Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

És a nossa Fé!

Coragem

Seria preciso uma coragem brutal para perceber que são ínfimas as possibilidades de Marcel Keiser dar em treinador que consegue extrair o melhor de uma equipa que tem que singrar no futebol português e europeu de alto nível. 
A direção acredita mesmo que sem o melhor jogador da época passada, sem o capitão da equipa e sem o verdadeiro treinador de campo, por mais que se reforce com um ou dois craques, o atual treinador tem unhas para levar a época a bom porto?

Não falemos de gratidão, nem de palmarés recente, falemos de evolução da equipa, da história real do caminho que se fez até às conquistas recentes e da convição quanto às probabilidades de sucesso futuro e, também, de empolgamento e reunião na fé.
Se a direção acreditar - até porque assiste no dia a dia aos treinos, ao desempenho e comportamento da equipa - que o defenda intransigentemente e que trace o seu destino com o destino do treinador. Sim, também é disso que estamos a falar. É a tragédia do Sporting, mas é o Sporting que temos.

Mas se tem dúvidas, se percebeu que, de facto, o treinador terá timings e ideias que lhe ditarão o fracasso antes de qualquer evolução significativa, que tenha a coragem de arrepiar caminho. Muito simplesmente: Marcel Keiser pode não ser treinador para um Sporting sem Bruno Fernandes e a atual direção pode não resistir com saúde às consequências da concretização desse facto.

O situação é absurda. Seria absurdo despedir o treinador que conseguiu dois títulos numa época mas é também absurdo esperar que ele tenha sucesso outra vez. Seria esperar muitos milagres, em especial, sem Bruno Fernandes no plantel.

Por estranho que possa parecer, acho que o ato de maior coragem não será o de se manter fiel ao treinador, protegendo-o neste noite negra. Digo-o porque - sem estar na academia e só assistindo aquelas partes que se traduzem em fracasso ou glória, os jogos - não acredito que quem perceba de futebol ache mesmo que não estamos perante um erro de casting que nos levará a uma época absolutamente penosa de equívocos e erros com resultados humilhantes como o 2:4 em Alvalade ou o 5:0 em Faro-Loulé, sem os disfarces saborosos de glória que a genialidade de Bruno Fernandes nos ofereceu.
Juntando uma ou duas peças chave ao plantel, creio que teremos uma equipa combativa mas não teremos general, nem o já referido treinador de campo. E sem isso não haverá coragem em defender um fraco líder, só uma péssima decisão que se pagará muito caro.
Noite difícil, momento pivot para a época do Sporting.

Se calhar também teria sido mais corajoso eu ter ficado calado. Ou talvez não.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D