Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

O que tem de acabar

Aquilo a que agora se chama a "guerra civil", claro, e logo em primeiro lugar: deixar de chamar "cabotino" ao Presidente da AG, por exemplo, faz parte dessa desejável pacificação. De que é acusado EB? De dizer o óbvio: que esta Direcção foi eleita no pressuposto de um projecto para o futebol profissional que incluía Luís Duque, Carlos Freitas e Domingos Paciência e que já não existe, e que três treinadores e meio depois, e depois do pior desempenho de que há memória da equipa, é simplesmente inevitável que os sócios sejam chamados a pronunciar-se sobre a sua continuação. Segunda coisa que tem de acabar: como aqui já disse e repito, à Direcção cabe dirigir, à equipa técnica cabe treinar. Ponto. EB a comentar a qualidade dos treinadores belgas, Godinho Lopes a avaliar (fora de tempo, e na base nem quero imaginar de quê) o trabalho de Domingos Paciência, e toda a gente no clube a fazer de treinador de bancada, não pode ser. O SLB sofria de um síndroma psíquico chamado "o mito do segundo Eusébio" (todos os anos encontravam um); o SCP agora sofre da chamada "inveja de Pinto da Costa". Ora, sobre isso, duas coisas: primeiro, não é Pinto da Costa quem quer (e o Sr. Presidente do SCP, com o devido respeito, não é); segundo, a tentação de ser Pinto da Costa costuma implicar a tentação de arranjar um guarda Abel, e o Sporting não é (não deve ser) um clube de gente dessa. Terceira coisa: tem de acabar a pressa e a megalomania. Com o orçamento mais pequeno dos três maiores clubes portugueses, com uma presença assinalável de jogadores formados no clube, contra a arbitragem e o "sistema", tivemos, na época Paulo Bento, um desempenho notável, segundos no Campeonato, a discuti-lo até ao fim, e com presença garantida na Liga dos Campeões. Mas não chegava, queríamos mais, e a "rua" correu com PB. Poucos anos depois, basta olhar: PB confirmou-se como um dos grandes treinadores portugueses, e o Sporting não voltou a ser o que foi na sua época. Com o treinador de então e o plantel actual, não é absurdo pensar que poderíamos hoje estar a discutir o campeonato, mas não: somos um clube que deixa a "rua" mandar, e onde cada "individualidade" quer dar a táctica à equipa. Enquanto for assim, temos o que merecemos.

6 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D