Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Futebol ou quadrilha de meliantes?

Como gostaria que fosse o futebol?

Em primeiro lugar, que cenas como as de ontem não acontecessem nunca. Que os jogadores se limitassem a jogar futebol e que não se atirassem para o chão e tentassem enganar os árbitros, que os treinadores treinassem e que os dirigente cumprissem a sua função de representação dos associados.

Em segundo lugar, que os prevaricadores (aqueles que destroem o jogo) fossem punidos e que em relação a actividades moralmente inaceitáveis houvesse um juízo de condenação generalizado e não um sistemático movimento tribal de defesa dos nossos contra os outros.

Infelizmente, o futebol em Portugal não é significativamente diferente de outras actividades. Talvez seja pior.

Há um conluio permanente entre responsáveis políticos, judiciais, económicos e desportivos (dos maiores aos mais pequenos) e um regime de impunidade quase absoluto. Desde que comecei a ver futebol que assisto a cenas absolutamente lamentáveis e, em alguns casos (demasiados) criminosas. O mais grave, creio, é a placidez com que tanta gente convive tranquilamente com tudo. Gente, em muitos casos, que é geralmente cordata, capaz e inteligente. Isto é uma porcaria. Quem me dera nunca ter entrado num estádio de futebol.

A invasão do Dragão pelo macacão

22245218_D06b8.png

22245220_DMjs3.png

O FC Porto em comunicado oficial afirma que Pinto da Costa nunca se aproveitou da invasão de um treino.

Ai aproveitou, aproveitou.

Não só aproveitou como, provavelmente, fomentou a invasão de um treino no Dragão no início da época 2004/2005.

Cerca de 40 meliantes comandados pelo Macaco invadiram o estádio do Dragão e disseram isto aos jogadores (pág. 182 e 183):

"Quando a equipa perde toda a gente tem de ficar fodida e revoltada"

"No próximo domingo com o Guimarães, têm de ganhar, senão vai ser o caralho, alertei de forma directa e frontal'

(palavras de Fernando Madureira, o Macaco).

Pinto da Costa e as macacadas, a fama e o proveito.

Luís Filipe e Jorge Nuno

lv.jpg

 

Jorge Nuno Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira fizeram, durante largos anos, um percurso comum no futebol. Com muito mais encontros do que desencontros. Houve até um tempo em que Vieira foi sócio do FC Porto: para onde ia um, seguia o outro. Depois amuaram, fizeram birrinha, houve uns arrufos entre eles. Coisa sem grande importância. A prova é que voltaram a ser compinchas e a partilhar suculentos repastos de leitão na Mealhada. 

Seguem linhas tão convergentes que até recebem visitas da Polícia Judiciária e do Ministério Público com poucos meses de intervalo. Em Julho, Vieira foi detido no âmbito de uma investigação sobre suspeitas de burla, abuso de confiança e branqueamento de capitais - juntamente com o filho, o Rei dos Frangos e o "empresário" Bruno Macedo. A operação Cartão Vermelho, como lhe chamou a Judiciária - nome bem apropriado.

 

Ontem houve buscas policiais à sede da SAD portista e à residência de Pinto da Costa. Cumprindo 33 mandados de busca numa operação conjunta da PJ e da Autoridade Tributária. Por suspeitas da prática de crimes de fraude fiscal, burla, abuso de confiança e branqueamento relacionados com transferências de jogadores de futebol e com circuitos financeiros que envolvem os intermediários nesses negócios. Que, segundo o Expresso, envolverão pelo menos 40 milhões de euros. Revela o Observador que Pinto da Costa é suspeito de desviar fundos da SAD e o filho, Alexandre, também está sob mira das autoridades. Além do tal "empresário" Bruno Macedo, que parece estar em todas. Será coincidência?

 

Unidos na prosperidade e no infortúnio: parece uma fórmula matrimonial. Um já caiu, o outro está em vias disso. Até nisto estão próximos. É mais que tempo.

Alguns capangas podem lamentar, mas nenhum deles faz falta ao futebol português. O desporto não se quer obscuro e trapaceiro: quer-se limpo. Dentro e fora dos relvados, agora e sempre.

Tão amigos (2)...

j_.jpg

... que eles andam!

 

«[Manuel Fernandes] nota que está a imperar o silêncio a respeito do almoço de trabalho entre Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa. “Calou-se tudo”, nota Manuel Fernandes, desafiando a imprensa a perceber o que aconteceu nesse repasto.

“É preciso descodificar esse almoço, tem que se saber o que se passou nesse almoço”, sublinhou o ex-jogador verde e branco, dizendo que se foi para tratar de assuntos que interessam ao futebol português, então, outros clubes deveriam ter sido chamados.»

Eu acho que Manuel Fernandes está enganado. Esse jantar foi de amigos e tratou-se disso mesmo: de um jantar de amigos, somente isso. Quiçá falou-se de um ou outro jogador que pode trocar de camisola.

Por certo alguém do SLBenfica irá vestir a camisola do FCPorto, para gáudio dos adeptos de ambos os clubes.

 

Tão amigos...

j.jpg

... que eles andam!

Diz ‘A Bola’ que “Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa almoçaram ontem juntos num conhecido restaurante da Mealhada, onde discutiram o momento do futebol português. As primeiras notícias davam conta de que o presidente da Liga Portugal, Pedro Proença, tinha também sido convidado para o almoço entre os presidentes de Benfica e FC Porto, mas A BOLA sabe que Proença esteve apenas presente em parte do encontro, ou seja, [só para o cheirinho, pois nem para a sobremesa e para o café foi chamado] boa parte da reunião entre Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa decorreu sem a presença do presidente da Liga, naquele que parece ser um evidente sinal de aproximação entre dois presidentes que passaram muitos anos de relações cortadas, tendo-se, aparentemente, aproximado nos últimos meses, na sequência das dificuldades que se abateram sobre [estes dois] clubes portugueses na sequência da [conquista, inesperada para eles, do último campeonato pelo Sporting]”.

O ódio do decano

tvi-ingleses-de-norte-a-sul_1-767x427.jpg

 

Desta vez Pinto da Costa esqueceu-se de usar a palavra "vergonha" para qualificar a rebaldaria anglófila no Porto e até motivou críticas expressas do Presidente da República.

As normas sanitárias foram lançadas às malvas, o "dever geral de recolhimento" foi atirado às urtigas e o "uso obrigatório de máscara" foi ignorado por completo pelos ingleses ululantes. Enquanto a polícia acorria às praias para fiscalizar... os portugueses.

 

O decano só emprega o tal vocábulo quando se refere a Lisboa.

Com o ódio que o caracteriza sempre que alude à capital portuguesa, como se estivesse a referir-se a uma cidade estrangeira. E com a duplicidade moral que todos lhe conhecemos.

«Tenho a certeza que tudo irá correr da melhor forma [final da Champions no Dragão com a presença de quase 20 mil ingleses]», dizia ele há dias, depois de lançar mais um escarro contra o Sporting. 

 

Estava redondamente enganado.

O País inteiro viu

E a Europa também.

Crime público

Eu era para ter ficado caladinho neste assunto do arraial de porrada aviado ao um reporter de imagem da TVI pelo Pinto da Costa (se não foi ele, pelo menos estava ao lado e não impediu, nem sequer por palavras), que outros colegas com mais veia já o fizeram.

Mas acabei de ler o comunicado do sindicato de jornalistas e a minha alma ficou parva. E pelo respeito que tenho pela missão e profissão do jornalista (sem género, para me não acusarem de discriminação sexista), os verdadeiros e isentos que os há por aí aos montes felizmente, não posso deixar de ficar inquieto.

Aquilo de ontem, como muito bem diz o sindicato dos jornalistas, é crime público. E então reclama o sindicato dos jornalistas que sendo crime público, deve o ministério da coisa pública agir em conformidade. Assim a modos que "aquele puto bateu-me, toma lá esta pedra e dá-lhe com ela nos cornos". Será que não haverá naquela direcção um jornalista especializado em legislação, justiça, tribunais, o diabo a sete? É que até a minha mãe, que ainda trata o juíz por Vossa Excelência Senhor Doutor Juíz e o conhece desde que o senhor tinha cueiros, sabe que um crime público significa que qualquer pessoa que tenha conhecimento e de preferência testemunho desse crime, pode acorrer junto de qualquer tribunal e dar dele notícia e consequente queixa.

Será que perante um acto de tamanha gravidade, o sindicato dos jornalistas vai esperar sentado pelo ministério público?

Algo vai muito podre, quando uma associação de classe, perante acto tão hediondo, se limita a um comunicadozinho da treta. Até parece que têm rabos de palha, ou devem favores a alguém.

Que diabo, até a TVI diz que vai proceder criminalmente contra os agressores, apesar do peso de gente do Porto na estrutura accionista recente na empresa que a detém.

Um dia depois das comemorações do Dia da Liberdade, o sindicato dos jornalistas, constituido outrora por gente sem medo e que inventava formas de contornar a censura e nos dar novas enfrentando o lápis azul, tem hoje medo de um clube de azul.

À atenção dos homens da profissão. Reflictam...

Diz-me com quem andas...

image.jpg

 

Para o ex-presidente Bruno de Carvalho, "Pinto da Costa foi quem mais me surpreendeu pela positiva". Já para o actual, "Um bandido será sempre um bandido".

Para o saudoso João Rocha também não havia dúvida nenhuma de quem era Pinto da Costa: foi à guerra, ganhou umas batalhas, perdeu outras. Perdemos Futre, Inácio e Eurico, fomos buscar Oliveira, Jaime Pacheco, Sousa (adorava saber a quem Manuel José, outro que conhece bem Pinto da Costa, se referia quando falava dum certo Sporting-Porto onde alguns de verde e branco facilitaram a vitória ao adversário), e no campo perdemos mais do que ganhámos. Para Dias da Cunha, também não havia dúvidas sobre "o sistema" comandado por Pinto da Costa, bem explicado no livro "Golpe de Estádio" de Márinho Neves. Jornalista que foi também ameaçado e agredido.

Entre João Rocha e Bruno de Carvalho sucederam-se presidentes no Sporting da linha Bruno de Carvalho ou da linha Varandas / João Rocha / Dias da Cunha. Negócios foram feitos, uns melhores outros piores. O caso João Moutinho foi exemplar dum "chito" à moda do Porto.

Pinto da Costa sempre percebeu que o Porto nunca teria sucesso contra os dois grandes da capital se eles se unissem, e assim sempre procurou estar em paz com um e em guerra com o outro. Foi assim com Fernando Martins e João Rocha, foi assim também com Luís Filipe Vieira e Bruno de Carvalho.

E a verdade é que com este presidente, que teve a coragem de "chamar os bois pelos nomes" (ao contrário do ex-treinador do B-SAD no túnel do Jamor), 1 Taça de Portugal e 2 Taças da Liga já cá moram, conquistadas a esse "senhor". 

E estou em crer que a coisa não vai ficar por aqui...

#OndeVaiUmVãoTodos

SL

Guarda Abel revisitado

horse-head-godfather.png

Fotograma do filme O Padrinho, de Francis Ford Coppola

 

O velho crocodilo, acolitado pelos jagunços, deu ordem de investida: um repórter de imagem da TVI foi agredido à pantufada no exterior do estádio do Moreirense. Com o País a ver.

Regressam os tempos tenebrosos do guarda Abel e da sarrafada a eito para garantir vitórias mafiosas fora de campo.

Não me admirava que o árbitro Hugo Miguel, que apitou o Moreirense-FC Porto, acordasse amanhã com uma cabeça de cavalo bem aconchegada na cama. 

Se for tudo NORMAL, o Porto é campeão (cont)

Parece realmente que anda por aqui alguma ANORMALIDADE, uma ANORMALIDADE fruto dum treinador arruaceiro e  descontrolado, dum presidente a dar o canto do cisne que não consegue o que dantes conseguia, e dum Sporting que ocupou o lugar que há muito também não conseguia.

ANORMAL é mesmo um VAR anular um golo ao Porto a cair o pano, já não é tanto ANORMAL o labrego treinador do Porto ser expulso,  ANORMAL será mesmo isso ter alguma consequência.

SL

 

Os Costas

22072643_jZTMN.jpeg

 

30 dezembro 1999 - A convicção de Jorge Costa sobre a superioridade do FC Porto é tanta, que, em resposta à pergunta ”por si, podia encomendar-se as faixas de campeão para esta época?”, não ”disfarçou” nada: ”Pela minha confiança na equipa poderiam."

23 abril 2021 - "Estamos de tal maneira envolvidos no campeonato, que penso que ainda vamos ganhar se tudo for normal." 

Se for tudo NORMAL, o Porto é campeão

Foi o que disse Pinto da Costa, e foi o que Soares Dias foi fazer para Braga, impor a NORMALIDADE. Como já tinha feito como VAR em Famalicão.

E conseguiu expulsar o Gonçalo Inácio à 2ª falta, para além de ter posto o Adán e o TT fora do próximo jogo. Quantas vezes já tinhamos visto este filme ? Foram anos a fio, que nos custaram vitórias e títulos.

Foi a tal NORMALIDADE de que falava quem sabe, quem cozinhou estas coisas anos a fio, quem passou por apitos dourados sem problemas de maior. A NORMALIDADE do cozinheiro que escolhe bem os ingredientes, e deixa a comida no lume a apurar em lume brando.

O problema foi Matheus Nunes, o ANORMAL que a meteu lá dentro. E o Coates o GRANDE, o ENORME CAPITÃO.

E todos os outros.

E pode ter a certeza que esta brilhante equipa do Sporting continuará a procurar a ANORMALIDADE,  a felicidade contra TUDO e contra TODOS.

#OndeVaiUmVãoTodos

SL

Pinto "Egas Moniz" da Costa, Aio

22039546_QBiiZ.jpeg

 

Ai o carago!

Terá sido esta a exclamação de Pinto da Costa quando soube que uma das suas muitas trafulhices fora descoberta.

A melhor solução quando somos apanhados em falta, quando descobrem as merdas que fazemos, é pedirmos desculpa, pedirmos perdão.

O exemplo que vem à memória é o episódio de Egas Moniz (cf. com canto III dos Lusíadas, estrofes 35-40).

Espero que Pinto da Costa venha até ao Museu do Sporting com a camisola amarela e o título de 2018, acompanhado pelas esposas Filomena, Carolina, Fernanda (provavelmente estou a esquecer-me de alguma), todos vestidos de branco, descalços e com uma corda ao pescoço, entregar os símbolos desse triunfo?

Não.

Não peço tanto, peço que Pinto da Costa peça desculpas ao Sporting, pois ao contrário daquilo que "O Jogo" titulou ontem, na primeira página, a culpa não foi de Alarcón, foi da organização corrupta e trafulha que, justiça lhe seja feita, Bruno de Carvalho denunciou na altura.

Esperemos, então, pelo pedido de desculpas institucional do senhor Pinto da Costa ao doutor Frederico Varandas.

Sobre este assunto ler o postal de AntónioF, especialmente, o comentário do ex-ciclista dos Leões do Nabão, Edmundo Gonçalves.

O Sporting e o "sistema" azul e branco

Faleceu ontem também Reinaldo Teles, o fiel escudeiro de Pinto da Costa, e ficam aqui as minhas condolências à família e ao seu clube de sempre. O "chefinho", como era chamado, era muito querido pelas gentes do FCPorto e por quase todos os que passaram pela sua equipa de futebol, e pelos vistos tinha amigos um pouco por todo o lado que agora manifestam o seu pesar. Paz à sua alma.

Mas não nos podemos esquecer que Reinaldo Teles foi parte integrante e um dos actores principais do "sistema" mafioso que o Porto montou para dominar o futebol português, de braço dado com a Olivedesportos dos manos Oliveira que controlava economicamente os clubes, com personagens como Adriano Pinto, Lourenço Pinto e Guilherme Aguiar nos órgãos federativos.

O aparecimento e desenvolvimento desse "sistema" foi muito bem documentado por Marinho Neves no seu livro "Golpe de Estádio, o romance da corrupção do futebol português", de 1996, trocando os nomes reais por alcunhas bem apanhadas. O "Tony Balboa" (foi na secção de box que Reinaldo Teles e Pinto da Costa se tornaram amigos para a vida) é mesmo a personagem central do livro que acaba com o capítulo "O dia do juízo final",  uma previsão do que seria uns anos depois o "Apito Dourado", mas com um desfecho bem diferente. 

O livro não conheceu sequela, o autor teve azar na vida, parece que escorregou à frente da sua casa, como tiveram alguns árbitros e jornalistas desse tempo. 

Foi o tempo em que João Rocha esteve sozinho contra o tal "sistema", ganhando umas vezes, perdendo outras, com arbitragens vergonhosas, jogadores a falhar em momentos-chave (vide Manuel José) e finalmente metendo a raposa no galinheiro com os manos Oliveira.

Depois vieram outros presidentes que foram contemporizando com a situação, com umas trocas de jogadores pelo meio, e só com Dias da Cunha se ouviu de novo uma denúncia clara e assertiva do "sistema". Depois dele as coisas foram mudando, o "polvo encarnado" começou a ganhar terreno ao "sistema", a diferença de peso institucional dos dois clubes começou-se a fazer sentir e o jogo fora e dentro do campo começou a ser bem diferente.

Com Bruno de Carvalho tivemos primeiro o enxovalho público pelo vice Caldeira, a que se seguiram umas frases mal educadas sobre Pinto da Costa, depois tivemos o episódio das "nádegas", finalmente arranjou-se ali uma bela amizade que está para durar. Um dos princípios do tal "sistema" é que os dois de Lisboa nunca podem estar juntos: a ideia, que se provou de eficácia tremenda, é sempre estar a namorar com um e a lixar o outro. Por isso mesmo, no dividir para reinar, o recente apontar da bazuca ao nosso presidente e passar a mão pelo lombo ao Bruno de Carvalho e à Juveleo.

Voltando ao início, com a saída de cena gradual daquela meia dúzia de personagens que formaram o núcleo duro da equipa de Pinto da Costa, e com a do próprio a acontecer um dia destes pela força da idade, com o aperto financeiro causado por anos e anos de engorda desse núcleo, com a guerra sem quartel do tal "polvo encarnado", o "sistema" já não é o que era e o "macaco" agita-se nervosamente nos "galhos". 

Mas de certeza que não é o Sporting que lhe vai estender a mão para suavizar a queda.

 

Marinho Neves:  https://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/detalhe/marinho-neves-tentaram-matar-me-944291

Manuel José: https://www.noticiasaominuto.com/desporto/1499415/manuel-jose-arrasa-f-gomes-nao-tens-vergonha-de-olhar-ao-espelho

Dias da Cunha: https://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sporting/detalhe/dias-da-cunha-e-o-sistema-no-seu-esplendor

Bruno de Carvalho: https://www.futebol365.pt/artigo/110388-bruno-de-carvalho-volta-a-acusar-pinto-da-costa-de-senilidade/

https://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/fc-porto/detalhe/adelino-caldeira-nao-pronunciado-no-processo-de-bruno-de-carvalho-963919

 

PS:  Apenas publicarei comentários sobre o tema do post.

SL 

Perceber porque ele fala assim

article-1275643778347-09dea5ca000005dc-274496_362x

 

Em Janeiro de 2019, o Sporting venceu a Taça da Liga, derrotando na final o FC Porto.

 

Em Maio de 2019, o Sporting venceu a Taça de Portugal, derrotando na final o FC Porto.

 

Em Maio de 2019, o Sporting conquistou a Liga Europeia de hóquei em patins, numa emocionante final contra o FC Porto.

 

Em Agosto de 2020, o Sporting contratou Pedro Gonçalves, jogador que estava no topo das preferências do FC Porto para a nova temporada de futebol.

 

Em Agosto de 2020, o Sporting contratou Nuno Santos, jogador que constava da lista de prioridades do FC Porto como reforço para a nova temporada futebolística.

 

Em Outubro de 2020, o Sporting venceu a Taça de Portugal em basquetebol, derrotando na final o FC Porto, que se pretende hegemónico na modalidade.

 

Não é preciso contratar o Sherlock Holmes: eis seis motivos que levaram Pinto da Costa a dizer o que disse sobre o presidente do Sporting

 

Uma fronteira entre o bem e o mal

The-Godfather-Vito.jpg

 

«O Apito Dourado permanece um calcanhar de Aquiles de Pinto da Costa, do futebol e da Justiça portuguesa.

O despique verbal entre o presidente do FC Porto e Frederico Varandas tem origem nesse processo que, quer se queira, quer não, permanece como uma fronteira entre o bem e o mal no mundo da bola.

(...)

Pinto da Costa pode argumentar com a ausência de condenações, mas ainda muita gente se lembra como tudo aconteceu. Basta evocar duas ou três coisas. Quando a operação policial avançou, Pinto da Costa foi alertado que era melhor ir passar um fim de semana a Espanha. Quando rgressou para se apresentar em tribunal, teve a escolta dos Super Dragões, a sua guarda pretoriana, numa das imagens mais sicilianas que a minha memória pode reter em cenas de crime cá pelo burgo.»

(...)

Não sei se um bandido será sempre um bandido, como disse Frederico Varandas, até porque os manuais por onde estudei Direito Penal defendiam o contrário, ou seja, a famosa ressocialização dos delinquentes. Mas sei que, para formar uma opinião sobre o Apito Dourado, não preciso de ir ouvir a canção do bandido sobre a presunção de inocência ou a falta de condenações. E também não preciso de ir ao futebol, de pertencer ou, tão-só, frequentar o seu mundo, para perceber que Varandas, pessoa que não conheço, trava a luta certa contra uma claque. E que Pinto da Costa (ou Luís Filipe Vieira) nunca teria condições para fazer o mesmo e dar um exemplo de grande dignidade moral.»

 

Eduardo Dâmaso, no Record (30 de Outubro)

{ Blogue fundado em 2012. }

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D