Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Movimentações nos 3 grandes

No Sporting, Sarabia e Feddal já saíram, Palhinha quase já e Matheus Nunes também não demorará muito. De qualquer forma mantém-se o núcleo duro do plantel, e o quarteto líder no balneário, pelo menos segundo o site Leonino, Adán, Neto, Coates e Paulinho.

No Benfica, saiu Darwin mas está aí um autocarro de reforços para todos os gostos, tem mais avançados do que o Sporting tem jogadores, o plantel dava para três equipas da 1.ª Liga, o alemão é a nova coca-cola no deserto, só a estrutura enche um cinema, vão arrasar e esmagar. Especialmente quando o João Mário regressar de lua-de-mel.

O Porto, se é verdade que o buraco negro pintista obrigou a despachar Mbemba, Fábio Vieira e Vitinha, e vamos ver quem mais, parece que mantém os seus principais argumentos: Taremi, Evanilson, João Pinheiro e Soares Dias. Um quarteto verdadeiramente diabólico dentro do campo. É verdade, já me esquecia do Galeno, aquele a quem João Pinheiro conseguiu inventar um penálti em Alvalade e que nos custou 3 pontos. A família Conceição, especializada em futebol do mergulho, já pode dormir descansada.

SL

Balanço (23)

ed.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre EDWARDS:

 

- Edmundo Gonçalves: «Com toda a calma do mundo vieram dois excelentes jogadores, que sem dúvida virão acrescentar ao grupo, um de futuro, Edwards, e outro para começar, esperamos nós, já a partir a loiça toda, o nosso Slimani.» (1 de Fevereiro)

- Eu: «Imprimiu velocidade ao jogo, desequilibrou, protagonizou aqueles três passes de rotura.» (10 de Março)

- José Navarro de Andrade: «Um Edwards bem mais interessante e descontraído do que o Edwards de dias antes contra o Porto, deixando no ar a expectativa de que quem foi capaz de se afirmar tanto em tão pouco tempo ainda terá mais para oferecer.» (11 de Março)

- Pedro Oliveira: «Golo, nota artística e reacção de Homem.» (23 de Março)

Luís Lisboa: «Slimani e Edwards demonstraram ser verdadeiros reforços.» (2 de Abril)

Cozinhado estragado

22321498_udKeu.png

 

Revogar os títulos de campeão obtidos em competições que se disputavam com nomes diferentes.

Parece ser está a decisão de ontem.

Na linha daquilo que eu já tinha defendido, neste espaço, vamos chamar vencedores do Campeonato de Portugal aos que triunfaram nessa competição e vencedores da Liga Experimental aos que triunfaram na competição assim denominada.

A decisão da Assembleia Geral Extraordinária da Federação Portuguesa de Futebol parece apontar nesse sentido.

Menos três títulos de campeão nacional para o Sport Lisboa e Benfica e menos um título de campeão nacional para o Futebol Clube do Porto.

O cozinhado de Gilberto Madaíl e dos perseguidos pela justiça, Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira, esturricou, ontem.

Entradas & Saídas, Carregadores de Piano & Pianistas

Carregadores de piano: os produtores culturais como protagonistas dos espectáculos

 

A lista de entradas & saídas continua a crescer, agora mais lentamente, muito mais pelas saídas do que pelas entradas. Algumas situações estarão a aguardar o fecho do ano fiscal para serem concretizadas.

As equipas A e B do Sporting começaram já na segunda-feira os trabalhos, duma forma um pouco estranha. Rúben Amorim arrancou com um misto de A´s e B´s enquanto aguarda pelas contratações e pelos internacionais, Filipe ficou com o resto. Nem faço ideia que equipa B vamos ter este ano com tanta limpeza feita no escalão etário 20-22.

Obviamente falta ainda muito para termos o plantel da equipa A completo e de acordo com os objectivos da época, mas nota-se uma estratégia de arrumar a casa do ponto de vista financeiro e de ter uma base bem assente, a partir do núcleo duro da época passada, antes de partir para as contratações de craques para as duas ou três posições mais carenciadas, que para mim, até pelas saídas de Matheus Nunes (provável), Sarabia e Slimani, são a "8" (box-to-box), "7" (interior) e "9" (goleador). 

Ou seja, carregadores de piano já temos, venham agora os pianistas.

 

Entradas :

1. Hidemasa Morita (27)  (A confirmar)

2. Jeremiah St Juste (25)

3. Franco Israel (22) (A confirmar)

4. Geny Catamo (21) (Regressado de empréstimo)

5. Eduardo Quaresma (20) (Regressado de empréstimo)

6. Diogo Abreu (19)

7. Fatawu Issahaku (18)

8. Jesús Alcántar (18)

9. Francisco Canário (18)

 

Saídas definitivas :

1. Islam Slimani (33) (A confirmar)

2. Zouhair Feddal (32)

3. Pablo Sarabia (30)

4. Rodrigo Battaglia (30) (A confirmar)

5. João Palhinha (26) (A confirmar)

6. Bruno Paz (24)

7. Eduardo Pinheiro (24)

8. Pedro Marques (24)

9. Matheus Nunes (23) (A confirmar)

10. João Virgínia (22)

11. João Goulart (22)

12. Diogo Brás (22)

13. Bernardo Sousa (22) 

14. Gonçalo Costa (22)

15. Pedro Mendes (22) (Rio Ave, a confirmar)

16. Anthony Walker (21)

17. Edson Silva (20)

18. Rodrigo Rêgo (20)

19. Rafael Fernandes (19)

20. Bruno Tavares (19)

21. Saná Fernandes (16) 

 

Empréstimos para rodar e regressar :

1. Rúben Vinagre (23) 

2. Gonçalo Esteves (18)

 

Empréstimos que podem conduzir a saídas definitivas :

1. Tiago Tomás (22) 

2. Joelson Fernandes (18)

 

Casos ainda pendentes de decisão (com algum entulho que algum dia chegou de para-quedas) :

1. Renan Ribeiro (32)

2. Tiago Ilori (28)

3. Filipe Chaby (27)

4. Andraž Šporar (27)

5. Luiz Phellyppe (27)

6. Eduardo Henrique (26)

7. Carlos Jatobá (26)

8. Idrissa Doumbia (23)

9. Marco Túlio (23)

10. Jovane Cabral (23)

11. Rafael Camacho (21)

12. Gonzalo Plata (20)

 

PS: No primeiro jogo da pré-época, contra a equipa B, o Sporting alinhou com:

André Paulo; Esgaio, Neto, Marsà, Matheus Reis e Nuno Santos; Renato Veiga e Daniel Bragança; Pedro Gonçalves, Bruno Tabata e Geny Catamo.

Parece que Marsà esteve a fazer de Coates, Daniel Bragança de Matheus Nunes e Tabata de Sarabia na versão ponta de lança móvel.

SL

Acordo com as claques: página virada?

27357841.jpg

 

Enfim, foi estabelecido um acordo entre a Direcção leonina e duas claques que teimavam em comportar-se à margem das regras, causando graves danos financeiros e reputacionais ao clube. E a espalhar insultos a Frederico Varandas, que a imprensa afecta aos nossos rivais logo aproveitava para destacar.

O novo protocolo parece ter enterrado o absurdo conflito existente desde 2018, em nome dos superiores interesses do Sporting. Ficando claro que acabam as borlas e a partilha de quotas, ao contrário do que sucedia no consulado anterior.

Vale a pena reflectir sobre esta página que se vira. Será mesmo para valer?

Nós, há dez anos

 

Alexandre Poço: «Confirma-se, o Sporting vai ter um equipamento alternativo cor de laranja. Já vi com os meus próprios olhos o dito cujo na Loja Verde do Alvaláxia. Faço já uma declaração de interesses: apesar de serem esteticamente agradáveis, não gosto que o Sporting equipe com um equipamento destes, passe a redundância. (...) Eu até estaria disposto a concordar, não fosse o caso de o Sporting jogar tantas vezes com o alternativo, nomeadamente em jogos europeus fora de casa, o que não deveria acontecer, pois é – principalmente - nesses jogos que temos de nos apresentar com as nossas célebres listas horizontais de verde e branco.»

 

JPT: «Num repasto recente veio à conversa o assunto, esse das mulheres dos jogadores, agora já quase estrelas. Claro que não pude deixar de me lembrar da mais bela delas todas, a Carmizé mulher do Hector Casimiro Yazalde, esse que a gente da rádio (transístores) gritava a cada um dos muitos golos Jázaldé!»

 

Eu: «Podíamos ter sido mais mas (modéstia à parte) fomos bons. E quase todos pontuais. Mal chegou a hora combinada, eight o' clock, vários membros deste blogue começaram a afluir ontem ao local da reunião: a cervejaria Nacional. No Alvaláxia, claro. A curtíssima distância do nosso estádio. Numa mesa em quadrado (noutros tempos teria sido em losango), instalámo-nos à conversa. Passo a apresentar os comensais: Alda Telles, Constança Martins da Cunha (ladies first). O nosso estimado patriarca, José Manuel Barroso. O benjamim do blogue, Alexandre Poço. O colega que veio mais de longe, José Teixeira (desfiando saborosas evocações de Moçambique). O Francisco Mota Ferreira, que partilhou connosco alguns episódios dignos de filme vividos recentemente em Bissau. O Luís de Aguiar Fernandes e o Pedro Oliveira, ambos estreantes nestes repastos. E o José Navarro de Andrade e o Eduardo Garcia da Silva, já repetentes. Além do signatário desta prosa, ao vosso dispor.»

A voz do leitor

«Se o Sporting (ou qualquer clube) não estiver muito interessado em que determinado jogador saia, se o agente do jogador só trouxer propostas muito abaixo da cláusula, por que razão deverá o clube pagar ainda uma percentagem da venda ao agente? Se for o jogador a fazer pressão para sair a qualquer preço, então que seja ele a pagar uma comissão ao seu agente. Provavelmente acabavam muitos negócios desinteressantes.»

 

Carlos Calado, neste meu texto

Balanço (22)

transferir (1).jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre PAULINHO:

 

- José Navarro de Andrade: «É fantástico a jogar para a equipa, a deslaçar as defesas adversárias, como se revela medonho a dar o último piparote na bola para a baliza.» (22 de Agosto)

- António Pereira: «Tem carácter, empenha-se, dá tudo, para além do que ajuda a equipa noutras tarefas, esforça-se, luta, aparece, dá a cara, para tentar inverter o ciclo negativo em que está como goleador.» (7 de Setembro)

- Pedro Oliveira: «A média de golos de Paulinho, pela selecção A, é superior à de Eusébio e à de Cristiano Ronaldo.» (14 de Setembro)

- Paulo Guilherme Figueiredo: «Alguma coisa está a ser bem feita: Porro, Mateus, Paulinho, estiveram a um nível Champions, individualmente.» (16 de Setembro)

- Edmundo Gonçalves: «Já encomendei que fosse tirado o cobranto ao Paulinho, que aquilo já lá não vai com patas de coelho e afins. Se correr bem, vão vir charters de golos, vocês vão ver! E se o rapaz merece, caramba.» (20 de Setembro)

- Eu: «Dez jogos oficiais na temporada, apenas dois golos marcados: é este o balanço de Paulinho, que ficou novamente em branco, agora na Alemanha. Dele se dirá tudo menos que é um goleador. Preocupante, pois foi contratado para marcar. E não ficou nada barato.» (29 de Setembro)

- Pedro Boucherie Mendes: «Deixem o Paulinho trabalhar,  pode ser que consigamos melhor que o terceiro que prevejo.» (4 de Outubro)

- José Cruz: «Ontem Coates (2), Sarabia e Paulinho selaram a maior goleada fora, na UCL, da História do Sporting Clube de Portugal.» (20 de Outubro)

Luís Lisboa: «Sempre esforçado, dedicado e devoto, mesmo que nem sempre glorioso.» (20 de Outubro)

- JPT: «A mim não me interessa se ele tem a qualidade do recém-falecido "bombardeiro" Gerd Muller. Ou se se equivale aos actuais Benzema ou Luiz Suarez. O que me interessa é que é um bom avançado, joga que se farta, e a isso nunca se nega (essa qualidade dadivosa, voluntariosa, que dantes alegrava "molduras humanas" menos burguesotas e dadas à opinião na internet). Mais, joga que se farta e faz jogar. E com ele - e isto é o fundamental - a equipa tem ganho, tem tido sucessos.» (20 de Outubro)

- Marta Spínola: «O persistente e apoiado (por nós e por Matheus Nunes) Paulinho, lá foi. Se mostrou os dentes ou não, não sei, sei que o celebrou olhos nos olhos connosco. Foi para nós.» (5 de Dezembro)

Nós, há dez anos

 

JPT: «Depois do bate-boca entre jogador e gente do clube Adrien irá para o Porto (se por troca com algum jogador ou de outra forma é totalmente irrelevante). Depois da fuga para o estrangeiro ainda nas camadas jovens e do seu regresso. Depois dos empréstimos das duas últimas épocas, talvez surpreendentes se olhados os plantéis onde não teve lugar. Depois disso tudo Adrien no Dragão. "Cheira-me" a mais uma tristeza leonina.»

 

Eu: «Fértil em imagens iconográficas, este Euro 2012 acaba de fornecer-nos mais uma: o abraço emocionado de Mario Balotelli - herói da meia-final de ontem entre a Itália e a Alemanha, que afastou a equipa germânica do embate final contra a Espanha em Kiev - à sua mãe adoptiva. O futebol é muito mais do que um desporto: este abraço, ganhando a força de um símbolo, adquire dimensão universal

A voz do leitor

«Tinha 12 anos quando assisti no Estádio Nacional à morte de Rui Mendes por um very light. Durante os meus anos formativos presenciei agressões violentas de apoiantes do Sporting às mãos de energúmenos do Benfica e Porto, ouvi os mais indecorosos cânticos contra o nosso clube, revoltei-me cada uma das centenas de vezes que ouvi as grotescas imitações do som do very light assassino, assisti a declarações indigentes de jogadores, treinadores e dirigentes adversários contra nós, sem nunca ter havido qualquer censura ou punição da parte da Federação.»

 

Rui Silva, neste meu texto

Box to box

22320461_qWLMf.jpeg

 

No modelo de jogo 3-4-3 de Rúben Amorim o elemento fundamentar de ligação entre sectores e controlo do ritmo de jogo é o segundo médio, o tal "8" ou "box-to-box". Faz de "6" quando a equipa defende, de "10" quando a equipa ataca, descai para uma ala para receber a bola na construção ofensiva e corre para a frente com a mesma dominada provocando faltas em zonas perigosas para o adversário, corre para trás a tentar o desarme sem falta quando a equipa perde a bola.

A grande diferença entre o que foi o futebol do Sporting na primeira época e na segunda do Rúben deve-se muito à diferença de características entre João Mário e Matheus Nunes. Enquanto João Mário temporizava e tabelava, Matheus Nunes acelerava e passava longo, bem mais ao jeito dum Bruno Fernandes, que Jorge Jesus também bem soube adaptar à posição.

A importância de Matheus Nunes nesta temporada foi tremenda. Muitas vezes os adversários faziam-lhe marcação cerrada e nos jogos com o Porto então era um festival de faltas sofridas a que os artistas como o que surge na foto faziam vista grossa. Por isso Amorim raramente prescindia dele, foi um dos jogadores com mais minutos de utilização durante a época.

 

Saindo o rapaz provavelmente rumo à Champions, num dos melhores negócios de todos os tempos da história da SAD, considerando os valores de compra e venda e o retorno desportivo, o Rúben terá de encontrar o sucessor, ou apostar em quem já integra o plantel mas é bem diferente do Matheus como Morita (?), Daniel Bragança, Tabata ou Pedro Gonçalves, ou orientar o Sporting a contratar alguém com as características pretendidas.

Por aquilo que aqui fui dizendo, na minha opinião recuar Pedro Gonçalves é um desperdício. Daniel Bragança não tem esse perfil, Morita não faço ideia. Tabata seria aquele que me pareceria mais ajustado, mas a verdade é que Amorim o vê mais à frente no eixo central, até fez dele nalguns jogos um falso ponta de lança. Nos mais jovens, nem o Dário Essugo nem o Renato Veiga têm esse perfil, o Diogo Abreu não faço ideia também.

 

É claro que alguns dirão que Amorim deve é mudar o modelo de jogo, pôr o Sporting a jogar de outra forma qualquer para encaixar este ou aquele, mas os grandes treinadores não funcionam assim, não são cata-ventos nem... ia a dizer um nome dum nosso ex-treinador mas não digo, têm um modelo de jogo em que acreditam e que aperfeiçoam época a época e com isso vencem e coleccionam títulos.

Sendo assim, quem deveria ser no vosso entender o novo "box-to-box" do Sporting e que deveria ele trazer de novo ao modelo de jogo da equipa?

SL

O preço certo

202206283128_183931.png

Pedro Correia escreveu um postal sobre a importância de comprarmos um Peyroteo.

Com Peyroteo na equipa teríamos vencido o campeonato passado?

O FC Porto terminou com mais 13 golos que o Sporting (vamos esquecer os 7-0 ao Portimonense) facto.

Ao esmiuçarmos os jogos que o FC Porto e Sporting terminaram em superioridade numérica e os golos obtidos nesses jogos, constatamos que o FC Porto obteve 27 golos nessas condições e o Sporting 8.

Depois da goleada de pontos que já tinha sido referida no postal de 24 de Maio, a goleada obtida em vantagem numérica.

Podemos continuar a assobiar, cantando e rindo, podemos pensar que um Peyroteo é que fazia falta ou então podemos olhar para a realidade dos números e pensar que, provavelmente, as arbitragens foram determinantes na atribuição do título ao FC Porto.

Balanço (21)

mw-860.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre TIAGO TOMÁS:

 

Luís Lisboa: «Fiquei preocupado com a forma como se apresentaram Tiago Tomás e Jovane, e a desilusão completa que foi Vinagre. Se isto é assim, o plantel ainda é mais curto do que eu pensava.» (24 de Setembro)

- Pedro Boucherie Mendes: «Deve estar a sentir em demasia que é e será segunda escolha (e a continuar assim, até pode ser terceira ou quarta).» (4 de Outubro)

Eu: «Desta vez titular, esteve 90' em campo sem fazer um só remate enquadrado: outra oportunidade desperdiçada para mostrar o que vale, parecendo ter regredido face à época anterior.» (12 de Janeiro)

- Francisco Chaveiro Reis: «De cerveja em punho e óculos verdes, TT foi umas figuras da festa do título, que muito ajudou a conquistar, sobretudo no arranque da época passada. Este ano, estava uns furos abaixo e acaba emprestado do Estugarda por 18 meses. Teria preferido que o empréstimo fosse mais curto, para mais perto e sem opção de compra, mas pela primeira vez, confio quase cegamente nas opções da “estrutura”.» (31 de Janeiro)

Edmundo Gonçalves: «Todos temíamos a saída de Palhinha ou Pedro Gonçalves, ou até o menos exuberante Tabata, mas saíram do núcleo duro "apenas" Tiago Tomás e Jovane Cabral, duas pérolas que por ora apresentavam um brilho mais baço, se me é permitido dizer isto assim.» (1 de Fevereiro)

- Filipe Moura: «Espero que evoluas muito como jogador no Estugarda, Tiago Tomás. Mas espero que voltes para mais imagens como esta. Felicidades!» (2 de Fevereiro)

- AHR: «Tenho dito que o achava verde, algo trapalhão, e pouco lúcido na hora da decisão. Curiosamente, foi emprestado e anda a fazer pela vida lá fora. Anda a ganhar experiência e parece que tem evoluido.» (30 de Abril)

Quem vai marcar golos no Sporting?

img_476x268$2021_04_24_01_37_30_1841889.jpg

 

O Sporting iniciou a pré-temporada com três exclusões do plantel. Uma já anunciada - a de Feddal, que chegou ao fim do contrato. Outra já aguardada - a de Slimani, que entrou em ruptura com o treinador. E uma terceira, algo inesperada - a de Vinagre, autorizado a não comparecer em Alcochete porque a SAD tenciona emprestá-lo durante a próxima época futebolística. Está, portanto, fora dos planos de Rúben Amorim apesar do elevado montante que o Sporting pagou por ele. 

Perante este cenário, reitero o que aqui escrevi a 11 de Maio: foi uma contratação inexplicável. Estamos perante um lateral esquerdo que raras vezes foi opção na temporada cessante, tendo sido ultrapassado por Matheus Reis, Nuno Santos e até Esgaio como lateral esquerdo.

 

Dos reforços até agora anunciados, apenas a vinda de St. Juste - o central mais caro de sempre da nossa equipa - me parece inquestionável. Morita, para mim, continua a ser incógnita. E o muito jovem Fatawu, para já, será remetido aos sub-23.

Sabe-se, entretanto, que Gonçalo Esteves irá rodar por empréstimo noutro emblema da I Liga - falando-se no Estoril ou no Casa Pia, clubes com os quais mantemos boas relações. Não me parece mal, pois continuaria tapado por Porro e Esgaio. 

Estando assente a saída de Palhinha, mantém-se a incógnita em torno de Matheus Nunes. Os dois jogadores não se apresentaram ontem em Alcochete por estarem ainda de férias após terem participado pela selecção na Liga das Nações.

 

É tudo? Não pode ser.

Continua a faltar um elemento fundamental. Alguém que marque golos, que seja concorrente directo de Paulinho. Tiago Tomás rumou ao campeonato alemão, Jovane deixou de contar para Amorim, Sarabia - nosso maior marcador em 2021/2022 - regressou a Paris, de onde viera por empréstimo. 

Temos um défice evidente neste sector da equipa. O problema permanece por resolver. Com poucos golos, é difícil ganhar jogos - e quase impossível vencer campeonatos.

DELITO há dez anos

 

António Figueira: «O plantel de Portugal é curto, mas ontem mais curto estava: faltava lá Helder Postiga, o único ponto-de-lança capaz de fazer Ronaldo render na Selecção, conforme três jogos e meio deste Euro (se necessário ainda fosse) ajudaram a tornar claro. Espero que todos os detractores do mais mal amado da nossa Selecção, à vista do que (não) fizeram Hugo Almeida e (sobretudo) Nelson Oliveira, tenham a humildade de o reconhecer.»

 

Filipe Moura: «A eliminação de Portugal foi uma injustiça, mas a eliminação da Espanha também o seria. Neste caso os penáltis foram mesmo uma lotaria, e nesse aspeto (e só nesse) a Espanha foi claramente melhor. No domingo, na final, aos adeptos portugueses resta a angústia de pensarem que poderiam perfeitamente ser eles a lá estar. Tal como o Sporting, na Liga Europa este ano e em tantas outras ocasiões. Até nisto o Sporting e esta seleção são parecidos.»

 

José Navarro de Andrade: «Contas feitas e cabeça fria a Espanha não ganhou indevidamente. À excepção de Ronaldo e Nani eles são melhores que nós, qualquer que seja a métrica que aplicarmos. Mas Portugal não merecia perder neste jogo – são os paradoxos da vida. Um pau que rechaça a bola e outro que a engole e a sorte fica traçada. Sem Iniesta mas com Moutinho, sem Alonzo mas com Veloso, sem David Silva mas com Hugo Almeida, fomos a única equipa do mundo a entalar o jogo espanhol e a inocular-lhe receio, obrigando-a a maior parte do tempo a olhar tanto para trás como para a frente.»

A voz do leitor

«Em vez de de criticar os empresários, e a Direcção do Clube que tem feito um trabalho extraordinário, ajudem o Clube, as modalidades, tornando-se sócios ou se já o forem tornando um familiar ou amigo sócio do Sporting Clube de Portugal. Isto sim, é Amor ao Sporting.»

 

JMA, neste meu texto

O que aí vem?

A época começou hoje. Muitas expetativas, opiniões, dúvidas, este fica, aquele sai, indefinições...enfim o habitual sempre que as épocas começam. As coisas começaram por agradar??? parece-me que não. Mas vamos ter calma. Tenhamos confiança naqueles que têm a responsabilidade de colocar as pedras no sítio certo do tabuleiro. Aguardemos.

Balanço (20)

img_920x518$2018_09_03_20_03_52_1443528.jpg

 

O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre JOVANE:

 

José Navarro de Andrade: «Desastrado Jovane (teve nos pés um golo antes dos 2' de jogo, mas a cabeça não deixou).» (28 de Agosto)

Luís Lisboa: «Mais uma vez provou que é um agitador para os finais dos jogos, não para titular.» (18 de Setembro)

- JPT: «O jovem Jovane está numa encruzilhada. Ou segue a Djaló ou continua para Gelson. É voluntarioso e é talentoso. Talvez seja tímido, talvez jogue amargurado.» (29 de Setembro)

Pedro Boucherie Mendes: «Feddal, Jovane estão também meio ausentes.» (4 de Outubro)

Eu: «Jovane, subitamente transformado no bombo da festa por vários adeptos leoninos, é simplesmente o nosso melhor marcador de penáltis. Como voltou a ficar evidente no desafio da Taça de Portugal frente ao Belenenses. Qualidade nada desprezível, atendendo à quantidade de grandes penalidades de que temos beneficiado esta época.» (19 de Outubro)

- Pedro Belo Morais: «Tendo o Sporting muito jogadores do tipo brinca-na-areia, porque dotados de uma técnica muito superior, controlar a bola, driblar, "sprintar" e travar a correria sobre terra seca é uma empreitada cuja técnica referida só atrapalha e prejudica - que o diga o Jovane Cabral.» (20 de Novembro)

Edmundo Gonçalves: «Nada contra o moço, mas meter em jogo um miúdo que não consegue fazer chegar a bola à área na marcação de um canto, define o que o rapaz ali andou a fazer. Nada!» (23 de Janeiro)

- Pedro Oliveira: «Um abraço para Jovane que seja muito feliz na Lazio. Gostava de o ver na Primavera a levantar o caneco da Liga Europa.» (1 de Fevereiro)

- CAL: «Maior das sortes, Jovane Eduardo. Possam, força bruta, raça, querer e paixão, trazer-lhe múltiplos sucessos.» (2 de Fevereiro)

- AHR: «Disse aqui, sujeitando-me a críticas, que o Jovane, por muita admiração que nutra pela sua humildade e entrega ao jogo, não tinha lugar neste Sporting. Curiosamente, pouco depois, o Jovane foi emprestado.» (30 de Abril)

Repita, por favor

Ah e tal, só cá aparece para dizer mal, acusam alguns.

Em minha defesa direi que estive ausente do país e com dificuldades de comunicações, mas não é para me justificar que aqui venho.

Venho cá só para perguntar se alguém acha normal que se tenha comprado um jogador por dez milhões de Euros, dez! e que se coloque o rapaz na lista de empréstimos. Que está tapado, dizem, mas não estava antes de ser contratado?

Um jogador que até podíamos descartar, bastava não accionar a cláusula de compra.

Um mês fora e parece tudo na mesma.

Continua tudo bêbado!

Pág. 1/8

{ Blogue fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D