Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Rescaldo do jogo de hoje

Gostei

 

Do regresso às vitórias. Depois de um mês de Outubro para esquecer, com três empates consecutivos, voltamos ao rumo normal. Objectivo cumprido: vitória folgada contra o Arouca, em Alvalade, por 3-0.

 

De termos vencido em vários campos. Das quatro primeiras equipas do campeonato, só o Sporting amealhou três pontos nesta jornada. Porto e Benfica empataram no Dragão e o Braga foi derrotado pelo Marítimo no Funchal. Voltamos a depender apenas de nós próprios na corrida ao título.

 

De termos ultrapassado o "fantasma" da Liga dos Campeões. Finalmente vencemos após uma eliminatória europeia, ao contrário do que sucedera nas três rondas anteriores. A exibição em Dortmund, mesmo com uma derrota tangencial, contribuiu para operar a reviravolta. À quarta foi de vez.

 

De Bas Dost. O internacional holandês voltou aos golos, bisando nesta partida. Marcou o primeiro e o último dos três, aos 9' e aos 63'. Já soma seis na Liga 2016/17. Foi um elemento fundamental nesta vitória. E, para mim, o melhor em campo.

 

De Campbell. Finalmente Jorge Jesus apostou nele como titular no campeonato, ocupando a ala esquerda do ataque. Aposta ganha: o costarriquenho demonstrou que merece a confiança do treinador, confirmando-se como o segundo reforço válido deste Sporting. Marcou um golo (o segundo), aos 55', e fez a assistência para outro. Exibição muito positiva.

 

De João Pereira. Recuperou a titularidade num desafio em que foi um dos melhores em campo, exercendo pressão contínua sobre a equipa adversária na sua ala, que dominou por completo. Foi dele o cruzamento que esteve na origem do segundo golo.

 

Do regresso de Adrien.  Um mês depois, o nosso capitão voltou ao onze titular no campeonato. E com ele voltaram as vitórias: o campeão europeu parece ser o talismã da equipa, melhorando a categoria colectiva da turma leonina. Mesmo tendo falhado um penálti, justificou a ovação que os adeptos lhe brindaram no estádio ao ser substituído, no minuto 79.

 

Da ausência de Markovic. O sérvio não chegou sequer a ser convocado para esta partida - consequência natural das suas péssimas prestações dos jogos anteriores. Não fez falta nenhuma, como bem se viu.

 

Do golo inicial marcado cedo. Já estávamos a vencer aos 9 minutos - reflexo de uma exibição muito superior à dos nossos últimos jogos no campeonato, onde há mês e meio não vencíamos.

 

De não termos sofrido golos. A nossa baliza ficou invicta e nem sequer chegou a estar sob ameaça em momento algum do jogo de hoje.

 

Do apoio inquebrantável das bancadas. Nunca tem faltado incentivo dos adeptos à equipa, como hoje se confirmou: 40.743 espectadores compareceram hoje em Alvalade.

 

 

Não gostei

 

Do penálti falhado. William Carvalho tinha desperdiçado uma grande penalidade na jornada anterior, frente ao Nacional. Hoje Adrien seguiu-lhe o exemplo, rematando para fora na conversão de um castigo máximo apontado pelo árbitro Carlos Xistra. Eis um aspecto que o treinador terá de insistir com os jogadores nas sessões de treino: há que afinar a pontaria.

 

Do resultado escasso ao intervalo. No fim dos primeiros 45 minutos vencíamos apenas por 1-0. Sabia a pouco.

 

Da exibição do Arouca. Apenas um remate ao longo da partida: basta este dado para se perceber como foi medíocre a prestação da equipa treinada por Lito Vidigal.

Erros elementares de comunicação

Bruno de Carvalho não resiste ao Facebook.

Voltou a ceder ao impulso do teclado, repetindo erros anteriores. Com mensagens encriptadas, sem destinatário preciso, e em que o essencial fica de lado. E o essencial é a necessidade urgente de robustecer a equipa de futebol, contribuir para a coesão do grupo de trabalho e evitar a dispersão de energias anímicas com temas secundários e alvos menores.

 

Na primeira mensagem, publicada na véspera do Borussia-Sporting, o presidente alude à suposta campanha eleitoral para a eleição de Março - na qual, convém sublinhar, ainda não deixou claro se tenciona apresentar-se como candidato. É um assunto irrelevante no contexto actual. Ainda por cima o presidente aborda-o de forma incompreensível, esgrimindo contra moinhos de vento, lançando acusações a pessoas cujo nome omite. Esquece que a clareza é uma das virtudes fundamentais da comunicação.

Mensagem errada no momento errado, pois.

 

Na segunda, divulgada ontem, voltam as alegações imprecisas, regressa o mesmo tom de desafio a pessoas nunca nomeadas, a mesma escolha de um tema que só contribui para envolver o Sporting em questões menores quando a esmagadora maioria dos adeptos aguarda palavras de confiança e estabilidade.

É certo que Bruno de Carvalho tem motivos para se sentir magoado com a devassa à sua vida privada ocorrida nos últimos dias. Mas uma coisa é o protesto veemente e o apelo que ninguém pode negar-lhe à necessária protecção do seu reduto familiar. Outra é confundir, no mesmo texto, a sua vida privada com ocorrências públicas relacionadas com o Sporting.

Aludir em termos ambíguos a uma hipotética violação do dever de confidencialidade que terá originado uma fuga de informação há semanas ou meses equivale a transmitir de novo a ideia de instabilidade em Alvalade. Quando aquilo que devia ser a preocupação máxima do presidente era precisamente o inverso: tranquilidade e coesão na frente interna.

 

Repito o que já escrevi aqui diversas vezes: em comunicação é fundamental a escolha do tema, da ocasião e do modo de fazer passar a mensagem.

Bruno de Carvalho, que já teve pelo menos quatro equipas de comunicação desde que iniciou funções como presidente do Sporting, imagina-se um virtuoso na matéria. Mas não é. Se o fosse, só recorreria ao Facebook em momentos cirúrgicos para transmitir mensagens concisas e compreensíveis. E jamais elegendo figuras menores como supostos destinatários das suas entrelinhas. Eu, por exemplo, posso fazê-lo na minha vulgar condição de internauta. Mas o presidente não deve agir assim.

Recusando dar ouvidos a especialistas, Bruno de Carvalho perde o foco, confunde o essencial com o acessório, baixa a fasquia. Leio os seus dois mais recentes textos feicebuquianos e fico com a sensação ainda mais nítida de que poderiam ter sido escritos por alguém de olhos vendados num quarto escuro.

Vale tudo na boatovisão (10)

Pedro Guerra, 24 Outubro, TVI 24:

«Há neste momento uma forte contestação ao treinador... que neste momento foi abandonado pelo seu presidente... porque o seu presidente pôs a circular junto das pessoas que lhe são próximas que Jorge Jesus é o grande culpado... porque foi ele que fez as contratações... quando nós sabemos que isso não é verdade!»

 

Rui Gomes da Silva, 24 Outubro, SIC Notícias:

«Para mim o mais significativo deste cansaço que há no balneário é que o Campbell... estamos no prolongamento, o Campbell marca o resulta... o golo do empate... Qual é o comportamento de uma equipa que acha que ainda pode virar o resultado? É ir buscar a bola e ir imediatamente para o... para o... meio-campo. O que é que o Campbell faz? Tira a camisola e vai festejar... Porquê? Porque deve estar numa jog... num problema de afirmação pessoal, num problema de saturação total com a equipa técnica, num problema que.... aquele... aquela atitude do Campbell é uma atitude que demonstra o estado em que está a equipa do Sporting e que só é possível porque tem duas pessoas à frente que nem são contraponto uma da outra... não... um diz mata e outro diz esfola, porque um gosta mais de si próprio do que o outro.»

Antecipando o mercado!

Olhando para o atual plantel e para o leque de jogadores emprestados, que jogadores dispensavam e emprestavam, que jogadores faziam regressar de empréstimo, que jogadores que estão no clube merecem uma aposta mais regular e que posições reforçavam? Já agora que que jogador sugerem para reforçar cada posição?

Deixo em baixo a minha opinião. Façam o mesmo.

 

Dispensados e para emprestar: Jug, Markovic, Elias, Petrovic, Jefferson, Marvin, Joel Campbell, Alan Ruiz (empréstimo para ver se explode)

Regressados e apostas: Jonathan Silva, Palhinha, Francisco Geraldes, Matheus Pereira, Esgaio , Bruno Paulista, Marcelo Meli, Castaignos e André (acredito que estes últimos 2 bem trabalhados e com ritmo e rotinas ainda podem ser excelentes reforços)

 

Asim  ficaria com:

GK: Rui Patrício, Beto, Pedro Silva

Def: Jonathan, Esgaio, João Pereira, Schelotto, Douglas, Paulo Oliveira, Coates e Rúben Semedo

Med: Adrien, William, Gelson, Bryan, Meli, Matheus, Bruno Paulista, Palhinha e Francisco Geraldes

At: Dost, André, Castaignos, Bruno César (parece-me que onde joga melhor é no meio atrás do PL a fazer ligação ao meio campo)

Téo pode suceder a...Téo

A mudança de Téo para a Argentina não surtiu efeito. O colombiano faz-nos falta e pouco acrescentou ao Rosario Central. É bem verdade que a cabeça não é o seu forte mas os pés nunca nos falharam (15 golos numa época em que teve lesões e férias a mais). Numa altura em que se percebe que Alan ou Markovic, pelo menos para o imediato, nada acrescentam, gostava de ver o 19 de volta a Alvalade. Falta poder de fogo. Já agora, que dê boleia a Jonathan Silva. 

A minha costela Jota Jota

Mais uma vez ninguém acertou no onze inicial que disputou o jogo na Choupana, com um resultado de má memória, mais um.

Desta vez, no próximo Domingo às 20.15 horas, com o Arouca, vamos tentar adivinhar o que fará Jesus, depois daquela surpresa em Dortmund?

Parafraseando o magnífico croupier de Casino Royal, Vitor de Sousa, "Fété vó jé".

Soltas do Dortmund x Sporting

1. Jorge Jesus é irredutível e fiel ao seu 4-4-2 mas ontem, quando escalou Coates, Semedo e Paulo Oliveira de início, não sei qual foi a vossa reacção, mas eu cá lembrei-me que na última vez que o Sporting foi campeão, o 11 base tinha...3 centrais (André Cruz, Beto e Phill Babb).

2. Contrariando todas as expectativas, o Sporting vai chegar à 5ª jornada da fase de grupos ainda a disputar o apuramento para a fase seguinte da Champions. Acho que não poderíamos desejar melhor tónico para o jogo contra o Real em casa do que ainda estarmos na discussão pelo apuramento.

3. Weidenfeller, histórico redes do Dortmund, é suplente. Os nomes nunca jogam nos 11. Que bom seria que o exemplo alemão encontrasse eco em Alvalade. 

4. Apostar em cruzamentos contra equipas alemãs ou inglesas, tem tantas probalidades em resultar como as do William Carvalho nos penaltis (por falar nisso, que não tive notícia, o JJ sempre explicou por que é que escolheu o William para marcar contra o Nacional?). 

5. Novo falhanço de Bryan Ruiz em mais um momento decisivo do jogo. É caso para dizer que o costarriquenho, de quem sou fã, é o homem errado, no sítio certo, à hora certa.

Ainda em relação ao jogo contra o Dortmund

Declaro que também gostei da atitude da equipa. Não é vergonha nenhuma perder por 1:0 no estádio do Dortmund, em noite de casa cheia (lotação esgotada, com 65.849 espectadores). Mas, tal como o Pedro Correia, lamento a dicotomia: «bons desempenhos frente ao Real Madrid e ao Borussia Dortmund alternados com fraquíssimas exibições frente ao Rio Ave, Tondela e Nacional» (nos comentários). Esperemos que esta situação se modifique.

 

Quanto à transmissão do canal ZDF, tenho a realçar a atitude muito fair-play do jornalista responsável pelo acompanhamento do jogo, que, sem esconder a alegria que lhe proporcionava a vantagem do Dortmund, elogiou o Sporting e a sua Academia (não lhe fixei o nome, peço desculpa, nem o encontro no link da ZDF).

 

Resta-me dizer que espero que consigamos passar à Liga Europa. Sempre é melhor chegar aí longe, do que soçobrar, nos oitavos-de-final da Champions, no primeiro embate com um dos grandes.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D