Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Depois da tempestade

 

Não era, mas parecia, aquela nuvem negra que descarregou no Jamor quanto as equipas entraram em campo parecia um presságio. Tanto parecia que tirei esta fotografia. Não tenho grande jeito para floreados kármicos, mas o meu problema é que não sei perder finais como a final que perdemos ontem. Uma Académica medíocre que se arrastou pela campeonato (pior ciclo de derrotas da Europa e só se safou da descida na última jornada) e que pratica anti-jogo do primeiro ao último minuto. Seja como for, foi contra isto que perdemos. Hora e meia disto e a época lá terminou. Terminou sem que ganhássemos nada. O Sporting não ganhou nada. O Sporting mudou de direcção e de órgãos sociais, rompeu com o passado recente em termos de modelo desportivo, investiu brutalmente na refundação do plantel e contratou um treinador competente e ambicioso. Queríamos ganhar. Tínhamos sede de ganhar. Meia dúzia de meses mais tarde, o Sporting despediu Domingos Paciência e chamou Sá Pinto para uma tarefa patriótica: salvar o Sporting da depressão em que inevitavelmente iria mergulhar. Sá Pinto cumpriu e cumpriu muito acima de que se esperava: o Sporting recuperou alegria e força psicológica, bateu recordes de assistências e resgatou o nosso optimismo infantil de sportinguistas. Mas lá  bem no fim, bem, lá no fim, tudo como no princípio: não ganhámos nada - nem sequer a Taça Lucílio Baptista. Quero com isto dizer só isto. Um: o plantel tem uma base de qualidade que pode ser reforçada com contratações que, de facto, acrescentem. Dois: Sá Pinto é treinador para o Sporting não tanto pelo que fez, mas pelas garantias de que poderá fazer muito mais e melhor. Três: o modelo deve ser mantido, ou seja, contratar bem significa gastar dinheiro. Os jogadores que vierem (necessariamente estrangeiros) que sejam bons e que complementem os talentos que a Academia tem de continuar a produzir. Quatro: deixei para o fim a questão dos órgãos dirigentes. Há coisas para serem feitas. Por favor, façam-nas. Faça o que tem a fazer, presidente.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D