Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Ser ou não ser mau

A dúvida é legítima.

Assistindo a todos os jogos em casa e vendo a maior parte deles fora, na tv, vê-se um denominador comum em todos eles:

A falta de jeito dos apitadores.

Mas serão eles só maus? Ou são maus só quando querem?

Este de hoje, por exemplo: marcou um penalti contra nós que existe mesmo. Pode concluir-se que é um bom árbitro.

Pois, mas não marcou um claro e outro menos claro a nosso favor. O que faz dele um árbitro mau.

Ah! e mostrou o primeiro cartão amarelo à equipa contrária aos 81 minutos. Fabuloso! O que faz dele um árbitro habilidoso.

Este rapaz com nome de realizador produziu um belo filme, hoje à tarde. Habilidoso quanto baste, tratou de resolver o problema atacante do Paços de Ferreira, que defendeu muito bem, sem atropelo das leis do jogo, segundo este... senhor.

Fazendo parte duma fornada de jovens árbitros conotados com o Benfica, é já merecedor dos maiores encómios. Produz já os resultados previstos pela estrutura.

 

É certo que não jogámos "nada", mas não há lei nenhuma no mundo que proíba os jogos de acabar a 1-0...

Colinho logo na estreia

Luisão cometeu penálti aos 10' do Benfica-Estoril, quando o resultado estava 0-0. É o que conclui a imprensa de hoje.

Vale a pena fixar o nome do árbitro desta partida: Tiago Martins.

 

A Bola: «Léo Bonatini escapa à defesa do Benfica, entra na área e é empurrado com o braço direito por Luisão. Penálti por assinalar. E no mínimo cartão amarelo a Luisão.» (Nuno Paralvas)

Record: «Com o braço direito, Luisão carrega Léo Bonatini pelas costas e desequilibra-o. O contacto acaba dentro da área, pelo que ficou uma grande penalidade a favor do Estoril por assinalar.» (Sérgio Krithinas)

O Jogo: «Com o braço direito, Luisão acaba por, de forma imprudente, carregar Bonatini pelas costas, levando-o ao desequilíbrio já no interior da área. Infracção passível de grande penalidade.» (Pedro Henriques)

«Luisão perde o lance, desinteressa-se da bola e deliberadamente empurra pelas costas Bonatini, desequilibrando-o e derrubando-o. Grande penalidade por assinalar.» (José Leirós)

Sinto-me feliz!

Como amante do futebol, sou frontalmente contra arranjinhos e jeitinhos e combinaçõezinhas entre equipas, tendo em vista a obtenção de resultados que agradem a uns e beneficem os outros.

Neste particular, sinto-me feliz pelos jogadores do Marítimo. Não serão obrigados a vir fazer um frete a Lisboa, no próximo fim de semana.

(lá virá a recomendaçãozinha para não estragarem a festa, mas não passará daí)

Quatro pontos e uma tenda VIP no Marquês

1. O autoproclamado clube mais popular de Portugal acaba de instalar uma tenda VIP no Marquês de Pombal. Depois os Viscondes somos nós.

Entretanto fiquei a saber que a equipa vem de avião... e vai aterrar no Aeroporto de Figo Maduro, o Aeroporto Militar de Lisboa. Regista-se.

 

2. Apesar do colinho que já vai sendo um hábito, feitas as contas, aquele clube, apesar de não ter conseguido vencer ao Sporting Clube de Portugal nesta época, é o justo vencedor do campeonato. Parabéns à malta decente que por tragédia do destino é benfiquista.

 

3. O Sporting leva 66 golos marcados, o primeiro classificado 82. No balanço de marcados e sofridos a coisa é mais desequilibrada, muito à conta da primeira volta. O Sporting empatou três jogos com os seus mais diretos rivais e perdeu um. Chega à última jornada com menos derrotas que os dois primeiros, mas somou sete empates aos da contenda direta. Não fica longe do registo que teve das últimas vezes em que foi campeão. Em suma, mesmo considerando o colinho, foram justos vencedores mas o Sporting não está a milhas. Nem podia numa época em que com os pontos que leva (73) teria sido campeão em grande parte dos campeonatos já disputados. Para o ano há mais, de preferência sem colinho naqueles jogos críticos, seja para quem for.

 

4. Qualquer clube que queira continuar a ter adeptos a ir aos estádios tem de zelar para que esta situação indesculpável tenha um desfecho disciplinar e público.

 

 

Alguem me explique isto?? Será k o homem estava armado ????? para o otario do policia fazer isto??? A frente da criança.

Posted by Ricardo Filipe Pinto on Domingo, 17 de Maio de 2015

 

Colinho

Vivemos num país de faz de conta.

Não é novidade para grande parte de nós que a impunidade grassa por aí, nos mais diversos sectores.

Apesar de tudo, grande parte dos vigaristas (não encontro nome mais polido, lamento) procura recatar-se e procura passar entre os pingos da chuva, com o intuito de passar despercebido e continuar na senda de ilegalidades que os projectam para estratos onde, cumprindo a legalidade, nunca chegariam.

Alguns.

Outros atiram-nos com as vigarices à cara, com orgulho. Em campanha publicitária. Certos de que fazem o que querem e que ainda lhes sobra tempo, rindo na cara de todo o país.

A vigarice compensa, neste país de pó de talco.

É preciso ter muita lata

18147831_TsZjr[1].png

 

É preciso ter muita lata.

O treinador da equipa que está a ser levada ao colo pela arbitragem de forma escandalosa neste campeonato critica o árbitro Marco Ferreira por se ter atrevido a expulsar Luisão na derrota benfiquista de hoje frente ao Rio Ave. Apenas a segunda de um jogador do SLB na Liga 2014/15, onde os encarnados já terminaram 11 dos 26 desafios a jogar contra dez.

Parafraseando Jorge Jesus, "só param o Rio Ave com faltas".

Um domingo como outro qualquer

Vi o jogo do Braga com o Porto. Acho que se fosse ao contrário, o árbitro marcava aquele penálti quase no fim.

 

Não vi o jogo do Arouca com o Benfica. Mas soube, depois, que o Benfica lá tinha acabado a jogar contra 10, numa altura em que o jogo estava longe de decidido. Não sei se a expulsão foi justa ou não, mas também não interessa. O Benfica não é deste cameponato. O Benfica não é, sequer, desta modalidade. Julgo que a modalidade que o Benfica pratica é o futebol onanístico. Só um é que goza.

Colinho, colo-colo

Do Record de hoje:

«Jorge Ferreira. O típico caso do árbitro que complica aquilo que estava a ser fácil. Vários erros técnicos, entre eles o lance que origina o 1-1 (não há razão para assinalar canto), e disciplinarmente confuso.»

«58 minutos, duplo erro: Salvio salta para a piscina e devia ter visto amarelo. Pior, não era pontapé de canto.»

 

Assim vai a arbitragem portuguesa

Braga-Arouca (2-0)

Árbitro: Tiago Martins

Record: «O Arouca tem razão para se queixar de uma grande penalidade que ficou por assinalar ainda com 1-0 e de um lance irregular que deu origem ao segundo golo dos bracarenses. E pode também contestar, com toda a legitimidade, o critério disciplinar do neointernacional Tiago Martins, que à terceira falta do Arouca, aos 10 minutos, já tinha mostrado dois cartões amarelos aos jogadores visitantes, sendo um deles Luís Tinoco, que viria a ver um segundo amarelo no início da segunda parte, quando apenas quis disputar a bola... (Eugénio Queirós, na crónica do jogo)

A Bola: «Um golo em fora-de-jogo. Para alimentar a polémica e um desfecho enganador, a anteceder o irregular golo de Éder, uma penalidade perdoada aos minhotos (80'), por falta do guarda-redes Matheus sobre Roberto.» (José Carlos de Sousa, na crónica do jogo)

O Jogo: «[A partida] não merecia um árbitro tão fraco. Tiago Martins foi recentemente promovido a árbitro internacional. (...) Ontem, também mal auxiliado, errou em vários momentos, dois deles com gravidade: um penálti por assinalar e o segundo golo em fora de jogo.» (Carlos Pereira Santos, na crónica do jogo)

..............................................................

Benfica-V. Setúbal (3-0)

Árbitro: Manuel Oliveira

A Bola: «O árbitro portuense teve um final de tarde com demasiados erros. O jogo foi fácil de dirigir mas Manuel Oliveira conseguiu complicá-lo. O lance de Rambé e Jardel [aos 2'] era complicado de analisar mas fica a sensação de penálti contra o Benfica e a falta de Ola John sobre Pedro Queirós na jogada do 2-0 é clara.»

Record: «O juiz nortenho cometeu um erro grave: no lance do segundo golo encarnado, Ola John cometeu falta clara sobre Pedro Queirós.»

O Jogo: Unanimidade do Tribunal sobre o segundo golo benfiquista precedido por falta de Ola John não assinalada (40') e sobre um fora de jogo incorrectamente assinalado ao setubalense Rambé quando se isolava pelo meio (70').

«Rambé estava em posição legal», garante Jorge Coroado. «Rambé estava em linha com o penúltimo adversário no momento do passe do seu colega», assegura Pedro Henriques. «Rambé estava em linha com toda a defesa do Benfica», conclui José Leirós.

«Ola John empurrou Pedro Queirós com o braço esquerdo», observa Coroado. «Uma infracção atacante passível de livre directo que ficou por assinalar», sublinha Henriques. «Golo ilegal», conclui Leirós.

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D