Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Os jarretas (28)

 

- Grande vitória na Champions...

- Isso é passado. Quero ver é no domingo. Espero que o Sporting ganhe ao Paços de Ferreira.

- Esperas? Que falta de crença na equipa. Não tens convicção?

- Sinceramente, não tenho convicção nenhuma.

- Porquê?

- Por causa do treinador. Estou farto de te dizer que este técnico não serve ao Sporting. Tem vindo a gerir mal o plantel desde a pré-temporada. É muito lento a reagir, anda ao sabor do que vai lendo nos jornais e só toma decisões perante factos consumados.

- Mas porque dizes isso?!

- Ele tinha de tirar o Maurício desde o início, mas só mandou entrar o Paulo Oliveira quando o brasileiro se lesionou. Tinha de tirar o Jefferson mas só o tirou quando o brasileiro levou um cartão vermelho e aí já pôde apostar no Jonathan, que é muito superior.

- Não gostaste da exibição do Jefferson contra o Schalke 04? Marcou um excelente golo e fez uma assistência primorosa.

- Calhou: ele às vezes consegue rematar direito quando entorta o pé. Achei um erro de casting. E o Sarr foi outro erro.

- O Naby Sarr? Mas fez também uma boa exibição. E até marcou um golo!

- O Sarr veio da 4ª divisão francesa e já nos custou montes de pontos. Já viste que não acerta um passe? Aliás o nome dele diz tudo: é um Nabo.

- Também gostei daquele golo do Slimani...

- Sim. Mas faltou técnica nesse golo. Se fosse o Montero tinha dominado melhor a bola, a merecer nota artística.

- Não tens mais críticas a fazer ao treinador?!

- Por acaso até tenho. Em Guimarães ele devia ter posto o Rosell no lugar do Adrien, devia ter apostado no André Martins e não no João Mário e obviamente tinha que fazer alinhar o Capel para poupar o Nani. Podíamos ter perdido à mesma mas pelo menos alguns jogadores teriam rodado...

- Não percebo. Que raio tens tu contra o Marco?

- Ele não sabe aproveitar as potencialidades do plantel porque tem alergia aos mais jovens.

- Mas ele já pôs vários jovens a jogar! O Jonathan, o Sarr, o João Mário, o Carlos Mané...

- Tretas. Foi forçado a isso pelas circunstâncias, já te disse. Se ele não tivesse medo dos jovens já tinha posto a jogar o Tobias, que é o central do Sporting com mais qualidade. E não só ele. Também o Medeiros, o Gauld, o Wallyson e o Podence já mereciam ser titulares na equipa principal. Eu conheço-os bem. Já os vi jogar muitas vezes ao vivo na Academia. São uns miúdos extraordinários, cheios de talento. Infelizmente este Sporting do Bruno de Carvalho não os aproveita, trata-os como se fossem matraquilhos.

- A propósito de futebol ao vivo: foste a Alvalade na quarta-feira ver a nossa grande vitória frente ao Schalke?

- Não, pá. Ando chateado com tudo isto, não me apeteceu ir ao estádio. Vi a bola em casa.

- Ah, preferiste a transmissão directa...

- Sim, vi o Bilbau-FC Porto em directo. O Sporting-Schalke vi depois, no resumo. Dou razão ao Ribeiro Cristóvão: "Não foi um Sporting muito superior à equipa alemã, que não tem grande qualidade."

Os jarretas (27)

 

- Que cara é essa?

- Cara de caso. Com que cara querias que eu estivesse?

- Com cara alegre. Afinal ganhámos, com goleada. E subimos três lugares, para a quarta posição. Já somos a equipa com mais golos marcados fora de casa.

- Isso é motivo para estamos de cara alegre? Deves estar a gozar comigo. Já na semana passada estavas todo satisfeito depois daquele empate com o Porto.

- Fiquei satisfeito, claro. Tu não?

- Eu nunca festejo vitórias morais contra uma equipa que este ano não vale nada, como o Porto, e contra uma equipa que fez tudo para não nos humilhar em Alvalade, como o Chelsea. Só festejo vitórias a sério.

- Então devias festejar esta vitória de sábado.

- Contra o Penafiel? Nem pensar. Eu só festejo vitórias contra grandes clubes.

- Mas...

- Nem mas nem meio mas. E digo-te uma coisa: nesta época ainda não vi o Sporting fazer um jogo verdadeiramente bom. Não estou nada satisfeito. Sinto-me frustrado com este quarto lugar.

- Mas a equipa está a produzir bom futebol. E o treinador...

- Nem me fales do treinador! Está à vista de todos que o Marco Silva não é treinador para o Sporting. Um bom treinador faz aquilo que recomenda o Luís Freitas Lobo: põe a equipa a pressionar o tempo inteiro, atacando os adversários logo na primeira fase do processo de construção e com recursos humanos indispensáveis à solidez do processo defensivo, criando desequilíbrios constantes.

- E o Marco não faz nada disso, seja lá o que isso for?

- Devia fazer mas não faz. Porque é um treinador medroso e não gosta de arriscar. Também é preciso dizer que a equipa não ajuda por ser muito fraca.

- É fraca?!

- Sim. O Cédric é um jogador banalíssimo que perde quase todos os duelos individuais e já devia ter dado lugar ao Miguel Lopes. O Adrien é mediano e não corresponde às exigências da equipa. O Maurício é um perna-de-pau. O Sarr nunca devia ter vindo. O Jonathan foi outra contratação falhada, embora consiga não ser tão tosco como o Jefferson.

- Não tens mais críticas a fazer?!

- Claro que tenho. O Capel não tem categoria para integrar este plantel. O André Martins já devia ter sido emprestado a um clube à dimensão do talento dele, como o Arouca ou o Boavista. O Montero não tem nível psicológico para enfrentar os desafios da alta competição.

- Mas o Montero voltou aos golos...

- Eh pá, aquele até eu marcava com pubalgia na virilha e rotura de ligamentos no joelho esquerdo. Foi só correr um pouquinho e encostar o pé!

- E o Slimani, que até bisou no 25 de Abril?

- Não me convence. Só é bom a saltar. Mas é muito limitado tecnicamente. Não tem técnica de cabeceamento. Quando acerta na bola enquadrada com a baliza isso só acontece por mero acaso.

- Quem é que tu punhas no lugar dele?

- O Tanaka. Custa-me tanto ver o rapaz na bancada. Não é por acaso que tem vindo a ser convocado para a selecção do Japão.

- E quem punhas no lugar do treinador?

- O Paulo Fonseca. Ou o Sérgio Conceição. Ou o Rui Vitória. Mas quem eu queria mesmo era o Jorge Jesus.

- E o José Couceiro?

- Também o queria. Mas como presidente.

- Bolas! Não estás satisfeito com nada?

- Estou. Gosto do Talisca.

- Mas esse é do Benfica, pá!

- E que tem isso? Trocava-o já pelo Slimani e pelo Montero. Punha-o na frente do ataque, com o Tanaka. Formavam uma dupla imbatível, o Talisca e o Tanaka. Tá-tás a ver?

- Tou-tou.

Os jarretas (26)

 

- Estamos optimistas para o dérbi de domingo.

- Estamos, quem?!

- Nós, os sportinguistas.

- Fala por ti. Eu não estou nada optimista.

- Então?

- O Sporting vai ser goleado na Luz.

- Mas porque é que dizes isso?

- Por causa das decisões erradas do presidente, que estão a lançar o Sporting no descrédito. Uma delas foi ter vendido o Eric Dier.

- Mas o Dier saiu porque quis. E porque havia um contrato anterior a esta direcção que o deixava sair por apenas cinco milhões! Além disso não te lembras da péssima actuação dele no dérbi do ano passado?

- Isso agora não interessa nada. O que interessa é que ele já está a marcar golos no Tottenham. Mas não é só a questão do Eric. Há outros problemas. O André Martins, por exemplo.

- O que tem?

- Falta-lhe qualidade de passe, falta-lhe intensidade. Eu mandava-o já para a equipa B.

- E além do André?

- O Nani está muito longe da melhor forma. Não foi por acaso que o United se quis ver livre dele: nem para marcar penáltis serve. O Capel não sabe tirar os olhos do chão e faz cruzamentos à toa. Devia ter saído pela primeira oferta que fizessem: eu acho que ele nem vale dois milhões. Nunca teve qualidade de passe e só serve para fazer número. E o Jefferson não sabe defender. O Esgaio também não. O Maurício é tão lento que faz sono. O Sarr é bom para atirar bolas para o pinhal. O Mané marcou um golo fortuito mas não tem estado bem. O Montero é tão fraco que até custa a acreditar.

- Criticas praticamente os nossos jogadores todos. Não há mais ninguém de quem digas mal?

- Há. Digo mal do Bruno, que nunca devia ter assumido a candidatura ao título. E digo mal do treinador, que nunca devia ter ido na conversa fiada do presidente.

- Mas afinal que reforços é que tu gostavas de ver no Sporting?

- Gostava do Enzo. E do Gaitán. E do Salvio. E do Amorim. E do Maxi. E do Eliseu.

- E na baliza?

- O Júlio César, claro. Já reparaste que o Rui Patrício não sabe jogar com os pés?

- Só esses?

- Talvez também o Talisca. Pelo menos tem um nome mais giro do que o Rabia.

- Mais algum?

- O Pizzi, o Jara, o Ola John, o Shikabala...

- Mas o Shikabala é do Sporting!

- Ah, claro, tens razão. Péssimo jogador, esse que tal. Nem para futebol de praia o queria.

Os jarretas (25)

 

- Então temos o Nani de novo entre nós. Que tal?

- Gostei.

- Só isso? Vejo aí alguma falta de entusiasmo.

- Reconheço que é bom jogador. Mas...

- Mas o quê?

- Toda a gente sabe que ele não é um jogador completo. Cruza muito mal, tem notórias dificuldades no jogo aéreo e é pouco consistente no processo ofensivo junto à linha, tem sempre tendência para invadir zonas centrais. Desposiciona-se com demasiada facilidade.

- Não acredito que estejas a criticá-lo dessa maneira...

- Há quanto tempo não vês jogar o Nani? Em cada dez cruzamentos ele falha nove!

- Então para ti não é um reforço valioso?

- Ainda é cedo para dizer. Uma incógnita.

- Achas mesmo?!

- Considero que foi um passo atrás na carreira dele. Talvez acabe por arrepender-se, mais cedo do que tarde. Vê lá o Slimani: chegou há um ano e já está farto.

- Então tu, que és sportinguista, consideras que um jogador da nossa formação regressar ao Sporting é um passo atrás?

- Considero. Cheira-me a esturro.

- Porquê?

- Parece-te normal que um avançado do Manchester United venha para o Sporting, onde não há uma equipa que funcione mas apenas um amontoado de jogadores?

- Parece. Porque lá estava no banco e aqui vem jogar. E aqui joga na Liga dos Campeões e lá não. Além disso mantém o salário. Tu não farias o mesmo?

- Eu não. Preferia ser suplente não utilizado no Manchester a ser titular no Sporting.

- E pensava eu que o teu coração só tinha uma cor, o verde e branco...

- Em Inglaterra sou vermelho. Diabo vermelho. Aliás hoje em dia quase só vejo jogos do futebol inglês.

- No canal vermelho?

- Sim. Qual é o problema? Gosto muito e recomendo. Até vejo os jogos de cachecol. Que é vermelho também.

Os jarretas (24)

 

- Saudações! Então ainda a ler a entrevista do Eric Dier?

- Sim. Querias que estivesse a ler o quê? Os comunicados mentirosos da direcção, que deixou fugir para Inglaterra o melhor defesa central que jogava em Portugal?

- Tens razão, foi um rombo para o Sporting.

- Um rombo irreparável. Demonstra bem como o clube está a ser gerido por gente incompetente e irresponsável. Já tinham deixado fugir o Ilori e o Bruma.

- Mas esses jogadores não quiseram renovar. Preferem ser suplentes no estrangeiro, ou não jogar de todo, do que ser titulares no Sporting. E no caso do Dier havia a cláusula de rescisão de cinco milhões, que já vinha das direcções anteriores...

- E então? O Sporting não podia cobrir essa cláusula pagando ao Eric um salário equivalente ao que o Tottenham estava disposto a pagar-lhe?!

- Talvez não. Sabes que os salários do campeonato inglês são muito mais elevados e mesmo que o Sporting pudesse cobrir a parada isso criaria problemas no balneário, onde há jogadores a ganhar muito menos. E o Eric nem era titular, era suplente.

- Era suplente porque o Bruno nunca o quis a titular!

- Mas quem fazia a linha era o Leonardo Jardim, que preferiu quase sempre a dupla Rojo-Maurício. E, se bem te lembras, o Eric jogou muito mal quando o treinador apostou nele no jogo contra o Benfica...

- Jogou mal porque o rapaz estava traumatizado! Eu também estaria no lugar dele.

- Mas estava traumatizado porquê se tinha oportunidade de participar num dérbi?

- Traumatizado por não ter sido titular nos outros jogos, claro. O treinador nunca lhe deu essa garantia, certamente por estar a ser pressionado pelo presidente nesse sentido.

- Não concordo nada com isso. Nenhum treinador no mundo pode dar garantias a um jogador que será sempre titular. Isso torna um jogador acomodado e tira motivação aos outros todos.

- Eh pá, mas o Eric era diferente. Por ser da nossa formação. A verdade é que, com o Bruno de Carvalho, o Sporting deixou de apostar na formação.

- Estás a confundir o Sporting com o Benfica, que despacha para outros clubes os jogadores todos da formação mal começam a destacar-se. O Sporting, pelo contrário, ficou em segundo lugar no campeonato com vários jogadores da formação no onze-base. E apostou no William Carvalho, no Carlos Mané...

- Lá vens tu com esse argumento do segundo lugar! Já falámos imensas vezes disso. Foi sorte, nada mais.

- Preferias ter ficado em sétimo, como no ano anterior?

- Preferia ter ficado com o Dier, o Ilori e o Bruma.

- Mas estes três jogadores, ao menos, ainda nos renderam 22,5 milhões de euros. Enquanto antes deixámos sair jogadores da nossa formação, como o Pedro Mendes e o Carriço, por nada ou quase nada.

- O que tem uma coisa a ver com outra? Nesses tempos, ao menos, os jogadores eram tratados com a devida consideração pelo presidente do clube. Agora, diz aqui o Eric na entrevista, o Bruno só lhe apertou a mão e nem sequer lhe desejou boa sorte.

 - Eu teria feito o mesmo a um jogador que demonstrou não ter vontade de jogar no Sporting, o clube que lhe deu formação durante doze anos. Tu terias feito o quê?

- Eu apertava-lhe a mão.

- E mais o quê?

- E pedia-lhe para ficar. E aumentava-lhe o salário. E garantia-lhe um lugar de titular. E punha o Maurício no banco. E mandava servir o chá das cinco ao Eric.

- O chá das cinco?!

- Sim. Como toda a gente sabe, os ingleses adoram beber chá às cinco da tarde. Com uma pinguinha de leite.

Os jarretas (antologia 2013/14, parte III)

 

- Este Natal, para nós, vai ser bastante mais doce. Este prazer já ninguém nos tira.

- Deixa-te de lirismos. O plantel é curto e há casos por resolver. Isso preocupa-me.

- Que casos?

- O Labyad. O rapaz é um talento. Muito melhor do que alguns que têm sido titulares. Só não joga porque o Bruno o detesta.

- Nada disso. Não joga por opção técnica. É caro de mais e nunca fez nada de jeito no Sporting. Além disso iria perturbar um grupo de trabalho que é muito coeso e solidário.

- Vocês ainda hão-de arrepender-se por desprezarem assim o Labyad. Ele é craque, tem futuro.

- Já vi que nada te satisfaz. Por melhor que o Sporting se mostre e por mais resultados que consiga, nunca estás satisfeito.

- Eu percebo muito melhor estas coisas do que tu. A prestação da equipa contra o Belenenses foi medíocre. A vitória só aconteceu por sorte e porque o árbitro ajudou. Além disso ainda não começou a chover a sério. Deixa vir a chuva e vais ver se a equipa não começa a desmoronar-se como um castelo de cartas.

- Já pareces o Joaquim Rita a falar. Estás aqui estás a estrear-te como comentador de bola na SIC Notícias. Ou, pelo menos, como apresentador do boletim meteorológico.

- SIC Notícias? Nem pensar... é encarnada de mais para o meu gosto. Mas não me importava de ser comentador do Porto Canal. Nada tenho contra o azul.

(...)

- Tu já te esqueceste do que dizias no início da época? Em Agosto, querias trocar o Montero pelo Ghilas. Em Setembro, vaticinavas que íamos perder jogos atrás de jogos. Em Outubro, garantias que tínhamos o plantel mais fraco dos últimos vinte anos...

- E andei sempre mais próximo da verdade do que tu: nunca me deixei embriagar pela pandilha brunista.

- Tu deixas-te embriagar por quê?

- Por Vinho do Porto. Não há nada melhor.

(...)

- Gostaste do jogo?

- Nem pensar. Achei péssimo, como aliás já esperava. Mas vinguei-me.

- Como?

- Assobiei a equipa. Foi um assobio arrancado cá do fundo da alma. Fez-me bem à enxaqueca e à neurastenia. Consegui estar dois dias sem tomar Lexotan.

- Assobiaste quem?

- Todos. Jogadores, Bruno, Inácio. Até assobiei o Paulinho. Com todas as ganas de que fui capaz.

(...)

- Podes continuar a bater no presidente à vontade.

- Mas para dizer o quê?

- Critica a gestão desportiva, pá.

- Mas como é que eu critico se a gestão desportiva está a ter sucesso?

- Bolas! Critica a gestão financeira.

- É difícil. A gestão financeira também está a resultar, pá.

- Então critica a voz do gajo. A gravata. A postura. Sei lá. Nós podemos não saber porque é que lhe batemos mas ele sabe sempre porque é que apanha!

Os jarretas (antologia 2013/14, parte II)

 

- Houve boas contratações...

- Nada disso: em 13 só se aproveitam três! E a equipa ainda não começou a perder. Imagina só como vai ser quando as derrotas começarem a aparecer, pois não temos equipa para ganhar durante toda a época.

- Até agora não perdemos...

- Mas vamos perder. Garanto-te que vamos.

(...)

- Aquilo é que foi um jogo emocionante!

- Qual jogo?

- O Braga-Sporting, pá.

- Que jogo? Chamas àquilo jogo?

- Tu não chamas?

- Claro que não. Jogo, para mim, é quando há duas equipas em campo. Eu só vi uma em campo: a do Braga, muito bem treinada pelo Professor Jesualdo Ferreira, que muita falta nos tem feito em Alvalade. A menos que estejas a contar também com a equipa de arbitragem.

- Não exageres! Foi uma vitória suada mas justa do nosso clube e desfez qualquer dúvida sobre quem é o terceiro grande do futebol português.

- Não devemos ter visto o mesmo jogo. Aquelas imagens que eu vi não me desfizeram qualquer dúvida. Antes pelo contrário, consolidaram as minhas certezas.

- Quais certezas?

- Fiquei com a certeza de que temos o plantel mais fraco dos últimos 20 anos.

(...)

- O Montero foi eleito o melhor jogador do campeonato em Agosto e Setembro.

- E que tem isso?

- É o reconhecimento de que foi uma boa contratação para o nosso clube. Há dois anos que nenhum jogador do Sporting era distinguido com este troféu. O anterior tinha sido o Wolfswinkel, em Setembro de 2011

- E queres comparar?

- Quero. Prefiro o Montero.

- Pois eu prefiro o Wolfswinkel. Jogador de fino recorte, elegante, sempre bem posicionado, com capacidade de recuperação da bola, incansável no apoio às linhas defensivas e muito integrado no espírito colectivo da equipa. E marcou muitos golos. Um excelente rapaz.

- Ele marcava muitos mas a equipa perdia. O Montero marca e o Sporting ganha.

- Já te disse mil vezes que isso só se deve à sorte. Nada mais. Deixa ver quando a sorte acabar...

(...)

- Defendes aquele jogo miserável do Adrien? Defendes o André Martins, que não tem cabedal para estes jogos? Defendes o Maurício, que é um perna-de-pau?

- E tu defendes quem?

- O Ilori. E o Bruma. Foi um crime termos deixado sair estes dois jovens tão brilhantes: ainda havemos de ouvir falar muito deles.

- É extraordinário: só és capaz de elogiar os que já foram embora. Até parece que estás a prever um mau resultado contra o Marítimo.

- Sim, estou a prever uma derrota. A primeira de muitas outras em casa. A partir de agora será sempre a descer. Nada mais natural dada a falta de qualidade de todo este elenco. O que torto nasce tarde ou nunca se endireita.

- Mas desde os tempos do Domingos Paciência, logo no início, que não víamos o Sporting jogar tão bem. E o Leonardo Jardim é um excelente treinador.

- Lá estás tu com a tuas bacoradas. Excelente treinador é o Paulo Fonseca. E quem joga bem é o Varela. E o Josué. E o Licá.

(...)

- Tu andas a embirrar com o Leonardo Jardim.

- Pois. Então ele tirou o Carrillo ao intervalo quando todos sabemos que o peruano é um dos mais criativos da equipa e pode fazer a diferença a qualquer momento numa jogada de génio?

- Ninguém tem visto o génio dele. Por mim, punha-o já a jogar na equipa B.

- Lá estás tu. Eu para a equipa B mandava o Maurício, o Vítor e o Wilson Eduardo... Mas julgas que não sei o que se passa? Querem entalar o Carrillo e desmoralizar o Dier e vender o Capel só porque são jogadores a.C.

- Antes de Cristo?

- Não. Antes do Carvalho. Que é encarado como um Cristo pelos fanáticos que o aplaudem. Mas, ao contrário do outro, este não faz milagres.

- Já percebi que perdeste a fé. E eu que sempre te julguei um cristão devoto.

- De Jesus sou devoto, sim. Do Carvalho é que não.

 

Os jarretas (antologia 2013/14, parte I)

 

- Já viste? O Bruno contratou um "ponta de lança" chamado Fredy Montero. "Ponta de lança" com aspas. Porcaria de contratação esta. Trata-se de mais um jogador pequenino para o nosso Sporting. O tipo não vale nada.

- Pois. Quem valia muito era o Gelson. O Bruno despachou-o por 450 mil em vez de o manter por cá. Esse sim, era um jogador como deve ser. Foi contratado em bom tempo.

(...)

- Então o que achaste do jogo de apresentação?

- Não gostei nada. E também não gostei da equipa. O lado direito não existiu. O Cédric estava sozinho, sem apoio. Na segunda parte andaram aos papéis...

- Eu sempre disse que a maior parte deste jogadores não tem categoria para fazer parte do plantel. E ainda querem despachar alguns dos melhores, como o Pranjic e o Jeffrén...

- Percebia-se que não tinham motivação, que estavam todos a jogar sem alegria. Viste a cara do Rui Patrício? Viste a cara do Labyad, que o Sporting não sabe aproveitar?

- E não sabem treinar remates a meia distância...

- E o do Adrien?

- Aquilo foi sorte. Não volta a fazer outro golo como aquele. Pura sorte.

(...)

- Que tal achaste o jogo contra a Fiorentina?

- Foi um resultado mentiroso. Nem percebo como é que os jornais desportivos - logo os três! - conseguiram ver ali uma grande exibição.

- Concordo. Ainda há ali muito trabalho para fazer...

- Claro que há. Mas o garoto que manda no clube já impediu o Leonardo Jardim de fazer alinhar os melhores jogadores. O Jeffrén, o Pranjic, o Bojinov, o Rubio, o Labyad, o Boulahrouz... Todos desperdiçados. Uma vergonha.

- Apesar disso na pré-temporada conseguimos ganhar também à Real Sociedade e ao Benfica, e ganhámos a Taça de Honra.

- Mas o que é isso comparado com o FC Porto, que conquistou a Supertaça?

- Tens razão. Aquilo é que é equipa. Dá gosto ver.

(...)

- Não começámos mal o campeonato, pois não?

- Podia ter sido pior.

- Não te vejo muito entusiasmado...

- O Sporting começou mal. O Arouca dominou durante a primeira meia hora. Depois teve azar de principiante que beneficiou o Sporting, só isso.

- E os golos do Montero?

- Calhou estar lá. Mas não me esqueço que falhou um golo a dois palmos da baliza. E não sabe fazer golos de cabeça.

- Fez um!

- A bola foi ter direitinha à cabeça dele. Aquele também eu fazia.

- Cinco golos de três reforços...

- Foram os cinco golos mais consentidos de toda a jornada. E não me interessam os reforços. Prefiro o Labyad, que tem muito mais potencial. E sem esquecer o Jeffrén, que está a ser maltratado só porque foi comprado pelo anterior presidente. Esta direcção tem um ódio cego ao Godinho Lopes!

- Pois tem. Mas desta vez eu gostei do Sporting. Até a defesa melhorou muito.

- Discordo. Devia ter jogado o Dier. Só não jogou por embirração do Bruno, que não deixa o treinador pôr o miúdo em campo.

- Mas o Maurício até marca...

- Golos daqueles também eu marco. E até tu, que tens a testa maior que a minha. É só saltar e apontar na direcção da baliza.

(...)

- O Bruma não queria jogar, nem sequer apareceu para treinar. Acabou por ser bem vendido.

- Bem vendido? Isso dizem os lacaios desta direcção.

- Foi vendido por mais nove milhões do que o João Pereira e mais cinco milhões do que o Miguel Veloso e mais um milhão do que o Moutinho...

- Doze milhões? O que são 12 milhões? Se agora vale isso, daqui a um ano, com a visibilidade que vai ter no futebol turco e nas selecções, valerá pelo menos trinta! Foi um péssimo negócio para o Sporting.

Os jarretas (23)

 

- Vou deixar de escrever contra o presidente.

- Oh, não me digas! Então porquê?

- Sinto-me muito pressionado. As pessoas não param de me criticar.

- Mas como é que te criticam se não sabem quem tu és? Tu escreves com pseudónimo. É um segredo que só nós partilhamos.

- Eh pá, sinto olhares suspeitos pousados em mim. Cada olhar desses trespassa-me como um punhal.

- Isso acontece onde? No estádio?

- Não, no estádio não. Eu sou como tu: já não entro há muito tempo no estádio. É no bar do Ritz, no balcão do Gambrinus, no Visconde da Luz. Esses locais que eu frequento. Sinto que olham para mim com ar suspeito. Como se eu fosse lampião.

- Disparate. É imaginação tua. Eu preservo-te a identidade, como sabes. Podes continuar a bater no presidente à vontade.

- Mas para dizer o quê?

- Critica a gestão desportiva, pá.

- Mas como é que eu critico se a gestão desportiva está a ter sucesso?

- Bolas! Critica a gestão financeira.

- É difícil. A gestão financeira também está a resultar, pá.

- Então critica a voz do gajo. A gravata. A postura. Sei lá. Nós podemos não saber porque é que lhe batemos mas ele sabe sempre porque é que apanha!

- Deixei de sentir motivação, tem paciência.

- E aqueles ataques de raiva que sentias quando o vias aparecer na televisão?

- Já não sinto. Estou a ficar amorfo, a perder o gás. Há dias até dei por mim a concordar com o presidente.

- Não me digas que estás a começar a apoiar esta direcção!

- Por acaso até estou.

- Nunca imaginei ouvir-te dizer uma coisa destas. Agora deste em brunista?

- Brunista?! Não! Estava a falar do presidente Pinto da Costa.

Os jarretas (22)

 

- No domingo fui ao estádio.

- Foste ao estádio? Mas desde que mudou a direcção do Sporting, há quase um ano, não te vejo por lá! E dantes cheguei a ver-te na bancada presidencial. Que te aconteceu?

- A minha vida mudou. Não costumo ter tempo para ver os jogos ao vivo por causa do blogue, que exige dedicação da minha parte a tempo inteiro.

- Não fazes mais nada senão escrever no blogue?

- Não é só escrever. Ou melhor: não é só escrever com o meu nome. Tenho também de escrever sob pseudónimo, para dar a ideia de que o meu blogue tem muita gente. Nada de original. Já o Fernando Pessoa fazia o mesmo.

- Mas esse não percebia nada de futebol e consta que nem tinha biblioteca...

- Como eu. Também não tenho biblioteca. E não percebo puto de futebol. Finjo perceber utilizando palavras da gíria futebolística e inventando um currículo de especialista em coisa nenhuma. Essa é a verdadeira arte: aparentarmos aquilo que nunca fomos e jamais seremos.

- Eheheh. Dou-te os parabéns pela habilidade. E que tal? Gostaste do jogo?

- Nem pensar. Achei péssimo, como aliás já esperava. Mas vinguei-me.

- Como?

- Assobiei a equipa. Foi um assobio arrancado cá do fundo da alma. Fez-me bem à enxaqueca e à neurastenia. Consegui estar dois dias sem tomar Lexotan.

- Assobiaste quem?

- Todos. Jogadores, Bruno, Inácio. Até assobiei o Paulinho. Com todas as ganas de que fui capaz.

- Continuas descrente da nossa equipa apesar de estarmos apenas a um ponto do FC Porto, com possibilidade de acesso automático à Liga dos Campeões, termos a melhor defesa do campeonato, a segunda melhor média de golos no campeonato deste século e a quarta melhor prestação defensiva da nossa história?

- Isso são balelas. Propaganda brunista.

- Mudaste muito. Há um ano davas-me na cabeça por ser eu a criticar. E tu foste elogiando sempre a direcção anterior, até ao limite, apesar de todas as metas terem ficado por cumprir. Na pré-época, anunciavam que seríamos campeões. No começo do campeonato, diziam-nos que iríamos à Champions. Ao fim da quinta jornada, asseguravam-nos que tínhamos a Europa garantida. Mas por alturas do Natal já lutávamos para não descer. Acabámos por ficar em sétimo, o pior lugar de sempre. E nessa altura nunca te ouvi assobiar a equipa nem os dirigentes. Pelo contrário, vi-te várias vezes irritado com os assobios, dizendo que eram injustos. E sempre disseste que tínhamos que apoiar a direcção e os jogadores, acontecesse o que acontecesse, mesmo com sucessivas derrotas.

- Era diferente.

- Diferente como?

- Ando furioso com o agravamento da meteorologia. Em 2013 havia Bruma, agora cai imensa chuva. Faz toda a diferença. Não tarda nada também te estou a assobiar. Vou mas é tomar outro Lexotan.

Os jarretas (21)

 

- Lá nos deixámos empatar mais uma vez em casa...

- Culpa do treinador. Quando tem de tomar uma decisão importante, em momentos decisivos, falha sempre.

- Achas que o problema é esse?

- Claro. Aconteceu na Taça de Portugal, de onde fomos afastados sem apelo nem agravo. Aconteceu na Taça da Liga, de onde também já fomos afastados. Sempre por culpa dele. É um técnico mediano. Não dá mais que isto.

- Não concordo contigo.

- Não concordas? Mas eu só me limito a apontar factos! Por causa do sistema de jogo montado pelo Leonardo Jardim, e da teimosia dele, estamos a ficar cada vez mais longe da entrada directa na Champions.

- Cada vez mais longe como?! Temos o dobro dos pontos que tínhamos no ano passado. E continuamos com o melhor ataque e a melhor defesa.

- E achas que as estatísticas é que ganham campeonatos? És um anjinho...

- E tu pareces não ter memória. Afinal quem é que tu preferias ver no nosso banco de treinadores? Um Vercauteren? Um Paulo Sérgio? Um Octávio Machado?

- Preferia um treinador que não metesse as mãos pelos pés. Preferia um treinador que soubesse preparar convenientemente a equipa, coisa que este não faz. Preferia um treinador que fosse jogar à Luz em primeiro lugar, o que não vai acontecer.

- Deixa-te de tretas. O Sporting é de longe a equipa que está a jogar melhor neste campeonato e que tem valorizado mais os jogadores. Com metade do orçamento do Benfica, ganhámos em Barcelos enquanto eles empataram.

- Ainda acreditas no Pai Natal? Basta sairmos derrotados da Luz para dizermos adeus ao título!

- Mas tu já te esqueceste do que dizias no início da época? Em Agosto, querias trocar o Montero pelo Ghilas. Em Setembro, vaticinavas que íamos perder jogos atrás de jogos. Em Outubro, garantias que tínhamos o plantel mais fraco dos últimos vinte anos...

- E andei sempre mais próximo da verdade do que tu: nunca me deixei embriagar pela pandilha brunista.

- Tu deixas-te embriagar por quê?

- Por Vinho do Porto. Não há nada melhor.

Os jarretas (20)

 

- Chegámos ao final da primeira metade do campeonato em segundo lugar...

- Sim, mas podiámos estar melhor.

- Estar melhor?! Mas no início tu dizias que mal tínhamos plantel para conquistar um lugar de acesso à Liga Europa.

- Isso era eu a brincar... A verdade é que podíamos estar melhor se o Bruno não tivesse hostilizado tanto os árbitros.

- Hostilizar os árbitros?! Mas sempre te ouvi dizer, noutras épocas, que os árbitros prejudicam deliberadamente o Sporting. E este ano já o fizeram quando recebemos o Rio Ave e o Nacional, desafios que só não ganhámos porque o senhor Xistra deixou por marcar um penálti por mão do vilacondense Marcelo e o senhor Mota anulou um golo limpíssimo marcado pelo Slimani.

- Essas minhas declarações não devem ser tomadas à letra. Alguns árbitros até foram nossos amigos, como por exemplo o do jogo contra o Belenenses, que inventou um penálti a nosso favor que nunca devia ter sido marcado.

- E o que tem isso de relevante? Nesse mesmo jogo, que ganhámos por 3-0, o árbitro fez vista grossa a um claro penálti sobre o Montero que daria cartão vermelho ao jogador de Belém caso tivesse sido assinalado!

- Isso agora não interessa nada. Podíamos estar em melhor posição no campeonato se o Slimani fosse mais aproveitado.

- Mas tu dizias que o Slimani era coxo e tinha sido pescado nos saldos! Aliás disseste quase o mesmo do Montero.

- Essas minhas afirmações devem ser inseridas num determinado contexto. A verdade é que estaríamos melhor se tivéssemos um ataque com o mesmo nível da nossa defesa.

- Mas tu dizias no início da época que a nossa defesa era um susto! Ouvi-te chamar perna de pau ao Maurício e insistias que o Jefferson só servia para futebol de praia... Olha que tenho boa memória!

- Isso eram coisas que eu dizia só da boca para fora... Mas tenho a certeza de que agora estaríamos em primeiro se alguns jogadores tivessem sido devidamente aproveitados.

- Quais jogadores? Não foste tu que chegaste a apostar comigo que o Rui Patrício, o Capel e o André Martins iriam ser vendidos?

- Mas o Bruma...

- Deixa lá o Bruma, que até rendeu um óptimo encaixe financeiro ao Sporting e, coitado, agora aleijou-se gravemente no Galatasaray, para onde fez questão de ir. Ninguém o empurrou para lá. E a verdade é que temos o Carlos Mané já na equipa principal. Alguém por quem tu nunca tinhas mostrado qualquer interesse, como se o desconhecesses.

- Sim, mas se não fosse o Leonardo Jardim...

- O Leonardo Jardim?! Mas não eras tu que dizias que o maior erro do Bruno de Carvalho foi não ter impedido a saída do Jesualdo Ferreira?

- Se alguma vez disse isso foi só para te picar.

- Mas agora olhas para a tabela classificativa e não sentes orgulho?

- Nem consigo olhar.

- Porquê?

- Porque acho injusto isto estar a acontecer agora. Devia ter acontecido no ano passado.

Os jarretas (19)

 

- Bestial. Estamos em primeiro lugar, isolados, há duas semanas consecutivas. Não acontecia desde mil novecentos e troca-o-passo.

- Sim. Mas o plantel é curto.

- Curto ou não, tem chegado para as encomendas.

- Aquela defesa é um susto...

- Um susto?! Então podes explicar-me por que motivo é a menos batida do campeonato?

- Sorte, pura sorte. E os alas? Já viste que não temos alas suficientes?

- Mas tu tens visto os jogos? Os alas que temos chegam para as encomendas.

- Não chegam: imagina que algum se lesiona. Terminam os jogos esfarrapados porque o Leonardo Jardim coloca toda a pressão neles com aquele sistema de jogo que está condenado ao fracasso, como eu sempre disse.

- O Capel é indiscutível. O Wilson Eduardo está a ser uma revelação. O Carrillo nunca jogou tão bem. Se algum se lesionar avançam o Carlos Mané ou o Diogo Salomão. Lideramos à 13ª jornada, com quase tantos golos como os que fizemos ao longo de todo o campeonato anterior. Trinta golos, à média de 2,5 por jornada. Que fracasso?

- Há-de acontecer, descansa. Eu tenho sempre razão. Ainda nem chegámos a meio do campeonato.

- Mas este Natal, para nós, vai ser bastante mais doce. Este prazer já ninguém nos tira.

- Deixa-te de lirismos. O plantel é curto e há casos por resolver. Isso preocupa-me.

- Que casos?

- O Labyad. O rapaz é um talento. Muito melhor do que alguns que têm sido titulares. Só não joga porque o Bruno o detesta.

- Nada disso. Não joga por opção técnica. É caro de mais e nunca fez nada de jeito no Sporting. Além disso iria perturbar um grupo de trabalho que é muito coeso e solidário.

- Vocês ainda hão-de arrepender-se por desprezarem assim o Labyad. Ele é craque, tem futuro.

- Já vi que nada te satisfaz. Por melhor que o Sporting se mostre e por mais resultados que consiga, nunca estás satisfeito.

- Eu percebo muito melhor estas coisas do que tu. A prestação da equipa contra o Belenenses foi medíocre. A vitória só aconteceu por sorte e porque o árbitro ajudou. Além disso ainda não começou a chover a sério. Deixa vir a chuva e vais ver se a equipa não começa a desmoronar-se como um castelo de cartas.

- Já pareces o Joaquim Rita a falar. Estás aqui estás a estrear-te como comentador de bola na SIC Notícias. Ou, pelo menos, como apresentador do boletim meteorológico.

- SIC Notícias? Nem pensar... é encarnada de mais para o meu gosto. Mas não me importava de ser comentador do Porto Canal. Nada tenho contra o azul.

Os jarretas (18)

 

- Então continuamos em segundo, apenas a um ponto do líder, quando já passou um terço do campeonato. A isto é que eu chamo uma boa notícia!

- Mas ainda estás iludido?

- Iludido? Estou é convicto de que podemos ser campeões. Depois de mais uma vitória fora, desta vez contra o Guimarães...

- Tens de aprender a ver futebol: aquilo foi um jogo muito fraco, que só valeu pela vitória.

- Mas...

- Então tu não reparaste que o Montero voltou a não ser servido nem uma só vez? Assim não pode marcar.

- Vejo-te preocupado com o jejum do Montero.

- Não me preocupa nada o jejum do Montero: estou muito mais preocupado com o jejum do Wolfswinkel, que ainda só marcou um golo no Norwich. Aliás, continuo a achar que a contratação do colombiano foi uma lotaria. Preocupa-me é que o nosso ataque continuado praticamente não tenha existido contra o Porto e o Benfica. E agora, contra o Guimarães, passou-se o mesmo.

- Continuas pessimista, pelo que vejo.

- Tenho saudades de alguns jogadores que deixaram o Sporting.

- Quem?

- O Miguel Lopes, por exemplo. Continuo a pensar que estamos muito longe de ter melhorado o lado esquerdo da defesa. Dava-nos muito jeito o Miguel Lopes. E também sinto falta do Joãozinho.
- Miguel Lopes?! Mas ele não aguenta jogar 90 minutos. E o Joãozinho já nem na equipa principal do Braga joga. Só podes estar a gozar... O Jefferson é muito superior, como lateral esquerdo. Como é que continuas a elogiar a mediocridade paga a peso de ouro?

- E como é que tu continuas a elogiar cegamente os jogadores que o Bruno trouxe? Fazes isso só para denegrires a direcção anterior! Olha o nosso meio-campo, que parece cada vez mais curto. Acredita em mim: ainda vamos sentir muita falta da experiência do Schaars. E já nem me apetece falar do Labyad, que está a pagar o preço da sua irreverência.

- Está mas é a pagar o preço da sua irrelevância. O que trouxe ele ao Sporting?

- Com um treinador competente como o professor Jesualdo Ferreira logo verias se o Labyad não renderia. Esse foi o maior disparate do Bruno: ter trocado de treinador. Nenhum clube troca de treinador quando está bem servido.

- Mas o Braga, com o Jesualdo, andou a perder durante cinco jornadas consecutivas e teve o pior arranque de campeonato do século! O Braga está já oito pontos atrás do Sporting...

- Que interessa isso? O Jesualdo tem estrela de campeão. Aliás já foi campeão.

- Foi campeão no Porto. No Sporting não evitou que a equipa tivesse ficado em sétimo lugar, a pior classificação de sempre, e faltasse pela segunda vez na sua história às competições europeias.

- A culpa não foi dele. Na época passada tivemos azar: houve muitas bolas a bater no poste.

- O nosso azar foi as bolas nem sequer chegarem perto do poste, quanto mais entrarem... Mas porque não gostas tu do Leonardo Jardim?

- Falta-lhe qualquer coisa de relevante no currículo.

- O quê?

- Ter cheirado o balneário do FC Porto. Sem esse marco no currículo, para mim, nenhum treinador serve.

Os jarretas (17)

 

- Então o dérbi de sábado, como vai ser?

- Como queres tu que seja? Para perder, claro. Se jogarmos na Luz como jogámos no Dragão o resultado final é mais que óbvio. Podes escrever o que eu te digo.

- Não tens fé?

- Nada disso. Fé é para aqueles tipos que têm um blogue muito irritante que eu nunca leio.

- Se nunca lês como é que sabes que é irritante?

- Porque se chama És a nossa Fé. Já viste nome mais ridículo?

- Por acaso já vi nomes muito piores. E eu até não desgosto deste.

- Olha, eu desgosto é desta equipa que tremeu contra o Marítimo e só ganhou devido àquela sorte inexplicável que o Leonardo Jardim continua a ter. Ao contrário do Professor Jesualdo, que anda cheio de azar lá por Braga.

- Eu também sofri bastante, confesso. Mas houve jogadores que deram o litro.

- Que jogadores?!

- O Adrien, o William Carvalho...

- Não me faças rir! Aquilo foi uma tremideira colectiva. Podíamos ter sido derrotados por dois ou três de diferença. E tudo começou num frango do Rui Patrício, mal posicionado na baliza.

- Espera lá. Tudo começou com um penálti inventado pelo árbitro!

- Eu achei o penálti bem marcado: vendo a imagem percebe-se que houve contacto. Depois achei o Adrien frouxo, ao William falta agressividade nas missões defensivas, o Wilson Eduardo não sabe recuar em apoio aos laterais, o Vítor foi uma aposta falhada. O Montero falhou dois golos quase feitos, começa a andar deslumbrado. Parece o Bruno...

- Mas o Capel esteve muito bem.

- Esteve. Também gostei do Dier, que é para mim o melhor jovem central português. Ao contrário do Maurício, talvez um dos piores defesas centrais a jogar nesta Liga. Só é pena o treinador não dar mais oportunidades ao Eric, talvez por pressão do Bruno, que embirra com o rapaz.

- E tu andas a embirrar com o Leonardo Jardim.

- Pois. Então ele tirou o Carrillo ao intervalo quando todos sabemos que o peruano é um dos mais criativos da equipa e pode fazer a diferença a qualquer momento numa jogada de génio?

- Ninguém tem visto o génio dele. Por mim, punha-o já a jogar na equipa B.

- Lá estás tu. Eu para a equipa B mandava o Maurício, o Vítor e o Wilson Eduardo... Mas julgas que não sei o que se passa? Querem entalar o Carrillo e desmoralizar o Dier e vender o Capel só porque são jogadores a.C.

- Antes de Cristo?

- Não. Antes do Carvalho. Que é encarado como um Cristo pelos fanáticos que o aplaudem. Mas, ao contrário do outro, este não faz milagres.

- Já percebi que perdeste a fé. E eu que sempre te julguei um cristão devoto.

- De Jesus sou devoto, sim. Do Carvalho é que não.

Os jarretas (16)

 

- Eu não te dizia?

- Estás a falar de quê?

- Do Sporting, claro. Eu não te dizia que aquelas vitórias tinham sido pura sorte e íamos começar a perder jogos atrás de jogos?

- Mas que exagero! Que história é essa de perdermos jogos atrás de jogos? Só perdemos um, com o FC Porto, no Dragão, e toda a crítica isenta disse que a nossa equipa caiu de pé e não merecia perder por dois golos de diferença. Não achaste que demos luta e até podíamos ter terminado empatados se o Montero fizesse o 2-2 naquele lance de cabeça?

- Nada disso. O clássico no Dragão foi uma enorme humilhação para o Sporting! E não custa nada perceber porquê. Temos uma péssima direcção, uma equipa fraquíssima, feita à imagem da direcção, que o Inácio andou a comprar em saldos na segunda divisão brasileira e um treinador que não tem estaleca para isto, ao contrário do Professor Jesualdo Ferreira. Não há milagres.

- Tu falas como se fosse fácil ir ao Dragão ganhar ao Porto. A derrota não teve nada de extraordinário, pois em anos com melhores equipas também lá não ganhámos. Não te esqueças que eles não perdem lá desde 2008 para o campeonato. E o William Carvalho até marcou um golo!

- E o que tem esse golito?

- Há mais de dois anos e meio que o Sporting não marcava um golo ao Porto, nem em Alvalade nem no Dragão. O último tinha sido do Matías Fernández, em 17 de Abril de 2011, num jogo que perdemos por 2-3. Estivemos 422 minutos sem marcar e só terminámos o jejum agora, cinco jogos depois.

- Não tentes dourar a pílula. Já te disse várias vezes que o Sporting só tem tido sorte, nada mais. Esta direcção é mais incompetente do que a anterior.

- A verdade é que o orçamento para o futebol do FC Porto é muito superior ao do Sporting. Mesmo assim este ano temos mais dez pontos do que na época passada, em que o orçamento para a equipa profissional era o dobro daquilo que temos esta época.

- Mas para que insistes tu em defender o Bruno?

- Eu não defendo o Bruno. Eu defendo o Sporting. Temos equipa para fazer muito melhor do que no ano passado e irmos desta vez à Liga dos Campeões.

- Mas que Sporting? Defendes aquele jogo miserável do Adrien? Defendes o André Martins, que não tem cabedal para estes jogos? Defendes o Maurício, que é um perna-de-pau?

- E tu defendes quem?

- O Ilori. E o Bruma. Foi um crime termos deixado sair estes dois jovens tão brilhantes: ainda havemos de ouvir falar muito deles.

- É extraordinário: só és capaz de elogiar os que já foram embora. Até parece que estás a prever um mau resultado contra o Marítimo.

- Sim, estou a prever uma derrota. A primeira de muitas outras em casa. A partir de agora será sempre a descer. Nada mais natural dada a falta de qualidade de todo este elenco. O que torto nasce tarde ou nunca se endireita.

- Mas desde os tempos do Domingos Paciência, logo no início, que não víamos o Sporting jogar tão bem. E o Leonardo Jardim é um excelente treinador.

- Lá estás tu com a tuas bacoradas. Excelente treinador é o Paulo Fonseca. E quem joga bem é o Varela. E o Josué. E o Licá.

- Deixa-te de resmunguices. Vamos comer uma bifana a algum lado?

- Pode ser. Mas uma bifana não: agora, não sei porquê, só me anda a apetecer francesinhas...

Os jarretas (15)

 

- O Montero foi eleito o melhor jogador do campeonato em Agosto e Setembro.

- E que tem isso?

- É o reconhecimento de que foi uma boa contratação para o nosso clube.

- Espero que não lhe suba à cabeça...

- Há dois anos que nenhum jogador do Sporting era distinguido com este troféu. O anterior tinha sido o Wolfswinkel, em Setembro de 2011

- E queres comparar?

- Quero. Prefiro o Montero.

- Pois eu prefiro o Wolfswinkel. Jogador de fino recorte, elegante, sempre bem posicionado, com capacidade de recuperação da bola, incansável no apoio às linhas defensivas e muito integrado no espírito colectivo da equipa. E marcou muitos golos. Um excelente rapaz.

- Ele marcava muitos mas a equipa perdia. O Montero marca e o Sporting ganha.

- Já te disse mil vezes que isso só se deve à sorte. Nada mais. Deixa ver quando a sorte acabar...

- Mas para que falas tu do Wolfswinkel se ele foi vendido ainda pela anterior direcção? Só fazem falta os que cá estão, como diz o presidente Bruno de Carvalho.

- Falo nisso para te fazer abrir os olhos. O Bruno continua a dar-se ao luxo de desperdiçar bons jogadores enquanto todos só falam do Montero. Não tem perfil de presidente para um clube desta grandeza e em breve o Sporting sofrerá por isso. Podes escrever o que eu te digo.

- E quem são esses jogadores desperdiçados?

- Indico-te já dois: o Labyad e o Jeffrén. Qual foi a vantagem de o Bruno não os ter inscrito na Liga?

- E qual foi a vantagem para o Sporting de terem sido contratados?

- Não digas asneiras. Então o Jeffrén não é útil e o Labyad não faz falta?

- O Jeffrén teria utilidade se saísse do Sporting o mais rapidamente possível. O Labyad faz falta: só ainda não percebi em que equipa. E tu que sempre disseste que defendias um Sporting a jogar só com os miúdos da formação e até chegaste a dizer que devíamos ser como o Bilbau, agora passas o tempo a exigir a presença destes dois estrangeiros? Isso é uma enorme contradição!

- Não é contradição nenhuma. Continuo a defender os jogadores da formação. O Jeffrén foi formado no Barcelona e o Labyad naquele clube holandês que só tem três letras. Ouve o que eu te digo: o Sporting devia apostar neles.

- Mudando de assunto. Vamos ver o jogo contra o Alba amanhã?

- Vai tu ao Alba. Amanhã vou ao Lidl. Tenho uma lista de compras maior do que a do Pinto da Costa no defeso.

Os jarretas (14)

 

- Aquilo é que foi um jogo emocionante!

- Qual jogo?

- O Braga-Sporting, pá.

- Que jogo? Chamas àquilo jogo?

- Tu não chamas?

- Claro que não. Jogo, para mim, é quando há duas equipas em campo. Eu só vi uma em campo: a do Braga, muito bem treinada pelo Professor Jesualdo Ferreira, que muita falta nos tem feito em Alvalade. A menos que estejas a contar também com a equipa de arbitragem.

- Não exageres! Foi uma vitória suada mas justa do nosso clube e desfez qualquer dúvida sobre quem é o terceiro grande do futebol português.

- Não devemos ter visto o mesmo jogo. Aquelas imagens que eu vi não me desfizeram qualquer dúvida. Antes pelo contrário, consolidaram as minhas certezas.

- Quais certezas?

- Fiquei com a certeza de que temos o plantel mais fraco dos últimos 20 anos. Fiquei com a certeza de que a equipa anda aos papéis o tempo todo, fiquei com a certeza de que não temos meio-campo digno desse nome e a carência de rematadores é tão grande que é necessário vir um defesa marcar um golo, com imensa sorte, numa charutada de ressalto.

- Temos o Montero...

- Temos esse mas não pode fazer nada se não for servido em condições! E não temos mais nada. Olha o Slimani, por exemplo: ainda não mostrou a ninguém por que foi contratado. Já o viste marcar algum golo?

- Ele só não marca porque não tem jogado. E não tem jogado porque não tem sido preciso: o Sporting está com o melhor ataque do campeonato.

- O Sporting tem sido é a equipa com mais sorte no campeonato, isso sim!

- Mas não sentes orgulho por estarmos em segundo lugar?

- Orgulho de quê? Daquele vergonhoso empate com o Rio Ave? Da mão-cheia de jogadores que chegaram directamente vindos da segunda divisão brasileira? Do descalabro do Sporting B?

- Não acreditas em ninguém?

- Acredito. No Bruma, que o Bruno deitou fora por meia dúzia de tostões. No Jeffrén, estupidamente excluído do plantel. Do Carrillo, que não tem vindo a ser devidamente acarinhado só porque foi contratado pela direcção anterior. E acredito no Labyad, que nos tem feito muita falta. E também acredito no Varela. Gostava de vê-lo jogar à frente com o Labyad: os dois remetiam o Montero ao banco.

- Acreditas no Varela?! Mas o Varela agora joga no Porto!

- Por isso mesmo. É verde e azul e branco. Não há cor mais bonita neste mundo.

Os jarretas (13)

 

 

- Que cara é essa, homem?

- Vê lá se adivinhas... Entretanto o Sporting vive hoje a página mais negra da sua história.

- Não achas que estás a exagerar? Porque dizes isso?

- Sabias que o Bojinov vai recorrer à justiça para reclamar uma indemnização ao Sporting pela quebra do vínculo entre as duas partes?

- E que tem isso? O Bojinov não nos faz falta nenhuma.
- Mas não percebes que assim o presidente arrasta o nome do Sporting pela lama? Nós somos um clube diferente, um clube de valores. O Bojinov é um excelente profissional que devia ser tratado com respeito. Só os ditadores se portam com ele como o Bruno se portou.

- Eu começo a achar que ele afinal nem é mau presidente...

- Porque já andas intoxicado pela propaganda brunista na blogosfera e nas redes sociais. Ao menos o anterior presidente, ao contrário deste, não foi para o clube para ter ordenado!

- Ouviste o que disse o Luís Duque?

- Julgas que eu não tenho mais nada que fazer? Quero lá saber do que esse diz!

- Mas porque dizes que o Sporting vive a página mais negra da história?

- Por tudo. Pelas promessas não cumpridas.

- Quais promessas?

- Que viriam investidores a pôr 20 milhões de euros no clube... E também pelos jogadores contratados, que são muito inferiores aos que já estavam no clube.

- Mas houve boas contratações...

- Nada disso: em 13 só se aproveitam três! E a equipa ainda não começou a perder. Imagina só como vai ser quando as derrotas começarem a aparecer, pois não temos equipa para ganhar durante toda a época.
- Até agora não perdemos...

- Mas vamos perder. Garanto-te que vamos.

- Que pessimista!

- E houve o caso do Bruma, que foi um péssimo negócio para o clube. O Bruno lesou o Sporting em vários milhões. Isto é que é uma verdadeira gestão danosa! Além de que o Bruma nos faz muita falta pois com ele a equipa regressaria às vitórias.

- Mas como é que podemos "regressar às vitórias" se ainda não perdemos?!

- Esquece. Estava a confundir o Sporting com o Galatasaray. Eu agora torço pelos turcos nas competições europeias.

- Esses foram goleados pelo Real Madrid por 6-1, na Turquia! O Bruma nem conseguiu fazer nada.

- Já percebeste agora porque estou com esta cara?

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D