Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Com o Sporting na TV, sem emergência

Mas com prolongamento do fim de semana

Transmissões não faltam, com realce para o futsal e para o futebol dada a importância do que está em causa...

Fonte habitual,  site do Sporting: https://www.sporting.pt/pt/noticias/clube/noticias/2021-04-29/sporting-na-tv

SÁBADO, 1 DE MAIO

9h00 - YOUTUBE
Ginástica - Trampolins / Juniores - Gonçalo Alves (sincronizado)
Eliminatórias do Campeonato da Europa de Trampolins

11h00 - SPORTING TV
Futebol / Sub-21 - SPORTING CP vs. SC Linda-a-Velha
1.ª jornada da 1.ª fase/Série 2 da Taça AFL

12h00 - YOUTUBE
Ginástica - Trampolins / Seniores - Diogo Abreu; Diogo Ganchinho; Pedro Ferreira; Sílvia Saiote (sincronizado)
Eliminatórias do Campeonato da Europa de Trampolins

12h15 - GOALBALL TV
Goalball / Equipa A - SPORTING CP vs. CA Cultural
1.ª jornada da Série sul do Campeonato Nacional

14h00 - SPORTING TV
Futsal / Seniores - Inter FS vs. SPORTING CP
Meias-finais da Liga Campeões

15h00 - FPB TV
Basquetebol / Seniores - Vitória SC vs.SPORTING CP
Jogo 4 dos Quartos-de-final do Playoff da Liga Placard

15h15 - GOALBALL TV
Goalball / Equipa A - ACAPO Lisboa vs. SPORTING CP
1.ª jornada da Série sul do Campeonato Nacional

16h00 - SPORTING TV
Futsal / Seniores Femininos - SPORTING CPvs. GD Chaves
13.ª jornada da 2.ª fase/Manutenção do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão

16h30 - CANAL 11
Futebol / Seniores Femininos - C. Condeixa vs. SPORTING CP
12.ª jornada da 2.ª fase/Apuramento de Campeão da Liga BPI

16h30 - YOUTUBE
Ginástica - Trampolins / Juniores - Gonçalo Alves (individual)
Meias-finais do Campeonato da Europa de Trampolins

17h50 - YOUTUBE
Ginástica - Trampolins / Seniores - Diogo Abreu; Diogo Ganchinho; Pedro Ferreira; Sílvia Saiote (individual)
Meias-finais do Campeonato da Europa de Trampolins (em caso de apuramento)

18h15 - GOALBALL TV
Goalball / Equipa A - A. Jorge Pina vs. SPORTING CP
1.ª jornada da Série sul do Campeonato Nacional

18h30 - FPP TV / ADV TV
Hóquei em Patins / Seniores - AD Valongo vs. SPORTING CP
Jogo 2 dos Quartos-de-final do Playoff do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão

20h30 - SPORT TV 1
Futebol / Seniores - SPORTING CP vs. CD Nacional
30.ª jornada da Liga NOS
 
DOMINGO, 2 DE MAIO

9h00 - LIVE STREAMING
Karate / Kumite - Catarina Rodrigues (-50 kg); Tiago Duarte (-75 kg)
Finais da Karate1 Premier League WKF (em caso de apuramento)

9h30 - YOUTUBE
Ginástica - Trampolins / Juniores - Gonçalo Alves (sincronizado)
Finais do Campeonato da Europa de Trampolins (em caso de apuramento)

11h00 - YOUTUBE
Ginástica - Trampolins / Seniores - Diogo Abreu; Diogo Ganchinho; Pedro Ferreira; Sílvia Saiote (sincronizado)
Finais do Campeonato da Europa de Trampolins (em caso de apuramento)

13h00 - YOUTUBE
Ginástica - Trampolins / Juniores - Gonçalo Alves (individual)
Final do Campeonato da Europa de Trampolins (em caso de apuramento)

14h30 - YOUTUBE
Ginástica - Trampolins / Seniores - Diogo Abreu; Diogo Ganchinho; Pedro Ferreira; Sílvia Saiote (individual)
Final do Campeonato da Europa de Trampolins (em caso de apuramento)

15h00 - SPORTING TV
Hóquei em Patins / Seniores Femininos - SPORTING CP vs. CH Carvalhos
11.ª jornada do Grupo 1 do Campeonato Nacional

16h00 - CANAL 11
Futebol / Equipa B - LGC Moncarapachense vs. SPORTING CP B
2.ª jornada da Série 7 de Acesso à Liga 3

SEGUNDA-FEIRA, 3 DE MAIO

18h30 - FPB TV
Basquetebol / Seniores - SPORTING CP vs. Vitória SC
Jogo 5 dos Quartos-de-final do Playoff da Liga Placard (se necessário)

19h00 - SPORTING TV
Futsal / Seniores - Kairat AFC / FC Barcelona vs. SPORTING CP
Final da Liga Campeões (em caso de apuramento)

TERÇA-FEIRA, 4 DE MAIO

20h00 - SPORTING TV
Andebol / Seniores - SPORTING CP vs. Vitória FC
25.ª jornada do Campeonato Placard Andebol 1

QUARTA-FEIRA, 5 DE MAIO

20h00 - SPORTING TV
Hóquei em Patins / Seniores - SPORTING CP vs. AD Valongo
Jogo 3 dos Quartos-de-final do Playoff do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão (se necessário)

21h15 - SPORT TV 1
Futebol / Seniores - Rio Ave FC vs. SPORTING CP
31.ª jornada da Liga NOS

 

De pedra e cal - Talismãs (2)

22075576_Z8DJd.jpeg

22075578_l8fKf.jpeg

22075582_e2kev.jpeg

22075587_IHPAT.jpeg

 

Dramas de vivermos o Sporting à distância. À província, estas pequenas maravilhas demoravam a chegar e as saquetas de cromos evaporavam-se sem que, muitas vezes, houvesse reposição. Única caderneta (incompleta) que guardei da minha infância.

Com 0,75€ (150 escudos) não se compra hoje uma saqueta de cromos, quanto mais a caderneta.

Já se fazia uma reedição, não?

Vamos embora, equipa. Quero uma vitória amanhã!

Amanhã à noite em Alvalade

22075212_zVoh0.jpeg

 

Ultrapassado que foi o Braga, e com 6 pontos que na prática são 5 de vantagem relativamente ao Porto, segue-se a sequência final de cinco verdadeiras finais: Nacional (C), Rio Ave (F), Boavista (C), Benfica (F) e Marítimo (C). Na primeira volta foram 4V e 1E. Se isso acontecer de novo, conquistaremos o título. 

Se com o segundo golo do Belenenses a candidatura do Sporting ao título parecia quase a afundar-se, os minutos finais desse jogo e o jogo de Braga mostraram um leão de dentes cerrados a lutar contra tudo e contra todos e a querer mesmo ser feliz. A reacção à desgraça começou na cabeça de cada jogador e transformou a equipa numa máquina de guerra. E as segundas linhas de enorme talento - Jovane, Matheus Nunes e Plata - disseram presente.

Segue-se então o Nacional que luta pela permanência, agora dirigido pela velha raposa Manuel Machado. Espera-se um autocarro bem estacionado que vai dar muito trabalho a desmontar.

Quanto ao plantel disponível, não vamos poder contar com muita gente. Adán, Inácio, TT e Tabata estarão fora.

 

Imagino então que Amorim convoque os seguintes elementos:

Guarda-redes: Max e ? (Não conheço bem as limitações decorrentes da fase final da equipa B)

Defesas Centrais: Neto, Quaresma, Feddal, Matheus Reis e Coates.

Alas: Porro, Nuno Mendes e João Pereira.

Médios Centro: Palhinha, João Mário, Bragança e Matheus Nunes.

Interiores: Pedro Gonçalves, Jovane, Nuno Santos, Plata e Joelson (?).

Ponta de lança: Paulinho.

 

Em Braga entrou em campo o onze que eu e muita gente recomendávamos e a verdade é que não entrou nada bem. Depois a expulsão tudo se alterou. Pese embora a má fase de João Mário, acho que continua a garantir comando do jogo e capacidade defensiva no meio do campo, mas concerteza teremos Matheus Nunes e Bragança na segunda parte se precisarmos de acelerar para a vitória.

Pelo que a minha equipa é a seguinte:

Max; Neto, Coates e Feddal; Porro, Palhinha, João Mário e Nuno Mendes; Pedro Gonçalves, Paulinho e Nuno Santos.

 

Concluindo,

Amanhã o Sporting entra em campo para ultrapassar o Nacional e manter a vantagem pontual na liderança da Liga.

Considerando o sistema táctico de Rúben Amorim, qual seria o vosso onze?

 

#OndeVaiUmVãoTodos

 

SL

Mais de nove mil visualizações diárias

Só nos últimos quatro dias, És a Nossa Fé registou 36.525 visualizações. Cifra correspondente a mais de nove mil visualizações diárias. Confirmando o interesse crescente que este nosso blogue, igualmente vosso, vem registando junto do universo leonino.

Interesse ainda mais justificado neste ano em que os melhores sonhos desportivos de quase todos nós estão cada vez mais perto de se tornarem realidade.

A voz do leitor

«Ainda estou a saborear o golo de Matheus Nunes, sem esquecer o passe de Porro a enganar os de Braga. Ganhar assim no dia 25 de Abril foi festa a dobrar cá por casa. Não esqueço o apoio dos sportinguistas espalhados pelo país, como se viu em Braga. Percebo muito bem porque até aos meados da década de 60 fui Sportinguista de província. Sente-se o clube de outra maneira, quiçá com maior intensidade, longe das intrigas palacianas e abarracadas.»

 

Leão de Queluz, neste meu postal

As cadeiras verdes

22074579_tcEe9.jpeg

 

A partir de 2 de maio, tem início o processo de substituição das cadeiras coloridas por cadeiras verdes, com algumas zonas a branco, para inclusão de lettering alusivo ao Clube.

Aspiração antiga dos Sportinguistas, a substituição decorrerá em duas fases e estará terminada em 2022.

Posso fazer um pedido? Podem repintar as escadas de um verde menos folclórico? Eu sei que o facto de o verde estar a cobrir o amarelo tem impacto na cor final, mas... é feio, pronto.

 

(imagem retirada da página do Sporting Clube de Portugal no Facebook)

Sérgio e Chico

22074566_sb1mu.png

 

A forma como vemos, como interpretamos os acontecimentos está muito ligada à nossa experiência pessoal, com as leituras que fazemos, também, mas há coisas que não se aprendem nos livros, só fazendo, errando, corrigindo, tentando de novo, conseguimos melhorar.

Já Camões falava do "saber de experiência feito".

Há quase um ano eu não fazia ideia naquilo que me ia meter, neste ano fiquei muito mais desperto para as questões relacionadas com a parentalidade, como é a relação pai/filho em 2021? será igual à relação pai/filho entre Sérgio e Chico Buarque? Será igual à relação pai/filho entre Sérgio e Chico Conceição?

Era, precisamente, esta última que queria analisar.

Quem acompanhou a carreira de Francisco Conceição no Sporting lembra-se de um miúdo "sempre-em-pé" com a técnica que lhe reconhecemos mas com uma grande capacidade de utilizar o corpo franzino e a velocidade em seu proveito. O Francisco Conceição do Sporting era um miúdo que cruzava e rematava bem, incluindo remates de fora da área. Agora faz da área uma piscina.

O que aconteceu? Ou como diria Luís Filipe Vieira, o que passou-se?

Cada clube tem a sua mística.

A do Sporting é vencer de forma honrada, a do Porto é "vencer à Porto" os fins justificam os meios. Para um adepto do Porto é legítimo tentar ludibriar um árbitro e se o juiz não se deixa enganar a culpa é dele. Um árbitro quando vai apitar jogos do Porto não pode ser isento, nem idóneo tem de ser "normal", ser normal implica beneficiar o Porto.

O que pensará Chico sobre o futebol que o pai lhe pede para jogar?

A palavra mais utilizada por Sérgio deve ser a palavra cair; "vais lá para dentro cais em cima deles, cais mesmo, carrega, procura os pés deles, os braços, o que for e depois cais com força e grita como se estivesses a morrer".

Fica a reflexão; qual o pai que quer ver o filho cair, que o manda cair? qual o pai que ver o filho gritar, que o manda gritar?

Deverá um pai ser exemplo para o filho?

Gesticular, insultar, tentar agredir, ser expulso, será um bom exemplo?

A voz do leitor

«Entre quem acho que merece ir ao Euro e quem acho que vai, há uma grande diferença. Mereciam ir Nuno Mendes, Palhinha, João Mário e Pedro Gonçalves, mas acho que destes quatro só deverá ir um (Nuno Mendes ou Palhinha), e é para ir alguém do Sporting, do mesmo modo que Sérgio Oliveira e Rafa Silva só lá foram para ir alguém do Porto e do Benfica. Se for mais que um jogador do Sporting é porque alguém das convocatórias habituais se lesionou, ou não está mesmo a fazer minuto nenhum na sua equipa (se fizer poucos vai na mesma).»

 

Vítor Hugo Vieira, neste meu texto

Gabriel Serôdio Silva

dsc08235-min.jpg

Foto: retirada do comunicado emitido pelo Sporting Clube de Portugal

 

Uma vez que o comunicado emitido pelo Sporting Clube de Portugal não faz a mais pequenina referência à proveniência do jogador, esclareço: o Gabriel completou 14 anos a 9 de Abril, é algarvio e o mais recente iniciado a assinar contracto de formação.

Este jovem jogador treinou uma época na EAFS - Algarve, foi detectado antes ainda de a mesma abrir (por outro técnico de recrutamento que não João Nunes). Tal como João Simões é o chamado "jogador de fim-de-semana", durante a semana treinava na EAFS (sob a alçada do ex-responsável) e ao fim-de-semana jogava no Pólo EUL. Viu, de resto, a sua admissão na Academia Sporting antecipada por ter começado a acusar o desgaste provocado pelas viagens. Entrou com 12 anos.

Já no És a Nossa Fé foi mencionado, na qualidade de possível 9,5 com uma «relação espantosa com a baliza». 

À semelhança do que já acontecera com Cristiano Vitaly Palamarchuk, não existe a mais ténue referência à proveniência do jogador, circunstância que muito estranho e lamento. Como sublinhei a 9 de Abril de 2021, no texto dedicado ao Cristiano lacobrigense, contam-se pelos dedos de uma mão e sobram muitos dedos, os comunicados de jogadores em que não é feita qualquer referência à sua origem. No rodapé deste texto, encontram-se ligações para todos os comunicados que localizei.

Provindos da EAFS - Algarve, vamos nesta altura em 5 assinaturas (para além do Gabriel e do Cristiano, assinaram também: Atanásio Cunha, João Simões e Gonçalo Simões Dias).

Recupero um trecho de um texto que aqui foi publicado a 2 de Agosto de 2020:

«Só para que se perceba, da geração de 2007 no ano de arranque, a AFS – Algarve pôs cinco meninos em Alcochete e ainda pusemos mais um de fora da AFS, da geração de 2006. O C.F.T. (o equivalente benfiquista à AFS), pôs zero no Seixal. Secámos o Benfica logo no primeiro ano.»  João Nunes

O jovem de 2006, de fora da AFS, é Gonçalo Simões Dias. Dos restantes 5 jogadores, 4 já assinaram contracto de formação.

Continuarei atenta.

A quem possa ter interesse em consultar os demais comunicados de assinaturas de contratos de formação (iniciados):

22-04-2021 - Fernando Sadjó

12-04-2021 - Rafael Alonso

09-04-2021 - Cristiano Palamarchuk

23-03-2021 - Miguel Félix

12-03-2021 - Rafael Mota

12-02-2021 - Denilson Santos

11-02-2021 - João Simões

10-02-2021 - Miguel Almeida

08-02-2021 - Gonçalo Simões Dias

29-01-2021 - Daniel Amorim

27-01-2021 - Martim Botão

22-01-2021 - João Coelho

20-01-2021 - Tomás Abreu

18-01-2021 - João Muniz

14-01-2021 - Eduardo Felicíssimo

12-01-2021 - Atanásio Cunha

Como é diferente a lei em Portugal

No domingo em Braga um agente da ótóridade interpela Rúben Amorim por não ter máscara apesar de estar num camarote isolado no topo de uma bancada vazia. Sai logo multa.

24 horas depois, no mesmo distrito, em Moreira de Cónegos, a 33kms de Braga, um agente da ótóridade fica a olhar para um homem a ser agredido diante de várias testemunhas. Parece que o Ministério Público coisa e tal vamos ver.

É a normalidade.

Sporting, a glória dos outros?

Texto de opinião de Maria Corado, no site do Público.

Com a devida vénia, transcrevo:

 

«Sporting, a glória dos outros?

Não sou sportinguista, diga-se desde já, porém, hoje, faz-me sentido aclamar o Sporting pela extraordinária época de futebol que tem tido neste tempo tão estranho, quanto silêncios.

 

Ao fim da tarde, contemplo um bosque à minha frente. O verde profundo, faustoso e deslumbrante lembra-me um outro, icónico, histórico, honroso. Tão denso quanto visceral, convoca-me o verde que, com raízes nodosas, grita de dentro do coração da árvore secular que é: Spoooortiiiing!

Sim, secular. O Sporting é como uma árvore antiga, grande e imponente, daquelas que faz história dentro da História da gente. Não sou sportinguista, diga-se desde já, porém, hoje, faz-me sentido aclamar o Sporting pela extraordinária época de futebol que tem tido neste tempo tão estranho, quanto silencioso, como o bosque ali em frente.

Desde sempre tenho este clube como um par. De forma atípica, até mesmo extravagante, ao contrário da categoria vigente em que é denominado — o rival, por excelência! —, o Sporting faz parte da classe onde encaixo os amigos, curiosamente. Talvez por ser verdade que tenho muitos amigos sportinguistas; talvez porque vou algumas vezes ao Estádio de Alvalade; seguramente porque gosto das palavras/valores/categorias que compõem a sua identidade: Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Fazem-me sentir que se trata de uma casa de Bem. Perguntar-me-ão porque venho aclamar este clube, se não é o meu. E porquê fazê-lo agora?

Em Janeiro de 2020 tive o privilégio de assistir ao jogo Sporting-Benfica em Alvalade, a convite de amigos e, trouxe na memória o som ensurdecedor da violência. Lembro-me que o jogo parou durante algum tempo, uma vez que o clamor por uma justiça maldita, inspirada numa profunda raiva narcísica, descambou para uma onda de ódio dentro do estádio. Ódio por quem? Seria melhor aceitável se se dirigisse aos rivais em campo. Mas, não. O ódio era privado. Alguns sportinguistas ameaçavam-se directamente. Rixas inflamadas nas bancadas. As claques, capazes de matar a sua própria equipa pelo frágil resultado — a sua própria identidade?! —, assustaram-me. Mais, fizeram com que me questionasse sobre o que ali se passava, afinal. Longe dos tempos em que o som gritado era de apoio incondicional, de orgulho pelo verde das camisolas, de abraço acolhedor ao mesmo tempo que forte e destemido — convicto, sentido, honrado — senti que este Sporting caíra em desgraça interior.

Imagino, empaticamente, que o clube terá passado uma das suas piores crises de sempre, nos últimos anos. Tiranizado por vozes indignas de o representar, instrumentalizado em nome de egos menos claros e consistentes, o Sporting viu-se vilipendiado, mal-amado, desrespeitado pelos demais, espancado, mal-afamado. Além de se ver perdedor desde há muitos anos, o Sporting, frustrado compreensivelmente e sedento de vitória, perdeu o chão do seu bom nome nos últimos anos — viu-se atacado narcisicamente, dentro das próprias portas. Normalmente, isso é duro de sentir. Esmaga, fere, envergonha, humilha, entristece e, revolta, na melhor das hipóteses. Na pior, enraivece! A agressividade volta-se para dentro, contra o próprio e perverte o vínculo de amor. Destrói por ausência/desistência de elaborar a depressão subjacente.

Em Janeiro de 2020 tínhamos esse Sporting transfigurado, desapossado de si, desamando-se por completo — sem espelho interior inteiro, intacto, capaz de o manter feito de gente de Bem. Sem Amor, o Sporting (quase) desistia dos seus valores maiores. A Glória, era e seria a dos outros, para sempre. Sucumbia numa depressão sem choro, daquelas que por vezes nos matam sem darmos conta. Daquelas que levam ao suicídio, por falta de coragem de dizer “não!” aos maus tratos e, manter firme cá dentro a convicção de que vale a pena reconstruir, depois de limpar o terreno das ervas daninhas.

Hoje, a poucas jornadas do final do campeonato de futebol, o Sporting mantém-se estoicamente na liderança, apresentando-se como o favorito ao título maior. Vindos de dentro de casa, ressurgem sinais de alegria, de gratidão em vénias coloridas, temperadas por uma esperança que se reergue, depois de um tempo de menor fartura e fulgor. Num tempo em que as vozes interiores da descrença palpitavam o fantasma dos perdedores. Dir-me-ão, alguns, que enquanto a época não terminar isso não terá valor, mas não é essa a minha visão.

Num ano de silêncios esmagadores, sem abraços nem indiferenças — com a violência, proibida, do lado de fora de portas —, sem dinheiro e com a face sangrando, o Sporting mostra-se capaz de ressurgir. Os resultados conseguidos até aqui, sinalizam a humilde vontade de reparação narcísica, de recuperação do crédito condigno ao seu bom nome e à sua história secular. O Sporting está de parabéns pelo que tem demonstrado ser capaz de fazer, chorando por dentro, aos poucochinhos, sem ninguém ver.

Acredito que vai ser campeão. Acredito que pode aprender com o que viveu recentemente dentro da sua própria casa. Acredito que vai continuar com a força interior demonstrada para se reconquistar a si mesmo e, de mostrar a todos uma grande lição de humildade e de verdadeiro espírito de quem nasceu para competir com resistência, resiliência, dignidade e fé.

 

Viva o Sporting. Bem-vindo de volta pilares identitários: Esforço, Dedicação, Devoção e Glória — a sua!»

Os melhores prognósticos

Desta vez foi uma fartura: nada menos de oito vencedores. Anteviram a vitória tangencial do Sporting em Braga, pela margem mínima. 

É verdade que ninguém acertou em Matheus Nunes como goleador de serviço: o nome mais vezes mencionado foi o de Paulinho, que permaneceu em jejum. Portanto, não podendo ser aplicado este critério de desempate, todos acabaram por ganhar. 

Aqui fica o quadro de honra desta 29.ª jornada: AHR, Carlos CorreiaCristina TorrãoLeão 79Leoa 6000Luís LisboaPedro BatistaVerde Protector.

Para a próxima temporada - fica combinado - haverá um critério suplementar no desempate. Sendo a vitória, nestes casos, atribuída à primeira pessoa que aqui deixar o prognóstico vencedor. Mas para já fica assim: não é justo mudar regras a meio do jogo.

Parabéns aos oito vencedores.

E agora, José ?

josé.jpg

 

Têm sido tantos anos de frustações, tantos anos de roubos descarados no campo e fora dele, tantos anos de escorreganços fatais em momentos críticos, que ainda me custa acreditar no que aconteceu nesta última jornada, como conseguimos ganhar um jogo que um árbitro bem cedo tinha condenado ao insucesso, como o Porto conseguiu empatar o jogo seguinte depois de não sei quantos mergulhos na grande área adversária.

Por muito que a providência divina tenha ajudado a este desfecho, não há dúvida que muito disto se deve à conjunção de alguns factores a que tenho por diversas vezes chamado a atenção:

 

1. Rúben Amorim. Por muito que se critique os "passes para trás e para os lados" e a falta de "futebol ofensivo", este Sporting de Amorim é uma equipa extraordinariamente competente e difícil de vencer. A ideia de construir toda uma gestão do plantel à volta dum sistema táctico 3-4-3 que se altera conforme os jogadores que vão assumindo cada posição, e onde cada um tem capacidade para assumir várias posições, é completamente inovadora no panorama futebolístico português e tem sido determinante na extraordinária carreira duma equipa e dum plantel bem mais fraco que os dos rivais.

A prova disso foi como a equipa soube, com um jogador a menos e sem substituições, recompor-se dentro do campo, com jogadores a assumirem papéis diferentes daqueles que tinham sido programados, e como na segunda parte cada substituição foi melhorando a equipa e tornando mais clara a luz ao fundo do túnel. E a luz veio sob a forma dum golo tirado a papel químico daquele da Taça da Liga.

Quando pensarem em criticar o Rúben pensem apenas no seguinte. Imaginem o que seria esta equipa reforçada pelos melhores que passaram por Alvalade nos últimos anos. E no que seria esta equipa comandada por algum dos outros treinadores que por aqui passaram nos últimos tempos também. 

 

2. David Elleray. Desde que este senhor apareceu por aqui, impondo a sua autoridade técnica e a sua posição importante na arbitagem europeia, a nossa arbitragem teve de arrepiar caminho e aproximar-se dos padrões europeus, onde se entende que o futebol é um jogo de contacto, onde é crucial distinguir entre jogo duro e violento, e as simulações e os mergulhos na grande área adversária não são apreciados.

Ao contrário do que foram dizendo os medíocres e nalguns casos ressabiados ex-árbitros promovidos a comentadores, esteve muito bem Hugo Miguel em Faro, como esteve em Moreira de Cónegos, e merece muito mais estar na grande roda europeia que o artista de circo Artur Soares Dias. Oxalá consiga. 

 

3. Sérgio Conceição. O Sporting tem a sorte imensa de contar com este descontrolado nosso adepto (dizem que sim) à frente da equipa adversária. Já foram duas Taças de Portugal, duas Taças da Liga e desconfio que a coisa não vai ficar por aqui. Sempre a tentar ganhar na trafulhice, na pressão sobre os árbitros, nos mergulhos na grande área e fora dela, nas emboscadas aos melhores jogadores adversários, como aconteceu com Acuña no Dragão na véspera do jogo do Jamor, pouco ganharia se não tivesse a força "negra" que ainda tem o seu presidente por detrás e os "Rubens Macedos" desta vida a facilitar-lhe a vida.

Incapaz de saber perder, está condenado a fazer figuras patéticas no final do jogo de Moreira de Cónegos. Quando têm de ser os jogadores a segurar o seu treinador, está tudo dito. 

 

Bom, mas isso foi nesta jornada. Tempo de fechar esse capítulo e passar ao seguinte.

E agora, José?

 

O Sporting segue na frente do campeonato com 6 (que na prática são 5) pontos de vantagem sobre o Porto, e 10 pontos sobre o Benfica. Estão por disputar cinco jogos, com um total de 15 pontos. Com 52 golos marcados e 15 sofridos, somos a melhor defesa e o terceiro melhor ataque, neste caso estamos apenas a seis golos do Porto, que lidera.

A próxima jornada é crucial. Nacional, Tondela e Famalicão podem ajudar a decidir muita coisa. Em caso de vitórias dos três grandes, o Porto terá de decidir se entra na Luz para lutar pelo título ou pelo 2.º lugar. Se calhar vai optar pela segunda hipótese e dar oportunidade ao Benfica para limpar a má época. Com a vitória do Benfica e a nossa em Vila do Conde...

 

E agora, José?

Vamos aproveitar esta oportunidade que de repente se abriu e acelerar para o título?

Vamos morrer ingloriamente na praia, apenas confortados pelo acesso à Champions?

Diz lá, José... 

 

#OndeVaiUmVãoTodos

SL

Letais ao Sporting

poison-e-venom-lucas-gilbert-1.jpg

 

Enquanto decorria o Braga-Sporting, na noite de domingo, a turba anónima ia rabiscando coisas como estas nas redes:

 

«Amorim é um amador. Se havia dúvidas…»

«O Amorim que vá para a p*** que o pariu.»

«Obrigado Amorim… estás mesmo a conseguir o que querias desde que tivemos 12 pontos de vantagem…. mais uma vez obrigado!!!! O teu Benfica há de ir diretamente à champions…»

«Estás a mostrar a real merda que és…. o ano passado foi o 3.º lugar, este ano é o campeonato…. OBRIGADO.»

«O título já foi com o c*****o mas a malta bate palminhas. Futebol ZERO.»

«Não contem mais comigo, nem como adepto nem como sócio. Para mim chega, 25 anos de desilusões e vergonhas… não estou mais 25 assim.»

«Obrigado varandas…. por nos permitires que nos façam tudo…. És o maior…. mereces a fogueira!!»

«Parabéns. Perder este campeonato não era tarefa fácil. Fechem as portas.»

«Em 5 jogos RA perdeu todo o meu capital de confiança. Jogar uma merda e dizer que não muda nada é porque não sabe mais. Quanto à direcção de usurpadores quando era mais que urgente dar um muro na mesa e exigir determinação, ambição e compromisso, está tudo caladinho a enfardar croquetes!»

«Fechem isto e dediquem-se ao atletismo e ao futsal, que ao menos ainda vão dando algumas alegrias. Este clube é uma vergonha.»

«Pode ser que com o campeonato perdido os adeptos deste clube comecem a abrir os olhos para a merda que temos dentro de casa… Às tantas ter perdido este campeonato até vai salvar o clube de muita merda no futuro.»

 

No fim, conquistados os três pontos na Pedreira, estes letais estavam mais furiosos do que muitos adeptos do Braga. Torciam, como sempre, pela derrota verde-e-branca e pela humilhação dos jogadores leoninos.

Quando me falam em "união entre todos os sportinguistas", jamais me peçam qualquer aproximação aos canalhas que - até durante os jogos - aproveitam cada pretexto para enterrar o Sporting, fazendo coro com os inimigos do nosso clube.

Quero esta gente longe. Muito longe de Alvalade.

A voz do leitor

«As maiores roubalheiras este ano da Liga foram claramente o Paços de Ferreira-Porto, o Porto-Marítimo e o Porto-Boavista. Três verdadeiros escândalos que por acaso só renderam um ponto ao beneficiado: nos confrontos directos esta época com o Sporting perderam um e empataram dois, um dos empates também roubado, quando o VAR interveio numa jogada que quando muito seria de interpretação e portanto devia ter ficado quieto, a somar aos dois pontos que nos sonegaram em Famalicão. Se isto fosse completamente justo já estavam a 12 pontos e não a 6.»

 

António Pereira, neste texto do JPT

Pág. 1/11

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D