Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Balanço (22)

image.jpg


O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre FATAWU:

 

- José Navarro de Andrade: «Tempo e paciência é o que faz falta a Essugo, Sotiris, Mateus Fernandes, Fatawu, Marsà, Israel para crescerem de pintainhos a galos de combate com esporão afiado. Se não lhos derem, não conseguirão cumprir o que prometem.» (20 de Dezembro)

Luís Lisboa: «O futuro é deles. Do Fatawu é de certeza. Dum lado ou doutro do campo está encontrado o novo Nuno Mendes.» (1 de Março)

- Eu: «Um golaço de Fatawu, daqueles que merecem ser vistos e revistos, garantiu ontem a permanência do Sporting B na Liga 3.» (7 de Maio)

- Vítor Hugo Vieira: «Numa linha de jogadores para não vender já, porque têm margem para valer muito mais, coloco Diomande, Trincão, Arthur Gomes, St. Juste e Fatawu.» (11 de Maio)

Os indignadinhos

A assembleia geral do Sporting que no passado sábado - com quase 40 graus em Lisboa e sem competições desportivas - aprovou o orçamento de 2023/2024 e as contas consolidadas dos cinco anos anteriores, contou com a participação de 1113 votantes.

Alguns acham pouco. São aqueles que nunca foram sócios. Ou já foram mas deixaram de pagar quotas. Ou queimaram o cartão de sócio quando para eles «o Sporting morreu», nos idos de 2018.

A uns e a outros, agora tão indignadinhos pela «fraca participação», recordo que na primeira assembleia geral do mandato de Bruno de Carvalho participaram apenas 1236 sócios. Que chegaram e sobraram para aprovar o plano de reestruturação financeira, com 97% de votos favoráveis. 

Faz hoje dez anos. Nessa altura não havia indignadinhos.

Nós, há dez anos

 

Tiago Loureiro: «A Assembleia Geral do Sporting aprovou a reestruturação financeira do clube com mais de 97% dos votos. Numa altura em que muito se fala da importância de um clube unido e com um projecto claro para vários anos, este resultado só pode ser visto como extremamente animador. Um momento decisivo ocorrido na véspera do dia em que o Sporting comemorará 107 anos de vida. Agora, venha daí o futuro!»

 

Eu: «Ocorreu há pouco a segunda vitória de Bruno de Carvalho em três meses - desta vez nesse palco privilegiado da expressão da vontade dos sócios que é a assembleia-geral leonina. Por números que não deixam dúvidas a ninguém: 1206 sócios votaram a favor do plano de reestruturação financeira, houve apenas 12 que votaram contra (0,97%), e ainda 13 abstenções e cinco votos nulos. Números que representam também a vitória do bom senso: nesta fase tão embrionária do seu mandato, Bruno de Carvalho não tem oposição.»

A voz do leitor

«Precisamos de um ponta de lança desde que Bas Dost saiu do Sporting. De Slimani nem falo pois foi mais um erro de palmatória de Rúben Amorim. Não há jogadores problemáticos, há é treinadores que não sabem lidar com esses mesmos jogadores. Mourinho, só para citar um nome (de quem por acaso nem aprecio muito) lidava muito bem com qualquer jogador e sabia extrair competências e valor de todos eles. O treinador é que tem de saber adaptar-se ao perfil de cada jogador e rentabilizá-lo ao máximo.»

 

Sea Lion, neste postal

Balanço (21)

tri.jpeg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre TRINCÃO:

 

- Pedro Belo Moraes: «Regular nulidade.» (3 de Novembro)

- José Navarro de Andrade: «Andou um pouco perdido em campo, longe do fulgor de outrora, e tem vindo ultimamente a aproximar-se do nível que dele se esperava. Era de tempo que ele precisava.» (20 de Dezembro)

- Edmundo Gonçalves: «Lento, vagaroso e previsível. A mais nesta equipa.» (23 de Janeiro)

Luís Lisboa: «Depois dum princípio de jogo a claudicar, Trincão abriu o livro e marcou um golo à Messi.» (27 de Fevereiro)

- Vítor Hugo Vieira: «Parece um jogador que ainda precisa melhorar a sua confiança. Se as coisas lhe começam a correr mal nunca mais aparece no jogo mas se correrem bem fica motivado e destaca-se. Mesmo no jogo de ontem, onde fez o um hat-trick, como seria se, em vez de marcar logo aos 17 segundos, tivesse falhado o golo? A qualidade está lá toda, o problema parece-me ser apenas mental e isso é algo que ele e todos os que o rodeiam têm de trabalhar.» (10 de Abril)

- Francisco Chaveiro Reis: «Trincão não é o novo Sarabia como muitos (eu, incluído) achavam, mas a espaços vai mostrando toda a sua qualidade. Melhora de semana para semana e, possivelmente, é o primeiro reforço para 2023-2024. Para já, leva 43 jogos, 11 golos e 3 assistências, números semelhantes (40 jogos, 9 golos e 11 assistências pelo Braga) aos que fizeram o Barça gastar 30 milhões no seu passe. Bem-vindo, Tri Tri Trincão.» (10 de Abril)

- Eu: «Começou como avançado-centro e terminou na ponta direita, sempre em alto rendimento: está a melhorar de jogo para jogo. Marcou um grande golo (o terceiro, aos 62', coroando bom trabalho individual, assistiu noutro (o segundo) e só não a meteu lá dentro também aos 37' devido a enorme defesa de Marafona. Fez ainda um magnífico centro aos 79' que Pedro Gonçalves desperdiçou. Já contabiliza 12 golos nesta época - a mais produtiva da sua carreira.» (8 de Maio)

Futebol: troféus dos últimos cinco anos

amorim-varandas-viana-.jpg

 

Futebol Clube do Porto 9 (Campeonato 2020, Campeonato 2022, Taça de Portugal 2020, Taça de Portugal 2022, Taça de Portugal 2023, Taça da Liga 2023, Supertaça 2018, Supertaça, 2020, Supertaça 2022)

Sporting Clube de Portugal 6 (Campeonato 2021, Taça de Portugal 2019, Taça da Liga 2019, Taça da Liga 2021, Taça da Liga 2022, Supertaça 2021)

Sport Lisboa e Benfica 3 (Campeonato 2019, Campeonato 2023, Supertaça 2019)

Sporting Clube de Braga 2 (Taça de Portugal 2021, Taça da Liga 2020)

 

Nota:

Se incluirmos apenas os títulos, excluindo a Supertaça (mero troféu), a proporção altera-se ligeiramente: FCP 6, SCP 5, SLB 2, SCB 2.

Nós, há dez anos

 

Pedro Quartin Graça: «A renovação de Seejou King, defesa esquerdo dinamarquês e jogador de qualidade, é, naturalmente, uma decisão de saudar. Pessoalmente acho mesmo que se trata de um jogador mais completo do que o seu previsível concorrente, o brasileiro Jefferson - este muito bom a atacar mas com lacunas... a defender. Vamos ver se King, igualmente bom marcador de golos, mas sem comprometer nas tarefas defensivas, não se assume ele próprio como titular da equipa principal.»

A voz do leitor

«O avançado [Ekitike] é um jovem de muito potencial, enorme mesmo. Só que tem as qualidades e os defeitos dum jovem recém-chegado do Reims onde fez uma época fantástica. Muito veloz apesar do 1,90m. Esta época foi muito mais complicada tanto em campo como fora, onde ganhou rótula de "diva". É verdade que os simpatizantes do PSG são muitos exigentes e impacientes desde que manda o Catar no clube. Mas é bom lembrar que os parisienses apostaram 36M€ nele. Não deixa de ser um (muito) bom jogador com algumas fragilidades, no jogo aéreo por exemplo. O defesa [Bitshiabu] fez alguns jogos quando a equipa estava com muitos lesionados e de facto correram bem. Só que também baixou de rendimento no início da primavera, o que não deixa de ser normal nesta idade. Do meu ponto de vista é demasiado lento.»

 

Jorge Luís, neste meu texto

Balanço (20)

ed.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre EDWARDS:

 

- António de Almeida: «Tem potencial para ir mais além, a todos os níveis...» (7 de Setembro)

- José Navarro de Andrade: «O minúsculo homem-que-não ri mostrou ser capaz de fintar uma defesa inteira de alemães pernaltas em cima de um guardanapo e no fim acabou por ser um jogo igual ao contra o Chaves mas exactamente ao contrário: em dois minutos demos cabo daquele que parecia estar por cima.» (7 de Setembro)

Luís Lisboa: «Acordou da soneca.» (23 de Outubro)

- Eu: «Reservado, pouco expansivo e nada falador, este avançado exprime-se da melhor maneira quando tem uma bola nos pés. Sabe tratá-la como poucos na sua posição: exímio na finta, quase imbatível nos confrontos individuais, muito engenhoso na forma como varia a velocidade de jogo e confunde as defesas adversárias com súbitas aceleradelas de olhos fitos na baliza. Gosta de marcar golos e não costuma pedir licença para esse efeito.» (2 de Janeiro)

- Vítor Hugo Vieira: «Está com 24 anos, idade excelente para uma grande transferência, e deu nas vistas nos jogos com equipas inglesas, para quem uma compra de 40 ou 50 milhões por um jogador do seu país é uma pechincha. Por outro lado é um jogador irregular, que só se destaca quando lhe apetece, e na próxima temporada não terá a montra da Champions para o valorizar. Seria a minha prioridade para vender este ano.» (11 de Maio)

Sub-19: Amorim vetou cinco

malta.jpg

 

Sete jogadores do Sporting foram convocados para o Campeonato da Europa sub-19, que se realiza em Malta entre os próximos dias 3 e 16.

Diogo Pinto (guarda-redes)

David Monteiro (lateral)

Martim Marques (ala esquerdo)

Gonçalo Esteves (lateral)

Samuel Justo (médio)

Mateus Fernandes (médio)

Rodrigo Ribeiro (avançado)

O nosso clube foi o mais representado nesta convocatória.

 

Estiveram para ser onze. Mas Rúben Amorim vetou desde logo a deslocação de quatro: João Muniz (central), Dário Essugo (médio), Afonso Moreira (avançado) e Chermiti (avançado). Alegando que queria contar com eles logo no início dos trabalhos da pré-época, já esta semana. Escudou-se, aparentemente, no facto de não ser um torneio inscrito no calendário da FIFA.

Os sete passaram logo a seis: Martim Marques foi pouco depois transferido para o Lugano (Suíça) após 13 épocas em Alcochete.

Depois, ficaram apenas cinco: o treinador vetou igualmente a participação de Mateus Fernandes. Garantindo que também precisaria já dele em Alvalade, pois haveria escassez de médios no plantel principal.

 

Isto tem um lado bom e um lado mau.

O lado bom é confirmar-se, ao contrário do que alguns ainda apregoam, que o Sporting tem formação em quantidade e com manifesta qualidade. Daí figurarem tantos jogadores nesta convocatória inicial.

O lado mau é ver que tantos acabam por não seguir viagem. Algo incompreeensível para mim. A participação no Europeu daria traquejo a estes miúdos, levava-os a um patamar competitivo mais exigente e certamente os valorizaria muito mais do que participar nos treinos do início da pré-época da equipa principal. As competições dos escalões juniores são cada vez mais chamativas: quem nelas participa fica logo debaixo dos holofotes.

 

Passamos o tempo no fado choradinho digno de calimeros, com a queixa recorrente de que os nossos jogadores não são chamados às selecções...

Quando são chamados, o treinador veta-os.

Quando não vão por responsabilidade nossa, acaba a lamúria. Está tudo bem.

Confesso que me custou acreditar na notícia. E ainda não descortino a verdadeira causa deste veto.

Alguém entende? Eu não.

Nós, há dez anos

 

Francisco Mota Ferreira: «Espero, sinceramente espero, que a Direcção seja sensível o suficiente para ouvir vozes discordantes (era bom sinal que existissem, os unanimismos dão sempre mau resultado) e que possa ter a capacidade de unir este nosso balcanizado Sporting.»

 

Pedro Quartin Graça: «É verdade que, nos três meses de mandato da actual direcção do Sporting, o endividamento do clube face ao BES e ao BCP foi aumentado numa verba que oscila entre os 15 e os 18 milhões de euros?»

 

Tiago Cabral: «Um dos piores jogadores que já vi com a camisola do Sporting. Este, até dado era um bom negócio.»

 

Eu: «O Conselho Leonino aprovou por unanimidade - repito: por unanimidade - o plano de reestruturação financeira do Sporting. E até Godinho Lopes apela aos sócios para que dêem luz verde a esse plano na assembleia-geral do próximo domingo. Porque, a seu ver, o clube precisa de união e estabilidade. Também ele já percebeu que o novo rumo que todos queremos para o Sporting é incompatível com um clima de instabilidade, só favorável aos nossos adversários históricos. Percebeu bem.»

A voz do leitor

«O Sporting tem trabalhado bem a sua marca nos últimos anos e isso tem reflexo nos valores das transferências. Tem de haver um equilíbrio entre a vertente desportiva e a financeira, naturalmente, contudo, não posso deixar de salutar ver que os grandes negócios já não acontecem apenas nos clubes rivais. Agora tem de se garantir que quem chega possa continuar a trazer rendimento no campo, pois Ugarte foi um verdadeiro baluarte numa época que ficou aquém a nível dos objectivos.»

 

Salgas, neste meu texto

Balanço (19)

arthur.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre ARTHUR:

 

- José Navarro de Andrade: «Chego a ter pena de Arthur Gomes. Na primeira vez que enverga a camisola do Sporting, na primeira vez que se apresenta na Champions, na primeira vez que pega na bola, vai por ali fora prega uma cueca num defesa e outra no guarda-redes, e logo o Lloris, e marca um golo - quantas vezes isto pode acontecer numa vida?» (13 de Setembro)

Luís Lisboa: «Um Edwards ou um Arthur Gomes como estes é que não havia no Tottenham. Foram dois lances que os melhores do mundo não desdenhariam assinar, no primeiro ainda Lloris deve estar a tentar perceber como conseguiu defender, no segundo não teve hipóteses.» (13 de Setembro)

- Marta Spínola: «No golo de Arthur... entre os "segura agora!" e os "não... ai vamos ao segundo?!", todos acreditámos e, com a magnífica jogada individual (depois de bom trabalho de Esgaio e Paulinho), a euforia foi total. Inaugurei assim, também eu, mais uma temporada de abraços a estranhos na bancada.» (15 de Setembro)

- Francisco Almeida Leite: «Não se percebe a opção de ontem por Arthur Gomes de início e as entradas de Jovane e de Rochinha quando estamos a perder e temos que dar a volta.» (9 de Janeiro)

Eu: «O brasileiro que veio do Estoril vai-se revelando decepcionante jogo após jogo. Ao ponto de já não faltar quem se questione se é mesmo reforço.» (30 de Janeiro)

- Vítor Hugo Vieira: «Numa linha de jogadores para não vender já, porque têm margem para valer muito mais, coloco Diomande, Trincão, Arthur Gomes, St. Juste e Fatawu.» (11 de Maio)

Onde pára a oposição?

Mesmo depois duma época desportiva que muito deixou a desejar, a Assembleia Geral de sábado demonstrou que mais de 70% dos sócios estão com a Direcção eleita, e que existe uma paz e estabilidade no clube bem superior relativamente à que existia dois anos atrás. A derrota colossal de Nuno Sousa nas eleições fez desmobilizar muita gente que acreditava no legado de Bruno de Carvalho e queria ajustar contas com o passado. E na AG lá esteve ele, mais o Augusto Inácio, a dar a cara pela oposição, no caso dele a questionar a Direcção. De outros ex-candidatos nada se soube. 

Uns dias antes o mesmo Nuno Sousa tinha estado num podcast com os líderes da Juveleo, o Mustafá e o António Cebola, e a convergência de pontos de vista foi evidente. Basicamente o Varandas é o pior presidente de sempre, não tem vergonha na cara e tem de sair a bem ou a mal. Em caso de derrota no futsal teria havido confusão, mas com o título conquistado no salão de festas da Luz também a Juveleo terá dado por finda a época e ido a banhos, ignorando a AG. Fizeram bem porque estavam quase 40º em Lisboa.

 

Do que se disse na referida AG retive três coisas:

1. O clube tem contas equilibradas dentro duma política de controlo de custos nas modalidades de competição e de formação paga pelos próprios (ginástica, natação e... voleibol à cabeça).

2. O estádio de Alvalade vai ser intervencionado e melhorado, o que já não era sem tempo, mas vai ser bem difícil fazer daquela "Taveirada" com fosso e tudo um estádio que orgulhe o clube como o magnífico pavilhão João Rocha.

3. As modalidades mantêm-se com o mesmo nível de orçamentos, com o hóquei em patins feminino a dar lugar ao basquetebol, que tem outra capacidade em termos de formação.

O que não ouvi foi que o Sporting ia investir para ganhar em todas as modalidades, e que tudo o que não fosse conquistar títulos seria uma derrota. Isso ouvi relativamente a outra AG, doutro clube.

 

Sendo assim conviria que existisse uma oposição estruturada e liberta da "canga" brunista, que neste momento apenas significa radicalismo e derrota. Uma oposição que apresentasse uma visão diferente para o clube e para a SAD. Talvez com mais ambição, com outra atitude, com mais investimento, com mais vitórias, com mais muita coisa para conseguir dar luta sem tréguas ao rival do outro lado da 2.ª circular. Ou então com menos, ainda mais apostada na formação no futebol e nas modalidades, querendo comprar só jogadores baratos e preferencialmente sem empresários nem comissões, não mais negócios com o Jorge Mendes, pobrezinhos mas honradinhos.

Onde é que pára essa oposição? Que tem para propor de diferente? Que esperam para se chegarem à frente? 

A continuarmos assim, daqui a nada só mesmo se ele não quiser é que não é reeleito.

SL

Varandas: 28 títulos nas modalidades

Screenshot_7-8.webp

 

Em quatro épocas, eis o palmarés de Varandas (e Miguel Afonso) nas principais modalidades, ditas de pavilhão.

Vinte e oito títulos conquistados só a este nível, sem contabilizar os seis ganhos no futebol:

Basquetebol
1 título campeão nacional (2021)
3 Taças de Portugal (2020, 2021, 2022)
2 Supertaças (2021, 2022)
2 Taças Hugo dos Santos (2022, 2023)

Futsal
2 Ligas dos Campeões (2019, 2021)
3 títulos de Campeão Nacional (2021, 2022, 2023)
3 Taças de Portugal (2019, 2020, 2022)
1 Supertaça (2022)
2 Taças da Liga (2021, 2022)

Hóquei em patins
2 Ligas dos Campeões (2019, 2021)
2 Taças Continentais (2019, 2021)
1 título campeão nacional (2021)

Voleibol
1 Taça de Portugal (2021)
1 Taça de Portugal feminina (2023)

Andebol
2 Taças de Portugal (2022, 2023)

 

Nestas épocas, o Sporting foi ainda vice-campeão nacional de basquetebol (2023), hóquei em patins (2023), voleibol (2019, 2022) e andebol (2019, 2021, 2022, 2023).

 

Destaque para a brilhante época de 2020/2021, logo a seguir à pandemia.

E não esqueçamos que um ano inteiro dos cinco de mandato de Varandas ficou sem títulos (o de 2020, no geral) devido ao cancelamento das competições de pavilhão.

Nós, há dez anos

 

Pedro Quartin Graça: «Fredy Montero. Sem dúvida bom jogador. Mas fará "esquecer" Ricky? Do ponto de vista fisico aparentemente não. A ver vamos.»

 

Tiago Loureiro: «É uma pena constatar que há sportinguistas que acham que a fragilidade do clube lhe limita as possibilidades de defesa dos seus interesses e da sua dignidade. Mas é bom ver que há sportinguistas que pensam exactamente o contrário e, melhor ainda, é saber que quem manda actualmente no clube é um deles. Um garoto que tem deixado toda a gente em sentido.»

 

Eu: «Nada como o confronto com opiniões contrárias para tornar este blogue estimulante. O que se pretende é precisamente isso. Daí eu publicar sempre com gosto as opiniões de gente que discorda frontalmente de mim. Não há dia nenhum em que isso não aconteça, como é fácil comprovar. Se todos os blogues que se dizem apoiantes do Sporting fizessem o mesmo conseguiriam ter audiência e ser respeitados. Assim, com frequência, nem uma coisa nem outra.
E já agora: não por acaso, este blogue chama-se És a nossa Fé. Em matéria de Sporting, não somos agnósticos

A voz do leitor

«Bragança, mesmo antes da lesão, nunca foi um jogador regular nas suas exibições e por conseguinte nunca foi um jogador de topo. Acredito no Tanlongo, mas mesmo assim ainda vamos precisar de mais uma alternativa para o meio-campo, de preferência com mais características de 6. Essugo não tem ainda capacidade para o plantel principal e precisa de rodar noutro clube, de preferência da nossa Liga. O ponta-de-lança já é conversa de ontem.»

 

Sea Lion, neste postal

Balanço (18)

NINTCHDBPICT000633957388.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre PEDRO GONÇALVES:

 

- António de Almeida: «Herói da noite.» (14 de Agosto)

- Edmundo Gonçalves: «Definitivamente não rende no lugar onde o treinador o coloca.» (9 de Março)

- Pedro Belo Moraes: «Foi essa mesma confiança que levou à obra-prima, à obra de arte de Pedro Gonçalves. Também ela fonte de confiança para toda a equipa. Para todo o universo sportinguista.» (17 de Março)

- José da Xã: «Deste modo vi o jogo, refilei muito com a coitada da televisão e fiquei olimpicamente siderado com o golo de Pedro Gonçalves.» (17 de Março)

- Francisco Chaveiro Reis: «A Bola atribuiu a nota máxima, 10, a Adán e Pedro Gonçalves, pelas suas fabulosas exibições de ontem. Mesmo sendo conotada com outra cor clubística, a publicação reconheceu o óbvio e atribuiu uma nota rara na sua história.» (17 de Março)

Luís Lisboa: «O melhor jogador deste plantel do Sporting, quer seja o que começou a época, quer o actual, chama-se Pedro Gonçalves. Passa, centra, remata melhor do que nenhum outro e ainda consegue desarmar sem falta.» (17 de Abril)

- Vítor Hugo Vieira: «Jogador insubstituível no plantel.» (11 de Maio)

Eu: «Dizem que produz pouco, que é intermitente, que se desliga por vezes do jogo, etc, etc. Chamam-lhe "Pote", alcunha com a qual a imprensa do grupo Cofina (Record e Correio da Manhã) insiste em designar sempre este nosso jogador, como se ele não tivesse nome. (...) As caixas de comentários do És a Nossa Fé estão cheias de comentários deste género, a denegrirem aquele que continua a ser o melhor jogador do actual plantel leonino. Nada de novo: para muitos adeptos, bons são todos quantos já cá não estão.» (31 de Maio)

25 anos de títulos nas modalidades

image.jpg

Sporting conquistou campeonato de futsal, o mais recente título do desporto português

Imagem: Luís Forra / Lusa

 

Vamos lá então falar de modalidades. Neste período de balanço.

É o momento para passarmos em revista os palmarés dos clubes no último quarto de século nas cinco principais modalidades masculinas de pavilhão. São estas, por ordem alfabética: andebol, basquetebol, futsal, hóquei em patins e voleibol.

Com uma característica: só dois emblemas - Sporting e Benfica - figuram entre os vencedores em todas elas nestes 25 anos.

Termino - como fiz aqui - repartindo estes títulos pelos presidentes do Sporting das épocas em que foram conquistados. 

São dados concretos, factuais. Para evitar o "acho que", o "se calhar", o "parece que" ou o "mais ou menos" tão característicos das discussões à portuguesa.

 

ANDEBOL

FC Porto 15 campeonatos (1999, 2002, 2003, 2004, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2019, 2021, 2022, 2023)

ABC 4 campeonatos (2000, 2006, 2007, 2016)

Sporting 3 campeonatos (2001, 2017, 2018)

Madeira SAD 1 campeonato (2005)

Benfica 1 campeonato (2008)

(O título não foi atribuído em 2020)

 

BASQUETEBOL

Benfica 9 campeonatos (2009, 2010, 2012, 2013, 2014, 2015, 2017, 2022, 2023)

Ovarense 4 campeonatos (2000, 2006, 2007, 2008)

FC Porto 4 campeonatos (1999, 2004, 2011, 2016)

Portugal Telecom 3 campeonatos (2001, 2002, 2003)

Oliveirense 2 campeonatos (2018, 2019)

Sporting 1 campeonato (2021)

Queluz 1 campeonato (2005)

(O título não foi atribuído em 2020)

 

FUTSAL

Sporting 14 campeonatos (1999, 2001, 2004, 2006, 2010, 2011, 2013, 2014, 2016, 2017, 2018, 2021, 2022, 2023)

Benfica 8 campeonatos (2003, 2005, 2007, 2008, 2009, 2012, 2015, 2019)

Freixieiro 1 campeonato (2002)

Miramar 1 campeonato (2000)

(O título não foi atribuído em 2020)

 

HÓQUEI EM PATINS

FC Porto 16 campeonatos (1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2017, 2019, 2022)

Benfica 4 campeonatos (2012, 2015, 2016, 2023)

Sporting 2 campeonatos (2018, 2021)

Óquei Barcelos 1 campeonato (2001)

Valongo 1 campeonato (2014)

(O título não foi atribuído em 2020)

 

VOLEIBOL

Benfica 9 campeonatos (2005, 2013, 2014, 2015, 2017, 2019, 2021, 2022, 2023)

Espinho 7 campeonatos (1999, 2000, 2006, 2007, 2009, 2010, 2012)

Castêlo da Maia 4 campeonatos (2001, 2002, 2003, 2004)

Fonte do Bastardo 2 campeonatos (2011, 2016)

Sporting 1 campeonato (2018)

V. Guimarães 1 campeonato (2008)

 

TOTAL

FC Porto 35 títulos

Benfica 31 títulos

Sporting 21 títulos

Espinho 7 títulos

ABC 4 títulos

Castêlo da Maia 4 títulos

Ovarense 4 títulos

Portugal Telecom 3 títulos

Fonte do Bastardo 2 títulos

Oliveirense 2 títulos 

Freixeiro 1 título

Madeira SAD 1 título

Miramar 1 título

Óquei Barcelos 1 título

Queluz 1 título

Valongo 1 título

V. Guimarães 1 título

 

PRESIDENTES DO SCP COM ESTES TÍTULOS

José Roquette 1 (futsal 1999)

Dias da Cunha 3 (andebol 2001, futsal 2001, futsal 2004)

Filipe Soares Franco 1 (futsal 2006)

José Eduardo Bettencourt 2 (futsal 2010, futsal 2011)

Godinho Lopes 1 (futsal 2013)

Bruno de Carvalho 8 (futsal 2014, futsal 2016, futsal 2017, andebol 2017, andebol 2018, futsal 2018, hóquei em patins 2018, voleibol 2018)

Frederico Varandas 5 (basquetebol 2021, hóquei em patins 2021, futsal 2021, futsal 2022, futsal 2023)

 

Eis os dados, concretos e objectivos. 

Comentem se quiserem. Sintam-se à vontade. 

Nós, há dez anos

 

Diogo Agostinho: «Ao que parece só em funcionários, a Direcção do Sporting dispensou 60 nestes últimos tempos. Estes 60 signficam uma redução no orçamento anual de 3 milhões de euros. Ora, é fazer as contas. São 60 funcionários da estrutura a receber em média mais de 3.500 euros/mês. Eu não me importava nada de ter uma estrutura bem paga, se essa mesma estrutura nos colocasse no topo, com um grau elevado de profissionalismo. Mas é uma loucura o nivel de ordenados praticados no nosso clube. Sobretudo a muitos encostados.»

 

José da Xã: «Nunca fui apoiante do não cumprimento dos mandatos para que são eleitos os corpos sociais de um clube. Todavia tenho que dar a “mão à palmatória” aos que se queixavam da má gestão anterior. E em boa hora surgiram as eleições…»

 

Pedro Quartin Graça: «O que leva, do ponto de vista de motivação, a Holdimo a trocar créditos que possui no valor de 20 milhões de euros e percentagens relativas a passes de 28 jogadores do Sporting, por um lugar no Conselho de Administração e 20% do capital social da SAD do Sporting? Ou seja, a trocar o potencial lucro imediato com participação nas vendas de passes de jogadores, por um lucro por ora incerto? O sportinguismo dos seus administradores?»

 

Eu: «Andam alguns muito escandalizados com as restrições orçamentais postas em prática no Sporting por imperativos sérios de contingência financeira. São os mesmos que louvavam os estendais de desperdício das gestões anteriores, nomeadamente da que antecedeu esta. Mas cabe perguntar: se José Couceiro tivesse sido eleito em Março presidente do Sporting o rumo seria diferente? Claro que não. Aliás o próprio candidato derrotado deixou isso bem claro durante a campanha eleitoral, que decorreu com uma dignidade inquestionável.»

Pág. 1/7

{ Blogue fundado em 2012. }

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D