Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Os melhores prognósticos

A nova época promete. Pelo menos aqui no blogue em matéria de prognósticos. Logo à primeira, houve seis palpites certos para o desfecho do Aves-Sporting, que inaugurou a Liga 2017/2018. Aqui ficam registados, por ordem de entrada em cena: Octávio, Tony Cebola, Ricardo Roque, Manuel Oliveira, J. Ramos e Sam.

Aplicado no entanto o critério do desempate, relativo ao nome do marcador dos dois golos, só um se destaca: o nosso leitor J. Ramos. Mais nenhum mencionou Gelson Martins como marcador.

Foi ele, portanto, o vencedor. Está de parabéns.

Os nossos jogadores, um a um

O Sporting começou o campeonato nacional 2017/2018 com o pé direito. Vencendo o recém-promovido Aves por 2-0 - com um golo marcado em cada parte do desafio, ambos por Gelson Martins, que assim promete desde já voltar a ser uma das grandes figuras leoninas da Liga portuguesa.

Jorge Jesus fez estrear cinco titulares nesta partida inaugural. Três deles na defesa: Piccini, Mathieu e Coentrão. Mais à frente, Acuña e Bruno Fernandes.

Sem deslumbrar, sem "nota artística", o Sporting manteve sempre o controlo das operações, com um interessante fio de jogo. Faltou dar mais profundidade aos corredores e sobretudo articular melhor a ligação entre o meio-campo e Bas Dost, lá à frente. Bruno Fernandes, encarregado dessa missão, revelou falta de rotina - ou talvez mesmo falta de vocação - para tal papel. Quando Podence o substituiu, aos 61', o caudal ofensivo leonino melhorou em acutilância e velocidade.

O homem do jogo, naturalmente, foi Gelson Martins.

 

............................................................................

 

RUI PATRÍCIO (6). Não teve muito trabalho mas sempre que foi solicitado correspondeu bem ao seu nível. Com duas defesas aparatosas, aos 22' e aos 45'+1'.

PICCINI (4). Muito contido nas iniciativas atacantes, concentrou-se sobretudo das operações defensivas. Mas duas falhas, aos 22' e aos 45'+1', podiam ter-nos custado caro. Boa acção individual na área do Aves, aos 78'.

COATES (7). Regresso em grande forma do internacional uruguaio, após uma pré-época algo atribulada. Assumiu-se sem complexos como patrão da defesa. Cortes providenciais aos 16', 28' e 88'. Vistosa arrancada, com a bola controlada, aos 53'. Parece muito confiante, o que é bom para a equipa.

MATHIEU (5). Exibição regular do central francês, ex-Barcelona. Teve a vantagem de não complicar: quando o Aves apertava, resolvia de forma prática, sem pensar em nota artística.

FÁBIO COENTRÃO (6). Raras vezes passou a linha do meio-campo, mas quando o fez soube sempre entregar a bola com qualidade. Atento na defesa, fez valer a sua maturidade vencendo o confronto individual com Salvador Agra.

WILLIAM CARVALHO (7). Fundamental para ligar os sectores naquele estilo de falso lento a que já habituou os adeptos leoninos. Alguns dos melhores passes leoninos saíram dos pés dele - aos 17', 37' e 53'.

ADRIEN (6). Complementou bem a missão de William na organização da manobra leonina a meio-campo, sobretudo nas acções defensivas. Ainda não está na melhor forma física, mas poucos como ele são tão influentes na recuperação da bola. Marcou muito bem um livre aos 38'.

GELSON MARTINS (8). Dois golos, aos 23' e 75', que nos valeram três pontos e a liderança provisória do campeonato. Conseguiu assim o primeiro bis da sua carreira, assumindo-se como finalizador, o que basta para justificar a nota. Integrou-se sempre muito bem nas acções defensivas.

ACUÑA (7). Promissora estreia do ala argentino: foi dele a assistência para o primeiro golo. Podia ter marcado no minuto inicial da segunda parte, com um poderoso remate de pé esquerdo que embateu na barra. Foi também ele a conduzir o ataque que gerou o segundo golo. Dinâmico e veloz. Agarrou a titularidade.

BAS DOST (5). Passou quase ao lado da partida, sobretudo por falta de articulação com Bruno Fernandes. Funcionou melhor na segunda parte, já com Podence em campo, ao assistir Acuña (75'). Podia ter marcado aos 90', mas faltou-lhe aí o habitual instinto "matador".

BRUNO FERNANDES (4). Jesus fê-lo estrear como titular do Sporting no papel de segundo avançado, para o qual não parece vocacionado. Pareceu um pouco perdido em campo durante grande parte do desafio, acabando por dar lugar a Podence aos 61'.

PODENCE (6). Substituiu Bruno Fernandes, trazendo intensidade e acutilância à manobra ofensiva leonina. Aoa 90' serviu de bandeja Bas Dost, que desperdiçou um golo que parecia fácil.

BATTAGLIA (6). Entrou aos 65' para o lugar de Adrien. Enérgico, em boa forma física, bom transportador de bola, criador de situações de contra-ataque.

JONATHAN SILVA (-). Menos de um minuto em campo, rendendo Coentrão. Não se percebe porque entrou.

Ganhámos um jogo de treino

jesus18.jpg

É no mínimo preocupante quando uma equipa que tem ambições de vencer o campeonato faz mais de metade do seu primeiro jogo com um adversário que almeja a manutenção, empastelado no meio campo com baixíssima produção atacante, perdida numa experiência de última hora. O Bruno Fernandes no lugar de Podence, desaparecido nos mesmos terrenos de Adrien, foi um enorme equivoco que nos podia ter custado o empate na primeira parte. Com a equipa assim encolhida o futebol leonino claramente só desemperrou já na segunda parte com Podence à solta no último terço do terreno – o miúdo traz velocidade e rebeldia fundamental naquela zona do campo. É preocupante que Jorge Jesus teime em fazer experiências como se não estivesse em competição, mas está-lhe na massa do sangue protagonizar “surpresas” para mostrar que existe, que é ele que manda. Não havia necessidade - está claro para todos que é ele que manda - e podia ter corrido muito mal. 

À parte dessa inquietação, e para além de não termos sofrido golos, é de destacar o extremo esquerdo Acuña, que exibe uma generosidade excepcional a defender, umas ganas bestiais a atacar e um faro de golo raro. Temos Leão para atacar o título. Só espero que não percamos o Gelson Martins.

Rescaldo do jogo de hoje

P2LBFLOE.jpg

 

 

Gostei

 

De começar o campeonato a vencer.  Triunfo sem discussão do Sporting por 2-0 no campo do Desportivo das Aves, recém-promovido ao escalão principal do futebol português. Missão cumprida, que nos coloca a encabeçar a Liga nesta ronda inaugural.

 

De Gelson Martins. Nova época com o talento de sempre. O extremo da nossa formação foi o melhor campo. Marcou os dois golos, aos 23' e aos 75', exibindo as qualidades a que nos habituou.

 

De Acuña. Em estreia absoluta nas competições oficiais portuguesas, o argentino foi um poço de energia, conduzindo sucessivos raides ofensivos pela ala esquerda. Foi dele a assistência para o primeiro golo. E esteve quase a marcar num par de ocasiões, nomeadamente no minuto inicial da segunda parte, quando fez embater a bola na barra.

 

De Coates. Foi um bastião da defesa leonina. Sempre atento e concentrado, comandando as operações no seu sector. E protagonizando também incursões com a bola controlada, pondo o Aves em sentido. Exibição muito positiva.

 

Da dupla William-Adrien. Ao contrário do que muitos vaticinavam, os dois pilares do onze titular leonino - e da selecção nacional - iniciaram a Liga 2017/2018. O que contribuiu para dar muita confiança aos adeptos e aos próprios colegas em campo: a dinâmica que ambos desenvolvem no eixo do terreno, sobretudo em construção ofensiva, é fundamental para a organização colectiva da equipa.

 

De termos começado sem sofrer golos. O maior sinal de alarme durante a pré-época foi o grande número de golos consentidos pela nossa defesa, em grande parte remodelada para a nova temporada. Hoje o Sporting exibiu boa consistência defensiva, parecendo afastar esses receios.

 

Da vitória tranquila. A vencer desde o minuto 23, e sempre com maior posse de bola, a turma leonina nunca deu indícios de perder o controlo do jogo. Isto ajudou a sossegar os adeptos durante o resto da partida.

 

Da estreia de cinco titulares. Cinco dos dez reforços do Sporting para esta temporada alinharam de início: Piccini, Mathieu, Coentrão, Acuña e Bruno Fernandes. Oportunidade para se mostrarem não apenas aos adeptos leoninos mas a todos os portugueses que gostam de acompanhar o futebol.

 

Da correcção disciplinar. Partida sem casos. O árbitro Tiago Martins teve apenas de mostrar um cartão amarelo, já perto do fim do desafio, a um jogador do Aves.

 

 

Não gostei

 

De ver Bruno Fernandes jogar como segundo avançado. O médio central pareceu sempre desposicionado jogando à frente de Adrien e nas costas de Bas Dost. Aquela posição em que o treinador o colocou não é, claramente, aquela em que melhor rende. Passou praticamente ao lado do jogo. Falhou um golo quase feito à boca da baliza..

 

De ver Bas Dost em branco. O holandês podia ter marcado aos 90', beneficiando de um soberbo passe de Podence. Mas perdeu ângulo de remate e a jogada perdeu-se.

 

Que estivéssemos a ganhar apenas por 1-0 ao intervalo. Números demasiado escassos: Bruno Fernandes (aos 19') e Acuña (aos 21') andaram perto do golo, mas sem conseguir.

 

De dois lapsos defensivos de Piccini. Perdas de bola que originaram contra-ataques perigosos do Aves. Felizmente Rui Patrício estava atento.

 

Da troca de Coentrão por Jonathan Silva a 30 segundos do fim. Substituição incompreensível, já no termo do tempo extra. O argentino não chegou a tocar na bola.

Prognósticos antes do jogo

O pontapé de saída da Liga 2017/2018 vai ser dado amanhã, às 18 horas, no Aves-Sporting. Com arbitragem de Tiago Martins, ajudado pelo vídeo-árbitro.

Regressa também este nosso campeonato: o dos palpites. Que nas últimas épocas teve os seguintes vencedores:

2013/2014: Bruno Cardoso, Edmundo Gonçalves, João Paulo Palha, João Torres, José da Xã, Lina Martins e Octávio.

2014/2015: Leão do Fundão

2015/2016: Grande Artista Goleador

2016/2017: José da Xã

Nova época, a pergunta de sempre: quais são os vossos prognósticos para o resultado deste jogo inaugural do campeonato?

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D