Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Desmentidos em toda a linha

 
1
Começaram por dizer que o presidente do Sporting provocou o presidente do Arouca: "Fizeram uma espera ao nosso presidente quando nos dirigíamos para a saída das instalações, quando estávamos a sair do balneário para nos dirigirmos para a rua. Tentaram agredi-lo. Invadiram o nosso túnel, o nosso espaço. Foi necessário vir a polícia.  O presidente Bruno de Carvalho - foi ele que tudo começou: provocou o presidente [do Arouca], tentou agredi-lo, insultou-o, disse coisas que não vou dizer aqui." Palavras de Joel Pinho, director desportivo arouquense e filho do presidente do clube, numa conferência de imprensa logo após o jogo Sporting-Arouca, a 6 de Novembro.
Tudo falso: as imagens encarregaram-se de desmentir o filho do pai em toda a linha.
 
2
Insistiram que o presidente do Sporting tentara agredir o presidente do Arouca.
Tudo falso. As imagens deitaram definitivamente por terra tais teses, sem deixar lugar a dúvidas.
 
3
As alegações eram tão falsas que tudo aconteceu afinal ao contrário do que diziam. Esqueceram-se de dizer que foi o presidente do Arouca a procurar o presidente do Sporting, foi ele quem tentou agredi-lo de braço em riste, foi ele quem agrediu efectivamente um segurança a murro e quase agrediu outro com uma garrafa cheia de água.
As imagens comprovam.
 
4
Esqueceram-se de dizer que, insatisfeito com os desacatos provocados fora da área reservada à equipa do Arouca no estádio José Alvalade, o pai do filho fez um apelo evidente às suas hostes no sentido de investirem contra o presidente do Sporting.
As imagens comprovam.
 
5
Esqueceram-se de dizer que o presidente do Arouca, impedido de avançar, procurou agredir elementos do Sporting, tendo sido impedido disso por um jogador do próprio clube, e chega a empurrar um delegado da Liga, Albertino Galvão.
As imagens comprovam.
 
6
Quando as teses anteriores foram desmentidas pelas imagens, no fim de tudo, passaram então a sustentar que o presidente do Sporting havia "cuspido" no presidente do Arouca. Extraordinário "cuspo", que demorou oito dias a atingir a delicada face de Carlos Pinho: na conferência de imprensa do dia 6, o filho do pai só aludira a "insultos e palavras", sem fazer a menor referência a cuspidelas.
A primeira - e única - alusão arouquense ao putativo "cuspo" surgiu apenas num comunicado do clube, via Facebook, difundido às 23.29 de segunda-feira, dia 14, a reboque da tese que três comentadores televisivos do Benfica tinham proferido quase em simultâneo, pouco antes, nessa mesma noite.
 
7
Nem sequer pararam para pensar. Se Bruno de Carvalho tivesse cuspido no presidente do Arouca alguém imagina que o Sporting Clube de Portugal fizesse o que de pronto fez, disponibilizando de imediato as imagens das suas câmaras de videovigilância, sem cortes, às autoridades policiais?
Alguém acredita que se tivesse havido "cuspidela" - tese delirante que o Filipe Moura aqui encerrou de vez - isso não teria sido a primeira coisa a invocar, minutos depois, pelo director desportivo do Arouca na conferência de imprensa?
Alguém acredita que, se houvesse um pingo de verdade disso, Pinho pai e Pinho filho tivessem permanecido em silêncio de então para cá?
 
8
É encantador ver tantos benfiquistas a funcionarem como advogados de defesa do filho do pai e do pai do filho - duas das figuras menos recomendáveis do futebol português. Esses benfiquistas tornaram-se adeptos do Arouca, tanto é o ódio que alimentam contra o Sporting. Sem sequer se lembrarem que o próprio director desportivo do SLB, Rui Costa, já foi alvo do comportamento rasca da famiglia Pinho.
 
9
Joel Pinho - reincindente em agressões verbais e tentativas de agressão física a dirigentes e técnicos do Sporting - afirmou na caluniosa conferência de imprensa do dia 6 que Bruno de Carvalho "não merece estar no futebol", como se alguém lhe reconhecesse um mínimo de idoneidade ética e moral para passar atestados de bom comportamento seja a quem for.
É hoje aliás bem evidente ter havido premeditação no comportamento de Carlos Pinho, que assistiu ao Sporting-Arouca no banco de suplentes, como delegado ao jogo, o que lhe conferia acesso à zona do balneário da sua equipa e respectivas áreas adjacentes, onde tudo se desenrolou. Ao contrário de Bruno de Carvalho, esse é um comportamento inusual no presidente do Arouca.
 
10
Quando os factos se tornam incómodos, vão-se alterando os factos à medida da tese. Foi assim neste caso, que com base em imagens truncadas provocou como efeito secundário a propagação à imprensa internacional da disparatada teoria do "jacto de cuspo saído da boca de Bruno de Carvalho" para a mimosa bochecha do pacífico Carlos Pinho.
Inútil iludir: há aqui gravíssimos danos reputacionais para a imagem do presidente. Espero que, em função disto, o gabinete jurídico do Sporting reúna como óbvia circunstância agravante todos os recortes da imprensa internacional na queixa-crime contra o pai do filho e o filho do pai que apresentará na justiça civil e na participação às instâncias jurídicas e disciplinares do desporto-rei.
É tempo de a famiglia Pinho deixar de se passear impune nas catacumbas do futebol português.
 

60 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D