Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Hoje giro eu - Longa se torna a espera

Há 17 anos, o Sporting vinha de uma época traumatizante. A temporada anterior tinha corrido mal, apesar do elevadíssimo investimento. Duscher e Vidigal haviam sido vendidos, mas em compensação entrariam 12 jogadores: João Vieira Pinto, Sá Pinto, Paulo Bento, Phil Babb, Horvath, Rodrigo Fabri, Dimas, Hugo, Bruno Caires, Kirovski, Rodrigo Tello e Alan Mahon. Este último, supostamente, para o lugar de Simone Di Franceschi, com o qual inacreditavelmente não havíamos accionado a cláusula de opção. Luís Duque entrara em choque com José Roquette e este demitira-se, subindo Dias da Cunha à presidência.  

 

Começava uma nova temporada e, com ela, uma nova era. O rigor financeiro substituía o despesismo e Miguel Ribeiro Telles e José Eduardo Bettencourt assumiam o futebol, saindo Duque. A necessidade de contenção financeira levara à não renovação de contrato com Schmeichel e Acosta, e Iordanov acabara a carreira. Bino e Edmilson, outros jogadores importantes no título de 1999/2000, também haviam abandonado. Dir-se-ia que estavamos mais fracos e vínhamos de um terceiro lugar no campeonato anterior, vencido pelo Boavista. 

 

As contratações não foram nada sonantes. Talvez as mais mediáticas tenham sido as de Marius Nicolae e de Rui Bento. Boloni, um romeno relativamente desconhecido como treinador (excelente antigo jogador), chega a Alvalade. Para agravar, apesar de termos começado bem (vitória por 1-0 frente ao Porto), à terceira jornada já registávamos duas derrotas: uma caseira face ao Alverca, outra fora, em Belém. Até que chega Jardel, proveniente do Galatasaray, num negócio que envolveu a cedência de Spehar, Horvath e Mbo Mpenza. Tudo muda! Boloni aposta decisivamente em dois produtos da Formação (Hugo Viana e Quaresma), que se revelariam, conjuntamente com João Pinto, assistentes privilegiados de Mário Jardel. André Cruz brilha a grande altura, com especial incidência na execução de bolas paradas e Nelson e Tiago, revezando-se, não fazendo esquecer Schmeichel, seguram bem as pontas na baliza. 

 

Foi há 17 anos! Desde aí, jamais encontrámos a fórmula certa. Tivemos mais 4 presidentes, mais de uma dezena de treinadores, centenas de jogadores e nada... Curiosamente, as épocas de contenção financeira (4 com Filipe Soares Franco e Paulo Bento, uma com Bruno de Carvalho e Leonardo Jardim) foram as melhores. Registo mais positivo, apenas com Bruno de Carvalho e Jorge Jesus, na temporada 15/16, mas aí já com um orçamento de cerca do dobro. Em contrapartida, a época do "cheque e da vassoura" foi a pior de sempre e a de orçamento mais elevado, a última, não deixa saudades por múltiplos motivos. Dá que pensar!  Será que, contra todas as expectativas, vamos interromper a seca de vitórias esta temporada, vencendo um título em ano ímpar, algo que nos escapa desde 1953 (há 66 anos)? É que já longa se torna a espera...

12 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D