Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

De pé

Dissemos adeus à Liga Europa, mas saímos com a cabeça bem levantada, de forma digna. Num jogo em que criámos seis ou sete oportunidades de golo - só não concretizadas em larga medida pela excelente exibição do guarda-redes adversário, o suíço Benaglio, melhor jogador em campo.

Primeiro Tanaka, numa bola que embateu no poste. Depois Tobias Figueiredo, numa perfeita elevação de cabeça na sequência de um canto, com um defesa a travar a bola in extremis. Finalmente William Carvalho, num petardo disparado com o pé esquerdo, de fora da área, proporcionando ao guardião a defesa da noite.

Manteve-se o empate a zero até ao fim. Mas não por falta de atitude ou de pressão da nossa parte. Não por falta de empenho da esmagadora maioria dos nossos jogadores, que vulgarizaram o Wolfsburgo, equipa classificada em segundo lugar no campeonato alemão e que ainda há poucas semanas goleara o poderoso Bayern de Munique. Também não por falta de ambição ou de ousadia de Marco Silva, que apostou (bem) em Tanaka como ponta-de-lança titular e mandou entrar Slimani aos 64', para o lugar de Adrien, alargando a frente de ataque.

 

Destaques?

Hoje apetece-me fazer vários.

Cédric bateu-se como um leão. De fôlego inesgotável, disputou e ganhou várias bolas, sem se atemorizar ao ver pela frente Schürrle, campeão do mundo e recente reforço do Wolfsburgo (por cerca de 32 milhões de euros).

O nosso eixo defensivo, cada vez mais seguro e personalizado, transmitindo confiança à equipa. Paulo Oliveira e Tobias Figueiredo combinaram bem, estiveram sempre concentrados e não facilitaram em lance algum.

William Carvalho batalhador incessante, com uma qualidade de passe insuperável. Bem integrado no tridente do meio-campo, complementando a manobra atacante conduzida por Adrien e João Mário sem descurar a missão defensiva.

Nani, ainda longe da condição física ideal mas com uma vontade do tamanho do mundo de virar a eliminatória. Não foi por ele - longe disso - que o Sporting ficou pelo caminho.

E Tanaka, hoje em estreia como titular numa competição europeia, deu boa conta do recado. Todos quantos vínhamos defendendo a sua progressiva inclusão no onze-base temos motivos para nos congratularmos.

Nenhum deles se poupou para o clássico de domingo no Dragão. Que vai disputar-se com um intervalo inferior a 72 horas.

 

Cansados, mas de pé. E a justificar aplausos. Foram Leões do princípio ao fim.

20 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D