Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Lírica lupina

Nestes dois dias de descanso que o Senhor nos concedeu (O Senhor é Joseph Blatter dono omnipotente, omnipresente e unitário do futebol e das cuecas que nele se vislumbrem) o debate que claramente consternou a nação foi o de saber como sucedeu que Freitas Lobo se tenha tornado o Gabriel Alves do nossos tempos e simultaneamente o Herberto Helder da bola.

A analogia entre Lobo e Helder verdade que é mecanicista e decorre de circunstâncias meramente performativas, mas em ambos os casos existe uma veemente correlação entre os Pés e o Verbo. Quanto a Helder verificou-se que disfrutar as últimas emanações poéticas do bardo dependeu em exclusivo da velocidade dos pés que correram em cata do livro, escassa e efemeramente disponível sem outro critério que não este da ligeireza e da robustez andarilha – qual amor à poética, qual hermenêutica, os calcantes é que valeram aos eleitos. Quanto a Freitas Lobo, venha alguém desmentir que se não fossem os foots que estugam atrás da ball nunca poderíamos nós, os gentios, receber o banho lustral do seu palavreado.

Mas a inequívoca novidade deste Mundial de 2014 é a usurpação do trono há bem mais de uma década vacante de Gabriel Alves pelo jactos locutórios (termo desde há dias acessível a qualquer aluno do secundário) de Freitas Lobo – autênticos futebolemas no saudoso dizer de Rui Romano, o primeiro mestre a mesclar bola com Barthes.

Algo se terá passado na fisiologia cerebral de Lobo. Ele era todo hemisfério esquerdo, analítico e determinista no relato dos jogos, mas durante este certame entornou-se radicalmente para o hemisfério direito, lírico e sensitivo.

É verdade que ao seu olhar de condor não há percalço que não seja propositado, acidente que não seja deliberado ou falhanço que não seja estudado; oiçamo-lo desvendar que a patética escorregadela de Thomas Müller era uma jogada de laboratório e que os esgares humilhados do tudesco eram uma encenação. Ainda está para vir a primeira ocorrência que o seu bisturi não disseque racionalmente. Para ele um jogo futebol é um gigantesco plano, posto em marcha por uma inteligência suprema à qual só Lobo tem acesso; a chave subjaz na cabala numérica que nos recita: o impávido 4,2,3,1, o ousado 4,1,3,2 o aterrador 5,3,1,1 ou o lunar 3,5,2. O resto do relato consiste em explicar aos jogadores o que devem fazer e aos treinadores qual a táctica que devem usar. Na sua voz, porém, pressente-se o frémito de melancolia de quem só é escutado pelos lorpas dos telespectadores.

Sucedeu, no entanto, que inspirado pela magnitude do Mundial, Freitas Lobo quis exibir que nem só de macaquear Valdano vive o seu estro e ei-lo que vaza nas nossas orelhas tal enxurrada de hipérboles, aforismos, metonímias, sinedoques, tropos, um formidável arsenal estilístico que, infelizmente, acaba soterrado pelo uso ilimitado do adjetivo “grande” (mas maiúsculo: “GRANDE jogo”; “GRANDE jogador”; “GRANDE passe”) por vezes substituído pelo ENORME (ibidem). Os arroubos líricos de Freitas Lobo têm vários apogeus mas é fatal que ao ver o breve resumo do jogo, com imagens em câmara lenta e violinos, embarga-se-lhe a voz e, qual adolescente a iniciar-se em Eugénio de Andrade, gagueja como um mantra: “o futebol é lindo”, “o futebol é o jogo mais lindo do mundo”, “que lindo é o futebol”.

Surge todavia um problema. Ciente da sua autoridade Freitas Lobo decidiu privatizar os desafios que comenta e deu-lhe para açoitar os diletantes repetindo de dedo mais em riste que a patorra de alguns defesas a frase: “isto é só para quem ama o futebol”. Ora o futebol em HD e os comentários de Lobo saem-me a € 26,79 por mês, o que para meretriz é barato – será que ele me dá licença para continuar a ver o Mundial ou preciso de tirar certidão?

2 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D