Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Hoje giro eu - Marcel Keizer

Para a vasta maioria dos adeptos leoninos, Keizer é um perfeito desconhecido. Sem querer ser muito Verbal sobre isso, tal como o outro Keizer (Soze) dos "Suspeitos do Costume" muitos agora falam dele mas poucos o viram em acção. Curiosamente, Marcel é sobrinho da, essa sim, bem conhecida estrela de outrora do Ajax, o extremo Piet Keizer, contemporâneo de Johann Crujff, sobre quem um dia o jornalista Nico Scheepmaker afirmou: "Crujff é o maior, mas Keizer é o melhor". Eis a radiografia possível neste momento, em 11 pontos (como uma equipa de futebol), num trabalho baseado em crónicas de jornais e vídeos de jogos que pretende apresentar o técnico como ele é, mostrando as suas qualidades e desvendendo alguns mitos entretanto criados:

 

  1. Aposta num perfil: partir para uma escolha de um nome a partir de um perfil é sempre algo de elogiar. O Sporting parece pretender uma proposta de futebol agradável e a aposta nos jogadores da sua Formação.
  2. Sistema de jogo: mais do que o tradicional 3-4-3 do Ajax, Keizer parece preferir um 4-3-3, com a saída de bola a ser encarregue aos 2 centrais, sem que o jogador da posição "6" recue para a linha defensiva para pegar no jogo, o qual é essencialmente direccionado pelo interior.
  3. Experiência na Formação: nos últimos dias muito se tem falado de Keizer ser um treinador com vasta experiência na Formação. Tal não corresponde à realidade, destacando-se apenas uma passagem pelo Jong Ajax (equipa B dos "lanceiros"), na temporada de 2016/17, para além de 5 meses na equipa principal do grande clube de Amesterdão (2017/18), clube que nunca abdica de apostar na sua cantera
  4. Aposta em jovens: apesar de muito do trabalho de imposição na equipa principal ter sido desenvolvido pelo treinador anterior (Peter Bosz), consolidou a aposta nos jovens De Ligt, Frankie De Jong, Dolberg, Neres e Ziyech, entre outros.
  5. Escola do Ajax: tem apenas ano e meio de Ajax, entre equipa A e equipa B.
  6. Experiência a alto nível: treinou apenas durante 5 meses o Ajax (entre Julho de 2017 e Dezembro de 2017), tendo sido despedido após uma derrota para a Taça da Holanda contra o Twente. Não conseguiu ultrapassar as pré-eliminatórias quer da Champions, quer da Liga Europa (no ano anterior, com Peter Bosz, o Ajax chegou à final contra o Manchester United). Antes treinou o Cambuur (único clube primodivisionário que treinou para além do Ajax e que desceu de divisão), o Emmen, Telstar, VVSB, Argon e UVS, tudo clubes de segundo plano do futebol holandês. 
  7. Resultados: estava em segundo lugar no campeonato holandês de 2017/18 quando foi despedido. Realizou 17 jogos e fez 38 pontos, correspondentes a 12 vitórias, 2 empates e 3 derrotas. O treinador que se lhe seguiu (Erik Ten Hag), com o mesmo número de jogos fez apenas mais 3 pontos, terminando o Ajax com um total de 79 pontos e o segundo lugar no campeonato, posição que aliás já ocupava quando Keizer era o seu treinador.
  8. Curiosidade: dos 3 tristes trincos para a inspiração no clube dos 3 treinadores de cabeça rapada. Desde a saída de Frank de Boer, o Ajax teve Peter Bosz, Marcel Keizer e Ten Hag. Muita escola de Ajax, pouca escola de barbeiro. 
  9. Propensão atacante: impressionam os números atacantes de Keizer no Ajax. Na equipa B, onde se classificou em segundo lugar, a sua equipa marcou 93 golos em 38 jogos, uma média de 2,45 golos por jogo; na equipa principal dos "lanceiros" fez ainda melhor: 51 golos em 17 jogos, uma média de 3 golos por jogo. Destacam-se as vitórias por 8-0 no campo do NAC Breda, em casa contra Sparta de Roterdão (4-0), Roda (5-1) e PSV Eindhoven (3-0), e fora contra Feyenoord (4-1) e Heerenveen (4-0).
  10. Fragilidade defensiva: se a proposta de jogo dos holandeses faz parte do património do futebol mundial, não deixa de ser verdade que a nível táctico ficam muito atrás do futebol português. Nesse aspecto, há que temer o desempenho de Keizer contra equipas fortes na transição ofensiva. Com os "lanceiros", na equipa B sofreu 54 golos (em 38 jogos), na equipa A sofreu 16 golos (17 jogos). Defensivamente, nota-se pouco apoio dos médios nas tarefas defensivas e o trinco muitas vezes não cola aos centrais deixando espaço para as entradas dos médios adversários. Adicionalmente, defendendo a equipa muitas vezes apenas com 3/4 jogadores, criam-se muitas situações de 1x1 na área, com apenas 1 central a marcar o ponta-de-lança contrário e imenso espaço livre à volta.
  11. Conclusão: com um currículo modesto, destaca-se pela positiva a sua proposta de jogo ofensivo. Necessitará de muito apoio de toda a Estrutura, nomeadamente de paciência por parte do presidente e do conhecimento do campeonato e da matreirice das equipas que o compõem por parte dos adjuntos, para poder ter sucesso. É uma aposta de altíssimo risco, embora a proposta de jogo possa ser entusiasmante. No entanto, o vídeo expõe imensas debilidades na transição defensiva ou, dito de outra forma, "video killed the (former) TelStar (coach)". Que os deuses da fortuna estejam com ele!

Marcel_Keizer.jpg

 

 

Curiosidade: Gudelj é filmado nas bancadas aos 2:52 do 2º vídeo.

Quem quiser ficar a conhecer melhor o treinador, em discurso directo ou pela boca de quem com ele se cruzou, pode visualizar aqui ou aqui .

Para estatísticas do seu trabalho mais recente, consultar AjaxJong Ajax e carreira .

Para notícias sobre os motivos invocados pelo clube (Ajax) para o seu despedimento, consultar aqui .

 

6 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Receio (forma de expressão) que não seja só a CAL a adiar algo...

    Será que se correr bem a Tiago Fernandes, contra Arsenal e Chaves, o tal treinador "escolhido, a tratar da desvinculação, razão porque não pode ainda ser divulgado" será...Tiago Fernandes?

    P.S. não fui eu que anunciei ao mundo que o treinador estava escolhido e que tinha actualmente contrato com um outro clube e os jornais são unânimes em dizer que se trata de Marcel Keizer. A verdade é que estamos sem treinador desde a madrugada de quarta para quinta-feira da semana passada, "And counting"...
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Confesso que já lá vai o tempo em que não duvidava por um segundo que fosse, do conteúdo de notícias de (certos) jornais. Hoje em dia, infelizmente, não é o caso.

    Vi (creio que ontem) uma fotografia que dava o treinador em questão como já estando em Portugal; hoje, leio as declarações que figuram no meu comentário anterior. Enfim, vale o que vale.

    Temos um treinador interino, que está em condições de assegurar o que se poderá chamar o "normal funcionamento" da equipa sénior de futebol (masculino).

    Não me surpreende, nem choca, que um nome não seja anunciado antes de o profissional em questão conseguir desvincular-se da actual entidade patronal. Também não me surpreende nem choca que esse momento possa acontecer no pós Arsenal+Chaves. A minha expectativa seria diferente se o profissional em apreço não estivesse no activo.

    Compreendo, contudo, as posições que comentadores e autores têm apresentado e que diferem da minha.

    Se também eu preferia um nome "sonante", cujos créditos estivessem firmados? Sim.
    Não deixa de ser verdade que, até se ser nome sonante, trabalha-se para lá chegar. Não se nasce "nome sonante", com uma folha de serviços prestados pronta a apresentar.

    Se vier a ser este profissional aquele a quem competirá orientar a nossa equipa, pois que seja o culminar do seu trabalho, que seja o momento da glória. Para o próprio, e para o nosso Clube.

    SL
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    CAL, o nosso treinador interino está informado de que o Sporting tem um nome escolhido, a aguardar desvinculação . A imprensa diz que é Keizer. O próprio assegura que foi contactado, não sondado, refugiando-se apenas numa questão formal.

    Um blogue é feito de actualidade , não comentei outros nomes que foram divulgados porque não parecia haver grande consistência. Houve até aquele caso de um diário desportivo que de manhã deu como certo um tal russo e à tarde já não o era.

    Para ser sonante é preciso currículo, sim. Keizer já tem 49 anos e não o tem. O que não quer dizer que não dê certo. Já tivemos treinadores que deram boas provas sem registo anterior relevante. O que digo, e insisto, ê que um nome menos sonante exige da Estrutura um grande apoio. Acho um bom princípio que se tenha seguido um perfil e não nomes, mas isso exige apoio posterior. O médio prazo é muito bonito mas se não houver resultados no curto prazo...

    O meu Post destina-se a dar a conhecer melhor este treinador, analisando pontos fortes e fracos. Creio que isso é claro, mesmo que para tal tenha de ter uns parágrafos a mais do que um Post habitual.
  • Imagem de perfil

    CAL 06.11.2018

    Gostei muito das declarações prestadas por Tiago Fernandes. Não tinha uma impressão especialmente simpática sobre o técnico em causa. Pareceram-me correctíssimas (ao milímetro). No pós Peseiro, quase soaram a música (harpa, para darmos descanso aos violinos).

    Conheço a dinâmica associada aos blogues, não questiono a sua linha editorial ou a de qualquer outro autor. O que me causa imensa estranheza é a informação "contraditória". Não fiquei com a sensação de que este técnico (holandês) estaria a refugiar-se numa mera formalidade. Sondado, foi. Será mesmo ele?

    A mim parece-me óbvio que quem vier, só pode esperar, e contar ter, toda a estrutura directiva do Clube ao seu lado. Qual seria a alternativa a este cenário? Faria sentido de outra forma? Certo e sabido que quem dispõe de um cv que fale por si, em teoria, tem a vida facilitada (JJ, suspiro...). Às vezes, ter "a vida facilitada", nem é sinónimo de melhores resultados para qualquer das partes (excepto para o bolso dos treinadores; entre o passado recente e o "ainda actual" - Peseiro - , resulta óbvio que a coragem e provas dadas, mesmo sem resultados dignos desse nome - falo de JJ -, são principescamente remuneradas).

    Enfim, venha quem vier, que o faça por bem e que possamos todos serenar por fim (vi parte do jogo dos vizinhos contra Belenenses-SAD, é certo que perderam, mas, justiça seja feita, a equipa não jogou mal; quem me dera a mim, olhar para o futebol praticado pelo Sporting e ver o que vi no jogo da vizinhança).

    SL
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 06.11.2018

    Record: “Recebi convite do Sporting, falta proposta formal” - Marcel Keizer. Foi com base nisto e na abundante informação disponível nos jornais nacionais e não só ( trago aqui à colação o que foi dito pelo antigo treinador, hoje comentador na TV holandesa, Aad de Mos) que procurei caracterizar o futuro treinador do Sporting.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    { Blog fundado em 2012. }

    Siga o blog por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Pesquisar

     

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2014
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2013
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2012
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2011
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D