Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Faz hoje um ano

 

16 de Maio de 2018, o dia que se seguiu ao vergonhoso assalto dos jagunços pseudo-sportinguistas à Academia de Alcochete. A notícia das agressões de que os jogadores tinham sido vítimas na academia leonina dava a volta ao mundo. Tornando o Sporting famoso pelos piores motivos. E já se falava nas rescisões unilaterais de contratos de jogadores, como Battaglia e Acuña.

Falando um pouco por todos os seus colegas, Bas Dost declarou, ainda claramente combalido: «Ficámos todos aterrorizados, aquilo foi uma ameaça real. Sinto-me completamente vazio, foi um drama para todos.»

 

Um dia em que aqui foram publicados 29 postais.

 

Limito-me a uma síntese, um ano depois.

Por ordem cronológica de publicação dos textos.

 

Escreveu o João Goulão:

«Será que isto vai acabar rapidamente? Ponho as minhas dúvidas. Preferia ver a equipa recomeçar nos Distritais do que assistir às imagens que nos mostraram cenas em que pouca gente podia acreditar.»

 

Escreveu o Duarte Fonseca:

«Onde estão os restantes administradores e membros do conselho directivo da SAD e do Clube? Porque é que ainda não se demitiram deixando este psicopata sozinho? O que é que os agarra ao poder?»

 

Escreveu o José Navarro de Andrade:

«Ontem à tarde o Sporting faliu moralmente. Ontem à noite o Presidente fez declarações que demonstram um estado patológico e terminal de alienação. Não sei o que nos resta.»

 

Escreveu o Francisco Melo:

«A situação directiva no Sporting degradou-se de tal modo que a única saída airosa é a convocação de eleições antecipadas. Todos já entenderam isso, com excepção dos agarrados ao lugar. Se está escrito nas estrelas, para quê, então, deixar passar mais alguns dias?»

 

Escreveu o Ricardo Roque:

«Se Bruno de Carvalho estivesse ontem, em Alcochete, naquela fatídica hora (e não era suposto estar?), teria sido agredido? Teria feito frente aos criminosos terroristas e defendido os agredidos, segundo ele a família que escolheu?»

 

Escreveu o Filipe Arede Nunes:

«Não vejo como é que vamos sobreviver a isto. Infelizmente isto não é um pesadelo, porque se fosse pelo menos sabia que iria terminar. Temo que isto tenha sido um golpe fatal e, a ainda existir, o Sporting saído deste tormento estará devastado.»

 

Escreveu o José da Xã:

«Foi costume dizer-se em tempos de outras crises: o Presidente passa, mas o clube fica. Talvez por isto tenha alguma dificuldade em perceber que no Sporting o presidente é que fica e o clube é que passa.»

 

Escreveu o Frederico Dias de Jesus:

«Uma coisa é combater os podres do futebol, outra é incendiar a nossa casa, qual Nero, tornando-se uma via aberta para permitir comportamentos criminosos que comprometem a conquista de uma Taça importantíssima para o clube.»

 

Escreveu a Marta Spínola:

«O que aconteceu ontem nunca podia ter acontecido. Nunca. Não os aplaudam se não quiserem, mas pelo menos mostrem que não somos como aqueles palermas que ontem invadiram a Academia.»

 

Escreveu a Zélia Parreira:

«Desde ontem, sinto uma vergonha imensa e uma tristeza devastadora. Só eu sei o que significa uma jornada em Alvalade com a minha família, com o orgulho de uma história limpa e honesta. Não perdoo a quem nos roubou isto. Jamais perdoarei.»

 

Escreveu o Edmundo Gonçalves:

«Há por aí muito boa gente que vai escrevendo e declarando, achando-se o direito pelos cargos que ocupa, por entrelinhas que o bárbaro, nojento e triste ataque de que foram alvo o Sporting, a sua academia, os seus jogadores de futebol, técnicos e outros colaboradores, ontem à tarde, foi orquestrado pelo presidente do clube, Bruno de Carvalho, sendo ele o directo mandante do acto. Devo dizer que, se isso for verdade, será o mais baixo estádio a que o ser humano pode descer, de tão vil e abjecto. Eu não dou para esse peditório.»

4 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D