Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Hoje giro eu - Marcel Keizer

Para a vasta maioria dos adeptos leoninos, Keizer é um perfeito desconhecido. Sem querer ser muito Verbal sobre isso, tal como o outro Keizer (Soze) dos "Suspeitos do Costume" muitos agora falam dele mas poucos o viram em acção. Curiosamente, Marcel é sobrinho da, essa sim, bem conhecida estrela de outrora do Ajax, o extremo Piet Keizer, contemporâneo de Johann Crujff, sobre quem um dia o jornalista Nico Scheepmaker afirmou: "Crujff é o maior, mas Keizer é o melhor". Eis a radiografia possível neste momento, em 11 pontos (como uma equipa de futebol), num trabalho baseado em crónicas de jornais e vídeos de jogos que pretende apresentar o técnico como ele é, mostrando as suas qualidades e desvendendo alguns mitos entretanto criados:

 

  1. Aposta num perfil: partir para uma escolha de um nome a partir de um perfil é sempre algo de elogiar. O Sporting parece pretender uma proposta de futebol agradável e a aposta nos jogadores da sua Formação.
  2. Sistema de jogo: mais do que o tradicional 3-4-3 do Ajax, Keizer parece preferir um 4-3-3, com a saída de bola a ser encarregue aos 2 centrais, sem que o jogador da posição "6" recue para a linha defensiva para pegar no jogo, o qual é essencialmente direccionado pelo interior.
  3. Experiência na Formação: nos últimos dias muito se tem falado de Keizer ser um treinador com vasta experiência na Formação. Tal não corresponde à realidade, destacando-se apenas uma passagem pelo Jong Ajax (equipa B dos "lanceiros"), na temporada de 2016/17, para além de 5 meses na equipa principal do grande clube de Amesterdão (2017/18), clube que nunca abdica de apostar na sua cantera
  4. Aposta em jovens: apesar de muito do trabalho de imposição na equipa principal ter sido desenvolvido pelo treinador anterior (Peter Bosz), consolidou a aposta nos jovens De Ligt, Frankie De Jong, Dolberg, Neres e Ziyech, entre outros.
  5. Escola do Ajax: tem apenas ano e meio de Ajax, entre equipa A e equipa B.
  6. Experiência a alto nível: treinou apenas durante 5 meses o Ajax (entre Julho de 2017 e Dezembro de 2017), tendo sido despedido após uma derrota para a Taça da Holanda contra o Twente. Não conseguiu ultrapassar as pré-eliminatórias quer da Champions, quer da Liga Europa (no ano anterior, com Peter Bosz, o Ajax chegou à final contra o Manchester United). Antes treinou o Cambuur (único clube primodivisionário que treinou para além do Ajax e que desceu de divisão), o Emmen, Telstar, VVSB, Argon e UVS, tudo clubes de segundo plano do futebol holandês. 
  7. Resultados: estava em segundo lugar no campeonato holandês de 2017/18 quando foi despedido. Realizou 17 jogos e fez 38 pontos, correspondentes a 12 vitórias, 2 empates e 3 derrotas. O treinador que se lhe seguiu (Erik Ten Hag), com o mesmo número de jogos fez apenas mais 3 pontos, terminando o Ajax com um total de 79 pontos e o segundo lugar no campeonato, posição que aliás já ocupava quando Keizer era o seu treinador.
  8. Curiosidade: dos 3 tristes trincos para a inspiração no clube dos 3 treinadores de cabeça rapada. Desde a saída de Frank de Boer, o Ajax teve Peter Bosz, Marcel Keizer e Ten Hag. Muita escola de Ajax, pouca escola de barbeiro. 
  9. Propensão atacante: impressionam os números atacantes de Keizer no Ajax. Na equipa B, onde se classificou em segundo lugar, a sua equipa marcou 93 golos em 38 jogos, uma média de 2,45 golos por jogo; na equipa principal dos "lanceiros" fez ainda melhor: 51 golos em 17 jogos, uma média de 3 golos por jogo. Destacam-se as vitórias por 8-0 no campo do NAC Breda, em casa contra Sparta de Roterdão (4-0), Roda (5-1) e PSV Eindhoven (3-0), e fora contra Feyenoord (4-1) e Heerenveen (4-0).
  10. Fragilidade defensiva: se a proposta de jogo dos holandeses faz parte do património do futebol mundial, não deixa de ser verdade que a nível táctico ficam muito atrás do futebol português. Nesse aspecto, há que temer o desempenho de Keizer contra equipas fortes na transição ofensiva. Com os "lanceiros", na equipa B sofreu 54 golos (em 38 jogos), na equipa A sofreu 16 golos (17 jogos). Defensivamente, nota-se pouco apoio dos médios nas tarefas defensivas e o trinco muitas vezes não cola aos centrais deixando espaço para as entradas dos médios adversários. Adicionalmente, defendendo a equipa muitas vezes apenas com 3/4 jogadores, criam-se muitas situações de 1x1 na área, com apenas 1 central a marcar o ponta-de-lança contrário e imenso espaço livre à volta.
  11. Conclusão: com um currículo modesto, destaca-se pela positiva a sua proposta de jogo ofensivo. Necessitará de muito apoio de toda a Estrutura, nomeadamente de paciência por parte do presidente e do conhecimento do campeonato e da matreirice das equipas que o compõem por parte dos adjuntos, para poder ter sucesso. É uma aposta de altíssimo risco, embora a proposta de jogo possa ser entusiasmante. No entanto, o vídeo expõe imensas debilidades na transição defensiva ou, dito de outra forma, "video killed the (former) TelStar (coach)". Que os deuses da fortuna estejam com ele!

Marcel_Keizer.jpg

 

 

Curiosidade: Gudelj é filmado nas bancadas aos 2:52 do 2º vídeo.

Quem quiser ficar a conhecer melhor o treinador, em discurso directo ou pela boca de quem com ele se cruzou, pode visualizar aqui ou aqui .

Para estatísticas do seu trabalho mais recente, consultar AjaxJong Ajax e carreira .

Para notícias sobre os motivos invocados pelo clube (Ajax) para o seu despedimento, consultar aqui .

 

21 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Receio (forma de expressão) que não seja só a CAL a adiar algo...

    Será que se correr bem a Tiago Fernandes, contra Arsenal e Chaves, o tal treinador "escolhido, a tratar da desvinculação, razão porque não pode ainda ser divulgado" será...Tiago Fernandes?

    P.S. não fui eu que anunciei ao mundo que o treinador estava escolhido e que tinha actualmente contrato com um outro clube e os jornais são unânimes em dizer que se trata de Marcel Keizer. A verdade é que estamos sem treinador desde a madrugada de quarta para quinta-feira da semana passada, "And counting"...
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Confesso que já lá vai o tempo em que não duvidava por um segundo que fosse, do conteúdo de notícias de (certos) jornais. Hoje em dia, infelizmente, não é o caso.

    Vi (creio que ontem) uma fotografia que dava o treinador em questão como já estando em Portugal; hoje, leio as declarações que figuram no meu comentário anterior. Enfim, vale o que vale.

    Temos um treinador interino, que está em condições de assegurar o que se poderá chamar o "normal funcionamento" da equipa sénior de futebol (masculino).

    Não me surpreende, nem choca, que um nome não seja anunciado antes de o profissional em questão conseguir desvincular-se da actual entidade patronal. Também não me surpreende nem choca que esse momento possa acontecer no pós Arsenal+Chaves. A minha expectativa seria diferente se o profissional em apreço não estivesse no activo.

    Compreendo, contudo, as posições que comentadores e autores têm apresentado e que diferem da minha.

    Se também eu preferia um nome "sonante", cujos créditos estivessem firmados? Sim.
    Não deixa de ser verdade que, até se ser nome sonante, trabalha-se para lá chegar. Não se nasce "nome sonante", com uma folha de serviços prestados pronta a apresentar.

    Se vier a ser este profissional aquele a quem competirá orientar a nossa equipa, pois que seja o culminar do seu trabalho, que seja o momento da glória. Para o próprio, e para o nosso Clube.

    SL
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    CAL, o nosso treinador interino está informado de que o Sporting tem um nome escolhido, a aguardar desvinculação . A imprensa diz que é Keizer. O próprio assegura que foi contactado, não sondado, refugiando-se apenas numa questão formal.

    Um blogue é feito de actualidade , não comentei outros nomes que foram divulgados porque não parecia haver grande consistência. Houve até aquele caso de um diário desportivo que de manhã deu como certo um tal russo e à tarde já não o era.

    Para ser sonante é preciso currículo, sim. Keizer já tem 49 anos e não o tem. O que não quer dizer que não dê certo. Já tivemos treinadores que deram boas provas sem registo anterior relevante. O que digo, e insisto, ê que um nome menos sonante exige da Estrutura um grande apoio. Acho um bom princípio que se tenha seguido um perfil e não nomes, mas isso exige apoio posterior. O médio prazo é muito bonito mas se não houver resultados no curto prazo...

    O meu Post destina-se a dar a conhecer melhor este treinador, analisando pontos fortes e fracos. Creio que isso é claro, mesmo que para tal tenha de ter uns parágrafos a mais do que um Post habitual.
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Gostei muito das declarações prestadas por Tiago Fernandes. Não tinha uma impressão especialmente simpática sobre o técnico em causa. Pareceram-me correctíssimas (ao milímetro). No pós Peseiro, quase soaram a música (harpa, para darmos descanso aos violinos).

    Conheço a dinâmica associada aos blogues, não questiono a sua linha editorial ou a de qualquer outro autor. O que me causa imensa estranheza é a informação "contraditória". Não fiquei com a sensação de que este técnico (holandês) estaria a refugiar-se numa mera formalidade. Sondado, foi. Será mesmo ele?

    A mim parece-me óbvio que quem vier, só pode esperar, e contar ter, toda a estrutura directiva do Clube ao seu lado. Qual seria a alternativa a este cenário? Faria sentido de outra forma? Certo e sabido que quem dispõe de um cv que fale por si, em teoria, tem a vida facilitada (JJ, suspiro...). Às vezes, ter "a vida facilitada", nem é sinónimo de melhores resultados para qualquer das partes (excepto para o bolso dos treinadores; entre o passado recente e o "ainda actual" - Peseiro - , resulta óbvio que a coragem e provas dadas, mesmo sem resultados dignos desse nome - falo de JJ -, são principescamente remuneradas).

    Enfim, venha quem vier, que o faça por bem e que possamos todos serenar por fim (vi parte do jogo dos vizinhos contra Belenenses-SAD, é certo que perderam, mas, justiça seja feita, a equipa não jogou mal; quem me dera a mim, olhar para o futebol praticado pelo Sporting e ver o que vi no jogo da vizinhança).

    SL
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Record: “Recebi convite do Sporting, falta proposta formal” - Marcel Keizer. Foi com base nisto e na abundante informação disponível nos jornais nacionais e não só ( trago aqui à colação o que foi dito pelo antigo treinador, hoje comentador na TV holandesa, Aad de Mos) que procurei caracterizar o futuro treinador do Sporting.
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Não duvido de si. Duvido (infelizmente) dos jornais. Ainda ontem o homem foi fotografado no que parecia ser um café, e que diziam tratar-se de Portugal. Estará mesmo cá? Mesmo estando cá, sem ter contrato assinado, opta por responder assim?
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    CAL, eu não sou um detective privado, apenas tive a preocupação de mostrar aos sportinguistas Leitores deste blogue algumas características deste treinador. Se bebe café ou não, se é visto em aeroportos ou confundido com outrém com densidade capilar similar não sei nem me parece relevante para esta análise (a curiosidade no Post é apenas isso, curiosidade e uma brincadeira).

    A única coisa que sei é que ainda não temos treinador e que Tiago Fernandes vai aparentemente comandar a equipa em mais dois jogos. Se isso preenche o vazio, reduz ou aumenta a margem de manobra do futuro treinador já são contas de outro rosário e não fazem parte do objectivo deste Post.

    PS: agora o CV não é relevante? Sinisa tinha 10 anos de Série A, excelentes trabalhos em equipas médias como Sanpdoria e Torino e em equipas pequenas como o Ancona e foi destratado aqui, essencialmente por não ter títulos. Bem sei, era caro e a decisão da sua contratação naquele momento que o clube vivia foi no mínimo polémica, , razão pela qual poderei estar de acordo com quem decidiu pela sua dispensa, mas não podemos ter dois pesos e duas medidas. A minha fé é que, à semelhança de Fernando Mendes, Mário Lino, Bölöni ou Inacio ( que hoje tem meritoriamente uma Taça da Liga conquistada pelo Moreirense) venha s ter sucesso. Allison , ao contrário do que leio, era outra loiça : foi ‘coach ‘ do City, com Joe Mercer como Manager, e ganhou campeonato, Taça de Inglaterra, Taça da Liga e taça europeia antes de vir para o Sporting.

    SL
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Vi mesmo uma fotografia, publicada na edição online de um jornal. Se era ele, ou não, se era em PT, ou não, pois não sei. Sei, sim, que não foi apresentado ontem, como também cheguei a ler.

    CV: JJ tinha-o. Miseravelmente, para sportinguistas, de nada serviu. Excepto, para delapidar as nossas finanças.

    Se em cima da mesa estivesse um CV de um treinador reconhecido e um sem particular notoriedade, não tenho qualquer dúvida qual dos dois escolheria. Até sugeri partir o porquinho mealheiro verde e branco de maneira a tentar trazer LJ. Já se sabia que a questão não seria apenas financeira. LJ tem, legitimamente, outras aspirações.

    TF: está a ter uma oportunidade de ouro. Quem sabe um dia, mais experiente, não assume mesmo os comandos de uma equipa sénior nossa?

    Post: não questiono uma vírgula sobre a qualidade do conteúdo deste seu post. Trabalho de casa feito.

    Tudo parece indicar que será o próximo treinador do Sporting. Já fica a prestimosa recolha de informação sobre a referida pessoa.

    SL
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Creio que o melhor disto tudo é perceber-se que houve uma ideia por detrás da escolha do treinador, que vou interpretar como sendo uma aposta num futebol positivo e de ataque e nos jovens ( não dispensa a consulta do que Varandas tiver a dizer sobre isso quando o treinador for apresentado.

    SL
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    "não dispensa a consulta do que Varandas tiver a dizer sobre isso quando o treinador for apresentado"

    Não vá a CAL, "espingardar", deixo já a notinha de rodapé...! 😂😂😂👌🏻
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Ou seja, se a ideia era dispensar Peseiro (opção que não discuto), então o novo treinador já teria que estar desbloqueado e pronto a apresentar de imediato, a fim de não entrar logo numa posição de fraqueza relativa face a quem substituirá, caso o Sporting se dê bem nos 3 jogos sobre a égide de Tiago Fernandes (e um sportinguista quer sempre ganhar).
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Diria que esse seria o cenário óptimo.

    Se esteve para acontecer e existiu algum revés, saberá quem se ocupou da questão.
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Concordemos então em concordar (por uma vez...)
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    😂
    A vida, é o que temos à nossa frente. Às vezes é congruente com as nossas aspirações/fantasias, outras vezes, não.

    O que me interessa, honestamente, é a capacidade de lidar com o que se tem em mãos. Sei lá eu o que poderá ter (ou não) acontecido?

    Sei é que estamos sempre (Sportinguistas) prontos para o dramalhão. Já não me recordo a identidade do autor do post que veio salientar o óbvio: saiu uma jóia da academia, veio outra (e deu exemplos concretos). Toda uma choradeira (presente!) em torno das rescisões e tomem! Jovane Cabral dá de si.

    Drama, drama e mais drama. Em todo o lado. Como já disse em tempos, não vejo eu novelas, para isto. Não fundo, nem preciso. O meu Clube, os seus adeptos, dão-me mais que fazer.

    [a título de exemplo]
    É tão fácil estarmos aqui, não é?
    Eu só queria ver, quem criticou a saída do Doumbia nos moldes que sabemos, conseguir melhor. O mesmo vale para os demais "excedentários". Se tivesse sido possível, ou se fosse fácil, não estavam a pesar-nos na tesouraria.

    Não sei o que tinha, ou não, Frederico Varandas em carteira. Sei que fez uma escolha. Concordo com a escolha (a de demitir Peseiro). Se tinha alguém já definido, ou não, se essa eventual hipótese deixou de o ser, ou não, é excessivo. Para ter alguém já pronto a pegar na equipa, teria de ser alguém que não estivesse ocupado.

    Estando ocupado, existem as formalidades que todos conhecemos. Sério, não me parecia anunciar um nome, sem que o mesmo tivesse a sua situação junto da sua actual entidade empregadora resolvida.
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    CAL, eu só fiz um Post sobre o perfil do novo treinador que afinal não é ainda o novo treinador e que, como tal, se presta à novela de se é ou não é o novo treinador. Confusa? Eu também. Repito: tracei um perfil, do que vi, li e apurei sobre o treinador.

    PS: não me vai fazer acreditar que tudo o que acontece no nosso clube é devido aos adeptos e à sua tendência para o dramatismo. Um ser humano é um ser humano e nesse particular os sportinguistas não diferem dos portistas ou benfiquistas na sua idiossincrasia portuguesa. Ou será que se "resmunga" mais em Alvalade porque salta à vista de toda a gente que as coisas não são bem feitas e que daí, posteriormente, vêm a advir complicações que põem em causa a prosecução dos nossos objectivos? Uma escolha não pode ser só demitir um treinador, a não ser que se opte pela injecção directa e se entregue aos jogadores o papel de escolherem a equipa e o dispositivo táctico. Evidentemente que não se pode falar num nome sem as coisas estarem contratualizadas, mas se não o estavam ainda porquê a pressa em despedir Peseiro? A conjuntura poderia alterar-se? E agora, com um interino por 3 jogos, já não há esse risco? E se a opção é por uma ideia/perfil, ganhar com Peseiro no banco nos Açores faria alguma diferença?
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Já dei nota da razão pela qual poderá Frederico Varandas não ter anunciado logo o nome do novo treinador (estar vinculado + formalidades da desvinculação).

    Para mim, o facto de o novo treinador não estar imediatamente disponível para pegar na equipa, não deveria nunca impedir que Peseiro fosse despedido. O que eu não vi do trabalho de Peseiro, é que me faz dizer que não fazia sentido que este continuasse à frente do comando da equipa. Mil vezes ter sido Tiago Fernandes a comandar a equipa nos Açores. O que me surpreende é querer dar-se mais esse crédito a Peseiro. Por falar em crédito, parece que vamos pagar-lhe a totalidade do que formalmente se impõe (contratos assinados, e não há dinheiro que pague a dignidade).

    Quanto à (julgo eu) implícita referência à ausência de comunicação a respeito da actual situação: parece-me que a marca da nova direcção é a de se pautar por comunicações cirúrgicas. Acredito que, tendo o que dizer, falará. Até lá, os sportinguistas exploram todos os cenários possíveis.

    Continuei a discorrer sobre o tema, depois do seu esclarecimento àquela que chamei "nota de rodapé". A menção à tendência verde e branca para não o drama, mas o dramalhão é genérica, e não se centra nem de perto nem de longe, no conteúdo deste seu post.

    Repare que, ao que se sabe à data (e hora) FV terá falado com TF que aceitou o papel (e as condicionantes) que do mesmo decorrem. Mas já se empreende e depreende uma série de cenários sobre esta situação aceite pelas partes. O timming, parece-me, terá única e exclusivamente que ver com a paragem pós Chaves. Mas já existe toda a celeuma em torno da possibilidade de TF sair vitorioso, vir a ser dispensado e o sucesso de TF, ensombrar a vinda do próximo treinador. Isto, enquanto também se critica que FV possa considerar prolongar a permanência de TF à frente da equipa, tendo já dito que estaria para chegar novo treinador.

    Não é que não compreenda as relações de causa-efeito entre os actos de gestão, e as características que se atribuem (ou que se querem atribuir) ao Presidente, é só achar excessivo.

    Só ficou TF por o treinador que há-de vir não estar disponível. Não permaneceu Peseiro até o treinador que há-de vir estar disponível por se ter considerado (direcção) que prolongar a sua permanência traria potenciais malefícios (adicionais) cujo risco, não valia a pena correr.

    P.S. Eu não pus, e creio que muitos não pusemos, a hipótese de que com Peseiro no banco, ganharíamos nos Açores. Mais, nem achei que se justificasse dar-lhe esse crédito. A dá-lo, que fosse a outro. Mesmo que fosse a alguém como TF, de quem, assumidamente, nem tinha boa impressão. O que vi, do jogo, das alterações efectuadas e em termos de declarações pós jogo, agradou-me muitíssimo. Embrulha, CAL.
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Realmente, tendo a concordar consigo. A Comunicação tem sido cirúrgica. Ou não fosse feita por um médico...

    De resto, na minha opinião, creio que confunde o demérito de Peseiro (então mais valeria tê-lo despedido aquando da pausa para as selecções) com o timing das coisas e suas consequências, dramalhão com princípios de gestão (nada é pior do que a incerteza numa Organização), a sagacidade táctica evidenciada por Tiago Fernandes com a revelação de Varandas de que já tinha o seu treinador escolhido e à espera de se desvincular e a interinidade com o placebo enquanto medida contra a apologia do vazio.

    O que não pode ser confundido com nada é a necessidade da primeira equipa do Sporting ter um treinador principal. E urgentemente, pois não andamos a disputar Regionais ou a fazer experiências em alta-competição. Chame-se ele Tiago, Marcel ou outra coisa qualquer.
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Sim, para mim, o momento adequado teria sido após Portimão. Ter-nos-ia, hipoteticamente, poupado ao que se viu em Loures. Havia o hiato que permitia alguma margem à nova equipa técnica. Não foi.

    Foi quando se sabe.
    Temos visões diferentes sobre o rumo dos acontecimentos.

    De uma e de outra forma, o mote parece querer ser apontar o dedo a Frederico Varandas.

    Aqui está, em discurso directo: para mim, Frederico Varandas, deveria ter despedido/demitido (seja lá o que for) José Peseiro após Portimão. No mais, creio que todas as palavras que escrevi acima esclarecem a minha posição.

    Maior das sortes (redobro daqui os votos) a Frederico Varandas, a Tiago Fernandes (esteja connosco durante quanto tempo estiver) e ao novo técnico que há-de vir (quando vier).
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Lamento e acho abusivo que me queira colar e reduzir a "apontar o dedo a Frederico Varandas". Comento aqui o que vejo, com equidistância e independência, raramente só vendo "preto" ou "branco". É tudo, deveria ser tudo, mas afinal a culpa dos constantes insucessos do nosso clube deve ser atribuída a quem comenta. Bom, há um bom remédio para isso e, se for para o Sporting ganhar, eu vou já de "mote".
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Nunca disse que a culpa dos insucessos é de quem comenta. Disse que me parece existir uma tendência, entre sportinguistas, para o "dramalhão". Dei, inclusivamente, o exemplo das rescisões, e de um post cuja identidade do autor não recordo (aludi, inclusivamente, ao facto incluindo-me no rol).

    De uma e de outra forma, o mote parece querer ser [o de] apontar o dedo a Frederico Varandas.

    Palavra-chave: a que está a negrito.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    { Blog fundado em 2012. }

    Siga o blog por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Pesquisar

     

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D