Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

A anomalia da normalidade*

Bem sei que é suposto escrever esta crónica recorrendo integralmente à minha própria criatividade – isto apesar de a contrapartida, por tanto esforço periódico dos neurónios, resumir-se a uma simpática mensagem do meu editor recordando o prazo da crónica seguinte – mas, desta vez, foi irresistível o apelo. Tenho mesmo que reproduzir na íntegra este desabafo do Leonardo Ralha, jornalista do Correio da Manhã e também um dos autores do blogue colectivo de idiossincráticos sportinguistas, 'És a Nossa Fé' (o endereço é www.sporting.blogs.sapo.pt, para quem quiser aumentar-nos as audiências com a sua visita). Escreve assim o Leonardo: “Além dos dois pontos recuperados ao FC Porto e Benfica, tal como os três pontos ao Sporting de Braga, o Olhanense-Sporting deste domingo teve a maravilhosa qualidade de nos permitir regressar à normalidade. Aquela normalidade em que visitamos uma equipa ao nosso alcance e saímos de lá com três pontos. Aquela normalidade em que os médios leoninos ganham posse de bola em posição frontal, rematam forte e colocado e fazem golo. Aquela normalidade em que não acabamos o jogo com dez em campo. Gosto muito de normalidade e quero mais”. Com o parágrafo do Leonardo fica sintetizada da melhor forma a sensação que colectivamente nos revisitou estas últimas semanas; Nada de euforias de vitória, nem delírios megalomaníacos de supremacia, népia de disparos de adrenalina para o ar à cowboy. Apenas, isso sim, uma semi-perplexa consciência de felicidade. Felicidade por voltarmos a sentir emoções que já tínhamos sentido há muito tempo, mas entretanto esquecêramos. Como se a nossa mãe tivesse desaparecido de casa durante uns meses e, quando voltasse, nos desse abraços e beijos e pensássemos: “Ah! Pois é. Era mesmo a isto que sabiam os mimos dela”...Algo assim deste calibre. Reparem que não escrevo isto para menorizar os resultados alcançados. Era o que faltava. Longe de mim. Não, não, não. Simplesmente para fazer notar que o nosso estado algo traumático, decorrente dos cataclismos e horrores sofridos nos últimos tempos, deve, quando confrontado com a novidade de um par de vitórias sobre clubes um bocado da treta, reagir de forma saudável dizendo: “Ora cá está. Voltámos ao normal. Pois muito bem. Agora é começar a ganhar os jogos a sério”. E para acabar como comecei, roubando as palavras de outros que escrevem melhor do que eu, termino com uma citação de Aldous Huxley, o autor de 'Admirável Mundo Novo: “A normalidade é tão somente uma questão de estatística”, escreveu ele. Nós não pedimos um admirável mundo novo para o nosso Sporting. Apenas que a estatística volte a ser nossa amiga e não a meretriz que se tem revelado nos últimos tempos. E que a normalidade, uma vez regressada, seja então ela própria ultrapassada pelas melhores razões.

*Texto publicado hoje no Jornal do Sporting

1 comentário

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D