Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Seis a zero

sergio-conceicao-fcporto-treinador.jpg

 

Sérgio Conceição, que há uns anos se proclamava sportinguista e teve o filho Francisco inscrito entre 2011 e 2017 na Academia de Alcochete, parece alimentar agora uma azia muito especial face ao nosso emblema que também já foi o dele enquanto adepto.

Durante algum tempo fui incapaz de entender porquê.

Mas já houve quem me esclarecesse: nos últimos anos o Sporting venceu seis confrontos directos com Conceição, cinco deles garantindo-nos títulos. Havendo do nosso lado quatro treinadores diferentes: Marco Silva (Taça de Portugal 2015, estava ele ainda no Braga), Jorge Jesus (meias-finais da Taça de Portugal 2018Taça da Liga 2018, derrotando o FCP na meia-final), Marcel Keizer (Taça de Portugal 2019 e Taça da Liga 2019) e Rúben Amorim (Taça da Liga 2021, derrotando o FCP na meia-final).

Está explicado.

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«O Domingos não está a concorrer para Miss Simpatia. Está a trabalhar para ser campeão connosco. Não tenho dúvidas de que será campeão. Os campeões topam-se à distância. Até lá: cerrar os dentes com o homem

Alda Telles: «Só espero que não se verifique hoje nenhuma influência dos raios gama no comportamento dos girassóis. Isto é, que não sejamos gamados.»

António Figueira«O Bojinov passa e o Sporting fica, e eu sou sportinguista, não sou bojinovista (nem sei o que isso é).»

Bernardo Pires de Lima: «Gostava de confirmar que, de acordo com a minha memória, Aldo Pedro Duscher foi o melhor centro-campista na história recente do Sporting. Estive a meditar nisto durante esta tarde, o que significa que devo estar à beira de ser internado.»

Francisco Mota Ferreira: «Temos História, temos Orgulho. Haverá com certeza imagens fantásticas dos “5 Violinos”, do Jordão, do Manuel Fernandes, do Artur, do Cristiano Ronaldo, do Ricardo Sá Pinto. Carambas, até do Futre. Girassóis e borboletas? Não entendo.»

João Severino: «No nosso clube sempre existiu este defeito: o mal é sempre do treinador. E podemos estar certos de uma coisa, a criticar e a arrasar o Domingos, que é um dos melhores treinadores portugueses, estamos a provocar que o homem se aborreça e se vá embora.»

Leonardo Ralha«Esperava muito mais de Bojinov. Este "caso" do penálti falhado que daria a primeira vitória de 2012 ao Sporting, com Elias e Schaars a terem que separar o búlgaro do Matías Fernández, é o prego no caixão do avançado

Rui Rocha: «A nossa [fé] é o Sporting. Apesar de tudo, contra tudo e contra todos. Ontem e hoje também. E amanhã se for pior

Tomás Vasques: «Estou-me borrifando para os girassóis e as borboletas, para túneis e outras diversões. Eu quero é vitórias!»

A voz do leitor

«O Sporting transpira confiança bem visível no rosto do treinador, jogadores e adeptos, o que significa que estamos todos juntos a rumar para o mesmo lado e acreditamos com os pés bem assentes na terra no pedigree e brio desta equipa, com toda a certeza que não nos resignamos nem viramos a cara à luta seja qual for o adversário.»

 

Tiago Oliveira, neste meu texto

2021/2022: os marcadores dos nossos golos

D8I0179-scaled[1].jpg

 

Pedro Gonçalves 12 (Braga, Vizela, Vizela, Braga, Besiktas, Besiktas, Paços de Ferreira, Varzim, Varzim, Borussia Dortmund Borussia Dortmund, Vizela)

Paulinho 9 (Vizela, Ajax, Besiktas, Besiktas, Tondela, Benfica, Portimonense, Portimonense, Portimonense)

Nuno Santos 8 (FC Porto, Arouca, Belenenses, Famalicão, Ajax, Boavista, Gil Vicente, Leça)

Sarabia 7 (Besiktas, Besiktas, Tondela, Benfica, Boavista, Casa Pia, Santa Clara)

Coates 5 (Besiktas, Besiktas, Moreirense, V. Guimarães, Casa Pia)

Jovane 3 (Braga, Braga, Belenenses)

Porro 3 (Estoril, Marítimo, Borussia Dortmund)

Tiago Tomás 3 (Belenenses, Belenenses, Penafiel)

Gonçalo Inácio 3 (Belenenses SAD, Paços de Ferreira, Gil Vicente)

Palhinha 3 (Belenenses SAD, Famalicão, Santa Clara)

Matheus Nunes 3 (Arouca, Benfica, Leça)

Tabata 3 (Ajax, Leça, Leça)

Daniel Bragança 2 (Gil Vicente, Vizela)

Ugarte 1 (Famalicão)

disto ninguém fala e não deixa de ser estranho.

O Sporting-campeão e este que luta pela revalidação do título, passou aos oitavos da Champions, está na taça e na taça da liga, tem uma característica singular que vejo muito pouco referida.
Temos muito poucos jogadores no plantel com longevidade. Só Coates (desde 2015), Jovane (2017) e Neto (desde 2019) sobram dos tempos duros de Keizer e Silas (Matheus Nunes também, de certa forma).
Isto contradiz completamente o dogma "é preciso jogaodores que sintam a mística" e mais não sei quê. 
Outra Amorinice ou mistura de acasos com decisões? 

Fogo amigo

9EF.tmp.png

 

É comum entre militares dizer-se que o fogo amigo mata mais que o do inimigo (se assim não for que me corrijam os militares que por aqui possam passar, incluindo o presidente do Sporting Clube de Portugal, claro).

Ora ontem o fogo do amigo, foi um fogo amigo, numa entrevista morna e sensaborona que Frederico Varandas deu a Rui Santos na CMTV da TVI.

Não me interpretem mal... Na resposta às perguntas feitas pelo entrevistador, o presidente do Sporting esteve bem. Eu diria que esteve até muito bem! Gostei do que ouvi e da forma como as respostas foram dadas. Frederico Varandas foi claro no seu raciocínio e claro também no discurso, o que é uma evolução notável, de modo a que se entendesse bem a sua mensagem.

Ou seja, se aquilo tivesse sido uma entrevista à Caras, passe a publicidade, o objectivo teria sido atingido com mérito. Uma coisa assim em forma de registo monocórdico, num tom intimista, uma conversa de café. E dessa parte eu gostei, confesso.

Faltaram no entanto na entrevista de ontem muitas perguntas que eventualmente poderiam ser inconvenientes e que a maioria dos sócios e adeptos que a estavam a ver gostariam de ver respondidas e essas, ou foi acordado previamente que não seriam feitas, ou Rui Santos estava mal preparado. Provavelmente ambas e seria interessante sabermos o "estado da arte" e o que se propõe fazer para endireitar a casa.

Desta entrevista quero realçar dois aspectos, um positivo e outro negativo, a saber: Positivo, a garantia dada pelo presidente e na qual eu acredito, de que o Sporting não será apanhado nas malhas destes processos que por aí andam a ser investigados; Negativo, a chamada à entrevista, por Rui Santos, de Bruno de Carvalho. Não havia qualquer necessidade (se a pergunta estava no guião, não sendo necessária, a resposta ainda assim foi esclarecedora).

Ficámos a saber que Frederico Varandas se recandidatará, portanto espero que o espírito democrático que apesar de tudo (falo das guerras de guerrilha que se vão mantendo em banho-maria) se vive no clube, permita que a SportingTV cumpra o seu objectivo de informar os sócios e promova debates entre os vários candidatos, esperemos que mais dois ou três e que os próprios se prontifiquem a comparecer, para esclarecimento dos seus programas e linhas de acção.

 

Nota: Este postal não tem a pretensão de fazer um balanço da presidência de Frederico Varandas, antes de "analisar" a entrevista dada pelo presidente a Rui Santos, por quem de comunicação não percebe "um boi"...

O regresso de Quaresma

img_920x518$2020_05_12_17_07_14_1698377.jpg

 

Eduardo Quaresma pode voltar a Alvalade. Este cenário estará a ser ponderado por Rúben Amorim, sabendo-se que o nosso defesa, de 19 anos, tem vindo a ser mal aproveitado no Tondela, onde joga por empréstimo, e sentimos necessidade de um reforço ao nível dos centrais. Neste momento há apenas cinco jogadores para seis posições, sabendo-se que o calendário nos meses mais próximos será muito complicado.

Eu aplaudo este regresso, esperando que se concretize. E vocês?

Nós, há dez anos

Ana Torres Pereira: «A derrota com o Braga desanimou, mas tenho a convicção que as coisas vão mudar. É certo que o título parece estar mais longe, mas o caminho ainda não terminou.»

Filipe Moura: «Estive no Sporting-Porto no outro sábado, a maior enchente da história do estádio Alvalade XXI, e onde foi realizada a maior coreografia alguma vez feita num estádio português

Francisco Mota Ferreira: «Irrita-me voltarmos ao discurso dos coitadinhos, do ao-menos-estamos-nas-competições-europeias, do vamos-ganhar-ao-Benfica, e do quarto-lugar-até-não-é-mau-para-a-época-que-fizemos.»

A voz do leitor

«Não percebo como Bobby Robson aparece como um dos melhores treinadores do Sporting. Que indiscutivelmente era um bom treinador, isso ninguém tem dúvida, agora que o tivesse demonstrado ao serviço do Sporting, já levanto muitas reticências. Poderemos dizer que não lhe deram tempo para o demonstrar, mas paciência. A verdade é que, enquanto ao serviço do Sporting, nada de relevante há a apontar.»

 

AHR, neste meu texto

Pódio: Daniel, Pedro Gonçalves, Sarabia

Por curiosidade, aqui fica a soma das classificações atribuídas à actuação dos nossos jogadores no Vizela-Sporting pelos três diários desportivos:

 

Daniel Bragança: 19

Pedro Gonçalves: 18

Sarabia: 17

Matheus Reis: 17

Palhinha: 15

Adán: 15

Nuno Santos: 15

Paulinho: 15

Gonçalo Esteves: 14

Esgaio: 14

Coates: 13

Gonçalo Inácio: 13

Ugarte: 12

Tabata: 2

Matheus Nunes: 1

Tiago Tomás: 1

 

O Jogo e o Record elegeram Daniel Bragança como melhor em campo. A Bola optou por Sarabia.

O dia seguinte

Foi uma equipa ainda convalescente do desastre dos Açores a que entrou em Vizela. A vontade de voltar ao modelo de jogo que conduziu às vitórias estava lá, o atrevimento ofensivo com Nuno Santos e Daniel Bragança em vez de Feddal e Matheus Nunes também, mas a pressão do adversário intranquilizou, Coates não estava nos seus dias e estivemos perto de sofrer um golo depois duma perda de bola no meio-campo. Valeu-nos o Santo Adán.

Depois a equipa reagiu bem. Inácio e Matheus Reis garantiam uma boa saída de bola, o lado direito com Esgaio e Sarabia começou a carburar, na primeira oportunidade Pedro Gonçalves marcou um grande golo e partir daí só deu Sporting. Ao intervalo a ganhar por 2-0, o Sporting entrou na 2.ª parte para não dar hipóteses ao adversário, estivemos sempre muito mais perto do 3-0 do que o Vizela de marcar algum golo até a dupla do meio-campo dar o berro. Depois quase voltámos ao registo inicial e o Vizela até poderia ter marcado.

Ficou assim com final feliz um jogo que só não foi mais tranquilo pelo dia menos positivo do "El Patrón" (não sei se distraído pelo fazer de malas para ir ao Uruguai com o "afilhado") e pelo desperdício de golos do tridente ofensivo, o tal PSP que cada vez articula melhor mas concretiza bem menos do que poderia.

Daniel Bragança esteve excelente como "playmaker" e é de facto uma alternativa válida ao "box to box" Matheus Nunes para algum tipo de jogos. A bola passa a correr mais do que o jogador, os alas agradecem. O problema é a recuperação de bola e a luta a meio-campo, Palhinha fica a ter de aguentar sozinho o barco. Mais um amarelo, mesmo que tenha sido muito injusto. Mas independentemente das características dum ou doutro, a questão é que são quatro médios para dois lugares e convém ter todos nas melhores condições. Todos têm que jogar aqui ou ali.

Concluída esta jornada, estamos em segundo lugar a 3 pontos dum Porto que lá vai ganhando conforme pode e sabe (desta vez foi um sul-africano que fez os possíveis para ir tomar banho mais cedo) e com 6 pontos de vantagem dum Benfica à deriva. Andamos a jogar contra tudo e contra todos, defrontamos equipas que mais parecem filiais dos rivais, arbitragens que nos castigam com cartões e nos limitam a possibilidade de discutir o jogo, mas mesmo assim a verdade é que tudo depende de nós, melhor equipa nacional não existe.

 

PS: Claro que Nuno Santos esteve mal ontem, como esteve em Alvalade, mas comparar o rapaz a alguns artistas de circo do Porto... por amor da Santa. Ou da tal Bruxa, funcionária. 

Isto vai lá... Jogo a jogo.

 

#JogoAJogo

SL

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Quando eles pensam que desistimos, nós cerramos os dentes. Quando eles pensam que temos os braços caídos, nós gritamos o que temos e o que não temos aqui dentro. Quando eles pensam que estamos no chão, nós levantamo-nos com raiva e ódio. Quando eles pensam que desistimos, nós dizemos estamos aqui. Dizemos que estamos onde sempre estivemos. Não desistimos. Não cedemos. Não negociamos. Nós estamos aqui.»

João Severino: «"Há que levantar cabeça", é a expressão que mais se ouve aos jogadores brasileiros que jogam nas equipas portuguesas quando perdem. Ora aí está uma boa frase para o Sporting copiar.»

José Manuel Barroso: «A impaciência dos adeptos tem criado uma relação patológica com os jogadores e com quem dirige. Nenhum grupo terá êxito, nem será catapultado para o êxito, sob um coro de assobios. Se queremos ganhar, se queremos ajudar a equipa a ganhar, essa relação patológica tem de ser rompida.»

Dois anos sem derrotas

Faz hoje dois anos, o Sporting perdia pela última vez em casa para uma competição nacional. Derrota contra o Benfica orientado por Bruno Lage. 

Quem alinhava no onze titular leonino nesse desafio disputado a 17 de Janeiro de 2020, ainda com Silas ao leme do futebol leonino?

Vale a pena recordar:

 

Luís Maximiano; Ristovski, Ilori, Mathieu, Acuña; Idrissa Doumbia, Wendel, Bruno Fernandes; Rafael Camacho, Bolasie e Luiz Phellype.

 

Tudo mudou de então para cá. Treinador novo, jogadores novos, uma política desportiva diferente.

Valeu a pena? Claro que sim. 

Rescaldo do jogo de hoje

Gostei

 

Da nossa vitória em Vizela (0-2). Três pontos arrancados sem grande dificuldade à equipa minhota, que já havíamos vencido por 3-0, em Alvalade, no início deste campeonato. Agora com os dois golos marcados ainda na primeira parte por Pedro Gonçalves (28') e Daniel Bragança (42'). 

 

De Pedro Gonçalves. Regresso aos golos após um jejum de nove jogos sem marcar. Já fazia falta, o Pedro artilheiro. Marcou no estilo a que nos habituou: mais em jeito do que em força, com um remate muito bem colocado, para o ângulo superior direito da baliza vizelense. Que seja o primeiro de muitos em 2022.

 

De Sarabia. Muito influente, o internacional espanhol. Com pormenores de pura classe. Assiste Pedro Gonçalves no primeiro golo, faz um excelente cruzamento que inicia o segundo e oferece outro, aos 50', que o n.º 28 desperdiça. Esteve ele próprio quase a marcar, aos 88', num remate travado com dificuldade pelo guarda-redes Pedro Silva, formado em Alcochete.

 

De Matheus Reis. Vai refinando a exibição de jogo para jogo. Hoje foi o melhor do nosso quinteto defensivo. Excelentes cortes aos 69', 72' e 80'. Muito seguro no passe e na condução da bola. Tem a titularidade agora sempre garantida, quer como central (a posição a que regressou nesta partida), quer como lateral esquerdo.

 

De Daniel Bragança. O melhor em campo. Rúben Amorim surpreendeu ao colocá-lo como titular, deixando Matheus Nunes no banco. O jovem médio criativo formado em Alcochete correspondeu da melhor forma à confiança do técnico: organizou jogo, teve sempre precisão no passe e marcou um soberbo golo, num disparo forte com o seu pé esquerdo, coroando magnífica jogada colectiva que teve também Sarabia e Nuno Santos como intervenientes. 

 

Deste início da segunda volta. Voltámos às vitórias, depois do percalço ocorrido em Ponta Delgada na jornada anterior, num jogo que dominámos por completo a partir do quarto de hora inicial. Na segunda parte limitámo-nos a segurar a vantagem, aspecto em que somos muito fortes. Continuamos a fazer marcação cerrada ao FC Porto e ampliámos a distância face ao Benfica, terceiro classificado da Liga, agora seis pontos abaixo de nós.

 

De não termos sofrido qualquer golo. Continuamos a ser a equipa menos batida deste campeonato 2021/2022: só dez golos em 18 desafios. Os dois jogos anteriores, em que sofremos cinco, terão sido incidentais.

 

De ver o Sporting marcar há 31 jornadas seguidas. Sinal inequívoco da grandeza desta nossa equipa, tão bem orientada por Rúben Amorim.

 

 

Não gostei

 

Dos 15 minutos iniciais. Entrada forte do Vizela, que nos remeteu ao reduto defensivo nessa fase da partida em que podíamos ter sofrido um golo, logo aos 7'. Felizmente Adán estava atento e anulou o lance com uma enorme defesa, confirmando que continua em excelente forma.

 

De Coates. Entrada displicente do nosso capitão, forçado a fazer falta que lhe valeu amarelo logo aos 3', passando a actuar condicionado a partir daí. Parece em má condição física.

 

Da falta de golos na segunda parte. A nossa vitória acabou por saber a pouco com tanto domínio. 

 

Daquele sururu no final. Já no tempo extra, gerou-se enorme confusão junto ao banco leonino com jogadores e membros das equipas técnicas a trocarem insultos - e também com altercações entre adeptos das duas equipas na bancada central do estádio. Não havia necessidade.

Dia de ressaca

202201165316_140453~2.png

Cabeça dorida, boca seca, todos os músculos dormentes, sem vontade de fazer nada, sem vontade de falar, sem vontade de me mexer.

É assim que me sinto quando o meu clube tem um resultado negativo.

As outras pessoas sentirão o mesmo?

Em baixo, temos a ligação para uma análise dos resultados, das quatro primeiras equipas, nos jogos apitados por Fábio Veríssimo.

http://influenciaarbitral.blogspot.com/2016/05/fabio-verissimo.html?m=1 

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Volto a dizer: a Taça de Portugal é para ganhar. Não importa como, nem com quem, nem sei mais o quê. Tragam-nos a Taça.»

António Figueira«Quero uma equipa só de holandeses (pronto, e um chileno), sem estados de alma, estou farto de sentimentais (o João Pereira apanha tanto amarelo estúpido, onde bem que podia ter apanhado um a parar o Lima).»

Filipe Moura: «Está tudo a correr como queríamos? De certeza que não. A equipa é jovem, e ainda tem de comer muita "papa Cerelac". O treinador é novo e ainda está à procura do melhor rendimento para muitos jogadores.»

Francisco Mota Ferreira: «Ontem perdemos. Estamos a 11 pontos do clube de bairro e ainda não ganhámos nenhum jogo este ano. Os adeptos estão tristes. A continuar assim, o precário equilíbrio que existe entre adeptos, sócios, jogadores, Clube, Direcção e treinador vai ter os dias contados. Quanto tempo mais ainda vamos ter Paciência?»

Luís Filipe Coimbra: «Em relação ao "duelo" entre os "Sportings", pouco haverá a confabular: o nosso tem que ganhar tudo até ao final da época, seja contra ventos, marés ou departamentos clínicos juvenis.»

Rui Rocha: «Equipa que sofre dois golos como eu vi hoje o Sporting sofrer em Braga não pode vencer.»

Zélia Parreira: «Apelo aos adeptos para não desistirem, para mostrarem a sua habitual fibra e o apoio inequívoco ao clube e ao treinador. Quinta-feira, quem puder, deve estar em Alvalade e levar na sua voz todos os que estão longe.»

A voz da leitora

«Rúben Amorim é simplesmente fantástico! As suas conferências de imprensa são dignas de se ouvir! Nunca me lembro de alguma vez ter voltado atrás na box para ouvir novamente cada uma delas. Como Sportinguista, tenho o maior orgulho no nosso treinador! Aproveito ao máximo cada momento deste campeonato, sabendo que algum dia ficaremos sem o melhor treinador dos últimos 50 anos da história do nosso Sporting.»

 

Maria Sporting, neste meu texto

Pág. 1/5

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D