Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Ordem de Mérito

São então já 49 jogos (37V, 7E, 5D) nas diferentes competições, e os rankings com base nas classificações dos três jornais desportivos são os seguintes.

Então temos:

1. Pontuação Total:

Pos         Jogador                NumJogos         Pts

Gyokeres 45 784
Hjulmand 45 720
Pedro Gonçalves 44 700
Nuno Santos 45 662
Gonçalo Inácio 44 643
Trincão 43 614
Edwards 42 590
Matheus Reis 44 589
Coates 39 585
10  Paulinho 42 583
11  Catamo 38 548
12  Esgaio 43 545
13  Morita 35 515
14  Daniel Bragança 41 512
15  Diomande 34 488
16  Adan 28 390
17  Quaresma 27 356
18  Israel 22 321
19  St.juste 17 231
20  Neto 13 120
21  Dário Essugo 10 103
22  Fresneda 9 80
23  Koindredi 5 46
24  Afonso Moreira 3 25
25  Pontelo 2 13
26  Mateus Fernandes 1 12
27  Nel 1 6
28  Tiago Ferreira 1 6

 

2. Desempenho médio:

Pos         Jogador                NumJogos         Méd.Pts

Gyokeres 45 17.4
Hjulmand 45 16.0
Pedro Gonçalves 44 15.9
Coates 39 15.0
Morita 35 14.7
Nuno Santos 45 14.7
Gonçalo Inácio 44 14.6
Israel 22 14.6
Catamo 38 14.4
10  Diomande 34 14.4
11  Trincão 43 14.3
12  Edwards 42 14.0
13  Adan 28 13.9
14  Paulinho 42 13.9
15  St.juste 17 13.6
16  Matheus Reis 44 13.4
17  Quaresma 27 13.2
18  Esgaio 43 12.7
19  Daniel Bragança 41 12.5
20  Mateus Fernandes 1 12.0
21  Dário Essugo 10 10.3
22  Neto 13 9.2
23  Koindredi 5 9.2
24  Fresneda 9 8.9
25  Afonso Moreira 3 8.3
26  Pontelo 2 6.5
27  Nel 1 6.0
28  Tiago Ferreira 1 6.0

 

3. Melhores em campo:

Jog                                            NumVezes

Gyokeres   18
Trincão   8
Hjulmand   7
Pedro Gonçalves   7
Edwards   6
Coates   5
Paulinho   4
Catamo   3
Bragança   2
Nuno Santos   2
Morita   2
12  Quaresma   1
12  Israel   1
12  Inácio   1
12  Diomande   1

 

4. Valores de mercado em M€ (TM):

Viktor Gyökeres 55.0
Gonçalo Inácio 40.0
Ousmane Diomande 40.0
Pedro Gonçalves 30.0
Morten Hjulmand 30.0
Marcus Edwards 25.0
Trincão 14.0
Hidemasa Morita 13.0
Nuno Santos 12.0
Iván Fresneda 11.0
Jerry St. Juste 8.0
Matheus Reis 8.0
Geny Catamo 8.0
Eduardo Quaresma 7.0
Paulinho 6.5
Daniel Bragança 5.0
Sebastián Coates  4.0
Ricardo Esgaio 3.5
Koba Koindredi 3.0
Franco Israel 2.5
Antonio Adán  0.8
Rafael Pontelo 0.7
João Muniz 0.5
Luís Neto 0.3

 

SL

O dia seguinte

Com esta difícil (muito mais do que o resultado possa parecer) vitória em casa de ontem contra aquela equipa que nos tinha derrotado em Guimarães, onde contou com a ajuda do tal Pinheiro, o Sporting pôs uma mão no caneco de campeão nacional.

Para pôr a outra, mesmo perdendo no Dragão, só tem de ganhar os dois jogos que terá em casa contra equipas em luta pela despromoção. Ou ganhar um deles e ir ganhar ao Estoril. Isso supondo que o Benfica ganha em Faro, ganha ao Braga em casa e ganha todos os jogos até final. Enfim, estamos quase mas... falta o quase.

 

A 1.ª parte foi um exercício de cansar o adversário, aborrecido para quem via no estádio ou pela TV. A bola rodava por fora da estrutura defensiva adversária dum lado ao outro do campo, eles corriam para a direita, fechavam; corriam para a esquerda, fechavam; voltavam a correr para a direita, fechavam, etc...

Bragança e Hjulmand eram os engodos plantados nessa estrutura defensiva que obrigava os adversários a pensar antes de correr para os lados.

Neste encaixe do 3-4-3 do Sporting com o 5-3-2 do V. Guimarães o talento dos jogadores do Sporting levou a melhor. De três oportunidades marcou dois golos e a sincronização defensiva impediu um possível golo por penálti do adversário. Entretanto Hjulmand fazia um trabalho de sapa incrível, quase sozinho a defender à frente da linha de cinco.

 

Na 2.ª parte ou o Sporting marcava o terceiro e resolvia o encontro ou sujeitava-se a dissabores. O V. Guimarães ameaçava voltar ao jogo e complicar as coisas. E dum lance de génio de Pedro Gonçalves, que já tinha marcado o primeiro e assistido para o segundo, logo marcou o terceiro.

O jogo acabou aí, a vitória estava assegurada, o adversário estava esgotado. O resto foram sendo oportunidades desperdiçadas para aumentar a conta.

 

Melhor em campo? Pedro Gonçalves, mas Hjulmand e Catamo deram mais uma demonstração da evolução incrível de qualidade que tiveram ao longo da época. De resto todos muito bem, excepto o Israel, com mais um falhanço embaraçoso a sair dos postes naquele lance que podia ter dado penálti.

Arbitragem? Cláudio Pereira impecável, na calha para ser o melhor árbitro português, e muito eu o insultei nos primeiros jogos que o vi dirigir o Sporting. Que continue assim e não aceite o que os mais velhos aceitaram.

E agora? Ir ganhar ao Dragão, com Pinto da Costa a dormitar na cadeira e o Koelher a vender tudo a pataco aos amigos. Os empresários já fazem bicha no Citius para receber o deles enquanto existe.

 

PS: Comentários da sardinhada pirata esperta seguem directamente para o balde do lixo.

SL

Ordem de Mérito

São então já 48 jogos (36V, 7E, 5D) nas diferentes competições, e os rankings com base nas classificações dos três jornais desportivos são os seguintes:

Então temos:

1. Pontuação Total:

Pos         Jogador                NumJogos         Pts

Gyokeres 44 764
Hjulmand 44 703
Pedro Gonçalves 43 679
Nuno Santos 44 645
Gonçalo Inácio 43 627
Matheus Reis 44 589
Edwards 41 578
Trincão 42 595
Paulinho 41 571
10  Coates 38 569
11  Esgaio 43 545
12  Catamo 37 532
13  Morita 34 503
14  Daniel Bragança 40 494
15  Diomande 34 488
16  Adan 28 390
17  Quaresma 26 350
18  Israel 21 307
19  St.juste 16 215
20  Neto 13 120
21  Dário Essugo 10 103
22  Fresneda 8 74
23  Koindredi 5 46
24  Afonso Moreira 3 25
25  Pontelo 2 13
26  Mateus Fernandes 1 12
27  Nel 1 6
28  Tiago Ferreira 1 6

 

2. Desempenho médio:

Pos         Jogador                NumJogos         Méd.Pts

Gyokeres 17.4
Hjulmand 16.0
Pedro Gonçalves 15.8
Coates 15.0
Morita 14.8
Nuno Santos 14.7
Israel 14.6
Gonçalo Inácio 14.6
Catamo 14.4
10  Diomande 14.4
11  Trincão 14.2
12  Edwards 14.1
13  Adan 13.9
14  Paulinho 13.9
15  Quaresma 13.5
16  St.juste 13.4
17  Matheus Reis 13.4
18  Esgaio 12.7
19  Daniel Bragança 12.4
20  Mateus Fernandes 12.0
21  Dário Essugo 10.3
22  Fresneda 9.3
23  Neto 9.2
24  Koindredi 9.2
25  Afonso Moreira 8.3
26  Pontelo 6.5
27  Nel 6.0
28  Tiago Ferreira 6.0

 

3. Melhores em campo:

Jog                                            NumVezes

Gyokeres 18
Trincão 8
Hjulmand 7
Pedro Gonçalves 6
Edwards 6
Coates 5
Paulinho 4
Catamo 3
Bragança 2
Nuno Santos 2
Morita 2
12  Quaresma 1
12  Israel 1
12  Inácio 1
12  Diomande 1

 

4. Valores de mercado em M€ (TM):

Viktor Gyökeres 55.0
Gonçalo Inácio 40.0
Ousmane Diomande 40.0
Pedro Gonçalves 30.0
Morten Hjulmand 30.0
Marcus Edwards 25.0
Trincão 14.0
Hidemasa Morita 13.0
Nuno Santos 12.0
Iván Fresneda 11.0
Jerry St. Juste 8.0
Matheus Reis 8.0
Geny Catamo 8.0
Eduardo Quaresma 7.0
Paulinho 6.5
Daniel Bragança 5.0
Sebastián Coates  4.0
Ricardo Esgaio 3.5
Koba Koindredi 3.0
Franco Israel 2.5
Antonio Adán  0.8
Rafael Pontelo 0.7
João Muniz 0.5
Luís Neto 0.3

 

Que posso dizer destes números?

1. Um plantel curto e equilibrado como antecipei no princípio da época. Apenas 19 jogadores (com mais um ou outro com utilização residual) dão conta do recado, muitos a jogar em diferentes posições conforme os jogos.

2. Desses 19 que constituem a base do plantel, 5 foram formados em Alcochete.

3. Um plantel de tracção à frente, ao contrário das temporadas anteriores. Os avançados ocupam as primeiras posições dos rankings, o que faz sentido tendo em conta os golos marcados e sofridos pelo Sporting na época.

4. Dois dos melhores reforços de sempre, Gyökeres e Hjulmand. Chegaram, viram e venceram. 

5. Com a chegada de 2024, Trincão passou do 8 ao 80. 

6. Os estagiários estão lá ou passaram por lá a pensar na próxima época: Fresneda, Pontelo, Koindredi, Essugo, Mateus, Moreira, Muniz. O Neto toma conta deles.

 

Se isto não é uma excelente gestão dum plantel, não sei o que seja. Eu pelo menos não me lembro de melhor, e então quando se olha para o que acontece nos rivais, então é comparar a estrada da Beira com a beira da estrada. 

SL

No rumo certo

A época desportiva no que ao futebol diz respeito encaminha-se a passos largos para a recta final. A 26 de Maio tudo estará resolvido e todos esperamos que seja com mais uma grande alegria.

A equipa chega ao jogo de domingo com o V. Guimarães com 36V, 7E e 5D e um registo impressionante em termos de golos marcados. Mas chega também com o reconhecimento do melhor futebol praticado em Portugal durante a época, e em termos do clube desde há muito tempo. 

Foram cinco as derrotas que o Sporting registou. Duas com o Atalanta que acabou de eliminar o Liverpool, uma com o Benfica na Luz nos segundos finais quando estava a jogar com menos um, uma com o Braga para a Taça da Liga num dia de muito pouca sorte, e outra exactamente com o próximo adversário, num jogo em que o Pinheiro inclinou o campo. Os jogos com a Atalanta foram aqueles em que a equipa abanou mais, mesmo tendo oportunidades para resultados diferentes, o que muito se deveu à superior envergadura física dos italianos.

Por tudo isto, treinador e jogadores merecem o maior respeito dos Sportinguistas. O desempenho desta equipa não tem comparação possível com as do passado mais próximo ou até mais afastado, e todos (mesmo os menos dotados) os jogadores têm sido importantes. Nem o treinador tem comparação possível com outros que o antecederam e ou ganharam e pouco ficaram, ou ficaram mais tempo e pouco ganharam.

Rúben Amorim recebeu um plantel desfeito pelas repercussões do assalto a Alcochete que soube reconstruir e potenciar, desportiva e financeiramente. Quando sair deixará o futebol do Sporting incomparavelmente mais forte do que o recebeu, e incluo aqui o talento espalhado pelas equipas B, sub23 e empréstimos.

 

O sucesso deste Sporting tem muito a ver com estabilidade e um balneário coeso liderado por um núcleo duro de homens como Coates, Neto e Adán que acomoda e suporta os jovens da formação e os craques contratados. Quando Slimani, por alguma razão, entendeu diferente não teve hipótese. 

Será muito por aqui que o Sporting terá de continuar: estabilidade em termos de liderança, estabilidade em termos de plantel, lançamento de dois ou três jovens por época e contratações cirúrgicas de jogadores diferenciados, técnica e fisicamente. 

Isso é tão mais importante quando sabemos que os últimos 50 anos do Sporting. Com João Rocha e os outros que lhe sucederam aconteceu tudo menos isso: rodízio de treinadores, plantéis ganhadores desfeitos, referências de balneário a sair pela porta dos fundos, "maçãs podres", "toupeiras" e "cromos da bola" no balneário, cheques e vassouras, autocarros de reforços,  etc, etc, etc. 

 

Quando olhamos para os dois rivais e para a sua desorientação actual, muito por culpa pela fraqueza por diferentes motivos das suas lideranças, sentimos que o Sporting tem no momento uma oportunidade de ouro para se destacar no futebol português, conquistando títulos e frequentando a Champions.

Para isso, o "Fica Amorim" é tremendamente importante, mesmo que não dependa dele a saída mas das propostas firmes que tiver, sabendo-se que algumas, a existirem, serão sempre irrecusáveis. E o Sporting nunca poderá ficar dependente dum treinador mas sim do rumo traçado, sempre enfrentando ondas e dificuldades e combatendo as almas penadas que por aí andam e que não suportam este Sporting que deixou de ser o deles.

Domingo, mais uma vez, Alvalade cheio para apoiar a equipa rumo à dobradinha. Depois, em todos os estádios onde formos jogar, também. Vamos conseguir!!!

SL

O dia seguinte

São estes jogos que definem os campeões, a poucas jornadas do fim, fora de casa contra uma boa equipa sem nada a perder e moralizada pelo empate no Dragão. O Sporting soube jogar, soube sofrer e soube ganhar ao Famalicão. Estamos com uma vantagem de sete pontos a cinco jornadas do fim sobre o Benfica, que ainda tem a Liga Europa para se desgastar. Temos tudo para sermos campeões. Mas falta o resto, e o resto ainda vai dar muito trabalho a conseguir.

Foram cerca de 35 minutos de excelência do Sporting na 1.ª parte: controlo total sobre o adversário, boa chegada à área contrária, grande golo de Pedro Gonçalves e muito azar naquele remate de Bragança. Depois uns 10 minutos confusos com dois amarelos forçados, aqueles contactos da mão na cara que serão aquilo que o árbitro quiser de acordo com o teatro que os atingidos montarem, e que fizeram perder o ritmo de jogo inicial. 

O que Fábio Veríssimo não viu foi o pisão sobre Pedro Gonçalves que daria penálti e aqui entra o discurso de ontem do CA sobre o penálti revertido no Estoril sobre o Francisco Conceição. Não sendo claríssimo o erro, siga. E eu até concordo com essa doutrina, quem deve apitar é o árbitro e não o VAR. O que não invalida o erro do árbitro neste lance como erraria a seguir em diversos lances de meio-campo a favor dum e doutro.

 

Diomande estava fragilizado pelo amarelo, entrou Quaresma que estabilizou o lado direito e depois foi ir gerindo o jogo e o cansaço. Morita, Esgaio, Paulinho e Fresneda entraram bem, Fresneda teve até uma intervenção de alta qualidade na área defensiva cortando um lance bem perigoso. E contando os minutos que faltavam até final.

No final do encontro, nem Israel tinha feito uma defesa digna desse nome, nem Gyökeres um remate ou uma assistência. Passaram um pouco ao lado do jogo, muito pelo demérito / mérito do adversário.

 

Melhor em campo? Hjulmand, "el patrón" do meio-campo, depois Coates e Bragança.

Arbitragem? Fraquinha, sem conseguir distinguir faltas intencionais de toques casuais teatralizados.

E agora? Faltam cinco jornadas, três em Alvalade. Segue-se o V. Guimarães para vingar a vitória da 1.ª volta.

Desfrutemos da vitória, porque o sofrimento foi mesmo imenso. Esforço, dedicação, devoção e glória, isso tudo é o Sporting. E hoje houve tudo isso em Famalicão.

SL

Primeiro a glória, depois o futuro.

Esta frase é da autoria do nosso comentador habitual João Gil num dos últimos posts do Pedro Correia e não podia estar mais de acordo com ela.

O Sporting como clube e como SAD cresceu muito desportiva e financeiramente com este presidente, duma forma sustentada, não vou agora discutir tudo o que de bom e de mau Bruno de Carvalho conseguiu fazer antes dele, e dispõe agora doutra capacidade para realizar sucessos e enfrentar dificuldades.

Enquanto isso o Benfica segue numa corrida de prego (gasto) a fundo que vamos ver onde irá parar, e o Porto está a ser vendido a pataco devido a um buraco financeiro que importa camuflar, com os abutres a pairarem sobre a cadeira dum líder cada vez mais senil.

Mas essa capacidade do Sporting actual será tanto maior quanto os objectivos desportivos forem alcançados, ganhar campeonato e taça no futebol, assegurar a Champions do próximo ano, títulos nas modalidades também, tudo isso é essencial, tudo isso é glória, e nem vale a pena pensar no que acontecerá a seguir se isso acontecer e quem virá para prosseguir nessa jornada.

Primeiro a glória, depois o futuro!

SL

O dia seguinte

Vendaval verde esta noite num campo sempre difícil, o do Gil Vicente, que combinou muito bem uma fortíssima vontade de vencer com uma capacidade táctica ao nível de excelência, aqui ou em qualquer lado. E assim é mesmo díficil segurar Rúben Amorim, até um observador inglês intoxicado com Super Bocks e aos tombos na bancada rapidamente percebe o "monstro" que ali está.

Com os alas e os interiores de "pé trocado", o Sporting entrou com uma grande aceleração de jogo pelas zonas centrais e uma pressão muito forte sobre a defensiva contrária, que permitia depressa transformar recuperações de bola em remates ao golo. Depois o talento de Trincão fez o resto. Só foi pena a cabeçada de Gyökeres a centro milimétrico de Pedro Gonçalves ter batido na nuca do guarda-redes infortunado do Gil Vicente (aproveito para endereçar as minhas condolências ao rapaz).

Com 4-0 ao intervalo a segunda parte foi de gestão física, foram saindo os mais fatigados e entrando quem precisava de minutos, bola recuperada atrás era bola colocada em Gyökeres, mas a noite não era a dele.

Impossível desvalorizar uma vitória por 4-0 em Barcelos, independentemente da situação actual da equipa local, como impossível é também supor que em Famalicão vai ser assim tão simples, a equipa local vai entrar em campo com a lição bem estudada para fazer bem diferente do que fez o Gil Vicente.

Melhor em campo? Trincão, depois dele os outros todos que entraram de início.

Arbitragem? Desta vez não encontrou motivos para estragar o jogo, mas também não os inventou. 

E agora? Onda verde em Famalicão na terça-feira, já com Hjulmand e Nuno Santos, e depois se verá em Alvalade. 

SL

Fazemos as contas em Maio

"A sensação que fico é que perdemos três pontos. Por tudo o que foi o ambiente, os festejos, somos uma equipa forte. Parece que o campeonato ficou decidido hoje. Têm de festejar as vitórias, mas estamos em Dezembro. Fazemos as contas em Maio", afirmou o Conceição depois da derrota em Alvalade por 2-0 em Dezembro.

Ainda não estamos em Maio para fazer as contas, ainda agora começou Abril e o Porto disputa com o Braga e o V.Guimarães o terceiro lugar. Apenas dois pontos os separam.

Temos então nós, Sporting, que ir festejando as vitórias, em Maio é que se fazem as contas. O que é completamente verdade.

Um verdadeiro sábio, este Conceição.

SL

O dia seguinte

Estrelinha de campeão. Não existem campeões sem ela, e o Sporting contou com ela ontem à noite em Alvalade para vencer o dérbi já nos descontos, num jogo muito equilibrado que podia ter caído (pela sorte do jogo ou empurrado pelo maior árbitro do planeta) para qualquer dos lados. E com ela não contou naquele outro dérbi em que Bryan Ruiz falhou um golo de baliza aberta a 1m da linha de golo como Bragança falhou ontem um nos minutos finais da partida. O que seria se o Benfica marcasse logo depois? Escapou de boa.

O Sporting iniciou o jogo com o onze que eu tinha previsto e Pedro Gonçalves logo mostrou a sua classe oferecendo o golo a Catamo com um ressalto pelo meio. Podia ter partido daí para uma exibição convincente, mas deixou que o Benfica reagisse com base na pressão alta e na intensidade ofensiva de Di María e dos dois nórdicos. Não era o dia de Morita: o Benfica fazia do meio-campo a zona de aceleração para o ataque à defesa do Sporting, os cantos e livres sucediam-se. Mesmo em cima do intervalo, dum livre de excelência do Di María, surgiu a cabeçada nas costas do último homem da linha defensiva e foi empate. Entretanto o Sporting tinha desperdiçado ingloriamente dois livres frontais de alto perigo, nem sequer acertando na baliza. 

 

Na segunda parte, com a entrada de Bragança, o Sporting cresceu. O desgaste de ambos os lados começou a sentir-se e os disparates também, como um de Inácio que ia sendo fatal não fosse a magnífica defesa de Israel ou os de Catamo e Edwards a desperdiçar dois contra-ataques em superioridade númerica. Hjulmand tem uma entrada que podia ter dado expulsão forçando Rúben Amorim a meter Koba por volta dos 80 minutos.

Temia-se o pior. Mas os jogadores frescos ajudaram a pôr o Sporting de novo por cima do jogo e dum ataque banal a bola sobrou para Catamo que marcou com um balázio do "pé cego". Depois, mais uns minutos de sofrimento, com uma grande oportunidade do Benfica pelo meio, para segurar o triunfo.

 

Foi mesmo um jogo de sofrimento. Os pontos fracos habituais vinham todos ao de cima: desperdício de livres frontais, desperdício de contra-ataques em superioridade numérica, debilidade defensiva nas bolas paradas ao segundo poste. Enquanto os pontos fortes, como as arrancadas de Gyökeres e as chegadas à area pelas alas, estavam a dar muito pouco.

Mas o que importa é que ficámos na liderança a 4 pontos do Benfica, com mais um jogo para disputar e em vantagem no desempate. E com o Benfica ainda envolvido na Liga Europa.

Não podíamos desejar melhor, mas temos de fazer o resto. Para a semana, três jogos complicados: Gil Vicente, Famalicão e V.Guimarães. E muitos castigos e desgastes para gerir.

 

Melhores em campo? Coates, o baluarte da defesa. Catamo pelos golos. Israel pela grande defesa a remate do Di María. St. Juste, Hjulmand e Gyökeres muito bem também.

Arbitragem? Arrogância e prepotência, o jogo é dele e faz o que quer, não há VAR nenhum que se atreva a opinar seja o que for. Começa pelo amarelo a Catamo: bastava uma advertência pública. Os amarelos a Otamendi e Hjulmand, a mesma coisa. Continua pelo fechar de olhos à agressão do Di María e acaba na não-amostragem do segundo amarelo ao mesmo Hjulmand. Pelo meio uma falta anedótica marcada a Gyökeres quando Otamendi, limitado pelo amarelo, se deixa cair.

E agora? Uma semana muito complicada a próxima, mas os Sportinguistas vão esgotar os estádios e levar a equipa ao colo rumo ao título. Eu vou procurar lá estar também.

Falta muito ainda? Já faltou mais. Toda a confiança no Amorim e na equipa.

Viva o Sporting !!!

SL

Amanhã à noite em Alvalade

Depois do empate na Luz que nos deu o acesso ao Jamor, temos amanhã mais um dérbi em Alvalade, que pode ser decisivo em termos do título de campeão. Se o Sporting ganhar fica com mais 4 pontos e menos um jogo do que o Benfica, e apenas com um jogo de dificuldade extra por disputar.

Todos temos as incidências do último jogo bem frescas na memória. Mas temos também de recordar o jogo da 1.ª mão da Taça em Alvalade para uma perspectiva dos pontos fortes e fracos de cada um.

A minha ideia é que as duas equipas encaixam mal. O Sporting actua no transporte controlado da bola desde o guarda-redes e na procura da profundidade que lhe dá o ponta de lança, o Benfica na pressão alta e no carrossel ofensivo propiciador de rasgos individuais. Um Sporting mais de equipa, um Benfica mais de individualidades. Um Sporting mais pausado, um Benfica de mais de arranques. Quem conseguir impor o seu ritmo de jogo e a sua forma de jogar estará mais perto da vitória.

 

O melhor Sporting foi com o duplo pivot Hjulmand e Morita. Porque defendem bem, na ocupação dos espaços, na antecipação dos movimentos dos adversários e na capacidade de desarme sem falta. E porque combinam muito bem nos avanços e recuos no terreno. Quando um cai para a ala, o outro ocupa o centro. Com Rafa a jogar atrás do ponta de lança, nenhum dos médios pode avançar demasiado no terreno e depois recuar a trote. 

Também foi com Pedro Gonçalves a interior esquerdo, porque não pára quieto. Tanto ajuda a defender como se desmarca para criar perigo na área adversária, tem um raio de acção no jogo obviamente muito acima de Paulinho. Com Pedro Gonçalves entre linhas, o Fiorentino estará sempre condicionado e não a jogar "de cadeirinha", de frente para a bola, como na primeira parte do jogo da Luz.

Catamo a ala direito, lançado em corrida daquele lado, é sempre difícil de travar. Quase sempre o lance resulta em perigo para o adversário.

Com Coates no centro da defesa, a sua visão de jogo e capacidade de comando está muito acima de qualquer outro. Ao lado dele, com Diomande a sofrer as consequências físicas do Ramadão, deverão alinhar Inácio e St. Juste. E Matheus Reis na ala esquerda. Aqui o grande problema para resolver são os centros ao segundo poste do Di María, porque a defender Catamo deixa muito a desejar.

 

Gyökeres é o "abono de família" da equipa. Aqueles movimentos em que acelera da área do António Silva para atacar a área do Otamendi criam mesmo mossa. Mas ele ou alguém por ele terá de rever urgentemente o seu desempenho nas bolas paradas defensivas, vejam-se o golo do Otamendi, e os dois cantos do Estrela da Amadora, um deu golo. Não consigo perceber como é que esta questão ainda não foi resolvida.

Entre Trincão e Edwards é sempre difícil escolher. São "jogadores de engate" capazes do melhor e do pior, se calhar depende da fase da lua, mas Trincão corre mais o campo a defender.

Israel, mesmo com a sua dificuldade de sair dos postes, esteve bem nos dois jogos, ao nível do Trubin.

 

Por tudo isto, julgo que o Sporting deverá alinhar com:

Israel; St. Juste, Coates e Inácio; Catamo, Hjulmand, Morita e Matheus Reis; Trincão, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

E é isto. Toda a confiança em Amorim, toda a confiança na equipa. Amanhã é para ganhar num Alvalade a abarrotar e eu vou lá estar.

Viva o Sporting !!!

SL

O dia seguinte

Como se costuma dizer "as finais são para ganhar, não são para jogar". O Sporting conseguiu fazer isso na Luz, num jogo de sofrimento e contra uma equipa do Benfica desta vez com a lição bem estudada.

Péssima primeira parte, com Hjulmand e Bragança longe um do outro e completamente abafados pelo meio-campo contrário, Esgaio e Nuno Santos deprimentes, Paulinho e Gyökeres abandonados à sua sorte, e tudo o resto sem saber bem o que fazer. Valeu Israel que safou um golo feito.

 

Ao intervalo Rúben Amorim deu um murro na mesa, mudou as alas, o Sporting recomeça o jogo a atacar e consegue um grande golo por Huljmand. Depois disso o jogo abriu, o cansaço começou a vir ao de cima e os lances de perigo foram acontecendo de um e doutro lado. Morita entrou bem em campo para substituir um Bragança em noite para esquecer.

Gyökeres e Paulinho falharam por pouco dois golos, mas do outro lado falharam também e o resultado acaba por ser justo. Gyökeres fica mais uma vez ligado a um golo sofrido, perdeu completamente a noção de quem tinha nas costas, não se percebe esta incapacidade do sueco defender na área.

 

Melhor em campo? Coates, depois Israel.

Arbitragem? Impecável, deixou jogar e não foi em palhaçadas. Nada a dizer, por estranho que pareça.

E agora? Ganhar o dérbi em Alvalade.

SL

O dia seguinte

Exibição tremendamente competente na deslocação à Reboleira, semelhante à de Arouca, mesmo com ausências importantes no onze titular.

Este Estrela da Amadora pode jogar menos do que o Arouca mas luta e bate muito mais. Morita, Bragança e Catamo que o digam.

Primeira parte de muita dificuldade perante a pressão alta do Estrela, a tentar ganhar bolas na intermédia e partir depressa para o golo. O que não conseguiram assim conseguiram num canto muito bem marcado, tenso e a cair no sítio certo facilitando o erro de Israel.

Mas com as deambulações de Trincão, e o bom desempenho de todos, tanto apoiando os dois médios como carregando sobre a defesa contrária, o Sporting ganhou vantagem no jogo e no resultado.

Veio a segunda parte e foi aguardar que o desgaste nos jogadores do Estrela fizesse efeito. Infelizmente o Sporting foi desperdiçando golos e deixando o desfecho em aberto.

Melhor em campo? Trincão. Depois Bragança e St. Juste.

Arbitragem? Deixar bater.

E agora? Dois dérbis decisivos.

SL

Do 8 ao 80

Entre os últimos dois dias os desempenhos das cinco principais equipas das modalidades de pavilhão passou do 8 para 80.

 

Tudo começou na tarde de sexta-feira com a derrota caseira da equipa de basquetebol frente à Oliveirense por 73-85. Ventura e Lovett não chegam para segurar uma equipa onde os americanos de qualidade duvidosa entram e saem a grande velocidade e as lesões são constantes. A transformação do plantel com a saída de Travante, dos dois angolanos e dos outros americanos não está a resultar.

A responsabilidade do Pedro Nuno Monteiro em tudo isto não faço ideia qual seja. Apesar de andarmos a perder com equipas menores seguimos em 4.º lugar da Liga, a dois pontos do Porto e um do Benfica.

 

Seguiu-se a derrota da equipa de voleibol feminino na 1.ª jornada da Final Four da Taça de Portugal em Viana do Castelo frente ao Porto Vólei Efanor. A equipa nortenha não deu hipóteses e esmagou por 3-0. Uma equipa que perdeu o querer e a raça de anos anteriores, apesar de contar este ano com uma distribuidora de topo turca em final de carreira. A rematadora alemã carece de fiabilidade, a canadiana a mesma coisa, duas brasileiras que vieram pouco acrescentam, Timm anda há muito lesionada, o núcleo duro Daniela-Bruzza-Paquete-Gerotto parece esgotado.

No final Rui Pedro Costa veio falar em sandes e hotéis, o que não augura nada de bom. O mau scouting foi culpa de quem afinal? Entretanto o Efanor perdeu a final frente ao Benfica.

 

Veio o sábado e tudo mudou.

O futsal de Nuno Dias esmagou o Torreense fora de casa por 6-1 e segue em 2.º lugar na Liga.

O hóquei de Alejandro Dominguez derrotou por 5-3 o Oliveirense e subiu ao 2.º lugar da Liga.

O voleibol masculino de João Coelho, com uma equipa quase toda nova relativamente à época passada, derrotou o campeão dos últimos anos, o Benfica, por 3-1 na meia-final da Taça de Portugal também em Viana do Castelo.

E o andebol de Ricardo Costa derrotou o Porto por 35-32, continuando a somar vitórias na Liga.

 

Fui ver este último jogo ao João Rocha. Pavilhão quase cheio, grande ambiente e grande jogo, extremamente disputado, com a liderança do marcador a alternar entre um e outro.

O Porto começou melhor e logo chegou a uma diferença de três golos obrigando o Sporting a mudar de guarda-redes. Saiu o veterano Maciel, entrou o "miúdo" Kristensen que logo começou a render e na segunda parte haveria de ser decisivo. Chegámos já ao intervalo a vencer por 2, com o central Nathan em grande.

Com grandes defesas do Kristensen conseguimos uma diferença de 5. De três falhas ofensivas deixámos o Porto passar para 2, mas conseguimos segurar a vantagem e até ampliá-la no final através doutro "miúdo", o Francisco Costa.

Equipa muito bem montada por Ricardo Costa, com muita juventude de elevado nível, e enorme espírito de equipa. Um orgulho para o Sporting ter uma equipa de andebol deste nível, muito bem encaminhada para ser campeã nacional (segue-se uma fase final onde vamos entrar com bónus pontual) e andar na Champions do próximo ano.

 

Mais logo vamos ter a final da Taça da Liga de Voleibol onde vamos defrontar os açorianos da Fonte do Bastardo.

Vale a pena seguir a nossa equipa e em particular os dois checos, Galabov e Licek. 

 

PS1: Já agora em termos de relvado, a nossa equipa de futebol feminino foi ganhar a Famalicão por 4-1 seguindo em 2º da Liga.

PS2: Vitória épica na Taça de Portugal de voleibol, 22-20 na "negra" contra a Fonte do Bastardo, o enorme Tiago Barth (com quem conversei já um par de vezes) e muitos companheiros de luta a chorar no fim, uma equipa do Sporting que nem sempre jogou bem mas soube sofrer, grande equipa, grande treinador. Vamos agora ganhar a Liga.

SL

Muito Sporting

Muito Sporting ontem em Guimarães contra a Suécia. Com Inácio no banco, Gyokeres a jogar e a marcar, e depois Rui Patrício, Nuno Mendes,  Matheus Nunes, Palhinha, Bruno Fernandes, Rafael Leão e Bruma.

Muito Sporting ontem também em Faro, com Mateus Fernandes o melhor em campo na selecção sub-21 contra a selecção das Ilhas Faroé. E também Renato Veiga, Chermiti e Tiago Tomás.

Mais ainda podia ser se não fossem as lesões de Pedro Gonçalves e Trincão.

Muito bom Sporting, jogadores que passaram vários anos em Alvalade, deram rendimento desportivo e proporcionaram vendas no total de algumas centenas de milhões de euros. Alguns deles são visitas frequentes na tribuna de Alvalade.

Algum mau Sporting, jogadores que sairam pela porta dos fundos depois do assalto a Alcochete e muito pela incapacidade do presidente de então assumir as suas responsabilidades e estancar ali mesmo o problema. Rafael Leão deu zero de rendimento desportivo na 1.ª equipa e passados quase seis anos do assalto a Alcochete o melhor que o Sporting conseguiu por ele depois de muita litigância foram 20 M€.

Foi então com lentes verdes que vi o jogo de ontem, mas de qualquer maneira acho que a selecção de Martinez está no caminho certo.

E melhor estará se terminarem de vez as naturalizações a martelo dos brasileiros vendáveis do Pinto da Costa. Já basta o que basta com um Pepe que não tem dignidade desportiva para lá estar e um Otávio que o Porto fidelizou com a ida à selecção e depois encaixou milhões . Como disse e bem o Fernando Mendes: "Isto não é a selecção de futsal do Azerbaijão."

SL

Confiança na vitória

Está à vista de todos que este Sporting de Rúben Amorim pratica o melhor futebol desde há muito tempo numa época de imensa exigência competitiva por todo um conjunto de razões.

Para isso concorrem vários factores:

- O crescimento de Amorim enquanto treinador, já num patamar de excelência e sem temer comparações com treinadores de maior curriculum e experiência.

- A base de estabilidade do plantel, com treinador e muitos jogadores com mais de 100 jogos ao serviço do Sporting, e um bom balneário que isso facilita.

- A manutenção de alguns pesos pesados, como Coates e Pedro Gonçalves.

- A qualidade extra das últimas contratações, Diomande, Gyökeres e Hjulmand.

- A dimensão física do plantel, com muitos, talvez a maioria, dos jogadores acima do 1,80m.

Mesmo assim, não conseguimos já evitar duas eliminações, uma na Taça da Liga por manifesta falta de sorte, outra na Liga Europa muito pela superior dimensão física dos italianos da Atalanta. Neste caso, o que é bom a nível interno não chega para lidar com as equipas mais físicas da Europa.

 

Depois do ciclo infernal de Fevereiro/Março vem este de Abril com dois dérbis e um clássico absolutamente determinante em termos das nossas aspirações aos dois títulos em disputa:

29/03/2024     Est. Amadora - Sporting

02/04/2024     Benfica - Sporting (TP)

06/04/2024     Sporting - Benfica

12/04/2024     Gil Vicente - Sporting

16/04/2024     Famalicão - Sporting

21/04/2024     Sporting - V. Guimarães

28/04/2024     Porto - Sporting

 

Como é que estamos para enfrentar este ciclo tremendo absolutamente determinante em termos dos objectivos da época?

O nosso plantel continua curto para as necessidades.

Castigos e lesões obrigam a ter dois jogadores de nível semelhante por posição mais dois ou três polivalentes que entrem na rotação e desempenhem o lugar como o titular. Ora isso apenas acontece na defesa depois do regresso de St. Juste. Em todos os outros sectores precisávamos de um pouco mais. Fresneda, Pontelo e Koindredi estagiam para a próxima época, dificilmente terão uma palavra a dizer nesta.

Neste momento estamos com três jogadores lesionados: Adán, Edwards e Trincão. E temos (penso) sete jogadores à beira do quinto amarelo: Nuno Santos, Pedro Gonçalves, Edwards, Esgaio, Diomande, Hjulmand, Neto. Depois disso Diomande está em Ramadão e em viagem entre a África e a Europa, e Morita do outro lado do mundo, ambos ao serviço das suas selecções. Não irão voltar nas melhores condições.

Tudo isto, quer queiramos quer não, vai ter consequências.

E não podemos esquecer que os meninos queridos da arbitragem APAF, Soares Dias e João Pinheiro, têm um longo cadastro de roubos ao Sporting e fatalmente aparecerão nos dérbis e no clássico. Este ano já perdemos com o primeiro na Luz (expulsão forçada) e o segundo em Guimarães (penálti inventado).

 

Mas não estamos a jogar sozinhos. Os outros clubes têm os seus problemas também. O Herr Schmidt vê lenços brancos e bombardeio de tochas da bancada das claques que o Rui Costa não conhece e o (...) Conceição tem o clube em buraco financeiro, acossado pela Justiça e pela "boca no trombone" do Villas Boas. Os terrenos da Maia já são caso de polícia, diz o candidato. E o vereador do PS também.

Não temos de ser perfeitos. Temos é que ser melhores do que os outros mesmo em terreno inclinado a favor deles.

E nisso tenho total confiança. Confiança na vitória.

SL

A tasca das hienas

Realmente não dá para perceber como é que um ex-candidato aos órgãos sociais do Sporting Clube de Portugal mantém um blogue onde permite que uma matilha de ressabiados, na maioria ou quase todos não são sócios com as quotas em dia, não vão ao estádio nem sequer conseguem ver os jogos do princípio ao fim num canal pirata qualquer, prossiga numa campanha de achincalho permanente de treinador e jogadores.

E ainda veio aqui há pouco alguém defender o Sportinguismo daquela tasca de hienas. Não existe de facto melhor coisa para chamar àquilo.

Ontem como sabem o Sporting sofreu um golo no início, teve muito que penar para igualar, partiu para a segunda parte e arrasou. Gyökeres, Paulinho e Nuno Santos foram os melhores em campo pelo Sporting conforme as pontuações dos jornais.

E que se foi lendo na tasca?

 

"Estes rapazes vindos de Braga… Não é ódio de estimação, mas são demasiados erros"

"O aprendiz de treinador adora-os … Já eu e +1906 nem os podemos ver com aquela camisola vestida …"

"Não jogamos um pintelho!!!! Obrigado Amorim pela moral que deste !!! Vou ver o andebol… este espetáculo é deprimente"

"Mundo sabe Que arruinado à lá croquete. Um banco de centrais e médios. Teve medo de trazer um miúdo? Frango do aleijado nr 2. O merdoso do 23M a estragar um golo com a única acção típica que faz na perfeição: estar em fora de jogo. Agora nem dominou nem rematou.Sem Pote ninguém, além de Morita por vezes, tem qualidade e inteligência para fazer o jogo entrelinhas.Dois mecos a ladear Gyo na frente atacante, não vai ser fácil. Estamos muito intraquilos…"

"O Sporting usa uma tática de merda, sofre o golo por causa da tática de merda, tudo para acomodar um jogador que não se envolve no jogo. A malta que conte às vezes que o Huljmand fica sozinho para 3/4 quando o Morita vai apoiar a ala esquerda, até se passam"

"Ah,ah,ah, nem em fora de jogo consegue marcar, o homem é mesmo uma granda merda. Ele é burro e ruim, mas, com esta insistência, à quem seja mais que ele. À dizem mal? Pois vai mesmo jogar, o que vocês adeptos dizem não se escreve, ora tomem lá o meu querido.Deixando a voz do RA, eu fico perplexo com isto tudo. Há tanta gente a passar fome e outros a ganharem tanto sem merecerem .Olham pró chão no banco e não conseguem pensar.Irrita esta merda."

"Vocês querem que esta gajo mexa na equipa.Para entrar quem se esta merda só tem defesas no banco.Este 23m é um inutil do caralho"

"Ha grande Paulinho se não fosses do Braga até gostava de ti asssim não vai pró CRL que ta foda e quem te poe a jogar"

"Até as coisas, que lhe saiem por acaso me irritam. Gostava tanto de ver este gajo fora do nosso Sporting.
Nunca na minha vida tive este sentimento por um jogador do Sporting.O homem até pode marcar 3 ou 4 golos num jogo importante, mas não consigo gostar como jogador deste homem.Acho mesmo que nos é muito prejudicial."

"Este Catano, fds que merda"

"O Trincão dá nojo mesmo. Nem uma bola domina. 61 minutos de nada."

"Será que o rubão já está a “gerir”?!?"

"O merdoso DO Trincão não faz uma."

"Olha, Amorim, vai pró caralho e leva o Esgaio contigo…"

"Não percebo esta cena do Fresneda. O gajo será assim tão mau ?? Ou é só mais um Quaresma que se entra o sonso tem é que se calar e sentar um querido?"

Finalmente a "Madre Teresa de Calcutá" lá do sítio :

"O que se malhou aqui hoje….. E pronto, 6 a 1. Primeiros, com menos um jogo. Nunca hei -se perceber este malhanço.Enfim"

 

É um blogue pago pelo Pinto da Costa? Aparentemente não.

É um blogue pago pelo Rui Costa? Aparentemente não.

Parece que é um blogue dum Sportinguista ex-candidato aos órgãos sociais do Sporting na lista do Nuno Sousa. 

Blogue esse com uma história e um passado que muitos conhecerão melhor do que eu.

Alguém consegue entender?

Eu não.

SL

Ordem de Mérito

São então já 43 jogos (32V, 6E, 5D) nas diferentes competições, e os rankings com base nas classificações dos três jornais desportivos são os seguintes:

Então temos:

1. Pontuação Total:

Pos         Jogador                NumJogos         Pts

Gyokeres 39 683
Hjulmand 40 637
Pedro Gonçalves 40 629
Nuno Santos 41 602
Gonçalo Inácio 38 556
Matheus Reis 41 550
Edwards 38 543
Trincão 37 507
Coates 34 503
10  Paulinho 36 503
11  Esgaio 39 496
12  Catamo 32 449
13  Morita 29 435
14  Diomande 29 416
15  Daniel Bragança 35 412
16  Adan 28 390
17  Quaresma 23 315
18  Israel 16 230
19  St.juste 13 171
20  Neto 13 120
21  Dário Essugo 10 103
22  Fresneda 6 57
23  Koindredi 3 29
24  Afonso Moreira 3 25
25  Pontelo 2 13
26  Mateus Fernandes 1 12
27  Nel 1 6
28  Tiago Ferreira 1 6

 

2. Desempenho médio:

Pos         Jogador                NumJogos         Méd.Pts

Gyokeres 39 17.5
Hjulmand 40 15.9
Pedro Gonçalves 40 15.7
Morita 29 15.0
Coates 34 14.8
Nuno Santos 41 14.7
Gonçalo Inácio 38 14.6
Israel 16 14.4
Diomande 29 14.3
10  Edwards 38 14.3
11  Catamo 32 14.0
12  Paulinho 36 14.0
13  Adan 28 13.9
14  Trincão 37 13.7
15  Quaresma 23 13.7
16  Matheus Reis 41 13.4
17  St.juste 13 13.2
18  Esgaio 39 12.7
19  Mateus Fernandes 1 12.0
20  Daniel Bragança 35 11.8
21  Dário Essugo 10 10.3
22  Koindredi 3 9.7
23  Fresneda 6 9.5
24  Neto 13 9.2
25  Afonso Moreira 3 8.3
26  Pontelo 2 6.5
27  Nel 1 6.0
28  Tiago Ferreira 1 6.0

 

3. Melhores em campo:

Jog                                            NumVezes

Gyokeres   16
Edwards   6
Pedro Gonçalves   5
Paulinho   4
Hjulmand   4
Coates   4
Trincão   4
Catamo   2
Morita   2
Nuno Santos   2
Bragança   2
12  Diomande   1
12  Inácio   1
12  Quaresma   1

 

4. Valores de mercado em M€ (TM):

Viktor Gyökeres 55.0
Gonçalo Inácio 40.0
Ousmane Diomande 40.0
Pedro Gonçalves 30.0
Morten Hjulmand 30.0
Marcus Edwards 25.0
Trincão 14.0
Hidemasa Morita 13.0
Nuno Santos 12.0
Iván Fresneda 11.0
Jerry St. Juste 8.0
Matheus Reis 8.0
Geny Catamo 8.0
Eduardo Quaresma 7.0
Paulinho 6.5
Daniel Bragança 5.0
Sebastián Coates  4.0
Ricardo Esgaio 3.5
Koba Koindredi 3.0
Franco Israel 2.5
Antonio Adán  0.8
Rafael Pontelo 0.7
João Muniz 0.5
Luís Neto 0.3

 

Ficam estes dados para vossa análise e comentário.

SL

O dia seguinte

Grande dia de Sporting. Pela tarde a equipa B ganhou mais uma vez, agora em casa do Oliveira do Hospital e com um golo da nova paixão de Rúben Amorim, o Giovani Quenda, e logo depois as senhoras do voleibol feminino conseguiram o acesso à final four do campeonato à custa do Benfica.

À noite foi tempo de rumar a Alvalade. Cerca de 40 mil nas bancadas, pelos motivos conhecidos dificilmente se chega a mais, uma das melhores exibições da época. Mais uma goleada, agora a uma equipa que ainda recentemente tinha feito o Porto perder dois pontos no Bessa.

O Boavista entrou a todo o gás, com a lição bem estudada. Duma má intervenção de Israel conseguiu, com um remate acrobático, colocar-se em vantagem. Foi uma faca de dois gumes. Por um lado ganhou confiança para o que ali vinha, por outro foi abdicando de atacar e deixando o Sporting fazer o seu jogo e causar estragos.

Demorou demasiado a concretização desses estragos, quase todos criados por Paulinho, que deambulando entre a zona central e o lado esquerdo, sempre disponível para tabelinhas com Morita, muito baralhava a organização defensiva adversária, um 5-4-1 estacionado atrás. Da primeira vez, o golo a que assistiu foi anulado por 26 cms, mas pela segunda já não foi: cruzamento de luxo para o golo do sueco. Entretanto a lesão dum defesa central tinha fragilizado a defesa boavisteira.

 

Com o jogo empatado ao intervalo, Amorim puxou da cabeça, interrogou-se como é que o Sporting podia perder pontos num jogo destes e logo descobriu a solução. Só mesmo o medíocre apitador conseguir amarelar Hjulmand. E o treinador fez aquilo que tinha de ser feito com esta "nobreza" da APAF. Trocar o melhor de Bérgamo por Bragança.

O Sporting voltou a não entrar bem na segunda parte. O jogo tornou-se confuso até que dum grande centro tenso de Catamo com "o pé trocado", Paulinho marcou um grande golo, mesmo "à ponta de lança". Ouviu-se em Alvalade mais uma vez e bem forte o cântico do Paulinho, acho que desta vez até o ressabiado tasqueiro mais surdo terá ouvido.

Aproveitou Amorim para dar descanso a Matheus Reis metendo Inácio. Estava a ganhar, estabilizou a defesa, o Boavista tinha de fazer pela vida. O espaço atrás começou a existir e então foi o festival Gyökeres. Bem servido, com um super-Bragança de cadeirinha 10 a comandar as operações, com espaço e já com a defesa adversária desgastada, o sueco foi como um tubarão atacar um cardume de sardinha. Morcona, de preferência. Um festim.

Foram 6-1, podiam até ter sido mais. O sueco fez "hat trick", Paulinho marcou o último. O estádio todo cantou o cântico dum e doutro no final do jogo.

 

Melhor em campo ? Gyökeres obviamente, mas Paulinho foi o "abre-latas" do jogo. Não admira que o sueco já tenha dito que é com ele que se entende bem. Visto do outro lado, é como segundo ponta de lança que Paulinho se sente melho: foi assim com Slimani e é assim com o sueco. Bragança também esteve excelente na segunda parte.

Arbitragem? Manhosa, para dizer o mínimo, a fazer recordar "padres" e "missas". Valeu o VAR no lance do penálti para o impedir de inventar uma regra nova. Não interessa ver? Repete.

No final mais uma óptima conferência de imprensa de Amorim, a explicar muito bem as suas opções em termos de jogo e de banco. Ou ele é realmente duma inteligência extraordinária ou então muita gente que se diz Sportinguista de futebol não percebe porra nenhuma. Algures no meio estará a verdade.

 

Assim fechou com chave de ouro o ciclo infernal. Foram 12 jogos em 40 dias, 8V3E1D, 32-10 em golos.

07/02 - U.Leiria 0 - Sporting 3 (TP)

11/02 - Sporting 5 - Sp. Braga 0

15/02 - Young Boys 1 - Sporting 3

19/02 - Moreirense 0 - Sporting 2

22/02 - Sporting 1 - Young Boys 1

25/02 - Rio Ave 2 - Sporting 2

29/02 - Sporting 2 - Benfica 1 (TP)

03/03 - Sporting 3 - Farense 2

06/03 - Sporting 1 - Atalanta 1 (LE) 

10/03 - Arouca 0 - Sporting 3

14/03 - Atalanta 2 - Sporting 1 (LE)

17/03 - Sporting 6 - Boavista 1

 

E agora? Descansar, recuperar o Pedro Gonçalves, treinar sem a dezena que vai às selecções e logo se verá. Morita regressará mais uma vez de rastos, Diomande vai fazer férias em pleno Ramadão, Trincão se calhar vai dar mais cabo do pé na selecção.

Muita coisa pode acontecer. Depois virá um ciclo menos intenso mas quase definitivo em termos de objectivos da época.

SL

Pelo menos alguém acredita na equipa

Depois da derrota em Atalanta, a quinta desta temporada, há muito Sportinguista dado à bipolaridade que já tem dúvidas sobre a valia do treinador, dos jogadores, da capacidade de lutar pelo título nacional e pela taça, de haver condições para chegar ao fim com os "canecos" na mão.

Então sabe bem ouvir o nosso ex-presidente, aparentemente "resuscitado" por alguns "amigos da onça", se calhar os mesmos que o empurraram para a fogueira vai fazer cinco anos, a dizer que acredita mesmo na equipa.

Disse ele, na véspera da deslocação a Bérgamo: "Se o Sporting for campeão este ano, e vai ser, os portistas e os benfiquistas não fiquem já chateados comigo, eu envolvo-me nas próximas eleições do Sporting. Se o Sporting for campeão, eu envolvo-me nas próximas eleições do Sporting (…) Posso não ser sócio, mas não fui morto. Tentaram, mas não fui morto."

Não sei se o seu amigo Pinto da Costa ficará chateado com ele, se calhar terá outros assuntos com que se preocupar, parece até que roubaram o museu e levaram as tarjas, mas o que fica de mais relevante é que pelo menos ele acredita que vamos ser campeões.

Contra tudo e contra todos, até contra aquela seita que passa os jogos a malhar em Rúben Amorim e nos jogadores, e que se alberga numa tasca digital mantida por um ex-candidato à Direcção do Sporting numa lista liderada por um seu ex(?)-apoiante. 

E eu estou com ele. Eu também acredito que vamos ser campeões. 

Sócios e adeptos que enchem os estádios onde joga o Sporting acreditam também, ouvem-se cânticos nas bancadas impulsionados pelas claques que falam em acreditar, falam em campeões, falam em Amorim, falam em Gyökeres, falam em Paulinho. Por muito que isso custe a quem não põe lá os pés, é isso que se passa. Quem não acreditar que aumente o som nas transmissões dos jogos.

Hoje em Alvalade vai ser assim mais uma vez. E eu vou lá estar.

Quando houver eleições lá estarei também para não votar na lista dele. Obviamente. 

SL

Dérbi a dérbi enche o leão a barriga (cont)

Acabado de chegar do pavilhão João Rocha, onde o Sporting obteve uma vitória clara por 3-0 no dérbi de voleibol, venho actualizar a listagem dos últimos dérbis:

Futebol - Sporting 2 - Benfica 1 (29/02/2024)

Futebol Fem - Benfica 1 - Sporting 3 (26/11/2023)

Futebol B - N/E

Futebol Sub23 - Sporting 5 - Benfica 2 (30/01/2024)

Futebol Sub19 - Sporting 0 - Benfica 1 (08/12/2023)

Futebol Sub17 - Benfica 3 - Sporting 2 (03/03/2024)

Futebol Sub15 - Sporting 1 - Benfica 5 (17/02/2024)

Voleibol - Sporting 3 - Benfica 0 (16/03/2024)

Voleibol Feminino - Sporting 3 - Benfica 1 (01/03/2024)

Andebol - Benfica 34 - Sporting 38  (17/12/2023)

Basquetebol - Sporting 91 - Benfica 88 (26/11/2023)

Hóquei em patins - Benfica 6 - Sporting 1 (11/02/2024)

Futsal  - Sporting 3 - Benfica 2 (04/03/2024)

 

São 8V e 4D para o Sporting nos últimos dérbis aqui descritos. As derrotas? Três nos escalões de formação e uma no hóquei em patins.

Não está mal. Mas podia estar ainda melhor.

SL

{ Blogue fundado em 2012. }

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D