Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Um ano sem penáltis nem expulsões

Há 365 dias que o Benfica não sofre um penálti nem vê um seu jogador expulso no campeonato português. A última vez que isso aconteceu foi a 21 de Março de 2015, num Rio Ave-SLB, quando Ukra converteu uma grande penalidade para os vilacondenses aos 73' e Luisão viu o cartão vermelho aos 85'.

O árbitro que se atreveu a expulsá-lo e a marcar o castigo máximo, Marco Ferreira, foi despromovido no final da época, acabando por abandonar a actividade.

As coisas são o que são.

Melhor que este Leão só em 1946/47

«O Sporting soma 55 pontos. É o melhor leão de sempre com vitória a valer três pontos. O segundo é o de 2003/04, com 51. Se as vitórias valessem apenas dois pontos, como até 1994/95, o Sporting teria 38: 17 triunfos e 4 empates. Melhor leão só há um: o de 1946/47. Tinha, à 22ª jornada, 39 pontos. Igual a este Sporting só quatro: 1948/49, 1959/60, 1969/70 e 1979/80, todos com 38. Ou seja, leão com mais pontos, só no tempo dos cinco violinos

Rogério Azevedo, hoje, n' A Bola

Para cima e em frente

O actual estádio José Alvalade registou ontem a maior enchente de sempre desde que foi inaugurado, a 6 de Agosto de 2003: éramos 49.382 espectadores. Até agora a maior assistência ocorrera no Sporting-Benfica da temporada passada, com 49.076 ingressos.

 

 ....................................................

 

Desde a época 1976/77, quando Jimmy Hagan era o treinador do Sporting, não assistíamos a algo semelhante ao que se passa agora: o Sporting dobrar o campeonato depois de vencer os dois principais rivais. Ganhar ao SLB e ao FCP na primeira volta é um bom augúrio para conquistar o principal troféu do futebol português.

No campeonato das estatísticas

À 12ª jornada do campeonato, Rui Patrício sofreu apenas cinco golos. É o melhor registo da nossa equipa desde a longínqua época 1970/71, com Vítor Damas na baliza. Há 45 anos.

 

O Sporting tem neste momento a melhor pontuação à 12ª jornada desde a temporada 1990/91, quando estava sob o comando de Marinho Peres. Há um quarto de século.

Metade dos golos sofridos

Continuamos em primeiro lugar no campeonato. Com oito vitórias e dois empates. Há um ano tínhamos menos nove pontos. Seguíamos num desolador oitavo lugar. Com quatro vitórias, cinco empates e uma derrota.

Temos mais golos marcados (19, mais um do que há um ano) e metade dos golos sofridos (agora apenas cinco, enquanto na Liga anterior seguíamos já com dez golos sofridos à décima jornada).

As coisas são o que são.

Estatísticas leoninas

Apenas uma vez, até agora, o Sporting tinha vencido três vezes o Benfica numa só temporada. Aconteceu na época 1953/54, quando ainda jogavam três dos Cinco Violinos (Albano, Travassos e Vasques).

 

Entre 2010 e Junho de 2015 o Sporting obteve apenas uma vitória em mais de dez jogos disputados com o SLB.

 

Slimani marcou no sábado o quarto golo ao SLB nos sete dérbis que já disputou.

 

O Benfica já não vence o Sporting desde 11 de Fevereiro de 2014.

Sem Carrillo estamos melhor

- Desde 1993 que o Sporting não liderava isolado o campeonato nacional de futebol à oitava jornada. Nesse ano, sob o comando do saudoso Bobby Robson, somámos sete vitórias e um empate.

 

- Nunca até domingo uma equipa portuguesa tinha estado a vencer o Benfica por 3-0, ao intervalo, no estádio da Luz. Igualamos assim o Ajax, com idêntica marca (e dois golos de Cruyff) alcançada a 19 de Fevereiro de 1969, em jogo da Taça dos Campeões.

 

- O Sporting (já sem contar com o contributo de Carrillo) marcou 17 golos nos últimos quatro jogos oficiais. Mais dois do que os 15 marcados (ainda com o peruano integrado na equipa) nos 11 jogos anteriores.

 

- Jorge Jesus utilizou, com manifesto êxito, 22 jogadores nas últimas duas partidas que o Sporting disputou (contra os albaneses do Skënderben, para a Liga Europa, e o Benfica, para o campeonato).

Há um ano

Faz agora um ano, à quarta jornada do campeonato, tínhamos só seis pontos - consequência de três empates e apenas uma vitória (em casa, frente ao Arouca, com um golo do Carlos Mané aos 94').

Agora temos dez pontos, após três vitórias (fora de casa) e um empate.

Mais quatro pontos.

 

Faz agora um ano, à quarta jornada do campeonato, tínhamos só quatro golos marcados. Agora temos oito.

O dobro.

 

Melhorámos, como as estatísticas indicam.

Um facto que só não é reconhecido por aqueles que alimentam um ódio primário contra Jorge Jesus.

Alguns deles, curiosamente, são do Sporting.

A pior primeira parte de sempre

bayern-oporto-efe--644x362[1].jpg

 

Bayern-FCP: 6-1, com 5-0 ao intervalo.

Esta foi a pior primeira parte de sempre do futebol português na Europa.

Nunca antes uma equipa portuguesa envolvida em competições europeias tinha estado a perder aos 45' por um resultado acima de 4-0.

Mais: nunca na história da Liga dos Campeões se havia registado até hoje um resultado destes - também ao intervalo - nos quartos-de-final da competição.

E, como hoje sublinha o jornal A Bola, "só por seis vezes uma equipa fora goleada por cinco ou mais golos na mesma fase da prova".

Nenhuma delas portuguesa, felizmente.

Até à noite de ontem.

O exemplar pêndulo leonino

 

1409430410085_wps_63_Mandatory_Credit_Photo_by[1].

É pública e notória a constante melhoria de rendimento de William Carvalho, agora bem adaptado ao sistema de Marco Silva, que prefere jogar com linhas mais distanciadas em comparação com o seu antecessor, Leonardo Jardim. Esta opção aumenta a qualidade do espectáculo (as recentes exibições do Sporting em Braga e contra o Rio Ave em Alvalade comprovam isso) mas aumenta a margem de risco e dificulta a tarefa de jogadores como William, encarregado de articular a ligação entre essas linhas.

Apesar das evidências, no entanto, alguns sportinguistas continuam a insistir na quebra de rendimento do nosso médio defensivo, insistindo que "ele falha muitos passes".

 

Será mesmo assim ou estaremos perante mero achismo de bancada, não sustentado em factos?

 

Nestas coisas, como em tantas outras, nada há como recorrer às estatísticas - para o efeito, servem as do Record, que costumam ser bem fundamentadas.

No Sporting-Rio Ave, William Carvalho foi o nosso jogador que mais tocou na bola: 91 vezes.

Balanço desta intervenção: uma assistência para golo (após uma espectacular recuperação de bola) e nada menos de 79 passes - dos quais 66 foram certeiros e apenas 13 erraram a direcção.

 

Estes números não dirão tudo de William Carvalho. Mas dizem muito do seu desempenho em campo e da sua influência como pêndulo do meio-campo leonino.

São números que aqui destaco na esperança de contribuir para baixar o tom daquelas bravatas de bancada contra o jogador que "continua a falhar muitos passes". Confesso que já me cansa ouvir isso. Por algum motivo especial? Não. Apenas por não ser verdade.

 

ADENDA: as estatísticas de William, actualizadas, podem ser consultadas aqui.

Golos

Diziam que sofríamos muitos golos. Pois aí estão os nossos três últimos jogos a testemunhar o contrário: apenas um sofrido.

Diziam que marcávamos poucos golos. Pois aí estão esses mesmos três jogos a demonstrar a falta de validade de tal tese: onze marcados. Repito: onze. Em três competições diferentes: campeonato, Taça de Portugal e Liga dos Campeões.

As coisas são o que são.

Estatísticas que nos fazem sorrir

«As equipas portuguesas conseguiram fazer o pleno de vitórias numa jornada pela segunda vez desde que há fases de grupos na Liga dos Campeões. Tal só tinha acontecido em 2007/08, com os triunfos caseiros do FC Porto sobre o Besiktas (2-0) e do Sporting sobre o Dínamo de Kiev (3-0), enquanto o Benfica foi a Donetsk ganhar ao Shakhtar (2-1).»

O Jogo, 6 de Novembro

 

«Os triunfos de Benfica, FC Porto e Sporting, contra apenas uma vitória italiana, a da Juventus, fizeram Portugal recuperar o quarto lugar no ranking da UEFA.»

Idem

Estatísticas que nos fazem sorrir

«O Sporting é o quarto clube mundial a fornecer mais jogadores à elite do futebol (campeonatos da Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália). São doze: Cristiano Ronaldo (Real Madrid), Carriço (Sevilha), Beto (Sevilha), Rafael Veloso (Deportivo), Varela (Queen Park Rangers), José Fonte (Southampton), Eric Dier (Tottenham), Pedro Mendes (Parma), Mário Rui (Empoli), Pereirinha (Lazio), João Moutinho (Mónaco) e Tiago Ilori (Bordéus). À frente do nosso clube apenas se encontram o River Plate, da Argentina (17), o Ajax, da Holanda (15), e o Boca Juniors, também da Argentina (14).»

Record, 29 de Outubro

 

«Paulo Oliveira, em apenas seis jogos pelo Sporting, já marcou tantos golos como em 60 jogos com a camisola do Guimarães.»

Idem

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D