o desfecho do FC Porto-Benfica de amanhã. Partimos com vantagem, seja qual for o resultado dessa partida. E temos, para já, garantidas 24 horas no comando isolado do campeonato.»

 

7 de Janeiro (Santa Clara, 3 - Sporting, 2): SARABIA

«Não é nada vulgar nesta era Amorim, mas o jogo partiu-se demasiado cedo e foram accionadas medidas de emergência que soaram em excesso a improviso. Sobretudo no quarto de hora final. Coates a ponta-de-lança procurando colmatar a ineficácia de Paulinho, Palhinha recuando para a posição do uruguaio, Esgaio transitando de lateral para central... Tanta baralhação não trouxe nada de bom.»

 

(Continua amanhã)

Balanço (32)

descarregar.webp

Imagem do Sporting, 3 - Vizela, 0 (6 de Agosto de 2021)

 

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2022/2023, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio.

 

6 de Agosto (Sporting, 3 - Vizela, 0): PEDRO GONÇALVES

«Dezassete meses depois, 516 dias depois, o estádio José Alvalade voltou a ter público nas bancadas. Cerca de 10 mil adeptos nos lugares disponíveis, vários dos quais agora integralmente verdes. Foi um momento por que há muito esperávamos, este de podermos aplaudir ao vivo os nossos campeões - incentivados fervorosamente do princípio ao fim. Não podia haver melhor maneira de assinalar o 18.º aniversário da inauguração do actual estádio.»

 

14 de  Agosto (Braga, 1 - Sporting, 2): ADÁN

«Em sete meses, os braguistas perdem connosco pela quinta vez. Duas para a Liga 2020/2021, em Janeiro e Abril, outra na final da Taça da Liga, também em Janeiro, depois na Supertaça, a 31 de Julho. Esta foi a quinta consecutiva, com saldo em golos largamente positivo para o Sporting (8-2). E aposto que a série não termina aqui.»

 

21 de Agosto (Sporting, 2 - B-SAD, 0): PALHINHA

«Domínio absoluto do Sporting, traduzido num golo marcado muito cedo: cabeceamento de Gonçalo Inácio para o fundo das redes, logo aos 7'. Estivemos por cima desde o minuto inicial, com pressão intensa sobre a equipa azul. Excelente organização colectiva, robustez física e anímica, índices de confiança muito elevados

 

28 de Agosto (Famalicão, 1 - Sporting, 1): ADÁN

«Nem uma oportunidade de golo para o Sporting durante os 45 minutos iniciais. Actuámos neste período como se nos pesasse a condição de sermos campeões em título. Irreconhecíveis. A primeira oportunidade surgiu apenas aos 58', quando já estavam em campo dois jogadores que saltaram do banco: Porro (em vez de Esgaio) e Nuno Santos (em vez de Jovane). O primeiro cruzou, o segundo atirou ao poste.»

 

11 de Setembro (Sporting, 1 - FC Porto, 1): PORRO

«O internacional espanhol [Sarabia], recém-chegado por empréstimo, foi brindado com entusiástica ovação ao entrar em campo, aos 61', rendendo um apagado Jovane. Mal teve tempo para treinar com a equipa, portanto dificilmente poderia mostrar tudo quanto vale nesta sua primeira exibição de verde-e-branco. Mas revelou apontamentos que confirmam a sua classe.»

 

19 de Setembro (Estoril, 0 - Sporting, 1): PALHINHA

«Muito maior volume ofensivo leonino durante quase toda a partida, controlo de jogo com posse de bola, segurança a defender e acutilância a atacar. Fomos forçando a equipa anfitriã - que vinha de três vitórias consecutivas - a recuar as linhas e até os nossos centrais passaram a linha divisória, envolvendo-se na manobra atacante.»

 

24 de Setembro (Sporting, 1 - Marítimo, 0): PORRO

«Jogo de sentido único, de pressão constante sobre a baliza adversária e de muitas oportunidades perdidas. Um desafio que merecíamos ter vencido por margem muito dilatada. O triunfo foi suado e sofrido, mas mais que justo.»

 

2 de Outubro (Arouca, 1 - Sporting, 2): NUNO SANTOS

«Três jogos, três triunfos tangenciais, três brindes dos guarda-redes: primeiro o do Estoril, depois o do Marítimo, desta vez o do Arouca, facilitando-nos a vida com a sua péssima intervenção no lance do nosso segundo golo. A sorte faz parte do futebol

 

(Continua amanhã)

Palmarés leonino 2021/2022

 

Sporting conquista Taça da Liga em futebol, derrotando o Benfica.

Futebol: triunfo leonino na Supertaça.

Sub-17 (juvenis) do futebol leonino sagram-se campeões nacionais do seu escalão.

Futebol sub-15 do Sporting (iniciados) domina e vence campeonato nacional.

Sporting vence Taça de Portugal em futebol feminino pela terceira vez.

Sporting revalida Supertaça de futebol feminino batendo o Benfica.

Leões sagram-se campeões nacionais de futsal: sexto título em sete épocas.

Futsal: vitória leonina na Taça de Portugal em final empolgante contra o SLB.

Sporting vence Taça da Liga em futsal pela quarta vez.

Vitória leonina na Taça Continental de hóquei em patins, derrotando o Lleida.

Basquetebol: Sporting derrota Benfica e conquista terceira Taça de Portugal.

Sporting vence Supertaça masculina em basquetebol.

Inédita conquista leonina da Taça da Liga em basquetebol, derrotando Benfica.

Vitória leonina na Taça de Portugal em andebol, derrotando o FC Porto.

Voleibol feminino do Sporting conquista Taça Federação.

Atletismo feminino, pista coberta: 27.ªvitória leonina em 29 campeonatos disputados.

Atletismo masculino: vitória leonina no campeonato nacional de estrada.

Atletismo feminino: Sporting revalida título de campeão nacional de estrada.

Leoa Mariana Machado torna-se campeã nacional de corta-mato feminino.

Sporting sagra-se campeão nacional de râguebi feminino pela sexta vez.

Râguebi feminino: vitória leonina completa dobradinha.

Ténis de mesa: Leões conquistam sétimo campeonato nacional consecutivo.

Equipa masculina do Sporting vence Taça de Portugal em ténis de mesa.

Sporting sagra-se campeão europeu em golbol feminino.

 

(em permanente actualização)

Apesar de tudo foi uma época bem conseguida

transferir (3).jpg

Numa época desportiva de alguma forma condicionada pela instabilidade decorrente do ano eleitoral, e temos de nos recordar das contas chumbadas em Assembleia Geral por uma minoria truculenta, o Sporting CP conseguiu apesar de tudo um conjunto de conquistas interessante no campo e no pavilhão nas modalidades com mais peso a nível nacional:

Futebol Masculino c/ Rúben Amorim:

  • Supertaça
  • Taça da Liga
  • 2º lugar na Liga
  • Chegada aos oitavos da final da Champions

Futebol Feminino c/ Mariana Cabral:

  • Supertaça
  • Taça de Portugal
  • 2º lugar na Liga

Andebol Masculino c/ Ricardo Costa:

  • Taça de Portugal
  • 2º lugar na Liga

Hóquei Masculino c / Paulo Freitas:

  • 3º lugar na Liga / Playoffs

Futsal Masculino c/ Nuno Dias:

  • Título nacional
  • Taça da Liga
  • Taça de Portugal
  • Supertaça
  • 2º lugar na Champions

Basquetebol Masculino c/ Luís Magalhães:

  • Supertaça
  • Taça de Portugal
  • Taça da Liga (Hugo dos Santos)
  • Quartos de final da Champions
  • 3º lugar na Liga / Playoff

Voleibol Masculino c/ Gersinho:

  • 2º lugar na Liga / Playoff

Voleibol Feminino c/ Rui Costa

  • Taça da Federação
  • 3º lugar na Liga / Playoff

 

Ganhando mais ou menos, todas estas equipas dignificaram o clube dentro do campo. Com excepção duma ou outra acção de algum atleta no calor da luta, todas me pareceram bem orientadas e se mais não ganharam foi porque do outro lado estão rivais que contam com argumentos financeiros e não só.

Em todas elas encontramos atletas que nos enchem as medidas e constituem mais um factor de atracção pela modalidade e um pretexto para ir ao estádio ou ao pavilhão.

Sendo assim, parabéns a todos, especialmente aos técnicos atrás citados.

Para dois deles acabou o ciclo dentro do clube, não tanto pelos resultados mas mais pela necessidade de renovação das equipas respectivas. Esperamos ver no basquetebol e no hóquei aquilo que aconteceu no andebol nesta época, uma equipa rejuvenescida no corpo e na alma e de volta aos sucessos.

 

PS: Não esquecer de votar no site respectivo para que o Sporting regresse na próxima época à Champions do Andebol.

SL

Escolham o golo do ano

Todos os anos, no És a Nossa Fé, elejo os melhores golos da época futebolística. Desta vez conto com o vosso contributo, esperando que votem naquele que consideram o mais espectacular, o mais decisivo, o mais inesquecível.

Felizmente não faltam opções à escolha. Seleccionei sete, de entre outros possíveis, para que possam pronunciar-se. É isso que espero.

Podem optar por outro qualquer, se assim entenderem.

 

19 de Outubro de 2021. Golo de PAULINHO (Besiktas-Sporting):

 

11 de Janeiro de 2022. Golo de TABATA (Leça-Sporting):

 

2 de Fevereiro de 2022. Golo de PORRO (B-SAD-Sporting):

 

6 de Fevereiro de 2022. Golo de MATHEUS REIS (Sporting-Famalicão):

 

20 de Fevereiro de 2022. Golo de SARABIA (Sporting-Estoril):

 

2 de Março de 2022. Golo de SARABIA (Sporting-FC Porto):

 

19 de Março. Golo de EDWARDS (V. Guimarães-Sporting):

O lavar dos cestos


Estar na luta até pelo menos à penúltima jornada, ter caído nas meias-finais da Taça, ter passado a fase de grupos da Champions, repetir acesso à Champions e ter vencido dois troféus, parece-me um excelente resultado para o nosso SCP. Foi uma temporada muito positiva. Há dois milhões de anos que não ficávamos em segundo depois de termos vencido um campeonato.

Creio que a revalidação do título teria sido possível num país com ambiente competitivo mais são. Este ano, terão reparado, a fraquíssima autoridade que a Liga e FPF demonstram de novo deu em quezílias permanentes, intimidações variadas e, claro, numa interpretação muito criativa e lusitana do VAR.

Portugal reescreveu as regras do jogo. Todo e qualquer contacto na área, toda e qualquer mão/braço, é passível de ser penalti e sim, obviamente, o SCP também beneficiou de penalties coiso. A nossa liga é um paraíso para os avançados mais encorajados pelas suas estruturas, que parecem estar num jogo à parte. Certas quedas podiam estar no Bolshoi, outras em museus. E sim, são quase todas penalties. Foi para isto que se inventou o futebol? Se calhar foi, que sei eu... 

SCP perdeu a liga por causa das arbitragens? Não. Mas dizer que “ah e tal não se pode falar das arbitragens porque é desculpa de mau pagador e tal” também não me convence. Achar que Amorim falhou ao não treinar suficientemente bem os seus jogadores a cair na área revolta-me, mas é difícil de rebater. Por exemplo, se a nossa malta tivesse caído na área no Benfica como as mulheres jovens do século XIX faziam para atrair a atenção dos pretendentes, talvez tivéssemos sacado uns penalties que nos tivessem metido no jogo.

No melhor país do mundo, um dos melhores da Europa, a nossa esperteza é a maior predadora da fraqueza das instituições.

Digo e repito que há coisas no nosso futebol que se mantêm há décadas, coisas essas que este ano tiveram uma bela colheita. Não tenho a certeza que os nossos jogadores – e até os nossos técnicos – não partilhem esta minha opinião. Se assim for, é admissível que desmoralizem e se distraiam, como sucedeu (digo eu, claro) no jogo em casa com o SLB.  

P.S. Na filosofia criativa do VAR, o lance de Adán baralha-me. Ou talvez não. Noutros campos, noutras fases da Liga, teria sido marcada falta. Ou seja, e para que se perceba bem o que quero dizer, infelizmente é irrelevante se é falta ou não é. O que interessa é se se pode marcar, caso seja necessário.

Parabéns, Rúben Amorim

img_476x268$2021_11_26_00_25_08_1932070.jpg

 

1

O futebol leonino acaba de superar um recorde negativo que durava há mais de meio século no Sporting: desde 1970/1971 que a nossa equipa não se classificava em segundo lugar na época imediatamente seguinte àquela em vencia o campeonato. Acaba de acontecer enfim. Cinquenta e um anos depois.

Parabéns, Rúben Amorim.

---------------------

2

Há quase década e meia que o Sporting não se qualificava em duas temporadas seguidas com apuramento directo para a Liga dos Campeões. Sucedeu com Paulo Bento em 2007 e 2008. Esta é apenas a sétima vez que conseguimos acesso directo à Liga milionária neste século. As restantes três aconteceram também com Paulo Bento em 2006, Leonardo Jardim em 2014 e Jorge Jesus em 2016. 

Parabéns, Rúben Amorim.

---------------------

3

A duas jornadas do fim do campeonato, o futebol leonino já ultrapassou a cifra dos cem golos marcados nas diversas competições desta época - o centésimo golo foi marcado anteontem, no Estádio José Alvalade, por Edwards. Algo banal? Longe disso. Sucede-nos apenas pela sétima vez neste século.

Parabéns, Rúben Amorim.

---------------------

4

Desde que as vitórias passaram a valer três pontos no campeonato português, em 1995/1996, nunca a equipa de futebol profissional do Sporting conseguiu pontuações tão elevadas em duas temporadas consecutivas como nestas mais recentes - 85 na anterior, 79 na actual ainda antes de chegarmos ao fim, podendo igualar a de 2020/2021. O que, a concretizar-se, ascenderá a uns inéditos 170 pontos. Nestes 26 anos, o biénio mais pontuado tinha sido o de 2015/2016 e 2016/2017, em que atingimos 162 pontos com Jorge Jesus ao leme da equipa. Marca já superada.

Parabéns, Rúben Amorim.

Os melhores, de Sarabia a Jovane

Sarabia: 25

Pedro Gonçalves: 14

Matheus Nunes: 13

Porro: 13

Coates: 10

Paulinho: 9

Tabata: 7

Matheus Reis: 7

Nuno Santos: 7

Palhinha: 6

Adán: 5

Tiago Tomás: 5

Daniel Bragança: 4

Neto: 4

Slimani: 4

Ugarte: 4

Gonçalo Inácio: 2

Edwards: 1

Jovane: 1

 

Estes são os futebolistas do Sporting apontados como melhores em campo pelos três jornais diários desportivos nos 47 jogos oficiais já efectuados pela nossa equipa na temporada 2021/2022.

Vale a pena ponderar naqueles que mais se vêm destacando, segundo o critério da imprensa. É uma forma de compreendermos com maior nitidez o desempenho individual e colectivo do plantel orientado por Rúben Amorim. 

E talvez isto nos ajude também a desenhar o onze-base ideal da nossa equipa nesta época ainda em curso.

Lembro que Tiago Tomás e Jovane já não estão no Sporting. O primeiro foi emprestado ao Estugarda, o segundo à Lazio. Talvez regressem, talvez não.

Breve antevisão da recta final

Faltam cinco jornadas para terminar o campeonato.

Que jogos ainda temos pela frente?

 

Começamos por receber o Benfica, neste Domingo de Páscoa. Depois vamos ao Bessa, recebemos o Gil Vicente (equipa revelação desta Liga 2021/2022) e deslocamo-nos a Portimão. Para nós, o pano cairá no Sporting-Santa Clara. Precisamente contra o adversário que nos levou a deixar de depender só de nós nesta prova ao derrotar-nos no desafio da primeira volta, em Ponta Delgada.

Venho perguntar-vos se mantêm (ou não) a expectativa de conseguirmos conquistar o bicampeonato que nos foge há 70 anos.

Atendendo também ao calendário do nosso rival, o FC Porto. Que na próxima ronda recebe o Portimonense, depois vai a Braga e enfrenta o Vizela em casa. Segue-se o clássico entre portistas e benfiquistas na Luz e fecha o campeonato como anfitrião do Estoril da jornada 34.

 

8114c6ce1ca7748e1587a2db1bdd2d1b.png

 

Ainda acreditam?

Conseguiremos chegar ao fim sem perder mais pontos?

Estaremos nós, sportinguistas, condenados a torcer por Braga e Benfica naquelas duas partidas decisivas?

Os melhores, um a um

Sarabia 7

Pedro Gonçalves 5

Coates 4

Matheus Nunes 4

Matheus Reis 4

Nuno Santos 3

Palhinha 2

Tiago Tomás 2

Tabata 2

Porro 2

Adán 2

Jovane 1

Paulinho 1

Daniel Bragança 1

 

Estes são os futebolistas do Sporting apontados como melhores em campo nos 40 jogos oficiais já efectuados pela nossa equipa na temporada 2021/2022.

Vale a pena ponderar em quem mais se vem destacando. E também nas omissões nesta lista. É uma forma de compreendermos melhor o desempenho individual e colectivo do plantel orientado por Rúben Amorim.

Lembro que Tiago Tomás e Jovane já não estão no Sporting.

Não adianta iludir estes factos

naom_61cce7adec7aa.jpg

 

Chega a ser exasperante, por vezes, vermos a nossa equipa jogar com tão baixa intensidade. Voltou a acontecer nesta jornada, frente ao Marítimo.

Mas é lícito concluir: o Sporting não "joga lento" por opção.

Joga assim porque está nos limites da exaustão física. E porque já soma 40 jogos disputados desde o início da temporada com um plantel muito mais curto do que os dos nossos principais rivais.

As coisas são o que são, não aquilo que gostaríamos que fossem.

 

Isto parece-me o essencial da questão.

Quando acompanhamos um campeonato, não devemos olhar só para aquilo que se vai desenrolando no relvado. Há que pensar também no contexto, no enquadramento, nas condições de equidade. Existirão de facto?

 

A verdade é que o campo este ano tem estado sempre mais inclinado contra nós.

E não me refiro a questões de arbitragem. Quem me lê sabe que não costumo justificar falhas nossas apontando o dedo, em piloto automático, aos homens do apito. Que são os mesmos que já arbitravam quando fomos campeões, quando vencemos a Supertaça, quando nos sagrámos campeões de Inverno em três das últimas quatro edições da Taça da Liga.

Falo de responsabilidades próprias.

 

Reafirmo aquilo que escrevi neste blogue várias vezes desde o início da época: entrámos em 2021/2022 desfalcados em duas posições fundamentais - defesa central à direita e ponta-de-lança.

Tiago Tomás não era esse avançado, Paulinho não cumpre alguns dos requisitos fundamentais para a posição.

Sem golos não há vitórias, sem vitórias não há pontos, sem pontos os títulos tornam-se mais difíceis em provas de continuidade.

 

Adenda, a propósito: Incrível (diria até inadmissível) falhanço de Paulinho, bem servido por Slimani em zona frontal, no Marítimo-Sporting. Foi aos 85'. Como sermos campeões se durante quase toda a época só tivemos Paulinho como hipotético "goleador"?

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D