Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

És a nossa Fé!

Novo Ano - O quente, o frio e o gelado

Em altura de balanços, aqui fica um "termoestato" do que é para o nosso clube esta transição de ano:

GELADO - A credibilidade das instituições do futebol e do Estado. 
Sobre as arbitragens, estamos há muito esclarecidos. Ou pensavamos que sim, pois novos e ultrajantes limites foram alcançados este ano com o árbitro Pinheiro em Alvalade e em Portimão. Sem esquecer o VAR da Cidade do Futebol. Daquilo que se vai vendo das arbitragens dos nossos rivais, só se pode dizer que a farsa continua no futebol português.
A novidade é que, em vez de regredirem, os sinais de controlo das instituições pelo rival de Lisboa alastram-se ao Estado. Novos limites foram alcançados este ano, com a extraordinária retirada do SL Benfica do processo Gonçalves - que, segundo a juíza, agiu de motu próprio, apesar de ser o braço-direito do presidente do clube
Curiosamente, enquanto os 3 anos de Gonçalves foram rápida e comodamente varridos para debaixo do tapete, no que ao SL Benfica diz respeito, os 30 minutos de de vandalismo no balneário do Sporting em 2018 vão servindo para uma devassa quotidiana da vida do clube e jogadores - que irá prolongar-se ad aeternum, com prejuízo para a imagem do clube. 
Com o Estado manietado, a verdade desportiva parece, em Portugal, cada vez mais uma miragem. E assim se destrói (ainda mais...) a credibilidade da Liga e se coloca os amantes do futebol a assitir a Premier League ou La Liga. Até porque acertar no totobola é cada vez mais fácil.
O que esperar em 2020 do processo que envolve LF Vieira no caso de corrupção de um alto magistrado? Pouco ou nada, infelizmente. Que esperar do julgamento do assassino de Marco Ficcini na Luz? Três anos depois, será feita Justiça? 

FRIO - O conflito com as claques
Infelizmente, novos e quiçá graves episódios do conflito da direcção com as claques são de esperar no novo ano. A insultos e ameaças das claques, a direcção responde agora com... ameaças e insultos. Em vez de agir com inteligência, reage com virulência, descendo ao nível daqueles que se servem das claques para vandalismo e, nalguns casos, benefícios materiais.
Em vez de colocar alguém a falar com aqueles que, dentro das claques, sabem colocar os interesses do Sporting em primeiro lugar (ou simplesmente ignorar os insultos e ameaças, como fizeram seus antecessores no cargo), é o próprio presidente da direcção que resolve fazer do combate às claques uma causa - na minha interpretação, para se desculpar de fracassos (o intratável "clube de malucos"...) e tentar apanhar a "onda" de contestação à JL e DUXXI, pós-vandalismo em Alcochete. Como já aqui pude expor, o clima é de guerra aberta.
Em última instância, tudo isto só divide o clube e tem de parar. Em 2020, quando esta direcção completar 2 anos de mandato, espera-se mais inteligência. E capacidade de exercer o poder que tem de forma plena e firme, mas serena, dignificando o clube.
Como o final de mandato do antecessor de Varandas demonstra, iderar não é agitar uns contra outros. É exactamente o contrário: congregar, pelo esforço e mérito, todas as forças de todos os quadrantes, sendo representante dos valores e da missão da Instituição. 

QUENTE - O regresso da formação
Keizer chegou ao clube com aura de "mago" da formação, mas em pouco mais de meia época acabou por não encontrar na equipa principal lugar para várias promessas da Academia. 
Menos avesso ao risco, Silas já lançou Max, e com muito sucesso. Camacho respondeu, em Portimão, de forma espectacular, às dúvidas que se colocavam em relação à sua contratação. Quer um, quer outro, têm noção da grandeza do Sporting, coisa que não abunda no actual plantel. 
À porta da equipa principal estão agora Rodrigo Fernandes, Mateus Nunes, Pedro Mendes, Eduardo Quaresma e outros. E em 2020 teremos ainda o regresso de valores em "rodagem" como Daniel Bragança, Palhinha ou Ivanildo Fernandes. Há razões para acreditar que na próxima época teremos, como tem sido saudável hábito no passado recente, uma equipa-base com metade ou mais de jogadores da formação. 
Se 2020 não nos trouxer títulos, ao menos que nos traga novos valores, e uma equipa com raça de Leão e "fome" de títulos.

Os meus votos de um Novo Ano verde-e-branco para todos.

P

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D