Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

A ver o Mundial (6)

2018-Russia-World-Cup[1].jpg

 

VINGÁMOS ENFIM A DERROTA DE 1986

 

Vitória suada e muito sofrida da selecção nacional, ao princípio da tarde de hoje, contra Marrocos - que chegou invicta à fase final deste Campeonato do Mundo, com 25 golos marcados e nenhum sofrido na campanha de qualificação.

Uma vitória que ficou construída logo aos 4', com um golo do melhor jogador português de todos os tempos. Só ele, Cristiano Ronaldo, se mostra capaz de desfazer os nós que se vão atravessando no nosso caminho.

Este resultado ilude. Porque é muito superior à exibição da equipa das quinas: Portugal correu menos, teve menos posse de bola (47%), rematou menos, fez menos passes e obteve menos cantos do que os marroquinos, que pareceram sempre acreditar mais num resultado positivo. Nunca tivemos controlo prolongado da bola, nunca fomos capazes de segurar a partida.

 

Houve exibições deploráveis do nosso lado.

Raphael Guerreiro, completamente fora de forma, abriu avenidas no nosso corredor esquerdo e nunca foi eficaz na manobra ofensiva.

Bernardo Silva, inoperante, passou ao lado do jogo: quando deu lugar a Gelson Martins, aos 59', já ia tarde.

Gonçalo Guedes, em quem o seleccionador Fernando Santos inexplicavelmente voltou a apostar como titular nesta partida após uma prestação medíocre frente a Espanha, falhou duas hipóteses de golo - numa delas, aos 39', era só preciso empurrar a bola e nem isso conseguiu.

Bruno Fernandes, desta vez fora do onze inicial, entrou aos 71' para render João Mário e nunca conseguiu demonstrar qualquer dos atributos revelados na época passada em Alvalade.

 

Tivemos duas oportunidades de golo, aproveitámos uma. Ronaldo fuzilou de cabeça, após centro primoroso de João Moutinho. Leva já 85 marcados pela selecção - é o jogador europeu mais concretizador de todos os tempos, tendo hoje ultrapassado o húngaro Puskás. 

Este triunfo em Moscovo - que vinga enfim a humilhante derrota que Marrocos nos impôs em 1986 no Mundial do México - deveu-se a ele, claro. E também a Rui Patrício, que fez uma defesa excepcional aos 57', impedindo um golo que já parecia inevitável. Um gigante, que ainda me custa muito ver longe de Alvalade. Vai demorar a cicatrizar esta ferida que permanece aberta.

 

O melhor - Cristiano Ronaldo. Decisivo, uma vez mais. Tal como sucedera contra a Espanha, marcou logo aos 4', sentenciando a partida. E ainda ofereceu um golo que Gonçalo Guedes escandalosamente desperdiçou aos 39'. Só ele e Rui Patrício mereceram verdadeiramente esta vitória.

O pior - Raphael Guerreiro. Não parece reunir atributos mínimos para intregrar a selecção neste Mundial. Comparado com Fábio Coentrão, que nem chegou a ser convocado, parece um futebolista de um escalão secundário. Presumo que ficará no banco na próxima partida, frente ao Irão. É já na segunda-feira.

 

Portugal, 1 - Marrocos, 0

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D