Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Revolução

Todos os dias assistimos à degradação do futebol português através dos órgãos de comunicação social e para além do “festival” triste de notícias, assistimos à proliferação de “experts/comentadores” nos canais televisivos, todos afetos aos chamados três grandes do futebol português.

 

Em primeiro lugar gostaria de compreender qual a razão de estes “experts “ estarem ligados aos chamados três grandes clubes. Algum dos três necessita de caixas-de-ressonância ou papagaios? Não têm departamentos de comunicação suficientemente profissionais para passar a mensagem do clube?

 

Mais:

Não deviam os órgãos de comunicações social estar munidos de pessoas com capacidade para emitir uma opinião neutra? Não seria mais transparente e importante garantir a imparcialidade nos comentários?

 

Face ao exposto, qual a razão da existência de inúmeros programas de futebol? Será informar o adepto ou toldar o raciocínio dos menos esclarecidos? Cumprem a sua função ou alimentam um sistema que só interessa a alguns?

 

Mas será que ninguém está farto disto!? O que é importante é alimentar, dia após dia, notícias sobre o casamento de um presidente, se ele beija a namorada num jogo, se a gala é no dia 30, 31 ou 1, o que ele diz aos jornalistas em off, quais as razões de saída de Octávio Machado e Vicente Moura, etc…

Não será importante compreender o modus operandi e o que está a acontecer?

 

Substituímos as prendas de cariz sexual, metodologia utilizada nos anos 80 e que tanto sucesso trouxeram, por vouchers e jantares. Lamentavelmente, as pessoas não têm capacidade de criar, apenas copiar modelos já existentes. O pior é que censuraram e tornaram-se iguais ou piores.

 

E qual a razão de existirem clubes a comprar camionetas de jogadores, só no intuito de estes serem emprestados a outros clubes?

Será que encontramos a forma ideal para garantir alianças?

 

Para além do supra mencionado, qual a razão de os lugares de presidente do Conselho de Arbitragem e de presidente da Liga serem tão disputados?

E será que existe alguém que não reconheça a justiça do sorteio em prol da nomeação do árbitro A ou B?

Porque interessam tanto as nomeações dos árbitros e a escolha dos membros dos órgãos?

 

No outro dia estive a ler que existe um clube que não vê com bons olhos o atual presidente da Liga de Clubes. Qual a razão? Como árbitro não demonstrou a sua competência? Sim. Alguma vez tivemos um árbitro com o palmarés que ele tem? Não. Vivia do futebol? Não, tinha vida para além do futebol e nada relacionada com a modalidade. Cometeu alguma irregularidade? Não. É competente? Até prova em contrário, sim!  Então…

Por que razão não agrada a alguns?

 

Pior:

Não será importante compreender o que está a acontecer no futebol português quando um comentador afecto a um clube diz: “O Porto já não manda, mas ainda não compreendem onde está o poder. Hoje, quem nos prejudicar sabe que é punido. E este espaço foi conquistado com muito trabalho do primeiro-ministro [LFV].

Ou seja, o FCP já mandou mas agora quem manda são outros!? Bem… Com isto podemos concluir que as decisões não passam nem nunca passaram apenas dentro das quatro linhas.

 

Ainda pior ainda é ler um blogger afecto a uma instituição afirmar que não interessa o que o comentador escreveu, apenas devem estar unidos...

Unidos no quê? Na ilegalidade?

 

Felizmente existem adeptos desse clube com elevação suficiente para reconhecer o que deve ser feito. Essa instituição é maior do que qualquer adepto e ninguém deve levar o seu nome para a lama.

 

Também não devemos ser ingénuos ao ponto de acreditar que esta prática era adotada apenas por este comentador e que ao sair este “player” de cena tudo vai acabar.

 

Por fim, devemos tentar compreender o que pretendemos. Será que queremos ganhar a qualquer custo ou existem limites?

 

A minha escolha é simples. Quero um campeonato justo e transparente, mesmo que não seja o meu clube campeão. A minha escolha de clube está relacionada com o enquadramento familiar e com os princípios subjacentes do mesmo. O lema do meu clube faz parte do meu dia-a-dia porque acredito que só com esforço, dedicação e devoção é que conseguimos atingir a glória.

 

O futebol português necessita urgentemente de uma revolução para afastar todos estes "velhos do restelo" que nada contribuem e vivem de esquemas. 

14 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D