Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Hoje giro eu - A reconstrução

Uma Direcção ferida de morte ou que já morreu e disso ainda não deu conta (os "walking dead"), meia dúzia de rescisões no "pipeline" e o presidente do rival da águia desejoso de dar uma bicada, de cometer "uma pequena loucura", eis o estado mais recente da grande nação leonina. 

 

Entre outras considerações que se poderiam fazer sobre o momento do clube, quanto mais tempo perdurar esta indefinição mais difícil será empreender a necessária reconstrução. Que, inevitavelmente, terá de passar pela intransigente defesa dos superiores interesses do Sporting e concomitante protecção dos direitos que tem sobre os activos que se autoalienaram. Nesse sentido, Luis Filipe Vieira poderá ver o seu tiro sair pela culatra pois será incompreensível para qualquer analista imparcial que homens que alegam sentirem-se coagidos no seu dia-a-dia (sentimento pelo qual nutro respeito) optem por manter actividade na mesma cidade, futuramente a representar um clube que tem o seu estádio e o seu centro de treinos afastado apenas escassos kilómetros dos do Sporting e que, com este, mantém uma rivalidade histórica polvilhada com recentes episódios de extrema violência verbal e fisica. Além disso, do ponto-de-vista estratégico, com o nome do seu clube envolvido em inúmeros casos sob investigação judiciária, o presidente do Benfica, com esta atitude, estará já a alienar qualquer possibilidade de entendimento com um futuro presidente do Sporting, qualquer possibilidade de redução de ruído, permanecendo isolado. Logo, um erro. E crasso!

 

Por outro lado, considerando eu que esta Direcção do clube de Alvalade está a prazo (e ontem já teria sido tarde), os argumentos usados por alguns na luta pelo poder reduzem, em minha opinião, no "day after", a possibilidade de defesa leonina. É que quem agora dá 100% de razão aos jogadores para rescindirem, chegado ao poder, terá futuramente de executar um mortal à retaguarda em defesa do clube. Ou não? 

 

O "turnaround" do Sporting irá passar muito pelo sucesso (ou não) na implementação de uma cultura corporativa forte, que assente em exigência, excelência, compromisso e superação. Transversal a todo o clube. Com o exemplo sempre a vir de cima, numa lógica "top down". Nesse sentido, o Sporting terá de ser um clube aberto à sociedade civil e que entenda as tendências sociais, económicas, culturais e demográficas dos nossos tempos. Trabalhar essa cultura com os atletas, desde tenra idade, mas também com os sócios e adeptos. Assim, criaria um pelouro da Juventude. Não podemos nem devemos confundir, em nenhuma circunstância, as claques com os jovens - a Juventude Leonina e outras têm lá "jovens" com idade quase para serem meus avós... - porque isso seria focar na árvore em detrimento do necessário enfoque na floresta e, portanto, muito redutor. Que soluções oferecemos hoje aos nossos jovens sócios e adeptos, para além de fazerem parte de uma claque, que preencham a sua natural aspiração de ser parte de algo? Que ligação tem o clube actualmente com a escola pública? Em que projectos de inserção social, em bairros desfavorecidos, está o clube envolvido? Que programas de voluntariado (e com que difusão) para jovens temos actualmente a decorrer na Fundação Sporting? Se nada fizermos, importaremos todos os problemas associados a uma sociedade que vê crescer todos os dias rebeldes sem uma causa, escravos do vício, do ócio e da falta de valores (sim, porque entre os jovens que invadiram Alcochete havia profissionais liberais e licenciados, nem todos foram desfavorecidos à nascença). Um clube com uma cultura forte marcará todos à sua volta, um clube sem referências será permeável a tudo o que vem de fora. E isso um dia paga-se, sob a forma de um "braço armado" que ninguém ousa parar. Como todos vimos.

71 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D