Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

A voz do leitor

«A falta de golo é a grande mancha na carreira do Matheus Nunes. Nunca percebi a falta de apetência para o remate, quando até tinha um pontapé forte. Todos nos lembramos do último, dos poucos golos que marcou pelo Sporting, antes de rumar para Inglaterra - um potente remate de fora da área, já não me lembro contra quem, talvez o melhor golo ao serviço do Sporting. É paradoxal que o seu melhor golo tenha sido o último, pelo que a sua partida, depois de tamanho feito, ainda deixou mais saudade.»

 

AHR, neste meu texto

Se é para baterem recordes de assistência que seja o Sporting a ganhar

De bombo da festa projetado, a justo vencedor.

Não era certamente este o desfecho esperado pela maioria dos 27.221 espetadores que hoje dedicaram duas horas da sua tarde para ver um jogo de futebol feminino em pleno estádio da Luz.

O recorde histórico de assistência fez-se para testemunhar uma justa vitória das leoas.

Aos 62 minutos, Ana Capeta assistiu e Maiara Niehues faturou, fixando o resultado final, naquela que foi a primeira derrota do Benfica esta época na Liga de Futebol Feminino.

A equipa da casa vinha de um atípico, mas inegável, período hegemónico recente, não tinha perdido qualquer ponto nas 16 jornadas já disputadas, e, apesar de ter, de longe, o maior orçamento da modalidade em Portugal, beneficiava ainda de uma política custo zero dos bilhetes para sócios, praticada pela sua direção.

Já o Sporting Clube de Portugal vinha recuperando de um início de época atribulado (também no futebol feminino, sim) e apresentava-se na Luz com uma série de sete vitórias e um empate na Liga, empate esse cedido na jornada anterior, em jogo disputado a norte, frente ao Braga com quem partilhamos ex-aequo a segunda posição na Liga.

Lograram as leoas com humildade e algumas lições aprendidas dos desaires recentes, frente ao mesmo rival, corrigir o passo e repor o respeito pelas nossas cores, perante admirável plateia.

Sim, admirável. Fica aqui a minha homenagem a quem valoriza o futebol feminino e já vai fazendo hábito de o ver ao vivo e a cores. Que continuem e mantenham esta sorte de ver sempre as leoas a rugir vencedoras.

Maiara Niehues.png

Imagem extraída do sítio do Sporting Clube de Portugal.

Vitórias no feminino (cont)

Ainda agora falava aqui das vitórias das nossas leoas e já vou ter de dizer mais algumas coisas sobre as as de hoje no futebol, voleibol e rugby.

As primeiras entraram no estádio da Luz como quem entra no Aurélio Pereira, e com 27 mil espectadores nas bancadas encararam o Benfica como quem encara o Fófó, e ganharam por 1-0 à equipa que talvez custe tanto como as outras todas do campeonato juntas.  

As segundas entraram no sempre difícil (pelo ambiente escaldante) pavilhão de Matosinhos no dia seguinte a terem sido derrotadas por 3-0. Perdem o primeiro set e conseguem arranjar forças para ganhar por 3-1. Assim voltam ao João Rocha com a possibilidade de fechar a meia-final. 

As terceiras venceram o Benfica por 15-18 na meia-final da Taça de Portugal da modalidade.

São três exemplos de equipas que não se construiram no "supermercado", construiram-se num processo longo com altos e baixos. Estas vitórias foram fruto de muito esforço, dedicação e devoção e união. 

Parabéns às equipas, e muito em especial aos dois treinadores e às capitães. 

SL

Os melhores prognósticos

Não faltaram bons prognósticos nesta ronda com quatro vencedores. Cumprimento os leitores Jorge Luís e Leão do Xangai, que anteviram o resultado do Sporting-Boavista, acertando no golo de Nuno Santos, e os leitores Fernando e José Vieira, que anteciparam o golo de Paulinho. Muito mais difícil seria prever o autogolo de Salvador Agra, que fechou a conta em Alvalade.

Menção honrosa para os leitores Allfacinha e Armando Santos: ambos previram o 3-0, embora sem acertarem em quem marcou.

Nós, há dez anos

 

Francisco Melo: «Depois da troca de galhardetes com o sr. Pinto, o consócio Paulo Jorge Gomes Bento (48.072) muito dificilmente irá algum dia treinar para as bandas do Olival...»

 

Francisco Mota Ferreira: «Inácio é treinador do Moreirense. Mas todos nós sabemos que vai ser administrador na nova SAD. Isso só irá acontecer no final da época. Até lá, Inácio vai treinar o Moreirense (que ainda vai jogar contra o Sporting) e depois assume a sua nova pele de leão. Sou só eu que acho estranho que um treinador de um clube ainda em funções ache isto tudo normal? Vindo de quem vem, não é de estranhar. Muitos não se recordam certamente, mas eu ainda sou do tempo em que Inácio saiu do Sporting, foi jogar para o FC Porto e, no jogo em que os do norte vieram a Alvalade, Inácio disse o pior do Sporting e dos seus ex-colegas.»

 

Leonardo Ralha: «Pela frente temos uma temporada de contenção, mas que se espera de melhores resultados. Esta é a matéria-prima disponível (já sem os emprestados Joãozinho e King), à qual urge acrescentar um ou dois defesas centrais, dois avançados e um patrão do meio-campo. Hugo Viana e Ghilas seriam muito bem-vindos.»

 

Eu: «Gestos como o de [José] Couceiro é que devem ser valorizados. Os outros, pertencentes à minoria ressabiadíssima dos seus alegados apoiantes, não têm a menor expressão. Couceiro foi só derrotado uma vez - e soube perder com dignidade. Os ressabiados, que torcem para que tudo agora dê errado, terão muitas derrotas pela frente. Quanto mais irritados andarem, tanto melhor para o Sporting: é sinal de que a escolha dos sócios esteve certa.»

Nós, há dez anos

 

Edmundo Gonçalves: «Como se tem comparado muito a situação do Sporting com a do País, com as devidas distâncias, o que eu acho urgente para o Sporting é que, a exemplo do implementado na África do Sul pelo nosso sócio honorário Nelson Mandela, se implemente aqui uma verdadeira comissão da verdade e reconciliação, sob pena de darmos todos cabo do nosso grande Clube.»

 

Francisco Mota Ferreira: «Terminada a campanha, eis-me pois de volta a esta casa. Sou um institucionalista e, como tal, a lista eleita pela maioria dos sócios do Sporting é agora também a minha lista. Bruno de Carvalho é o meu Presidente. Digo isto com o conforto e à vontade de ter trabalhado activamente numa solução alternativa para o futuro do nosso Clube. O nosso novo Presidente terá um desafio enorme pela frente e cá estaremos, Sportinguistas, atentos ao que foi dito e prometido na campanha e o que a realidade dos factos irá forçar esta nova equipa a fazer.»

 

João Távora: «Passado algum tempo (demasiado) em que o Sporting vem sendo para mim um assunto profundamente desagradável e com pouco que ver com futebol, eis que estou de volta aos assuntos da bola para umas curtas considerações. Em primeiro lugar lamentar o triste espectáculo que resultou da comunicação dos resultados eleitorais, condicente com o que se vem verificando nas quatro linhas: um desastre de improvisos e amadorismo gritante. Em segundo, sendo eu avesso ao estilo de Bruno Carvalho, reconheço-lhe uma enorme virtude em relação às candidaturas concorrentes: um visível gosto e determinação férrea em conquistar o poder, condição que julgo valiosa para a tarefa ciclópica que o aguarda. Foi este dilema que me levou pela primeira vez a abster-me em eleições no meu clube.»

 

Tiago Cabral: «O que mais custa a alguns que por aí vagueiam é esta mania que os sportinguistas têm de pensar pela sua cabeça. Estes energúmenos têm a ousadia de pensar que as suas arcaicas formas de raciocinar e de se expressar constituem um qualquer paradigma a seguir. Julgam-se imbuídos de um qualquer poder divino, que lhes outorgou o direito de pensar por todos, serem os únicos com capacidade de indicar o caminho, o destino a seguir. O seu maniqueísmo é confrangedor, sendo também um sinal vindo do passado, simplório e retrógrado. Esquecem-se estes simplórios que felizmente o tempo do seguidismo cego há muito que acabou. Não entendem que os sportinguistas consigam escolher a opção que representa o melhor para o futuro do seu clube. Custa-lhes perceber que os tachos acabaram, que as sinecuras que usufruíam foram à vida.»

 

Zélia Parreira: «Tenho evitado escrever ou comentar aqui. Os ânimos andavam demasiado exaltados e quase todos os intervenientes convencidos de serem donos da razão absoluta. Talvez seja já a hora de colocar as diferenças de lado e assumir o que temos em comum. O Sporting é o nosso grande amor e Bruno de Carvalho o nosso Presidente. Agora, que vivemos os primeiros dias do resto das nossas vidas enquanto Sportinguistas, olhemos em frente, unidos.»

A voz do leitor

«São vulgares criminosos. Não vale a pena ser meigo nas palavras. São grupos liderados por vulgares criminosos, que se acobertam no Sporting para conseguir viver à margem da lei. E fazem-no com o beneplácito das autoridades públicas e com o Sporting a pagar as favas, incapaz de controlar o problema internamente, empurrado por leis inadequadas que facilitam e em boa verdade promovem a existência destas quadrilhas.»

 

João Gil, neste texto do Filipe Moura

CR7 de regresso aos golos em Alvalade

Cristiano marcou dois dos quatro ao Liechtenstein

descarregar (1).webp

Cristiano Ronaldo marcou, toda a equipa celebra: festa da selecção no nosso estádio

Foto: Miguel A. Lopes / Lusa

 

Aqueles imbecis que já o consideravam "reformado", incluindo alguns (coisa para mim incompreensível) adeptos do Sporting, ficaram decerto muito decepcionados.

Cristiano Ronaldo, muito aplaudido, regressou ontem ao Estádio José Alvalade. E marcou mais dois golos, contribuindo com meia goleada da selecção de Portugal ao Liechtenstein (4-0). Um de penálti, outro de livre directo - um golaço. Quem disse que CR7 não sabe marcar desta forma?

 

Num estádio quase cheio, com mais de 45 mil pessoas nas bancadas, ele satisfez o público em 12 minutos de grande produção ofensiva, metendo-a lá dentro aos 51' e aos 63'.

Batendo novos recordes: passou a ser o futebolista mais internacional de sempre à escala planetária (197 participações); tornou-se o português com mais golos marcados na equipa das quinas, sendo 120 já; e o Liechtenstein foi a 47.ª selecção a sofrer golos do nosso maior artilheiro dos relvados.

 

Noite de orgulho também para nós, sportinguistas.

Vimos vários dos nossos regressar a Alvalade (Bruno Fernandes, Palhinha e Rui Patrício, por exemplo), contribuindo para a goleada. Vimos Gonçalo Inácio estrear-se na selecção A, actuando durante os 90 minutos deste desafio que marcou igualmente a estreia do seleccionador Roberto Martínez ao comando da turma nacional. Vimos enfim o topo norte e o topo sul do nosso estádio preenchidos com adeptos de futebol.

Portugal começa da melhor maneira a campanha para o Europeu 2024. Já seguimos no comando do Grupo J.

Há um quarto de século que não entrávamos a ganhar numa qualificação europeia.

 

Tudo perfeito? Não.

Considerei uma estupidez aqueles assobios a João Mário, quando saiu do banco, a escassos minutos do fim do jogo. Sintoma de clubite doentia. Visando um jogador que há dois anos foi um dos obreiros do título de campeão nacional para o Sporting.

Nunca pactuarei com o fanatismo daqueles que imaginam as bancadas dos estádios como trincheiras de guerra.

Muito menos quando os alvos são alguns daqueles que serviram com zelo e competência o emblema leonino enquanto estiveram entre nós.

 

ADENDA. Grande João Palhinha: «É muito triste ouvir assobios ao João Mário.»

Nós, há dez anos

 

Cristina Torrão: «Desejo a Bruno de Carvalho, o novo Presidente, e a todos os seus colaboradores, a maior sorte do mundo para a difícil tarefa que os espera. Eles são, mais do que nunca, a nossa Fé! Queremos recuperar a alegria! Queremos tornar a levantar-nos, sacudindo o pesadelo, como lhe chama o Pedro Correia! Queremos, um dia, olhar para trás e poder dizer: I made it through the wilderness / Somehow I made it throughSporting, sempre! Viva o Sporting!»

 

José Manuel Barroso: «Depois do presidente eleito ter feito declarações comedidas e sensatas, entrou na roda da reportagem da noite o camarada Inácio. Bicos dos pés, e lá vai disto. Fidelidade ao Sporting e fidelidade ao Moreirense, nada de incompatibilidades (isso é para os políticos), que eu sou um profissional: durmo com a camisola do 'meu clube' às terças, quintas e sábados... e com a camisola do 'meu clube' às quartas, sextas e domingos. No dia do Sporting-Moreirense, quero que ganhem os dois, envergo as duas camisolas meio meio, como no VítorVitória. Se o Sporting marcar um golo, não festejo. Se o Moreirense marcar um golo, não festejo. Sou de toda a gente e não sou de ninguém. Profissionalismo.»

 

José Navarro de Andrade: «Demorei 42 minutos para votar. À chuva, numa fila silenciosa - não era uma festa, era um dever. Esperemos que o próximo presidente esteja à altura dos sócios do Sporting. Boas notícias: Tomás Morais entra na estrutura; a falta que faz alguém de comprovada competência! Más notícias: o patético Freitas Lobo vai passar a dar bitaites aflautinados nos corredores em vez da bancada. Sus aos diletantes, lestos em generalidades, nulos em experiência, tão opiniativos quanto descomprometidos, sem tirarem as mãos dos bolsos, nem sequer para pagar as cotas. Desejo ardentemente que lá para Novembro não esteja tudo embrulhado outra vez.»

 

Tiago Loureiro: «É a primeira vez que o digo em toda a minha vida: o meu Presidente. Amo-te, Sporting!»

 

Eu: «Os sócios falaram pelo meio adequado: o voto democrático. Em números expressivos. Bruno de Carvalho é o novo presidente do Sporting - o meu presidente também. Um clube que é dos sócios e não de nenhuma clique. Cumprimentado de imediato com fair play pelos candidatos derrotados, Bruno de Carvalho personifica um novo ciclo que arranca sem demora. Agora há que começar a edificar o futuro em Alvalade. Unidos como nunca. E sem olhar para trás.»

A voz do leitor

«O grande João Rocha também sofreu contestação e, como todos, também cometeu erros. Mas é a minha referência como presidente. Na guerra que travou com os dirigentes das Antas não contou com o apoio de muitos "sportinguistas" que poderiam e deviam ter ajudado, moralmente e financeiramente, mas no nosso Clube para criticar há um milhão, para ajudar, poucos ou nenhuns. Já vem de longe...»

 

JMA, neste texto do Edmundo Gonçalves

Bloco central

image.jpg

Foto: Miguel A. Lopes / EPA

 

Houve a dupla Lennon-McCartney. E o duo Simon & Garfunkel. Sem esquecer a extraordinária parceria Vinicius-Jobim. Isto na música.

No futebol leonino, tivemos grandes duplas no meio-campo nas duas épocas anteriores: Palhinha-João Mário e Palhinha-Matheus Nunes.

Nesta temporada, sobretudo na volta agora em curso, outro duo se vai impondo no nosso bloco central: Ugarte-Morita. Dois internacionais - um pelo Uruguai, outro pelo Japão. Ambos estiveram no Campeonato do Mundo.

É caso para dizer: por eles, não tem Rúben Amorim nada que recear. Esperemos que esta dupla se consolide. E possa brilhar muito mais na época que vai seguir-se.

Ovos e tomates

20230322022_163200.png

As perguntas que eu teria feito na conferência de imprensa:

- Roberto, esta equipa técnica foi escolhida por si?

- Sabia que Ricardo Carvalho desertou da selecção nacional?

- Acha um bom exemplo ter um vice-almirante, dentro do barco, que ao primeiro sinal de chuva foge, para longe?

Para isto teria sido necessário ter tomates, "huevos" como dizem do lado de lá da fronteira.

Nós, há dez anos

 

Eu: «"Saio tranquilo. Tenho pena de não ter acabado o mandato. Acho que o merecia: era a forma de concluir um programa que passava pela reestruturação, que era fundamental para a estabilidade do Sporting. Acredito que o futuro me fará justiça." Palavras de Godinho Lopes, esta manhã, pouco depois de votar em Alvalade. Palavras que bastam para definir quem as proferiu. Palavras que merecem alguma reflexão: chega sempre o momento em que temos o direito - e até o dever - de dizer nunca mais.»

A voz do leitor

«Evidentemente que ter quase 50 milhões de € de resultados positivos (extraordinários ou não) é melhor do que ter os mesmos resultados com sinal negativo. Ter resultados positivos é mesmo a única maneira de acumular dinheiro, abater dívida e criar folga para enfrentar o futuro numa posição melhor. É isso, ou abrir falência, ou vender o negócio»

 

João Gil, neste texto do Edmundo Gonçalves

Sérgio Conceição? Não, obrigado!

Nunca o treinador arruaceiro e batoteiro que apenas ganhou o que ganhou a coberto do sistema mafioso do FCPorto e andou na emboscada e no roubo da carteira ao nosso presidente seria opção para o Sporting Clube de Portugal.

Não interessa qual foi a sua juventude, quantos filhos empregou ou deixou de empregar, mas tudo aquilo que faz questão de representar enquanto treinador do FC Porto é mesmo aquilo que mete nojo e nada tem a ver com o Sporting Clube de Portugal.

Se anda a queixar-se dos Carmos ou dos Portugais que lhe dão a engolir, que se queixe também dos Pinheiros e dos Soares Dias que sem eles não era nada, nem falando daquele senhor baixinho que se senta ao lado dele no banco e apenas serve para ameaçar os árbitros sobre as consequências que vão ter se não embarcarem nas palhaçadas do Otávio e do Taremi. 

Não anda satisfeito no Porto? Os super dragões assaltam o carro para bater no filho que ele lá meteu? Paciência.

Que vá para longe, para a Arábia ou para a Malásia, mas para o Sporting, NUNCA!!!

SL

Nós, há dez anos

 

Adelino Cunha«O próximo presidente do Sporting tem a obrigação ética de explicar tudo muito bem explicadinho sem se deixar condicionar pelos credores que passarão a ser os seus credores. É no casaco dele que andarão pendurados. Mas se tiver essa coragem, se for um sportinguista livre, terá depois de dar o passo seguinte: mandar para a justiça aquilo que for da justiça, mandar para a decisão dos sócios aquilo que for dos sócios.»

 

José Manuel Barroso: «Só faltou isto: «um escudo é um escudo»! Que debate medíocre.»

 

Tiago Cabral: «Estamos a poucas horas da eleição daquele que poderá ser o presidente com mais responsabilidades no Sporting. Quem for escolhido terá pela frente a tarefa mais árdua dos últimos 20/30 anos: recuperar um clube que está em falência, com dívidas astronómicas que vão impedir e condicionar qualquer acção. Seja José Couceiro ou Bruno de Carvalho o escolhido, a gestão nunca poderá ser muito diferente. Vamos esperar que consigam ultrapassar a fase mais negra da história do Sporting.»

 

Eu: «Se forem eleitos, Bruno de Carvalho e José Couceiro manterão Jesualdo Ferreira como treinador da equipa principal de futebol. [Carlos] Severino tem outra preferência: Jorge Jesus. Se não for agora, pode ser daqui a três anos. E também começa por J.»

{ Blogue fundado em 2012. }

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D