Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Hoje giro eu - E depois do adeus

O problema da falta de aposta na Formação não é só de desperdício de talento. Ele é, essencialmente, de desbarato de dinheiro. Não só de um investimento que não é recuperado, mas de gastos inúteis em segundas, terceiras e quartas opções importadas para o plantel, que mais tarde não conseguimos colocar em lado nenhum, quando temos a prata da casa emprestada por aí. 

 

Não é verdade que Matheus Pereira tenha desaproveitado a oportunidade que JJ lhe concedeu. Na época 15/16, o ala participou em 15 jogos (incompletos) e marcou 5 golos. Dificilmente se poderia pedir melhor em ano de estreia, embora Jesus tenha refreado a sua aposta à medida que as competições ganhavam caracter decisivo. Simplesmente, o lançamento de Gelson, no ano seguinte, travou a sua imposição, mas isso deveu-se mais a opção técnica e à valia do seu concorrente do que a demérito do brasileiro. Aliás, o ano passado, em Chaves, o brasileiro confirmou a sua qualidade, ao apontar oito golos.

 

Em relação a Francisco Geraldes, trata-se de um jogador que já venceu uma Taça da Liga, pelo Moreirense, após uma soberba exibição contra o Benfica. Um jovem que produziu 11 assistências para golo na temporada 17/18, actuando pelo Rio Ave. Merecia ter ficado no plantel do Sporting, funcionando como opção a Bruno Fernandes. A época é longa, há castigos, abaixamentos de forma, lesões, pelo que Geraldes garantiria uma certa continuidade, com a sua qualidade de passe e capacidade de, respeitando as desmarcações, fazer a bola chegar redondinha aos pontas-de-lança. Independentemente de pensar que o contrato de Geraldes contém alguns perigos para o próprio jogador, na medida em que não existe uma cláusula de opção, medida que poderá não favorecer uma aposta reiterada do seu novo clube, tirarem-se conclusões com base em uma amostra de um jogo (em que não actuou) será certamente estatísticamente irrelevante.

 

Não se compreende, também, porque Palhinha dá menos garantias do que Gudelj. Este tem estado parado, sem ritmo, depois de meses sem jogar num campeonato já de si muito pouco competitivo e intenso como é o chinês. Sobre o ex-sacavenense estou para ver o seu desempenho em Braga. Para já, não se pode dizer que tenha começado mal. É que se Geraldes não ter jogado na primeira jornada do campeonato alemão for relevante, então também o será o facto de Palhinha, em dois jogos pelo Braga, ter somado duas titularidades, duas vitórias e um golo e uma assistência essenciais a ambos os triunfos do seu novo clube.

 

Para além destes, Domingos Duarte tem acumulado críticas positivas na Coruña e Demiral foi emprestado com opção de compra a um pouco conhecido clube turco, tendo em contrapartida, aos 29 anos, chegado Marcelo. Por outro lado, desde o início da época, Gelson Dala acumula 2 golos e 3 assistências pelo Rio Ave, enquanto o Sporting procura no mercado um 111º avançado para o seu plantel, o que numa equipa que joga em 4-3-3 deve fazer todo o sentido. 

 

Também é hábito introduzir-se o politiqueiro à discussão. Criam-se estados de graça e parece que a crítica está vedada. Já aconteceu no passado com JJ e com os resultados que se viu. Todos os que diziam que o rei ia nu eram atacados nas caixas de comentários, ou porque se argumentava que se estava a fazer o jogo do adversário ou porque os resultados eram minimamente bons, apesar das exibições na maior das vezes serem paupérrimas. Agora, é o fantasma do ex-presidente, como se quem criticasse o presente tivesse de ter saudades do passado recente. O que, aliás, faz pouco ou nenhum sentido, até porque Bruno Carvalho acabou por laborar nos erros do seu antecessor, comprando jogadores com pouco qualidade e permitindo ao seu pretérito treinador rédia solta para uma deriva daquilo que deveria ser a nossa estratégia desportiva assente num modelo económico sustentável. Aliás, a aposta na Formação, durante o consulado de JJ, apenas surgiu em 16/17 e destinou-se mais a mascarar um enorme chorrilho de erros, do qual ainda penamos, que nos levaram a prematuramente ficar fora de todas as competições do que qualquer outra coisa (das aquisições dessa temporada, só Bas Dost é titular!!!). 

 

Uma última reflexão: nenhum clube tão assiduamente, e na praça pública, trata os seus atletas como activos como o Sporting. Não estamos a falar de acções nem de obrigações, nem sequer de sobreiros mas sim de um outro tipo de seres vivos, com pensamento e vontade própria. No dia em que pensarmos o clube não como um entreposto de compra/venda de jogadores, mas sim como um clube de futebol que quer manter os seus melhores jogadores, rendibilizando-os do ponto-de-vista desportivo, financeiro (via proveitos ganhos com conquistas desportivas) e económico (merchandising assente nos feitos dos jogadores) estaremos mais perto de uma cultura de clube vencedora e de um modelo de Organização onde inspere o respeito entre todas as partes. No entretanto, continuaremos a assentir a défices de exploração constantes, proliferação de importação de jogadores para as mesmas posições e outros desvarios que nos levarão, em pouco tempo, a consumir os proveitos inerentes ao contrato com a NOS. Depois, acordar será tarde. 

 

P.S.1: concordo totalmente com a não vinda de Fábio Coentrão. Ainda recentemente comprámos 50% do passe de Lumor por 2,6 milhões de euros. Um jogador com 20/21 anos e muita margem de progressão, capaz do vai-vai constante que nos falta na lateral esquerda e dotado de fulminante rapidez. É tempo de sermos responsáveis pelos investimentos efectuados. 

P.S.2: exceptuando Slimani, todas as nossas vendas de valor relevante foram de jogadores oriundos da nossa Formação. João Mário (a maior de todas), Nani, Simão Sabrosa, Hugo Viana, Cristiano Ronaldo, Adrien, William, Bruma estão aí para o provar. Há dúvidas?

11 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D