Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Apesar de tudo foi uma época bem conseguida

transferir (3).jpg

Numa época desportiva de alguma forma condicionada pela instabilidade decorrente do ano eleitoral, e temos de nos recordar das contas chumbadas em Assembleia Geral por uma minoria truculenta, o Sporting CP conseguiu apesar de tudo um conjunto de conquistas interessante no campo e no pavilhão nas modalidades com mais peso a nível nacional:

Futebol Masculino c/ Rúben Amorim:

  • Supertaça
  • Taça da Liga
  • 2º lugar na Liga
  • Chegada aos oitavos da final da Champions

Futebol Feminino c/ Mariana Cabral:

  • Supertaça
  • Taça de Portugal
  • 2º lugar na Liga

Andebol Masculino c/ Ricardo Costa:

  • Taça de Portugal
  • 2º lugar na Liga

Hóquei Masculino c / Paulo Freitas:

  • 3º lugar na Liga / Playoffs

Futsal Masculino c/ Nuno Dias:

  • Título nacional
  • Taça da Liga
  • Taça de Portugal
  • Supertaça
  • 2º lugar na Champions

Basquetebol Masculino c/ Luís Magalhães:

  • Supertaça
  • Taça de Portugal
  • Taça da Liga (Hugo dos Santos)
  • Quartos de final da Champions
  • 3º lugar na Liga / Playoff

Voleibol Masculino c/ Gersinho:

  • 2º lugar na Liga / Playoff

Voleibol Feminino c/ Rui Costa

  • Taça da Federação
  • 3º lugar na Liga / Playoff

 

Ganhando mais ou menos, todas estas equipas dignificaram o clube dentro do campo. Com excepção duma ou outra acção de algum atleta no calor da luta, todas me pareceram bem orientadas e se mais não ganharam foi porque do outro lado estão rivais que contam com argumentos financeiros e não só.

Em todas elas encontramos atletas que nos enchem as medidas e constituem mais um factor de atracção pela modalidade e um pretexto para ir ao estádio ou ao pavilhão.

Sendo assim, parabéns a todos, especialmente aos técnicos atrás citados.

Para dois deles acabou o ciclo dentro do clube, não tanto pelos resultados mas mais pela necessidade de renovação das equipas respectivas. Esperamos ver no basquetebol e no hóquei aquilo que aconteceu no andebol nesta época, uma equipa rejuvenescida no corpo e na alma e de volta aos sucessos.

 

PS: Não esquecer de votar no site respectivo para que o Sporting regresse na próxima época à Champions do Andebol.

SL

Balanço (19)

img_640x426$2021_01_18_15_54_54_643086.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre TABATA:

 

- David Rodrigues: «É um bocado incógnita. Tem muito golo nos pés e é tecnicamente desinibido também. Terá a raça e o poder de choque do Matheus Nunes?» (31 de Julho)

Luís Lisboa: «Cada vez mais me convence que poderia ser um médio bem mais adequado que Bragança para um meio-campo a dois.» (19 de Novembro)

Eu: «Merece, sem dúvida, mais oportunidades neste Sporting 2021/2022: estou certo que Amorim tomou boa nota do seu desempenho esta noite.» (12 de Janeiro)

Edmundo Gonçalves: «Todos temíamos a saída de Palhinha ou Pedro Gonçalves, ou até o menos exuberante Tabata, mas saíram do núcleo duro "apenas" Tiago Tomás e Jovane Cabral, duas pérolas que por ora apresentavam um brilho mais baço, se me é permitido dizer isto assim.» (1 de Fevereiro)

- CAL: «Tabata, estamos cá para o que houver, esclarecidos quanto ao jogador que é e ao contexto alargado em que se verifica a sua expulsão.» (13 de Fevereiro)

A voz do leitor

«O assédio a Rúben Amorim começou e o pretendente de que se fala tem dinheiro para comprar quem quiser, a qualquer momento e em qualquer contexto. Mesmo num em que o treinador do Sporting disse que já tinha tomado a decisão de ficar no Sporting e que “levaríamos com ele” por mais um ano. Pela minha parte, espero que desistam da ideia, se é que é real, e que Amorim fique no Sporting. No próximo ano e nos seguintes.»

 

João Gil, neste meu texto

Balanço (18)

NINTCHDBPICT000633957388.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre PEDRO GONÇALVES:

 

- António de Almeida: «Inicia a época da mesma forma que terminou a anterior, marcando.» (7 de Agosto)

- Pedro Oliveira: «Dois jogos, três golos, uma média, quase, à Peyroteo.» (19 de Agosto)

- JPT: «O tal "Pote" de ouro, aproveita uma fífia alheia e abre o activo. Nem foi com a celebrada codícia, aquilo é mesmo... placidez. Pois o homem chuta à baliza com muito mais calma do que eu teclo para blog. Não haja dúvidas, é um predestinado... psicológico.» (25 de Novembro)

Eu: «Segundo jogo consecutivo a marcar, procurando compensar as insuficiências do nosso avançado-centro. Impecável gesto técnico na recepção da bola e um espectacular túnel ao guarda-redes Matheus, metendo-a lá dentro. Foi sempre o mais inconformado do onze leonino, mantendo acesa a chama até ao fim.» (23 de Janeiro)

- CAL: «Arrisco dizer que, nós por cá, estamos muito receptivos a troféus, títulos, vitórias em geral, Pedro. Sinta-se à vontade!» (30 de Janeiro)

- José Navarro de Andrade: «O que se passa com Pedro Gonçalves?» (16 de Fevereiro)

- Zélia Parreira: «Hoje vemos uma ansiedade enorme, um nervosismo que tolda o raciocínio e a espontaneidade. O maior exemplo disso é Pedro Gonçalves. Tranquilo é uma máquina de fazer golos, pressionado é uma lesão em potência.» (3 de Março)

Luís Lisboa: «Correu muito mal a exibição de Pedro Gonçalves. Mais uma. Se um scouter tivesse visto alguns dos jogos da primeira parte da temporada, por exemplo o Sporting-Dortmund, tomasse nota do 23 e agora visse este jogo também, não acreditaria que seja o mesmo jogador.» (8 de Maio)

Nós, há dez anos

 

José Manuel Barroso: «A história recente do Sporting foi feita de mudanças sucessivas de presidentes, dirigentes do futebol e treinadores. Muitas, demais. Nenhuma empresa bem sucedida sobreviviria com tanta mudança em pouco tempo. Nenhuma política de recuperação económica e financeira ou desportiva terá êxito fazendo do clube um carrossel louco que expulsa, a cada volta, tudo e todos. A cada insucesso, a cada dificuldade entramos em guerra civil. Tornamo-nos autofágicos.»

 

José Navarro de Andrade: «Pirlo tem 33 anos de idade, Buffon 34. Repararam na serenidade com que este comandava a equipa, o panache com que respeitava os adversários, o ânimo que punha nos camaradas com um gesto, a certeza que dava? Há jogadores assim, como os aviadores: milhares de horas de futebol naquelas pernas só lhes trazem vantagem.»

 

Eu: «Podemos dizer, sem favor, que as quatro selecções qualificadas para as meias-finais foram as melhores deste Euro 2012. O que já constitui uma vitória para Portugal. Desde logo, uma vitória contra as aves agoirentas: basta dizer que ainda há seis dias - repito: seis dias - um dos principais comentadores televisivos, recordista do tempo de antena, acusava Paulo Bento de dividir os portugueses e de procurar silenciar as vozes críticas como sucedia "no tempo da Outra Senhora". Se o disparate matasse, este loquaz comentador já tinha caído fulminado durante uma das suas intermináveis prelecções...»

A voz do leitor

«Tenho cumprido o dever de elogiar, sempre que tal se me afigura, o bom desempenho de Frederico Varandas. Esse Dever que me imponho dá-me o Direito de o censurar noutras situações que acho inadmissíveis. Na altura da sua candidatura prometeu aos sócios transparência. Contudo vejo avolumarem-se alguns buracos negros. Para a Direcção, os seus apoiantes devem valer mais que o simples avolumar de votos, não são ovelhas a seguir o rebanho. Para atitudes dessas já me bastam muitos políticos. A referida transparência nunca pode ser uma simples opção, é algo inalienável.»

 

Carlos Silva, neste meu texto

Balanço (17)

image.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre SARABIA:

 

- Pedro Sousa: «Jogador inteligente, tem uma recepção orientada que elimina adversários e o faz ficar de frente para o jogo, rápido com a bola nos pés e não tanto em corrida livre, boa visão de jogo que eleva a sua capacidade de decidir e assistir, bom finalizador (como demonstram os números da sua carreira), decisivo no espaço entrelinhas, gosta de partir da direita para o centro do terreno, sendo esquerdino.» (2 de Setembro)

Luís Lisboa: «O melhor em campo, foi sempre influente no ataque e assistiu para os dois golos.» (3 de Outubro)

- José Cruz: «Coates (2), Sarabia e Paulinho selaram a maior goleada fora, na UCL, da História do Sporting Clube de Portugal.» (20 de Outubro)

José Navarro de Andrade: «[Pedro Gonçalves] decide então rematar um longo arco que tele-guiado vai ter precisamente à ponta da bota esquerda de Sarabia. Ou então foi a ponta da bota de Sarabia que percebeu ao milímetro onde a bola iria ter. O resto é história escrita pelos pés de filigrana do super-crack espanhol.» (5 de Dezembro)

- Marta Spínola: «Destemidos, Sarabia e Pote abrem as hostilidades. Tive a certeza que nenhum daqueles rapazes pensa sequer "quem vem lá", vão em frente e vencem o próximo. Precisávamos disto. Merecíamos isto.» (5 de Dezembro)

- Jorge Santos: «É indiscutivelmente um jogador excepcional, que faz a diferença em quase todos os jogos e com uma classe só ao nível de Figo, Ronaldo e de mais uns poucos estrangeiros que passaram pelo nosso Sporting.» (27 de Março)

- José da Xã: «Melhor jogador do campeonato.» (16 de Maio)

Eu: «Foi, para mim, o melhor jogador que já actuou por empréstimo no Sporting Clube de Portugal. Por vários motivos. Desde logo, pelo seu profissionalismo em campo: nunca abrandou a intensidade nem o ritmo competitivo, mesmo sabendo que estava cá só de passagem. Depois, pela classe exibida. A bola, quando partia dos pés dele, saía redonda e bem orientada. Teve inúmeros apontamentos de categoria na recepção, no passe longo ou curto, nas dinâmicas tácticas que integram o chamado "jogo sem bola".» (17 de Maio)

- Pedro Oliveira: «Faz o difícil parecer fácil. O melhor jogador do campeonato português 2021/2022.» (23 de Maio)

Aposta na formação

A cerimónia de comemoração dos 20 anos da Academia de Alcochete deixou claro nas intervenções realizadas e nos projectos de desenvolvimento apresentados que, depois dum período de estagnação e de completa ultrapassagem pelo Seixal marcado pelo desleixo e falta de visão estratégica, o Sporting regressou ao projecto inicial centrado no jogador imaginado pelo mestre Aurélio Pereira.

E se a Academia de Alcochete, bem como o Pólo da EUL, são fundamentais na aposta firme e sustentada do Sporting na formação, o treinador principal não deixa de ser uma peça fundamental nessa aposta também.

Curiosamente a relação entre Aurélio Pereira e Rúben Amorim vem de longe. Já em 1998 o teria convidado a vir treinar ao Sporting, depois a coisa não se concretizou, se calhar por isso deve ser com grande orgulho que disse agora: "Há uma estratégia da administração e o treinador é funcionário do clube, tem de responder a essa chamada. Rúben Amorim é um rapaz que se interessa pela formação, muito acessível. Sai do treino dos seniores e vem logo direito aqui aos campos para ver o que se passa. Está sempre atento."

Outra peça essencial na aposta é o recrutamento. Na Academia não podem existir lugares cativos, a sua porta tem de estar permanente aberta ao talento nacional e internacional, dentro dum quadro de integração e respeito pelos valores do clube. Foi assim e terá de ser assim que jogadores como Nani, Palhinha, Jovane ou Matheus Nunes se formaram no Sporting, cada um chegando na idade que chegou e integrando-se da melhor forma com quem lá estava desde tenra idade.

Neste momento existem por lá, além de africanos das ex-colónias, dois ou três noruegueses, mas se calhar faria sentido haver mais talento estrangeiro do tipo Plata, Duscher ou Ugarte, dentro dos condicionalismos FIFA existentes. Para isso é necessário um scouting eficaz. Para descobrir Catena ou Marsà não é preciso grande scouting.

Por último, não podia deixar de falar da equipa B, que mais uma vez vai ser completamente remodelada e ainda mais jovem que a anterior. Ao contrário do que eu gostaria, a B vai continuar a não ter nem plantel nem estatuto próprio de acordo com a responsabilidade de defender o clube nas ligas profissionais. Prevejo que vá mais uma vez ter dificuldades para se manter na Liga 3.

Era um debate que gostava de ver feito, se faz sentido continuarmos assim ou apostarmos (e gastarmos) para ter a equipa a bater-se com os rivais na Liga 2.

SL

O futebol é jogo, indústria e negócio

Texto de João Gil

transferir.jpg

 

O dinheiro e a vontade de acumulação de dinheiro determinam a forma como as coisas são feitas e as acções das pessoas e como o edifício se organiza. O Sporting não é uma ilha e tem, como os outros clubes, de saber conviver com esta realidade.

Já não é possível competir ao nível do Sporting ou de qualquer grande clube profissional sem ser dentro das regras e da organização que conhecemos. O que falta é controlo, accountability como dizem os anglo-saxónicos, e escrutínio público apertado sobre a actividade e todas as suas ramificações.

 

Não é por acaso que insistem em chamar ao futebol uma indústria e às escolas de futebol dos clubes “fábricas” de talentos, cujo objectivo não é verdadeiramente alimentar as equipas principais mas exportar jogadores a troco de dinheiro, aplicando ao processo uma lógica remotamente conotada com um processo industrial. Entra “porco”, sai chouriço. Salvo seja, bem entendido. Entra criança ou jovem, sai jogador de bola, vende-se com etiqueta de academia Cristiano Ronaldo, ou Seixal futebol Benfica ou Olival FCP, sei lá. Quanto melhor a etiqueta, mais dinheiro produz.

O artigo também tem de ser razoavelmente bom. Mas não precisa de ser super-bom para dar dinheiro. Os agentes, os Jorge Mendes e demais, são os canais de colocação do “produto” no mercado. Um bom agente coloca um produto assim-assim e fá-lo render muito dinheiro. Pelo caminho enche o bolso. Faz parte. Como em todos os processos industriais, os intermediários ficam com a maior fatia do dinheiro porque de facto são eles que investem no marketing, nas viagens, nos contactos, no apaparicar dos atletas e famílias, portanto são de facto eles que acrescentam valor ao produto que sai da fábrica e lhe dão a roupagem com que o vão “vender” aos interessados, em autênticos roadshow, como se estivessem a angariar fundos para um projecto.

 

Este é o processo, o Jorge Mendes uma inevitabilidade, tal como os advogados, os pais dos Brumas e dos Joelson e dos Rafael Leão, os esquemas que os vários operadores da dita indústria encontram para acumular o seu capital.

O futebol é apenas o jogo que a indústria decidiu meter em cima do negócio, a partir do momento em que se percebeu que o futebol era um verdadeiro negócio da China. Inverteu-se a pirâmide. Antigamente, o futebol e a competição eram o desígnio, agora é o dinheiro o desígnio, é ai que está o poder de manter a paixão acesa.

Menos para nós, comuns adeptos, que gostamos é de ver futebol bem jogado, de glorificar os nossos ídolos, que são os jogadores de futebol. Pelo virtuosismo da sua técnica, pelos seus golos, pelo seu toque de bola, pelas suas defesas impossíveis.

Hoje, limitamo-nos a vê-los por detrás de vidros ultra-fumados de autocarros e dizemos-lhes adeus sem lhes vermos as caras ou sabermos sequer se estão a ligar-nos alguma coisa.

Quando se vão embora, a frase quase universal passou a ser obrigado e desejamos-te os melhores sucessos pessoais e profissionais… como quem diz, “Ciao, venha o próximo”.

Por isso é tão mais importante relativizar vitórias e derrotas, que dependem de muito mais do que do jogador ser bom ou mau a dar chutos na bola ou se o Jorge Mendes manda ou deixa de mandar na maioria dos jogadores do Sporting ou se faz muito ou pouco dinheiro à custa dos jogadores que representa, do Sporting ou de outro clube qualquer.

Portanto, Jorge Mendes? Claro que sim. Tem de ser. Que remédio. Ou então vamos jogar para os amadores.

 

Texto do leitor João Gil, publicado originalmente aqui.

Palmarés leonino 2021/2022

 

Sporting conquista Taça da Liga em futebol, derrotando o Benfica.

Futebol: triunfo leonino na Supertaça.

Sub-17 (juvenis) do futebol leonino sagram-se campeões nacionais do seu escalão.

Futebol sub-15 do Sporting (iniciados) domina e vence campeonato nacional.

Sporting vence Taça de Portugal em futebol feminino pela terceira vez.

Sporting revalida Supertaça de futebol feminino batendo o Benfica.

Futsal: vitória leonina na Taça de Portugal em final empolgante contra o SLB.

Sporting vence Taça da Liga em futsal pela quarta vez.

Vitória leonina na Taça Continental de hóquei em patins, derrotando o Lleida.

Basquetebol: Sporting derrota Benfica e conquista terceira Taça de Portugal.

Sporting: primeira vitória na Supertaça masculina em basquetebol.

Vitória leonina na Taça de Portugal em andebol, derrotando o FC Porto.

Voleibol feminino do Sporting conquista Taça Federação.

Sporting sagra-se campeão nacional de râguebi feminino pela sexta vez.

Râguebi feminino: vitória leonina completa dobradinha.

Ténis de mesa: Leões conquistam sétimo campeonato nacional consecutivo.

Equipa masculina do Sporting vence Taça de Portugal em ténis de mesa.

Sporting sagra-se campeão europeu em golbol feminino.

 

(em permanente actualização)

Nós, há dez anos

 

Bernardo Pires de Lima: «A quantidade de gente da cantera de Alvalade na selecção nacional não devia fazer os sócios do Sporting Clube de Portugal delirar pateticamente de alegria. Até parece que se agarram a tudo para aliviar a seca de vitórias do nosso clube. Devia, isso sim, levá-los a questionar toda a política desportiva sénior dos últimos dez anos. Curiosamente, dez anos sem um campeonato nacional ganho.»

 

Eu: «Perante a excepcional exibição de João Moutinho neste Europeu, torna-se ainda mais absurda a decisão tomada há dois anos pelo ex-seleccionador nacional, Carlos Queiroz, que excluiu o então médio do Sporting do Mundial da África do Sul, sublinhando que Danny faria melhor o seu lugar. E, com uma arrogância muito característica, ainda entendeu acrescentar uma frase desdenhosa, própria de quem não sabe enfrentar críticas: "É uma pena que em Portugal não transmitam a Liga russa..." Trocar Moutinho por Danny: isto diz tudo sobre o critério de Queiroz, que entendeu convocar jogadores como Zé Castro (depois excluído), Daniel Fernandes e Duda. Sem espaço para Moutinho, pois.»

A voz do leitor

«O SCP tem uma formação em todas as modalidades que merece o respeito de todos os adeptos. Não podemos ganhar todos os campeonatos: o que eu peço é que lutem e honrem a camisola que vestem, pois não vale tudo para ganhar, pois não é esse o nosso modo de estar no desporto.»

 

Fernando Albuquerque, neste meu texto

Balanço (16)

Imagem1-11-300x201.png

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre NUNO SANTOS:

 

José Navarro de Andrade: «O que verdadeiramente conta é o que cada peça faz no seu lugar. Por exemplo: quando joga Jovane em vez de Nuno Santos, porque são jogadores diferentes, que fazem coisas diferentes na mesma posição, é claro que a bola tem de lá chegar de maneira diferente e é óbvio que sairá de lá de maneira também diferente.» (22 de Agosto)

- Edmundo Gonçalves: «À parte algumas paragens cerebrais de Neto, Inácio e Nuno Santos, que nos custaram o encaixe de três golos, numa boa parte do tempo de jogo até nos batemos de igual para igual com os holandeses (eu sou antigo), que jogaram quase na força máxima, ao invés de nós.» (7 de Dezembro)

Luís Lisboa: «Tem a cabeça no ataque e descura as tarefas defensivas.» (14 de Janeiro)

Eu: «Com transbordante energia, impondo-se no seu corredor como extremo à moda antiga, em contínuo desgaste da defesa contrária. Numa das suas movimentações cheias de velocidade, foi derrubado em falta: o lance, aos 20', originou penálti, convertido por Sarabia no minuto seguinte. Destacou-se pela qualidade dos seus cruzamentos (...). Mesmo sem marcar, desta vez, destacou-se como melhor em campo.» (2 de Maio)

Decidam-se

Os adeptos do Sporting deviam decidir, de uma vez por todas, se querem um clube nas mãos de Jorge Mendes a inflacionar todas as vendas - e a empochar brutais mais-valias proporcionadas por negócios relacionados com clubes como o FC Porto e o Benfica - ou se preferem um Sporting imune a Mendes, fazendo vendas muito mais modestas.

O que não tem qualquer lógica é exigirmos por um lado um Sporting «livre do Mendes» e depois protestarmos por não conseguirmos as vendas que só ele potencia com a sua incomparável agenda de contactos e a sua influência nos meandros do futebol.

Nós, há dez anos

 

Alexandre Poço: «Há dias comecei uma tarefa hercúlea - reunir os golos mais espectaculares do Europeu e colocá-los neste blog para os dar conhecer aos nossos distintos leitores. Porém, a minha pesquisa está condenada ao fracasso, pois no site onde supostamente encontramos todo o tipo de vídeos - Youtube - os golos do Euro foram quase todos "barrados" pela UEFA, provavelmente para proteger os direitos de transmissão. Desta forma, tem sido muito difícil encontrar nesta imensa coisa a que chamamos de Internet os tais desejados vídeos. O Pedro Correia bem me tinha avisado disto no primeiro golo que publiquei.»

 

Eu: «[Pérolas de Rui Santos] "«Julgo que ele [Cristiano Ronaldo] não é um líder natural. (...) Cristiano Ronaldo: nota 16. Uma grande exibição. Dois golos. Ele foi o comandante da selecção esta noite.» [Comentando o Portugal-Holanda, na noite de 17/6 (SIC Notícias)].»

A voz do leitor

«Isso não quer dizer que o Sporting não deva negociar com o Famalicão. Bem pelo contrário, pode e deve aproveitar os bons valores que por ali aparecem. Se a cada três contratações conseguisse um Pedro Gonçalves, um Ugarte e um Vinagre, o Sporting seria absolutamente hegemónico no plano nacional e muito mais competitivo lá fora. Enquanto sportinguista, é isto que me interessa. Os problemas do Famalicão, se é que existem, não nos devem tirar um minuto de sono.»

 

Jô, neste postal

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D