Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Rescaldo do jogo de hoje

Gostei

 

Da goleada da noite de hoje em Alvalade. Três pontos garantidos na vitória em casa contra o Boavista. Por números que não enganam: 3-0. Domínio absoluto da nossa equipa contra um adversário que costuma fazer a vida difícil às turmas anfitriãs nas deslocações a Lisboa. De realçar que nesta jornada da oitava ronda do campeonato apenas o Sporting marcou três golos.

 

Da exibição leonina. Não foi apenas a vitória em campo, por números muito expressivos: houve domínio absoluto do Sporting em todas as fases da partida, vulgarizando por completo o Boavista. Inequívoca supremacia territorial, bom entrosamento colectivo, compromisso evidente dos jogadores, atentos à missão que lhes foi confiada. O nosso melhor desempenho até ao momento na Liga 2018/2019.

 

De Nani. Grande jogo do nosso capitão, que hoje marcou dois golos: o primeiro aos 31', com um cabeceamento letal após excelente movimentação na ala esquerda de Montero; o segundo aos 66', num pontapé de ressaca após algumas carambolas dentro da área do Boavista. E ainda foi dele o primeiro grande sinal de perigo, com uma soberba elevação aos 26' travada in extremis pelo guardião Helton na defesa da noite. O campeão europeu formado em Alcochete festejou o primeiro golo à moda antiga, com um salto mortal; no segundo, beijou o emblema do nosso clube. Um enorme Leão, de corpo e alma. O melhor em campo.

 

De Diaby. Estreia muito aplaudida do internacional maliano no onze titular, correspondendo por inteiro às melhores expectativas dois meses após ter sido contratado. Foi dele a assistência para o segundo golo, marcado por Bruno Fernandes aos 64', com um passe atrasado para a entrada da área, na sequência de uma boa tabela com Montero. Teve também intervenção no terceiro golo, dando início ao lance ofensivo. Pressionou muito bem a saída de bola do Boavista e revelou boa condição física. Saiu aos 87', muito aplaudido.

 

De Montero. Hoje não marcou, mas foi dos mais influentes nesta vitória leonina. Fez a assistência para o golo inaugural e teve uma movimentação decisiva no terceiro. É um dos nossos jogadores que trata a bola com maior destreza técnica, com reflexos na qualidade do espectáculo.

 

De Bruno Fernandes. Irregular no primeiro tempo, melhorou muito na etapa complementar. Primeiro, aos 58', dirigiu um míssil à barra na conversão de um livre. Seis minutos depois, assinou o segundo golo, com um remate forte e muito bem colocado à entrada da grande área. Nítida subida de forma, com reflexos no desempenho global da equipa.

 

Dos regressos de Mathieu e Bas Dost. O francês foi titular após longa paragem e o holandês - alvo de justificada ovação - entrou em campo aos 87', mais de dois meses após ter sido impedido de jogar devido a lesão muscular. Ambos ainda presos de movimentos, como se compreende, mas com indiscutível influência na equipa, onde são dois dos jogadores mais acarinhados. Mathieu chegou a fazer duas posições, passando para lateral esquerdo após a dupla substituição de Diaby por Dost e de Montero por André Pinto. Com eles de regresso, o Sporting é diferente. Para melhor.

 

De termos visto as nossas redes intocáveis. No seu terceiro jogo consecutivo como titular na baliza leonina, Renan praticamente não fez uma defesa. Muito bem coadjuvado pelo quarteto defensivo, designadamente nas alas, onde Acuña e Bruno Gaspar estiveram em destaque - este último mostrando enfim que é reforço. Foi dele o cruzamento que deu origem ao terceiro golo.

 

Da nossa recuperação na tabela classificativa. Beneficiando do tropeção do Braga, que empatou em Guimarães (1-1), e da derrota do Benfica no Estádio Nacional, frente ao Belenenses (2-0), estamos agora apenas a dois pontos das duas equipas que lideram a Liga: FC Porto e Braga. Quer isto dizer que voltamos a depender só de nós para aspirar ao título, tendo já jogado, à oitava jornada, em Braga e na Luz.

 ´

 

Não gostei

 

Que o Boavista tivesse disparado uma bomba que embateu no nosso poste esquerdo. Estavam decorridos apenas 5' quando Mateus pregou um susto em Alvalade. Felizmente a sorte acompanhou-nos: a bola não entrou. Se tivesse entrado, a história deste jogo poderia ter sido bem diferente.

 

De ver só pouco mais de meia casa preenchida em Alvalade. A noite estava fria e o horário não era nada convidativo (20 horas de domingo, precisamente no fim de semana em que adoptámos o horário oficial de Inverno). Mas a equipa merecia ter sido incentivada por um número bastante maior de adeptos do que os 27.784 hoje presentes no estádio.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D