Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Agarrem-me senão eu saio

20231965_w0m7H[1].jpg

 

Prometeram-nos o título.

O presidente, num daqueles exageros a que já habituou os adeptos, chegou a convidar os jornalistas a contemplar uma prateleira vazia no museu, garantindo-lhes que aquele era o espaço já reservado para a taça comemorativa da conquista da Liga 2016/17.

 

Prometeram-nos uma equipa de combate.

O plantel foi construído de raiz com as escolhas do treinador, acrescidas de duas ou três "prendas" que o presidente entendeu dar-lhe, na sequência da renovação do contrato ocorrida meses antes como prémio do segundo lugar no campeonato.

 

Prometeram-nos ser fiéis ao lema do fundador, o Visconde de Alvalade: Esforço, Dedicação, Devoção e Glória.

Anunciaram sem rodeios que estava de regresso o Sporting dos grandes feitos e das grandes proezas, com o maior investimento de sempre no futebol leonino e supostos craques aterrados em Lisboa, oriundos das mais diversas proveniências.

 

20231965_w0m7H[1].jpg

 

Isto ocorreu entre Julho e Setembro.

Escassos meses depois, em Janeiro de 2017, o Sporting já estava arredado de todas as frentes da competição futebolística.

Uma derrota no Porto, mal iniciada a segunda volta, deixou-nos fora da luta pelo título e com a certeza antecipada de que a tal prateleira no museu de Alvalade permaneceria vazia.

 

Chaves atirou-nos para fora da Taça de Portugal, envergonhando a nação leonina.

O Vitória de Setubal empurrou-nos para fora da Taça da Liga, que viria a ser ganha pelo Moreirense.

Nas competições da UEFA, nem à Liga Europa chegámos. Porque nos foi travado o passo pelo poderoso Légia de Varsóvia, colosso do futebol mundial.

Fizemos exibições vergonhosas frente ao Tondela, ao Braga e ao Belenenses em casa. Chegámos a ser humilhados pelo Rio Ave em Vila do Conde.

 

20231965_w0m7H[1].jpg

 

Balanço: fraco futebol para a fasquia que foi fixada. Digamos, sem limar arestas, que foi uma época perdida.

As contratações - "prendas" incluídas - revelaram-se um monumental fiasco.

Os craques afinal não o eram. Mesmo tendo sido escolhidos a dedo pelo treinador.

Concluiu-se que a equipa foi afinal mal organizada, estando servida por laterais paupérrimos nas duas alas. Laterais que vieram por designação do técnico, a quem o presidente fez questão de satisfazer com uma generosidade inédita na história do clube em geral e desta SAD em particular.

Descontente, apesar disso, o treinador termina a época queixando-se da necessidade de recorrer a "terceiras escolhas".

Esquecendo-se de que só ele foi responsável por tais escolhas.

 

20231965_w0m7H[1].jpg

 

Num aparente milagre da multiplicação das fontes, começaram de imediato a circular notícias assegurando o súbito interesse do FC Porto - segundo classificado do campeonato - na aquisição do treinador da equipa situada em terceiro.

E não só do Porto: chovem as propostas de trabalho do estrangeiro, com o hipersupermegaempresário supostamente de telefone na mão, garantindo novos paradeiros para o profissional em causa. Da França, da Itália, da Espanha, da Inglaterra, da Turquia: todos o querem.

 

Já vimos esta telenovela.

É a reedição de outras, intituladas "Agarrem-me Senão Eu Saio". Que terminaram sempre com final feliz para o protagonista, contemplado com sucessivos aumentos salariais.

 

Chegou a altura de conceber outro fim para a telenovela. E de lhe atribuir novo nome. Adianto desde já uma sugestão: "Segue o Teu Rumo".

E manda um postal aos que por cá ficam.

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Correia 11.05.2017

    Tenha paciência, mas esse discurso não tem nexo algum.
    Criticar o Jorge Jesus é assumir uma "atitude de autodestruição"?
    Isso parece paleio do tempo do Salazar. Ou do Rei-Sol, na França absolutista. Não fazia ideia de que ainda havia pessoas a pensar assim.

    Atribuir as culpas desta época miserável ao árbitro Soares Dias (que nos perdoou dois penáltis frente ao SLB) e ao árbitro Sousa é fazer como a avestruz, que passa o tempo com a cabeça enfiada debaixo da areia.
    Sempre à procura de um apito.

    É patético, este seu argumento: você "duvida que o clube tenha grande futuro quando [os adeptos] apenas vivem da satisfação rápida".
    Não sei qual é a sua noção de "satisfação rápida". Lembro-lhe que o Sporting não vence um campeonato nacional de futebol há 15 anos.
    Basta-lhe esta "estabilidade" ou recomenda pelo menos mais três anos de jejum, quietinhos e caladinhos, para igualarmos o nosso recorde negativo?
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 11.05.2017

    Acredite que é necessário muita paciência para perceber o argumento de que um treinador que atingiu o máximo de pontos, (que de forma que os honestos intelectualmente entendem porquê supreendentemente ou talvez não o benfica superou nesse mesmo ano retirando-nos o campeonato), este ano como correu mal ( eu sei porquê não sendo partilhado por si) já não sirva e que o ano anterior seja um argumento dos pouco exigentes.
    Não sou fã de ditaduras, se quer seguir esse caminho de projectos a 2 anos está no seu direito. Não venha depois não perceber o porquê dos periodos de jejum. Fala do perdão do soares dias contra o benfica que não entendo, uma vez que não é preciso pensar muito para entender que nessa altura o Sporting já estava afastado do titulo.
    Agora em relação aos 15 anos de jejum não me diga que o coitado do Jorge Jesus também é responsável ou será antes a convivência dos sócios com o regime dos cocretes?Esses é que eram bons que seguiam a sua politica de exigência quando viam a malta com os lenços brancos ora muda de treinador.
    Mas só por curiosidade diga aí um treinador que gostava de ver no Sporting?
    Acho engraçado alguns comentadores criticarem tudo e todos quando no início da época o jorge jesus era o maior e tínhamos a melhor equipa com markovic campbell....
    Falar depois é muito fácil, esquecer o que foi dito antes também.
    Por aqui me fico.
    Cumprimentos.
  • Imagem de perfil

    Pedro Correia 11.05.2017

    Pergunta-me você que treinadores eu gostaria de ver no Sporting.
    Se lesse este blogue, saberia.
    Não me apetece repetir o que já escrevi.

    Essa dos comentadores a elogiar tudo e todos no início da época não é seguramente para mim.
    Basta lembrar, a título de exemplo, o que aqui escrevi.

    19 de Julho:
    http://sporting.blogs.sapo.pt/preocupacoes-2743382

    24 de Julho:
    http://sporting.blogs.sapo.pt/reflexoes-adicionais-sobre-o-jogo-de-2749738

    5 de Agosto:
    http://sporting.blogs.sapo.pt/as-primeiras-impressoes-7-2764826

    22 de Setembro:
    http://sporting.blogs.sapo.pt/analise-dos-reforcos-leoninos-2844171

    Cumprimentos.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    { Blog fundado em 2012. }

    Siga o blog por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Pesquisar

     

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D