Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Eusébio (1942-2014)

 

No momento da morte, impõe-se o respeito pela memória de quem partiu. Esbatem-se todos os clubismos, extingue-se o rastilho de todas as polémicas, sempre pequenas em comparação com a grandeza de uma vida que se apaga. E prevalece a memória de quem, para além das camisolas dos clubes que serviu ao longo de uma brilhante carreira, foi sobretudo símbolo do futebol português como atleta de craveira ao serviço da selecção nacional.

Portugal está de luto pela morte de Eusébio da Silva Ferreira, um menino pobre de Moçambique que por mérito próprio ascendeu à galeria dos campeões do desporto mundial. Conhecido em todo o lado pelo nome próprio: simplesmente Eusébio. Ainda tive o privilégio de o ver jogar. Era de um clube rival, mas nem por isso menos digno de admiração. E de um prolongado aplauso que a partir de agora se perpetua pela eternidade.

Na morte de Cruz dos Santos

 

Acabo de saber que faleceu Fernando Cruz dos Santos, um jornalista que me habituei a ler desde miúdo, nas páginas do jornal A Bola, e a respeitar como profissional isento e sério - um exemplo para as gerações mais jovens. Com ele aprendi, designadamente, muito sobre arbitragem.

Cruz dos Santos, que exerceu funções redactoriais naquele periódico durante 42 anos, entre 1954 e 1996, destacou-se por ter sido o primeiro jornalista a entrevistar Eusébio, quando o futuro astro do futebol português e mundial chegou a Lisboa, em Dezembro de 1960: várias vezes recordou esse encontro inicial com o craque que já se tinha evidenciado como atacante do Sporting de Lourenço Marques.

Mesmo depois da aposentação, Cruz dos Santos continuou a escrever no períodico onde fez toda a sua carreira. Até há poucos dias. Uma das últimas crónicas fazia aliás alusão ao seu recente internamento hospitalar. Apenas há três semanas, criticou sem rodeios a vergonhosa actuação do árbitro João Capela no jogo Benfica-Sporting.

Foi sempre, até ao fim, fiel aos princípios deontológicos que abraçou com lisura e convicção. Para ele, o jornalismo devia conter sempre uma missão pedagógica, nunca indissociável da formação cívica dos leitores.

Curvo-me perante a memória deste prestigiado jornalista que foi também um cidadão de mérito. E faço votos para que o seu exemplo perdure.

 

Imagem: Cruz dos Santos com Eusébio (foto A Bola)

Última hora: faleceu Manolo Vidal

 

Declaração do presidente Godinho Lopes: «Faleceu um dos nossos. Manolo Vidal foi responsável pela formação num período muito complicado, foi director do futebol profissional em mais do que uma ocasião, com o sucesso que todos sabemos. Mais do que isso, Manolo Vidal foi um grande sportinguista que sempre defendeu o Clube, muitas vezes, em prejuízo da sua vida profissional. Em nome do Sporting Clube de Portugal, quero apresentar as mais sentidas condolências a toda a família.»

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D