Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Sporting-Feirense

 

Abaixo já o Pedro Azevedo bem elaborou sobre a feira da farra que aconteceu ontem em Alvalade. E o Pedro Correia fez o seu rescaldo do jogo. Não tenho muito mais a dizer a não ser realçar dois dados positivos que eles não sublinharam: "gostei muito" do guarda-redes forasteiro, homem de grande elasticidade que lhe permitiu um punhado de belíssimas defesas e também de apurado sentido ético, demonstrado naquela borra na pintura, ao embaraçar-se no lance do primeiro golo: o resultado era injusto, reconheceu o facto e terá entendido salvaguardar a justeza no resultado; Doumbia marcou um belo golo, em lance onde se mostrou codicioso, com fulgurante rapidez, adequada técnica (aquela finta em corrida) e faro da baliza (um bom remate bem colocado). Julgo que se estreou, finalmente, a marcar no campeonato (tal com Montero). Mostrando-se assim bom e útil avançado, serenando os ânimos algo desanimados dos adeptos saudosos do holandês titular. 

 

E um algo associável: este fim-de-semana Portugal, já detentor (como tão bem sabemos e fruímos) do título europeu de futebol sénior ganhou o europeu de futebol de salão. E antes ganhara o penúltimo campeonato do mundo de futebol de praia. São feitos desportivos mais-do-que-assinaláveis. As selecções portuguesas de futebol - antes as júniores, agora também as seniores - são excepcionais. Está de parabéns a federação pela sua capacidade organizativa. Capaz assim de potenciar o pessoal disponível, formado em clubes: de Ronaldo e Ricardinho até Madjer, aos excepcionais, excelentes, medianos competentes jogadores que por esse mundo vão constituindo carreiras dignas. Chegando a internacionais em Chipre e na Grécia, como Zeca, a ídolos na Turquia como Quaresma ou na Rússia como Danny, a referências na Inglaterra como Fonte ou Cédric, e etc. para não ser cansativo. E os treinadores, como mostra Jesualdo na sua reforma arábica treinando Xavi Hernandez, talvez o maior jogador da sua geração e porventura o futuro grande treinador do Barça. E Paulo Sousa e Pacheco (não esse, mas o outro) na China, mais o Vilas-Boas que se veio embora e o Vítor Pereira que o substituiu, que aquela "árvore das patacas" parece não ter fim. Ou Jardim brilhando na França, como tanto tem brilhado. E Marco Silva, por estes dias, anunciado como "the next big thing" neste talvez de substituir o histriónico Conte no Chelsea (este mais ou menos chamou estúpido ao Abramovich, está visto que sai). E a coqueluche Carvalhal, a encantar o País de Gales, içando o Swansea a golpes de táctica e de pastéis de nata. Para além do para sempre "special one", ainda que cada vez mais sisudo, mesmo desencantado a fazer o  melhor campeonato do MU desde há anos. E etc. para não ser ainda mais cansativo. E os clubes também, que li há dias, aquando do fim do "mercado de inverno", que no último ano Portugal foi, e de muito longe, o país que mais lucrou com as transferências de jogadores, o que lhes junta também uma mão-cheia de mais ou menos gabirús empresários da bola, que muito sabem da dessa poda de sacar taco aos clubes estrangeiros. Em suma, clubes a valorizarem passes desportivos e a lucrarem neste mercado mundial sobreaquecido. Imensos jogadores a brilharem ou cumprirem, por cá e alhures. Um país de treinadores de futebol, como antes terá sido de poetas, tantos migrando, alguns com enorme notoriedade.

 

Dito tudo isto, como é possível que num futebol que produz tantos praticantes, treinadores, dirigentes, de clubes e de federação, e ainda os tais "amariolados" empresários, que conseguem tamanhos sucessos, individuais e colectivos, como é possível, dizia eu, que ainda nos apareçam incompetentes como os árbitros (de campo e de cabine, dita video) de ontem, neste Sporting-Feirense? Quando acabará este corporativismo arbitral, quando se quebrará isto? Pois é óbvio, acusações de malandragem à parte, que num futebol de excelência como o é o português, os árbitros são, e de longe, o sector tecnicamente mais fraco. O que se passou ontem foi pungente. Nem o árbitro de campo está preparado para esta actividade de futebol profissional, saltitão nervosinho e incoerente nos métodos (ora vê as imagens ora não vê, que palhaçada ...) que é. Nem o tipo da cabine sabe as regras. É inaceitável. E é melhor fazer finca-pé nisto quando se ganha, que é para não se dizer que as críticas vêm da azia da derrota. Os gajos são maus. Mesmo. E o resto do futebol português, mesmo com todas as suas mazelas e tropelias, não merece tanta incompetência.

 

5 comentários

  • Imagem de perfil

    jpt 12.02.2018

    Bem, Fernando Albuquerque, há aqui duas coisas: a primeira é que os árbitros têm ao longo dos anos protegido os clubes que dominam os ciclos históricos. Mas, e é esse o sentido do texto, uma coisa é serem venais a outra é serem incompetentes. E para uma actividade tão pública e tão escrutinada como esta a incompetência é até contrária à venalidade. Tem que haver limites - e se o VAR veio ajudar mas veio também permitir a parcialidade no seguro da cabine, longe da multidão pressionante e da imprensa. Mas isso implica deixar o colega à mercê das intempéries. Tem que se exigir mais competência ainda que esta não implique lisura.

    A segunda questão é esta: é muito difícil ao Sporting ser campeão porque a equipa não tem jogado muito. Contra este Feirense, mais fraco do que o do ano passado, a equipa jogou bem, e com um golo aos 18 minutos poderia ter feito uma cabazada, tamanho o bom jogo e o quanto estaria descontraída - ainda que o Feirense tenha feito boas jogadas de ataque e obrigado PAtrício a excelentes defesas. Mas isso não faz esquecer que a equipa tem jogado pouco. O Porto tem um futebol mais aguerrido e vigoroso, o Benfica já está a par, e com efeitos especiais surpreendentes (mudança de táctica dominante, introdução de novos jogadores). E se há clube que tem sido prejudicado pelas arbitragens de forma a fazer perder pontos é o Porto (pelo menos 4, ali nos finais do ano passado). Vamos lá olhar para as coisas como elas são, reais e não espíritos.
  • Sem imagem de perfil

    fERNANDO ALBUQUERQUE 12.02.2018

    JPT. -
    Peço desculpa, mas de espiritos não percebo nada. Os factos reais ainda consigo comentar. se tiver conhecimento deles.
    Diz-me que o SCP não ganha o campeonato porque tem jogado pouco. Não me recordo de ter falhado qualquer jogo via TV do nosso clube, onde apenas estive presente uma vez em Alvalade. Depois do jogo na Capela da Luz, por motivos, que desconheço a nossa equipa tem baixado a sua produção. Mas, o que o SCP fez antes não conta ? Na sua óptica apenas o SCP tem jogado muito pouco. Estou-me nas tintas para o que os outros fazem, apenas aponto na minha memória os "favoires" que terceirtos recebem. Nunca o SCP, nesta época , teve tantos maus jogos como aí os nossos vizinhos,tiveram e que nem sequer pontos perderam o que é muito estranho, pois sempre que a nossa equipa joga mal, é penalizada por esse motivo.
    Não comentou nada da actuação do apitador e do VAR de serviço. Por acaso os jogadores do SCP tiveram a felicidade de ganhar o jogo, pois se houvesse empate ou derrota, era mais um jogo mau que a nossa equipa tinha feito. Tenho respeito por todos os jogadores que suam a sua camisola e não gosto nada de os ver serem roubados, repito roubados, constantemente.
    Lembro-lhe que não via ninguém na equipa B. com capacidade de substituir os normais "efectivos".
    Pois aí tem mais um jogador, que tem de caras lugar nesta equipa de seu nome RAFAEL LEÃO.
    e outros, que poderiam estar lá caso não tivessemos um treinador teimoso ou desinteressado pelos valores reais que temos, casos de Matheus, Geraldes, etc. etc.

    Saudações leoninas Fernando Albuquerque


  • Imagem de perfil

    jpt 12.02.2018

    Vamos lá a ver, eu não disse que "apenas o SCP tem jogado muito pouco", como V. refere. Disse, em registo coloquial, que a equipa não tem jogado muito. Já em postais anteriores o referi, fez-se uma liga dos campeões excelente - considero que se podiam ter ganho os dois jogos com a Juventus, merecidamente, e com concomitante apuramento. Mas no campeonato nem tanto: a equipa engasgou-se com o Braga, sofreu a bom sofrer com o Benfica, e o Porto foi nitidamente superior. Ou seja, e isso é importante num campeonato desequilibrado, não se mostrou mais forte do que os clubes mais "aparentados". E estes últimos tempos têm sido difíceis: borregada (e da grossa) em Setúbal (que tem de ser assacada aos jogadores e nunca ao treinador) e muito mau jogo no Estoril. Isto tudo explica muito mais as dificuldades em ser campeão do que os hipotéticos efeitos da anulação de um golo contra o Feirense caso não se tivesse ganho o jogo. E, insisto, a quem foram mesmo subtraídos pontos foi ao Porto - a arbitragem vieirista está atenta, e tem trabalhado para o penta. Do que tem necessitado para isso? controlar o andamento da equipa do Sérgio Conceição.

    Quanto ao resto, dos jogadores emprestados e os jovens. Sim, excelente mostra do R. Leão. E espero que alguns dos da academia que andam emprestados: eu tenho esperanças no Geraldes e no angolano, e talvez no Domingos, que está no Chaves. Os restantes, lamento, mas nunca serão estruturantes no plantel. A ver vamos se Jesus faz desta segunda volta um outro conto e iça a equipa onde ela não está,
  • Sem imagem de perfil

    LEOA MARIA 12.02.2018

    Qt ao Porto não embarco nessa onda do foram roubados, as poucas vezes que o foram jamais apagarão as vezes que roubaram, ( esquecer o apito dourado? Nem pensar, pois é o hábito que faz o monge!!!) é certo que o ano passado deviam ter ganho o campeonato e nós não o devíamos ter ganho na época anterior a essa?
    Se formos a reparar com mais atenção hoje o Porto está ansioso pelo regresso ao passado já foram dados os 1ºs passos nesse sentido, a denúncia dos e-mails a que se propuseram não tem nada a ver com interesse na verdade desportiva mas sim puxarem novamente o poder a si, isso ficou bem latente na arbitragem da 1º mão da taça de Portugal, não acho que tivesse sido por acaso que o padre João Pinheiro condicionou o nosso jogo com amarelos e Porto com passaporte para dar o pau que quisesse sem consequências, gostava era de saber o que FJM sabe da vida privada desse árbitro a ponto de o ter na mão.

    PS: Acreditar na regeneração do Porto, só pode ser de anjinhos, pois como disse em cima o hábito faz o monge, dp do monge estar feito, a única possibilidade de reabilitação é a exoneração deste monge.....

    SL
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    { Blog fundado em 2012. }

    Siga o blog por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Pesquisar

     

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D