Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

O dia seguinte

Bernardo Ribeiro, Record: «A vitória do Sporting ontem em Paços de Ferreira colocou os leões novamente a dependerem de si próprios para serem campeões e contrariou a tendência seguida por equipas como Barcelona, Borussia Dortmund, Bayern, Liverpool, Chelsea, Tottenham, Besiktas e Roma, que não conseguiram ganhar no regresso às ligas. O mesmo "acidente" aconteceu ao FC Porto e nem assim o leão pareceu encarar o jogo com o carácter decisivo que ele parecia assumir, pela vontade de recuperar pontos ao líder. O triunfo foi uma realidade porque o Sporting tem uma equipa bem trabalhada por Jorge Jesus e executantes superiores ao trabalhador Paços de Petit.»

 

Carlos Vara, A Bola: «O mérito da vitória do Sporting em Paços de Ferreira é indiscutível, mas o leão não teve a vida nada facilitada nesta viagem a norte e só respirou por completo de alívio quando o encontro chegou ao fim. Seria recompensado com os três pontos que lhe garantem a aproximação ao FC Porto na tabela, mas depois de alguns lampejos de classe o Sporting acabou sofrendo um pouquinho na fase final, quando o adversário foi buscar energias que se julgavam já inexistentes para voltar ao jogo em cima da chegada do tempo de compensação. O leão terminou a partida com alguma inquietude, mas a preocupação com que enfrentou os minutos finais talvez só tenha elevado ainda mais o prazer de uma vitória assegurada num campo dificílimo e perante um Paços de Ferreira que deixou tudo em campo e obrigou o adversário a aplicar-se também até ao limite.»

 

Hugo Sousa, O Jogo: «É uma daquelas fórmulas em jeito de lengalenga que se aprende na escola: menos com menos dá mais. Dá mesmo: menos brilhante do que tem sido na Champions e também menos intenso, o Sporting ficou mais perto da liderança, ganhando dois pontos ao FC Porto. Ironias de um jogo que guardou para o fim um remate de humor, ou não tivesse sido Baixinho, protagonista criado pelo Paços de Ferreira durante a semana à boleia de palavras de Jorge Jesus sobre um baixinho de outro tamanho, a encurtar a desvantagem e a deixar o desfecho preso a três minutos de alguma incerteza. Nem chegou a ser bem incerteza, porque até os pacenses tiveram consciência de que aquele golo chegara tarde para mudar alguma coisa.»

 

Dos jornais de ontem

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D