Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Matriz - parte II

parte I

Repete, ali, na nossa rua, uma e outra vez, que o Presidente, este, o Frederico Varandas, é mesmo doutor, daqueles que nos tiram as dores, não dos que n[o-l]as dão, já disse que o Bruno Fernandes não sai por 35 milhões. É, por estes dias, a sua grande e recorrente aflição, a iminente saída do nosso capitão. E o outro afinal é doutor de quê? Eu ainda gostava de saber do que é que o outro é doutor. Palavra de honra que me passou pela cabeça que o Johnny seria leitor do És a Nossa Fé e que o seu telemóvel não serviria, afinal, só para dar uso aos auscultadores, para tirar fotografias ao autocarro do Sporting, de cima do viaduto – mesmo ao lado do Continente – onde esperou horas, e à chuva, para vê-lo passar a caminho do Municipal de Portimão; afasto a ideia, mas não esqueço a possibilidade.

Ainda está muito zangado, o Johnny. Zangado, com o outro. Culpa-o pela saída de Rui Patrício, que – claramente – idolatra. Um rosário de elogios é o que lhe oiço. Acha-o, ao outro, culpado pelo desencontro com o Coentrão, que é mesmo dos nossos, é que é mesmo Sportinguista, o Fábio. Sinto-lhe a zanga na voz, muda de tom, sobrepõe-se a exaltação que se avoluma exponencialmente quando fala de Alcochete. Diz-me que no dia seguinte se apresentou ao serviço, de camisola preta. Que estávamos de luto e que os colegas não têm nada com isso, que isto são dores só nossas. Bateram nos nossos jogadores… voz embargada, zangado e de dedo em riste, convicto de que há um culpado que ainda vai pagar pelo que nos fez. Acha que a Judiciária - que anda em cima dele, ai anda, anda! - ainda vai encontrar provas inequívocas que dêem forma indesmentível aos seus sentires. E uma correspondência punitiva que, dificilmente, arrisco eu, serviria para atenuar-lhe a(s) dor(es).

Dificilmente, serviria, sei eu, para diminuir a que fui sentindo ao longo de tanto tempo.

Interrompe-me, quando lhe conto a interacção que tive, na fila, à espera para entrar no Pavilhão João Rocha, com a consócia - 35 anos de vida associativa - que ancorou a decisão de se opor à expulsão de sócio do anterior presidente, à convicção de que, ao contrário de todos os outros, este, não nos roubou.

Não nos roubou!? Não nos roubou!? Roubou!, roubou! Roubou-me andar com a cara limpa à frente dos andrades [um dos colegas é fervoroso adepto do clube nortenho mais popular em Portugal] e dos lampiões. Eu, quero ganhar de forma limpa! Eu, não quero cá troféus que não ganhámos de forma limpa. Eu, tive que os aturar dias a fio. E tenho que os aturar, que ainda me jogam isso à cara. E agora, vão jogar isso à nossa cara para sempre. Ainda pensei que tinha de lá ir eu que ele não desagarrava o lugar. Era uma força que a gente tinha, dizer que o Sporting, só joga e ganha limpo. E envergonhou-me. E ele é que diz que tem vergonha da gente!? E os milhões que a gente perdeu com as transferências, com as rescisões?

Digo-lhe que, por agora, temos de dar tempo à Justiça, que o que havia a fazer, dentro do Clube, já foi feito. Pergunta-me se ouvi o discurso da consócia irmã do ex-presidente (sempre bem informado, o JC), digo-lhe que não, que entrei depois. Eu pensei logo que ia lá votar – diz-me, contente. E que depois me contava. Eu não posso ir lá votar, - encolhe os ombros - não sou sócio.

E conto, JC. Só (ainda) não lhe contei que me apresentei – inadvertidamente – de tesoura de escolinha primária na carteira, mas de resto, conto-lhe os pormenores todos de que me lembrar.

[continua]

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D