Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

És a nossa Fé!

Faz hoje um ano

 

A quatro dias de mais um clássico, que seria a nossa deslocação ao Dragão, fiz aqui um sucinto balanço das nossas prestações nos chamados "jogos grandes" sob o comando do técnico mais caro do futebol português. Nada empolgante, concluí.

«Este Sporting quase-milionário treinado por Jorge Jesus já disputou quatro jogos com FC Porto e Benfica desde o início da temporada. Empatámos três. Perdemos um. Não vencemos nenhum.»

 

O problema principal é que também tropecávamos com as chamadas equipas pequenas. A 26 de Fevereiro de 2018, por exemplo, só muito a custo vencemos o Moreirense, em casa, com um golo marcado por Gelson Martins já no segundo minuto do tempo extra. Num jogo marcado pela estreia do croata Misic, um dos reforços de Inverno.

Era a nossa segunda vitória consecutiva para o campeonato ao cair do pano. Apesar disso, esta ocorreu um pouco mais cedo do que o 2-1 aos 98', marcado por Coates, que nos valera o triunfo no Tondela-Sporting da jornada anterior.

 

Foi uma partida que terminámos com nove em campo. Devido a expulsões de Petrovic e de Gelson - este devido a acumulação de amarelos, o segundo mostrado por exibir uma camisola com uma frase em crioulo, de solidariedade com o amigo Rúben Semedo, detido dias antes pela polícia espanhola. 

Esta ocorrência levou o JPT a deixar aqui uma reflexão em forma interrogativa: 

«Não poderia ter havido o cuidado de avisar Gelson da desnecessidade de incorrer riscos de castigo e, mais do que tudo, controlar os seus equipamentos antes de entrar em campo? Pois não são estas mensagens um hábito actual, sucedâneos da publicidade pessoal que a FIFA entendeu proibir, protegendo a publicidade institucional? Enfim, devido a esse verdadeiro auto-golo não há dúvida de que o sector dos equipamentos foi o pior em campo hoje.»

 

Sobre o mesmo jogo, o Edmundo Gonçalves rematava:

«Estamos vivos, pode ser por pouco tempo, mas estamos vivos e isso é o mais importante. Um recadinho para Jesus: eu repudio os assobios, mas não é ao treinador que compete criticar os adeptos. Jesus não se pode esquecer que já lá vão quinze anos que não ganhamos nada e que continuamos lá, todos os jogos, mais de quarenta mil. Se os jogadores, para ele, hoje foram leões, os adeptos são o quê, todas as semanas?»

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D