Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Sangue Verde

  

 

Sou sportinguista desde que me conheço. Em boa verdade, talvez, até, desde antes de me conhecer. Suponho que o sportinguismo me está escrito no sangue, o que não é para admirar, uma vez que fui educado por um pai que já tinha sido moldado nos ditames desta observância.  Na minha família alargada, que é bastante grande, o sportinguismo  é um traço de união, um laço familiar quase indissolúvel, um dogma que, como todos os dogmas, não se discute. São bisavôs, avôs, filhos, netos, tios-avôs, tios, primos, sobrinhos, sobrinhos-netos, bisnetos, uma família que, independentemente do sexo e idade dos seus membros, é devotadamente sportinguista. O meu pai e um seu irmão, meu tio, portanto, foram atletas do Sporting, tendo o meu pai chegado a ser campeão de pentatlo, no início dos anos 50, e foram ambos amigos, desde muito novos, de  nomes grandes de vários desportos que fizeram o ecletismo e a grandeza do nosso clube. Tenho um tio-avô e irmãos que pertenceram aos seus órgãos sociais,  ao Conselho Leonino, que  foram responsáveis por secções de mais do que uma modalidade e eu próprio, mais modestamente, colaborei, pelo fim dos anos 70, no Jornal do Sporting - cujo director era então João Xara Brasil, a cuja figura de homem distinto e ilustríssimo sportinguista aproveito para deixar uma muito sincera palavra de homenagem. As minhas filhas, as três sócias, claro, os filhos  dos meus três irmãos e os  netos de um deles, o único que já os tem, também sócios desde o dia em que nasceram, isto para  só falar na família mais próxima, são todos, se possível, ainda mais orgulhosamente sportinguistas do que os seus ascendentes. Os seus filhos, espero-o bem, sê-lo-ão a dobrar. Face a todo este quadro de devoção, de afectos profundamente enraizados na história do Sporting - do Sporting, realço, não do futebol - e, se me autorizam o excesso grandiloquente, de rico património genético leonino, face a este quadro a que, se necessário, poderia, ainda, acrescentar abundantes  pinceladas verdes e brancas de acrisolada paixão clubística, perante, repito-me, este perfil marcado pelo sangue verde que me corre nas veias agradecidas, vou, com a benevolência dos meus escassos leitores, se é que existe algum - e porque, neste como em todos os domínios da nossa vida colectiva, faço sempre questão de  marcar uma posição bem definida - permitir-me deixar uma adivinha, de tão fácil resposta que não contraria o meu desejo de clareza : em qual dos candidatos é que eu   vou  votar no dia 23 de Março? Ou melhor, para o caso de acontecer algo de imprevisível e extraordinário, em  que candidato é que, de certeza absoluta, nem que do céu chovam rublos, eu não vou votar no dia 23 de Março?

17 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D