Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Eleições? Porquê e para quê?

Subitamente - há sempre um 'subitamente' com o Sporting em certos momentos chave - parece que o mundo está preocupado com «eleições no Sporting». Foi o ZeroZero, foi O Jogo, de hoje. E amanhã haverá mais, estou certo, é a vida.

Que há de verdadeiramente novo?

Nada de palpável, até ao momento. Se bem me lembro, em entrevistas dadas há algum tempo, o Presidente não pôs de lado essa hipótese - mas apenas se algo de novo se apresentasse como um salto qualitativo para o clube. Parece razoável o raciocínio. Eleições, sem essa certeza de salto qualitativo, seria o quê? Um salto no escuro. O envolver do clube, agora que estamos numa fase de acalmia, na turbulência de um ato eleitoral, apenas um ano depois de iniciado um mandato.

A 18 de Abril, Godinho Lopes disse o que tinha a dizer (na minha opinião): «Partir para eleições, nesta altura, prejudicaria o clube. A AG do dia 24 é fundamental para o futuro e para cativar investidores». Isto é: o «futuro» (qualquer futuro) dependeria do que se aprovasse na AG e, aprovando, dependeria da chegada ao clube (através da sua SAD) do dinheiro fresco de eventuais investidores ou parceiros. Este, sim, será um quadro verdadeiramente novo, a necessitar de um eventual ato eleitoral referendário - de novos rumos e de nova estratégia.

Nada de extraordinário, nesse caso. Mas... apenas nesse caso. Se a busca de novos parceiros para a SAD resultar positiva - e parece (eu, pelo menos, desejo que sim) que está a ser - aí talvez seja importante partirmos, com o voto dos sócios, para uma fase diferente e mais sólida da vida do nosso clube. Mas, eleições por eleições ou para fazer ajustamentos tópicos, seria um caminho imprudente - seria continuarmos a viver na espuma dos dias. Aquela de que os media gostam, para fazer manchetes 'porque sim'.

O Sporting não pode viver sempre em campanhas eleitorais, tem de viver bem mais em ação decidida e continuada. Eleições, agora, só se houver algo de muito forte, mesmo muito forte, que as requeira. Ou seja, por haver boas notícias a curto prazo. Estou certo que, sendo difícil a situação, uma solução estará à vista. E, aí, outros horizontes se abrem então.

4 comentários

Comentar post

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D