Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Assim anda a justiça

No dia 13 de Maio, no jogo contra o Marítimo, em vésperas de derby, um desses abjectos delinquentes que andam no futebol de apito - tem nome de gente a alimária: Tiago Martins - decidiu apresentar serviço mostrando dois cartões amarelos, e consequente expulsão, a Adán, motivados por dois nadas. Adán não jogou, pois, contra o SLB.

Quatro meses depois, o Tribunal Arbitral Desportivo veio dar razão ao Sporting e a Adán. O mal estava feito e a decisão tem tanto valor formal como se ilibasse um condenado à morte depois de executado.

É óbvio que se tudo isto se tivesse passado com algum jogador dos dois clubes mandantes o charivari que por aí não andaria, era aberturas de telejornal, comentadeiros aos gritos, sei lá se secretários de estado a dizer que assim não pode ser.

Mas claro que esta miserável pouca vergonha jamais aconteceria a um eles, foi só com o Sporting - "no pasa nada."

Il Capo

Diz Pedro Proença: "Não é ao acaso que digo que temos o melhor jogador do mundo, o melhor agente e, com toda a convicção, os melhores árbitros do mundo".

Assim sendo também "não é ao acaso" e é "com toda a convicção" que percebemos o recado: o Sporting bem pode pôr a viola no saco e é uma questão de tempo até que Gyökeres leve um vermelho.

Ainda há dúvidas?

Estatísticas e ironias

Em 116 jogos pelo Coventry Gyökeres teve 9 amarelos, nenhum duplo amarelo e nenhum vermelho.

Em 4 jogos em Portugal pelo Sporting Gyökeres já leva 2 amarelos.

É significativo que José Fonte (um cavalheiro e que pena não ter feito carreira no Sporting) quando diz aos 2'3" que Gyökeres "está habituado ao futebol inglês" faz pausa para um sorriso irónico, acrescentando "...e eu também",  mostrando que sabe perfeitamente como são as arbitragens de lá e as de cá, sobretudo quando é com o Sporting.

Por outras palavras, o futebol português é miserável, como não se cansa de demonstrar jornada atrás de jornada.

É comer e calar

Na mesma jornada em que o jogador do Vitória é expulso na Luz aos 17' por só ter olhos na bola, Gyökeres leva o primeiro amarelo do jogo por ser um saco de porrada e um jogador do Braga leva um pálido amarelo depois de tentar arrancar o pé de Bragança.

Na mesma jornada em que o FCP beneficia de um golo aos 90+19' o Sporting tem anulado um golo limpíssimo em que o guarda-redes vê perfeitamente a bola a sair.

Siga.

Como param as modas

O João Mário que caiu agarrado à perna direita depois de ser vagamente tocado no pé esquerdo, e com isso beneficiando de um penalty, sendo mais maduro, não se pôs a gabar da marosca como este papalvo. Estão bem uns para os outros.

Mas o problema sem dúvida que é a bota branca do Paulinho há uma semana e os braços de Gyökeres agora.

Preparemo-nos para o pior em Braga.

https://fb.watch/mJOsgfPgkU/

Gyökeres à beira do cartão vermelho

Já está descoberta a técnica para travar Gyökeres. O defesa encosta-se a ele, abraça-o por detrás, agarra-lhe calções, camisola o que puder, desde que não lhe puxe os cabelos que daria muito nas vistas, e quando Gyökeres tentar equilibrar-se ou desembaraçar-se atira-se para o chão agarrado ao focinho, ora a espernear ora esticado como morto. Depois é esperar que o putativo árbitro faça o que lhe mandam e os paineleiros das tascas mediáticas armem o concomitante charivari a dizer que o homem é um bruto.

De que estavam à espera? Vai ser assim e em crescendo até Maio, se o homem não se for embora antes.

O campeonato português são quatro clubes e o resto é paisagem ou negócio escuro, como se viu nas eliminatórias das competições europeias, em que ficou tudo pelo caminho, e o simulacro de futebol que se pratica em Portugal é uma anedota de simulações, interrupções, manhas e ronhas, ordinária e nojenta. Razão pela qual a compra de direitos televisivos noutros mercados vai perdendo clientes - quem quer ver espectáculo tão deprimente na mesma televisão em que acabou de ver uma partida da Premier League ou mesmo da Eredivisie?

Voltaríamos a Rio Maior, onde fomos felizes

Por mim mandava repetir o jogo.

A vitória acabou por ser manhosa e ainda por cima com um golo bem bonito, mas marado. É que daqui a uma semana, ou um mês, talvez ganhássemos por margem mais justa e confortável. Porque de certeza que Gyökeres e Paulinho vão afinar cada vez mais a capacidade de enlouquecerem as defesas contrárias; Edwards pode já ter aprendido o que é uma assistência; Inácio pode ter evoluído para só falhar 1 passe em 3, e não 4 em 5; Sua Eminência o Cardeal Pote talvez já tenha vontade de jogar, mesmo na posição que tanto pediu e em que nada faz. Por seu lado esse samurai de abnegação que é Morita já não precisa de acorrer a todas e poderá estabilizar o seu jogo e Hjulmand já terá desenvolvido a segurança,  bom posicionamento e simplicidade de passe que demonstrou.

Foi comovente ver a excitação do locutor - acho que agora se diz "jornalista" - da SporTv com a bota branca, não se calava com a bota branca que via despontar atrás do defesa Casa Pia, como se tivesse detetado o maior crime lesa futebol da história do dito. Quem ligar futuramente para esse caneiro decrépito que diga se irão ser tão veementes com outros erros de arbitragem decisivos.

Eh pá repitam lá o jogo, a ver se para a próxima consigo arranjar bilhete.

Ainda a comédia vai no adro

Gyökeres que se ponha a pau, a sarrafada está a preço módico.
Em contrapartida, se alguém do banco em vez de referir a origem maternal do senhor árbitro, o tratar por "ó meu querido amigo", até pode pegar fogo ao estádio, que não lhe sairá assim tão caro.

IMG_1808.jpeg

No fim nem deu gozo

Há que chegar à conclusão que Trincão é estúpido, pois só um estúpido insiste em fazer sempre a mesma coisa à espera de um resultado diferente. Ou que ao fim de um ano não tenha aprendido a fazer mais outra coisa além daquela que faz sempre.

Há que suspeitar do estado de espírito de Pote: será que vamos ter de aturar os seus ciúmes toda uma época, como há 2 anos com Sarabia, por não ser a vedeta da equipa?

Há que temer a evolução de Inácio: passa cada vez pior (gorando a sua eventual evolução para trinco), está cada vez mais lento, é cada vez mais analfabeto a ler o jogo.

Há que receitar tranquilizantes a Reis, desde a pré-época que anda sobre brasas, instável e refilão, cada vez mais inseguro.

Tirando Gyökeres da equação vieram ao de cima todos os defeitos do Sporting do ano passado. E se o sueco foi genial, há que fazer a vénia a Morita, que se desdobra a cumprir missões para que não está inteiramente talhado, e Diomande  cada vez mais seguro.

 

PS: comentários em tom insultuoso seja para quem for não entram.

Memórias selectivas

No dia 11 de Fevereiro de 2022, o Sporting apanha-se a ganhar por 2x0 nas Antas aos 34'.

O que sucedeu a partir desse momento foi uma das maiores vergonhas da história do futebol português. Valeu tudo: o banco a entrar em campo ao menor encosto; Evanilson, Pepê, Taremi a mergulharem por tudo e por nada; Pepe e Otávio a distribuírem porrada sem dó e com impunidade.

Foi neste jogo que Conceição fez prova prática de doutoramento com louvor e distinção em "que atitude ter durante o jogo", com os preceitos que continuou a seguir à risca. E no fim, um sururu, que meteu apanha-bolas e seguranças a agredirem Tabata e Palhinha, que obviamente foram expulsos. E com isto FCP lá conseguiu empatar. Depois do jogo ainda houve tempo para dirigentes do FCP roubarem a carteira e o telemóvel a Varandas, na cara dos polícias.

O famigerado João Pinheiro presidiu ao crime, com a anuência que o tornou famoso e grato ao sistema da arbitragem nacional.

Como é evidente este espectáculo abjecto foi uma noite como as outras para o nacional-comentariado - "vamos lá mas é falar do futebol jogado" - e para aquelas folhas de papel impresso que os ingénuos chamam de "imprensa desportiva."

Tivesse isto acontecido com o SLB e tanto o escândalo como o resultado teriam sido outros.

Preparem-se para o que aí vem, só vos digo.

Gyökeres saberá no que se meteu?

Gyökeres é capaz de nos trazer grandes irritações.
Um par de jogos depois de ter chegado a Portugal Adam enviou uma mensagem ao seu amigo Casillas a dizer: "não me tinhas avisado que isto era assim." Pois era. E é.
Já se viu que Gyökeres tem caparro e confiança, vem habituado a um futebol onde estas qualidades são apreciadas. Se ninguém o avisou, ignora que os defesas em Portugal dividem-se em dois grupos, muitas vezes coincidentes: os trambolhos e os fiteiros. E os árbitros têm a idoneidade de um polícia paraguaio.
Antevê-se então que jogada após jogada se repitam duas situações: o central perna de pau encosta-se a Gyökeres e à menor brisa nas orelhas cai redondo no chão em agonia mortal - falta claríssima, apita o do apito. Ou então, fiel à escola de Pepe, aplica-lhe sarrafada nas canelas até fazer chispa - contacto legal, ajuíza o apitador. Durante a semana os diarreicos comentadores sustentarão estes pareceres, pois é para isso que são pagos.
Este funesto agoiro louva-se na carreira de Palhinha. Por cá era crivado de cartões e desconsiderado, em Inglaterra foi elogiado como um dos melhores "6" da Liga.
Oxalá esteja enganado, mas se calhar não.

Recordar é viver

Com notável regularidade o melhor jogador da galáxia e arredores emerge no eixo Seixal Luz. Louvando-se numa credibilidade irrefutável e numa perspicácia com provas dadas é o diário "a bola" quem primeiro tem revelado à puridade tais aparições. 

Como é sinistro o futebol em Portugal

O futebol em tempos foi um desporto, há muito tempo que é um espectáculo, agora, dominado pelas SAD não é mais do que uma operação financeira, se não for contabilística, if you know what I mean.

A boa notícia é que aquele aborto do BSAD, que usurpara a legítima posição do autêntico e histórico "Os Belenenses", perdeu o playoff e foi baldado da Liga 2, isto é, do futebol profissional. Más notícias são duas: a primeira é que quem o venceu foi uma "coisa" chamada Länk Vilaverdense. Ou seja, um fundo de direitos desportivos canadiano apoderou-se do clube local de Vila Verde e do lugar que ocupava na tabela competitiva, trocou-lhe o emblema pelo seu logotipo e acrescentou ao nome original o seu. A segunda má notícia é que o tal BSAD, isto é, os obscuros financiadores dessa coisa, vai deitar a unha ao Cova da Piedade. Mais um clube histórico que se descaracteriza.

O mesmo, aliás, se passa com este doppelgänger do antigo e popular Estrela da Amadora, falido em 2011. Os tais fundos compraram o emblema e as cores originais, ou sacaram-nos do domínio público, deram-lhe o nome Clube Desportivo Estrela e como acharam uma inconveniência voltar a percorrer os escalões, fizeram o takeover ao Cintra, e de repente estavam 3 divisões acima do chão. Voltaram a mudar o nome para Clube Football Estrela da Amadora e tendo derrotado nos playoffs o pobre do Marítimo sobem à 1.ª liga. Não há aqui regresso nenhum, este Estrela só tem as vestes do anterior e legítimo clube, porque de clube, tal como deve ser entendido, não tem nada. É uma mera operação financeira.

Entretanto o desaparecido Aves diz que ressuscitou. É também toda uma história. O antigo União Desportiva Vilafranquense foi, também ele, objecto de interesse de um fundo e de vela enfunada chegou à Liga 2. Tão grande é a sua popularidade e forte a relação com a cidade de Vila Franca de Xira, que fez das instalações municipais de Rio Maior o seu terreno de jogo, porque "Infelizmente, não deu para ficar lá." Por outras palavras a Câmara de VFX, que não é tola, escusou-se em abriu os cordões à bolsa na construção de um novo estádio. Solução? A óbvia: fazer uma fusão com o Aves, com o qual as afinidades devem ser muitas pois só distam 400km... Com um topete extraordinário, o presidente desta caranguejola, ou o testa de ferro, sabe-se lá, vem afirmar que fica tudo na mesma... ou quase: "Vamos mudar de nome, que passará a ser Aves Futebol Clube SAD, e de símbolo, mas as cores vermelha e branca do nosso equipamento mantêm-se."

Estes supostos clubes, esvaziados do sentido que lhes dava a ligação às comunidades donde emergiam, nada têm de desportivo e patenteiam um nulo interesse pelo futebol e pelos adeptos. Os quais, aliás, tudo indica que sejam vistos como um estorvo. Estas SADs são puras operações financeiras no negócio dos direitos "desportivos". Há quem diga que há mais coisas por detrás disto, mas isso fia mais fino. Surpreende, contudo, a falta de curiosidade das polícias perante tanta e tão pública desfaçatez.

A impunidade com que estas traficâncias são feitas revela que são do agrado dos dirigentes do futebol em Portugal e que a dita informação desportiva ou alinha no circo porque os palhaços sempre fazem falta, ou, coitada, é mesmo ceguinha.

Depois admiram-se que os estádios estejam às moscas. Também é verdade que isso não lhes interessa nada ao negócio.

Ainda sobre o mesmo assunto

Ainda sobre a indigna proposta de aumentos salariais da Direcção do Sporting, que numa canhestra manobra de spin declara-se agora como "moldura" em vez de aumentos efectivos.

Está a tentar fazer caminho um argumento por demais incorrecto, se não mesmo falacioso. Vem ele exposto num post de José Duarte, no seu blog "Norte de Alvalade" que o meu prezado colega e consócio Pedro Correia cita.

Por extenso, o argumento reza assim:

"Se o Sporting quer atrair bons administradores deve ter uma política de remunerações atractiva e que proporcione uma previsibilidade mínima, que permita os pretendentes olharem para o Sporting como um projecto, onde a necessária  interrupção das  suas carreiras profissionais não signifique uma atitude suicida e comprometedora das suas vidas e respectivos familiares."

Este raciocínio assenta num equívoco de fundo que é, no caso objectivo do Sporting, confundir cargos executivos com cargos administrativos. Na contratação de quadros executivos (um director desportivo, um director financeiro, um director para as modalidades) pode o Sporting tentar estipular uma moldura de remunerações na procura do melhor perfil para preencher esse lugar. Poderia, mas obviamente não o faz porque não são essas as regras habituais desse mercado de trabalho: um treinador contrata-se através de um processo negocial individual, mediante as condições apresentadas e as disponibilidades do clube, e seria uma excentricidade trazer no bolso uma tabela salarial.

Ora a Direcção do Sporting não é contratada, mas eleita. Vai a votos tentando convencer os sócios de que tem um programa capaz e é uma equipa capaz de o executar. A remuneração que irá auferir não é mais nem menos atractiva para os candidatos, pura e simplesmente não é um factor. A profissionalização dos quadros executivos não tem nada a ver com a profissionalização dos dirigentes. Alguém candidatar-se-ia a Presidente do Sporting porque o ordenado é interessante? Os sócios votariam num candidato competentíssimo que fosse um reputado lampião, feito sócio à última hora para poder concorrer?

Por outro lado, pertencer à Direcção do Sporting em que afecta as carreiras profissionais dos seus elementos? No caso desta Direcção bastaria olhar para os CVs para perceber de imediato que representa, isso sim, um upgrade no seu percurso profissional. Fazer parte da Direcção do Sporting não é uma interrupção, como ser deputado ou ministro, é a aplicação das suas competências a uma indústria.

Por fim, há sempre a solução mais prática: quem não gosta das condições do cargo a ele não se candidata.

Acuso.

Todos os anos a Direcção do Sporting tem vendido activos importantes do clube com a justificação de que é crucial equilibrar as finanças.

Neste contexto, e numa situação em que a massa salarial dos portugueses tem vindo a decrescer e afastar-se ainda mais da média europeia, a Direcção do Sporting decidiu aumentar as suas remunerações: Varandas em 32%, 45% para Salgado Zenha e André Bernardo - um ser particularmente estúpido que afirmou querer mudar o emblema do clube mesmo que os sócios se oponham - louvando-se num relatório de consultadoria que é uma autêntica fraude. Está para nascer o consultor que faça recomendações contrárias aos propósitos de quem o contratou.

Com esta manobra ignóbil e infame Frederico Varandas, Salgado Zenha e André Bernardo desmascararam-se como uma camarilha de oportunistas da pior espécie, que esbulha o Sporting e, por conseguinte, os seus sócios, que lesa o Clube, provando que o seu intuito é servirem-se do Sporting, sacarem dele o mais possível o mais depressa possível, e não servir o Sporting como qualquer executivo e administrador decente.

Com este acto de pura rapina Frederico Varandas, Salgado Zenha e André Bernardo puseram-se ao nível mais baixo atingido pelo Sporting, o nível demencial e delinquente de um Bruno Carvalho de má memória.

É esta a desgraçada sina dos sportinguistas: ter ano após ano crápulas abancados na Direcção a roubarem o Sporting sem um pingo de vergonha.

Assim sendo desde já declaro que jamais votarei em qualquer um destes meliantes para qualquer cargo, e anseio para que cheguem as eleições, porque é no voto que os sócios do Sporting manifestam as suas intenções.

Ide-vos catar

Este foi um desafio que os jogadores não quiseram ganhar. Sempre mais uma fintinha, mais um toquezinho, mais um passinho, e ao cabo da primeira parte de 19 ataques resultaram 5 remates - uma miséria. Alguém que ensine uma lei básica da física a Edwards e Pote: os sólidos são intransponíveis, marrar contra os adversários ou rematar contra eles, não resulta. Também haja alguém que explique a Chermiti a lei do fora de jogo. E os defesas que comam bifes, trocar bolas com passes flácidos de mosca morta à bica de serem cortadas, ou esperar que o adversário esteja em cima para ficar aflito e passar de qualquer maneira é estúpido, mas foi o passatempo de Gonçalo Inácio na primeira parte e Matheus Reis na segunda.

Este foi o jogo mais irritante do ano, estava no papo, mas eles não quiseram. Se eu mandasse, os jogadores pagavam de multa ao clube o equivalente ao prémio do jogo que receberiam se tivessem ganho.

{ Blogue fundado em 2012. }

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D