Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

A Cofina

800.jpg

 

Há cerca de um ano, eu - tal como muitos sportinguistas, e aqui vários co-bloguistas - mudei de opinião acerca do então presidente do Sporting. Ou seja, se até então desvalorizara o incómodo, até desconfiança, que sentia face ao que imaginava estar subjacente à sua contínua rusticidade, desde o início de 2018 que me pareceu que algo se destrambelhara, até abissalmente. Ponderei que talvez fosse apenas uma flutuação individual (algo como o depois celebrizado "burnout", no português do dr. Barroso), e cheguei a blogar que poderia Carvalho fazer um intervalo de funções, deixando a caravela (que ambicionamos transformada em porta-aviões) nas mãos dos seus colegas de direcção durante o período de descanso. Mas também temi, sem o blogar, que muito do despautério - comunicacional e executivo - adviesse de um falhanço de medidas de risco entretanto tomadas, um "stress" cujas causas seriam interiormente conhecíveis mas ainda obscuras ao observador interessado. Nesse abrasivo contexto a partir desse início de 18 comecei, como vários de nós aqui no És a Nossa Fé, a criticar o rumo da direcção do clube. E nos meses seguintes, por razões do vulcânico ambiente sportinguista, foi uma azáfama aqui no blog, entre inúmeros postais e debate nos comentários, estes quantas vezes de uma jactância até dolorosa.

 

O que me convoca estas memórias é muito simples. Durante esses meses de estertor do "carvalhismo" aqui apareceram imensos comentários apoiando o então presidente, injuriando os seus críticos. E, de uma forma constante, invectivando a comunicação social, considerando-a  uma teia conspiratória contra Carvalho e contra o Sporting. Nesse eixo de "reflexão" tendo muito realce as agressões à entidade Cofina, vista como essencial inimiga do clube e do então seu presidente, pois presa a interesses esconsos e agrestes. Como mero exemplo lembro que estando eu a trabalhar de madrugada, li num jornal que Rui Patrício rescindira o contrato e aqui logo fiz um postal. Para de imediato receber comentários, negando ou duvidando da veracidade da notícia, atribuindo-a às manobras da tal Cofina.

 

...

 

Enfim, passou um ano. Carvalho foi destituído, o primeiro presidente a sofrer tal opróbrio no século de história do clube. Foi suspenso de sócio. O número de sportinguistas seus apoiantes imenso decresceu. Ele é, irremediavelmente, passado. Mas mesmo assim continuam, agora uma minoria no "Universo Sporting", os seus apoiantes activos nos sítios digitais (apodam-nos de "viúvas", que é um termo e um tom que me desagrada). Os seus "argumentos" - melhor dizendo, as suas invectivas - continuam iguais. Mas algo mudou:

Carvalho publicou um livro, as suas "memórias presidenciais", escritas - ao que li - por um militante benfiquista que muito o houvera injuriado in illo tempore. Coisas da vida, essa que nos obriga a ganhá-la. Nesse livro diz mal de tudo e de todos, com excepção de Jardim e de Slimani. E até da ex-mulher, com o qual casou em registo mediático presidencial, algo inapropriado para quem tenha uma visão mais associativa de um clube desportivo. E confesso que, para mim, isto de um tipo escrever um livro a dizer mal da mulher, de quem tem uma filha ainda por cima, é uma javardice abaixo dos mínimos ... distritais.

Ora eu não comprei o livro. Tenho lido alguns excertos, publicados com intuitos promocionais, nas publicações jornalísticas electrónicas pertencentes ... ao grupo Cofina. Sim, exactamente esse que os furiosos defensores de Carvalho diziam e berravam inimigo do clube, e do ex-presidente. Mas agora? Nem o "Bruno" protesta com a Cofina nem o seu "exército" ulula aversões à empresa. E nem pensam nisso. Acho que nem sequer reparam. Pois o que lhes realmente interessa, o que lhe é verdadeiramente necessário, é continuar a urrar ...

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D