Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O primeiro teste

Balanço sumário do desempenho leonino no  confronto de ontem na África do Sul contra o Ajax Cape Town: duas partes, duas equipas diferentes, muito mais qualidade colectiva no primeiro tempo.

 

Destaco as excelentes exibições de Rui Patrício, Gelson Martins e André Martins.

Também merecem elogio Jefferson (assistência para golo), Carlos Mané (autor do primeiro golo), Ruben Semedo (autor do segundo golo), Iuri Medeiros (marcador do canto de que nasceu o segundo golo), Paulo Oliveira, Adrien, Esgaio e Teo Gutiérrez (que quase ia marcando, no mais potente remate de todo o desafio).

Exibiram-se com nota suficiente Tobias Figueiredo, Montero, Jonathan Silva, João Pereira, Wallyson e o estreante Naldo (que viu o árbitro marcar-lhe um penálti inexistente).

Decepcionantes foram as actuaçõess de Slimani (três golos falhados!), João Mário, Carrillo e o estreante Ciani (com claras responsabilidades no segundo golo da equipa sul-africana).

 

Sublinho:

- Rui Patrício defendeu dois penáltis.

- Adrien, enquanto esteve em campo, ostentou a braçadeira de capitão. Merece-a.

- Todos os jogadores leoninos chamados a converter grandes penalidades cumpriram com brio tal incumbência: Teo Gutiérres, Wallyson, Montero e Esgaio.

 

Este foi o primeiro teste a sério da nossa pré-temporada. Com dois jogadores titulares lesionados - William Carvalho e Ewerton - e o reforço Bryan Ruiz ainda por estrear.

Mas o teste mais importante decorrerá amanhã, também na África do Sul, frente ao Crystal Palace. Estejamos atentos.

Os jarretas (antologia 2014/15, parte IV)

 

- O Bruno deixou sair os bons jogadores, como o Bruma e o Ilori e o Rojo e o Dier, e agora não temos uma equipa que se apresente. Fomos humilhados em casa pelos lampiões: bastou-lhes estacionar o autocarro para a equipa ficar à rasca.

- Mas...

- Não queiras tapar o sol com a peneira! Ando farto de vitórias morais: não dou mais para esse peditório. Queres analisar a qualidade dos jogadores? Então vamos lá. O Paulo Oliveira podia chamar-se Pedro Mendes: não é melhor que ele, completamente banal. O Jefferson corre muito mas faz pouco para aquilo que corre. O Nani está com saudades de Manchester, isso percebe-se muito bem. O William Carvalho continua a falhar muitos passes, nisso só posso estar de acordo com o Ribeiro Cristóvão.

- Mas...

- Estás sempre a interromper-me! Que tens tu afinal assim tão importante para dizer sobre o jogo de domingo?

- Sobre o jogo não tenho para dizer. Só queria chamar-te a atenção para essa nódoa que tens aí na gravata. Parece-me nódoa de croquete.

 

(...)

 

- Foste ao estádio?

- Não costumo, porque não há lá Sagres, a minha cerveja preferida. Mas desta vez fui.

- E que tal? Mataste saudades?

- Matei saudades de um protesto bem sonoro. Fartei-me de assobiar os jogadores. Porcaria de equipa aquela.

- O Penafiel, de facto, vale muito pouco...

- Qual Penafiel? Eu assobiei o Sporting.

- O Sporting?!

- Sim, claro. Só assobiaria o Penafiel se fosse penafidelense.

 

(...)

 

- Que tal? Lá ganhámos o caneco! Ao contrário do que tu dizias...

- Sorte. Duas chouriçadas, dois golos.

- Mas viste o jogo?!

- Só até ao minuto 80. Depois mudei de canal porque imaginei logo que íamos sair dali com mais uma cabazada.

- Então não viste o melhor...

- Não perdi nada. Depois vi o resumo do jogo enquanto fazia horas para me deitar. Bastou.

- E que tal?

- Sorte, já te disse. Exibição medíocre. O Braga esteve sempre por cima, a controlar o jogo. Equipa organizada, madura, que sabia muito bem o que queria. Ao contrário do Sporting, que andou ali aos papéis.

- Nada a realçar de positivo?!

- Só os dois chouriços. O resto foi uma lástima.

Tempos de mudança

Ontem vi o jogo com o Ajax de Cape Town "por cima da burra", na net, confesso que não deu para ver grande coisa. Vi o jogo apenas até ao golo do empate a uma bola.

Nove portugueses, sete da formação no início. Acho que temos que apostar mais forte na academia, não se percebe porque não começam onze de Alcochete...

Do que me apercebi, a coisa ainda está perra, mais na defesa, mas também não seria de esperar muito mais.

Tivesse Slimani marcado duas oportunidades claras que teve e o resultado seria certamente diferente. Nada contra o nosso avançado, apenas a constatação do facto; Agora pode falhar muitos...

No entanto, a mudança que quero enfatizar aqui é a do novo capitão da equipa. Como já aqui tinha defendido bastas vezes, a braçadeira no Patrício (mais uma bela exibição com a defesa de dois [três, cara...] penaltis) não era adequada, precisamente devido à sua função dentro de campo. Apontei Nani e Adrien. Jesus entendeu entregá-la a Adrien, cumprindo o que havia já dito numa entrevista. Parece-me bem. Não é necessário aduzir os argumentos que usei na altura, mas parece-me que a equipa tem tudo a ganhar com esta alteração.

Domingo há mais e com uma equipa bastante diferente da sul-africana.

Vamos com calma, que a pressa é em regra má conselheira.

Os jarretas (antologia 2014/15, parte III)

 

- Lá vamos para a Liga Europa...

- E que interesse tem isso? Devíamos ter continuado na Champions. Não me conformo com este salto no abismo.

- Eh pá, não exageres. Ir à Liga Europa não é nenhum salto no abismo.

- Então não é?! Se ultrapassarmos a actual fase recebemos só 200 mil euros em vez dos 3,5 milhões que recebíamos se tivéssemos continuado.

- Abismo, para mim, aconteceu há dois anos quando não nos classificámos para nenhuma competição europeia. E nessa altura não me lembro de te ter visto tão mal disposto.

- Mas nessa altura também não tínhamos um presidente que ia para o Facebook escrever que os jogadores não tinham dignificado a nossa camisola, como fez o Bruno após o jogo com o V. Guimarães!

- A verdade é que o Chelsea era um adversário de respeito. E a nossa equipa, como sabemos, tem falta de rodagem na Liga dos Campeões. Dificilmente poderíamos ter empatado. E já nem falo em ganhar o jogo...

- Falta de ambição, foi o que houve. O treinador não fez alinhar a equipa com o dispositivo táctico que se impunha. Jogou para o empate e, como sempre acontece quando se ambiciona apenas o empate, acabou por perder.

- E gostaste do desempenho de algum jogador?

- Gostei do Nani.

- Do Nani? Mas ele não jogou!

- Claro. Estava a ser irónico. Aquilo foi tudo para esquecer...

 

(...)

 

- Digo-te sem rodeios: todos os lances do Sporting foram feios.

- E nem gostaste do Tobias?

- O Tobias? Batatas com enguias...

- E ao menos gostaste do Mané?

- O Mané? Borras no café...

- E do William Carvalho?

- Carta fora do baralho...

- E os golos, que foram tão bonitos?

- Bonitos coisa nenhuma: isso não passou de espuma. Bonito, bonitão... foi aquele golo do Quaresma no Dragão. Bela trivela. Por mais que me apeteça, nunca esse golo me sairá da cabeça.

- Ó pá, mas porque é que agora falas o tempo todo em verso?!

- Aprendi com o grande Pinto / Da Costa a declamar / E cada vez mais me sinto / Com ânsia de versejar.

24 de Julho

Provavelmente, o único treinador de futebol que trabalha num clube com nome de país -Portugal- e tem na capital desse país uma avenida com a sua data de nascimento. Parabéns Jorge Jesus, tenha tudo de bom o que a vida contém, que vença a super-taça, a taça e o campeonato, também.

Os jarretas (antologia 2014/15, parte II)

 

- O Montero voltou aos golos...

- Eh pá, aquele até eu marcava com pubalgia na virilha e rotura de ligamentos no joelho esquerdo. Foi só correr um pouquinho e encostar o pé!

- E o Slimani, que até bisou no 25 de Abril?

- Não me convence. Só é bom a saltar. Mas é muito limitado tecnicamente. Não tem técnica de cabeceamento. Quando acerta na bola enquadrada com a baliza isso só acontece por mero acaso.

- Quem é que tu punhas no lugar dele?

- O Tanaka. Custa-me tanto ver o rapaz na bancada. Não é por acaso que tem vindo a ser convocado para a selecção do Japão.

- E quem punhas no lugar do treinador?

- O Paulo Fonseca. Ou o Sérgio Conceição. Ou o Rui Vitória. Mas quem eu queria mesmo era o Jorge Jesus.

- E o José Couceiro?

- Também o queria. Mas como presidente.

 

(...)

 

- Foste a Alvalade na quarta-feira ver a nossa grande vitória frente ao Schalke?

- Não, pá. Ando chateado com tudo isto, não me apeteceu ir ao estádio. Vi a bola em casa.

- Ah, preferiste a transmissão directa...

- Sim, vi o Bilbau-FC Porto em directo. O Sporting-Schalke vi depois, no resumo. Dou razão ao Ribeiro Cristóvão: "Não foi um Sporting muito superior à equipa alemã, que não tem grande qualidade."

 

(...)

 

- Viste hoje o jornal?

- Vi. Dizia que «a relação entre Bruno de Carvalho e Nani já viveu melhores dias, por muito que a estrutura leonina se esforce em desmentir qualquer notícia que dê conta desta relação tensa».

- E então?

- Nada que me surpreenda. Sempre disse que isto ia acabar mal.

- Também a mim não me surpreende. Já estava à espera disto. Aliás, aqui entre nós, posso confidenciar-te que fui uma das fontes anónimas da notícia.

Sou só eu?

Sou só eu, ou o presidente do nosso Clube, depois de ter sido acusado por tudo o que é jornal e tv's de ser prepotente, mandão, ditador e mais uns epítetos menos abonatórios que agora não vêm à memória, com o objectivo claro de denegrir a sua imagem e o desanimar na luta pelo nosso Clube e pela limpeza no futebol, o presidente do nosso Clube, dizia, é agora relegado para segundo plano, com a "informação" de que Jorge Jesus manda em tudo; O homem manda o presidente despachar-se quando dá uma entrevista à chegada à RSA; O homem manda o presidente despachar-se a tomar o pequeno almoço; o Homem diz ao presidente que o tempo na casinha tem que ser a correr; O homem manda o presidente engraxar as chuteiras do Teo; O homem diz que não deixa o presidente vender ninguém até à super-taça, etc., etc.

Ou seja, Bruno de Carvalho não risca nada, quem é o manda-chuva agora é Jorge Jesus!

Sou só eu que acho, ou a estratégia é a mesma, apenas mudaram os métodos?

Palas nos olhos

Palas nos olhos quem usa, em regra, são outros animais que não nós, humanos.

Por norma, não costumo dar muita importância a artigos de opinião de adeptos de clubes, porque é lógico que puxem a brasa à sua sardinha e a deixem mais loirinha e apetitosa que as outras, esturricadas e "moídas".

Mas o artigo deste senhor (que até já teve responsabilidades governativas e que, com a mesma liberdade com que ele escreve baboseiras n' A Bola de hoje, lhe digo eu que de forma péssima e incompetente), dá-se ao desfrute de questionar acordos assinados entre o Sporting e os seus jogadores.

Este pintassilgo, que nunca por lá vi a questionar as vendas, pelos mesmos 15 milhões, de tudo quanto tem duas pernas e sai do cubo do Seixal, mostra-se incomodado (dor de co... tovelo?) com as cláusulas de rescisão dos nossos jogadores.

Alguém lhe explica que para pagar a segurança social (de que foi responsável no governo) e outras dívidas ao Estado o Sporting nunca necessitou de dar como caução acções não cotadas e que, por conseguinte, valiam zero?

Isto há com cada um...

É o que todos esperamos

Quatro jogadores do Sporting têm agradado particularmente a Jorge Jesus, segundo relatam repórteres que acompanham a equipa nesta primeira digressão da pré-temporada, na África do Sul:

- Adrien

- André Martins

- Gelson Martins

- Paulo Oliveira

 

É um bom indício.

Porque nós, sportinguistas, não queremos apenas conquistar novos troféus. Queremos conquistá-los mantendo o essencial da matriz do clube, que passa pela contínua valorização de jogadores formados na Academia de Alcochete. E pela aposta em profissionais portugueses.

Duas faces da mesma moeda.

 

Leonardo Jardim fez isso em 2013/14, lançando William Carvalho e Carlos Mané na equipa principal.

Marco Silva também fez isso em 2014/15, lançando João Mário e Tobias Figueiredo na equipa principal.

Jorge Jesus vai percorrer igualmente este caminho. É o que todos esperamos.

Os jarretas (antologia 2014/15, parte I)

 

- Com o Bruno de Carvalho, o Sporting deixou de apostar na formação.

- Estás a confundir o Sporting com o Benfica, que despacha para outros clubes os jogadores todos da formação mal começam a destacar-se. O Sporting, pelo contrário, ficou em segundo lugar no campeonato com vários jogadores da formação no onze-base. E apostou no William Carvalho, no Carlos Mané...

- Lá vens tu com esse argumento do segundo lugar! Já falámos imensas vezes disso. Foi sorte, nada mais.

- Preferias ter ficado em sétimo, como no ano anterior?

- Preferia ter ficado com o Dier, o Ilori e o Bruma.

- Mas estes três jogadores, ao menos, ainda nos renderam 22,5 milhões de euros. Enquanto antes deixámos sair jogadores da nossa formação, como o Pedro Mendes e o Carriço, por nada ou quase nada.

- O que tem uma coisa a ver com outra? Nesses tempos, ao menos, os jogadores eram tratados com a devida consideração pelo presidente do clube. Agora, diz aqui o Eric na entrevista, o Bruno só lhe apertou a mão e nem sequer lhe desejou boa sorte.

 

(...)

 

- Então temos o Nani de novo entre nós. Que tal?

- Gostei.

- Só isso? Vejo aí alguma falta de entusiasmo.

- Reconheço que é bom jogador. Mas...

- Mas o quê?

- Toda a gente sabe que ele não é um jogador completo. Cruza muito mal, tem notórias dificuldades no jogo aéreo e é pouco consistente no processo ofensivo junto à linha, tem sempre tendência para invadir zonas centrais. Desposiciona-se com demasiada facilidade.

- Não acredito que estejas a criticá-lo dessa maneira...

- Há quanto tempo não vês jogar o Nani? Em cada dez cruzamentos ele falha nove!

 

(...)

 

- Criticas praticamente os nossos jogadores todos. Não há mais ninguém de quem digas mal?

- Há. Digo mal do Bruno, que nunca devia ter assumido a candidatura ao título. E digo mal do treinador, que nunca devia ter ido na conversa fiada do presidente.

- Mas afinal que reforços é que tu gostavas de ver no Sporting?

- Gostava do Enzo. E do Gaitán. E do Salvio. E do Amorim. E do Maxi. E do Eliseu.

- E na baliza?

- O Júlio César, claro. Já reparaste que o Rui Patrício não sabe jogar com os pés?

- Só esses?

- Talvez também o Talisca. Pelo menos tem um nome mais giro do que o Rabia.

- Mais algum?

- O Pizzi, o Jara, o Ola John, o Shikabala...

- Mas o Shikabala é do Sporting!

- Ah, claro, tens razão. Péssimo jogador, esse que tal. Nem para futebol de praia o queria.

Sobre a novela "Carrillo"

18655477_NZBCW[1].jpg

 

Todos os anos, o defeso do Sporting tem o seu “caso”.

Há dois anos o assunto foi Bruma.

No ano passado, o tema foi Eric Dier.

Este ano o protagonismo é assumido por André Carrillo.

O jogador peruano, a quem todos reconhecem um potencial tremendo, já leva 4 temporadas de leão ao peito.

A última época foi aquela em que se exibiu em melhor nível, mas longe ainda de fazer com que o Sporting seja o Carrillo e mais 10.

Apesar de todos querermos que o jogador renove, pergunto-me se valerá a pena fazer de Carrillo o jogador mais bem pago do plantel.

É que William Carvalho, com metade das temporadas de Carrillo no Sporting, conseguiu ser mais decisivo e mais jogador do que o peruano.

Bem sei que no futebol há alturas em que certos investimentos são feitos com base na “fezada”. Não sei se uma eventual renovação de Carrillo, nos termos pretendidos pelo jogador, se insere nessa crença.

Agora, olho para Iuri Medeiros, sobre quem tenho uma grande “fezada”, e pergunto-me se caso o jogador açoriano se chamasse Iuri Medeirez, se por esta hora não conviveríamos bem com a não renovação de Carrillo e o seu adeus do Sporting.

Vamos, pois, aguardar pelos próximos episódios…

Aviso aos lampiões

Por mim, podem continuar a comentar neste blogue à vontade. Aqui sempre se praticou o pluralismo e gostamos do confronto de opiniões.

Mas fica desde já o aviso: aqueles que por sectarismo clubístico ou burrice congénita não quiserem ou não souberem escrever correctamente o nome do Sporting verão os respectivos comentários remetidos de imediato para o lugar merecido. O lixo.

Ah! a formação e tal

Pois é, são 26 os que foram para estágio na África do Sul.

Para os que persistem em dizer que a aposta na formação foi mandada prás urtigas, aqui vai a lista, com os destaques a negrito dos que se formaram na nossa academia:

"Jorge Jesus contará com 26 jogadores ao longo do período de trabalho, incluindo onze elementos formados no Clube e os cinco reforços confirmados até ao momento. A lista é a seguinte:

Guarda-redes: Rui Patrício, Marcelo Boeck e Azbe Jug

Defesas: João Pereira, Ricardo Esgaio, Paulo Oliveira, Naldo, Tobias Figueiredo, Rúben Semedo, Michaël Ciani, Jefferson e Jonathan Silva

Médios: Oriol Rosell, Adrien, João Mário, Wallyson e André Martins

Avançados: Carrillo, Carlos Mané, Gelson Martins, Capel, Iuri Medeiros, Montero, Tanaka, Teófilo Gutiérrez e Slimani".

Há ainda mais dois jogadores portugueses.

Nada mau, para quem "deixou" de apostar na prata da casa...

 

Balanço dos prognósticos 2014/15

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2015/16, relembro os prognósticos sobre a prestação do Sporting em cada jornada da Liga anterior feitos aqui no És a Nossa Fé. É um passatempo que recomeçará em breve neste blogue, pelo terceiro ano consecutivo.

 

16 de Agosto (Académica,1 - Sporting, 1) ANNóNNymus  

23 de Agosto (Sporting, 1 - Arouca, 0): Ninguém acertou

31 de Agosto (Benfica, 1 - Sporting, 1): Cristina Torrão, Duarte Fonseca e LB

13 de Setembro (Sporting, 1 - Belenenses, 1): Ninguém acertou

21 de Setembro (Gil Vicente, 0 - Sporting, 4): Ninguém acertou

26 de Setembro (Sporting, 1 - FC Porto, 1): Ninguém acertou

4 de Outubro (Penafiel, 0 - Sporting, 4): Iur, Roberto Dias e Sérgio Nunes

26 de Outubro (Sporting, 4 - Marítimo, 2): Ninguém acertou

1 de Novembro (V. Guimarães, 3 - Sporting, 0): Ninguém acertou

9 de Novembro (Sporting, 1 - Paços de Ferreira, 1): Ninguém acertou

29 de Novembro (Sporting, 3 - V. Setúbal, 0): José da Xã e Orlando

5 de Dezembro (Boavista, 1 - Sporting, 3): António Luís e Leão do Fundão

14 de Dezembro (Sporting, 1 - Moreirense, 1): Ninguém acertou

21 de Dezembro (Nacional, 0 - Sporting, 1): Edmundo Gonçalves e Leão do Fundão

3 de Janeiro (Sporting, 3 - Estoril, 0): João António, João Paulo Palha e Orlando

11 de Janeiro (Braga, 0 - Sporting, 1): Octávio e Paulo Gorjão

18 de Janeiro (Sporting, 4 - Rio Ave, 2): Rui Cerdeira Branco

25 de Janeiro (Sporting, 1 - Académica, 0): Paulo Gorjão

1 de Fevereiro (Arouca, 1 - Sporting, 3): António, JC e Leão do Fundão

8 de Fevereiro (Sporting, 1 - Benfica, 1): Ninguém acertou

14 de Fevereiro (Belenenses, 1 - Sporting, 1): Ninguém acertou

22 de Fevereiro (Sporting, 2 - Gil Vicente, 0): Grande Artista Goleador, Octávio, Oa Gomes, Ricardo Cunha e Rui Cerdeira Branco

1 de Março (FC Porto, 2 - Sporting, 0): Ninguém acertou

9 de Março (Sporting, 3 - Penafiel, 2): Ninguém acertou

15 de Março (Marítimo, 0 - Sporting, 1): SempreSCP

22 de Março (Sporting, 4 - V. Guimarães, 1): Rui Cerdeira Branco

4 de Abril (Paços de Ferreira, 1 - Sporting, 1): Ninguém acertou

12 de Abril (V. Setúbal, 1 - Sporting, 2): Leão do Fundão

19 de Abril (Sporting, 2, - Boavista, 1): JC

27 de Abril (Moreirense, 1 - Sporting, 4): Ninguém acertou

2 de Maio (Sporting, 2 - Nacional, 0): Basco, "o Leão"

10 de Maio (Estoril, 1 - Sporting, 1): Rudolfo Dias

17 de Maio (Sporting, 4 - Braga, 1): Ninguém acertou

23 de Maio (Rio Ave, 0 - Sporting, 1): Edmundo Gonçalves

 

CONCLUSÃO:

Houve um grande vencedor, que aproveito desde já para cumprimentar: o nosso leitor LEÃO DO FUNDÃO, destacando-se com nada menos de quatro vitórias. Curiosamente, todas com a nossa equipa a jogar na condição de visitante (Boavista-Sporting; Nacional-Sporting; Arouca-Sporting; V. Setúbal-Sporting).

Merece os parabéns de todos quantos fazem este blogue.

Fica desde já convidado a participar, a nosso convite, no próximo jantar de convívio do És a Nossa Fé.

 

Uma palavra de saudação especial também para o nosso colega RUI CERDEIRA BRANCO, que ficou num honroso segundo lugar - e primeiro, entre os autores do blogue - em matéria de prognósticos na Liga 2014/15: acertou em três. Curiosamente, todos com o Sporting na condição de visitado (Sporting-Rio Ave; Sporting-Gil Vicente; Sporting-V. Guimarães).

Foi pena que ninguém tenha acertado em 15 dos 34 jogos. Esperemos que no campeonato 2015/16 a pontaria se revele mais afinada.

 

Aproveito para recordar que na Liga 2014/14 houve por cá sete vencedores: Bruno Cardoso, Edmundo Gonçalves, João Paulo Palha, João Torres, José da Xã, Lina Martins e Octávio.

Casillas: "más ofertas no han llegado"

«Nuestro portero ha cimentado su leyenda sobre el calambre del instinto y la agilidad de reflejos (amén de su célebre baraka), que son las primeras virtudes que se pierden con la edad. En cambio a salir por alto, a posicionarse bien, a ordenar a su zaga y a jugar con los pies, Casillas no aprendió nunca. Dicen que se va por la puerta de atrás y que ha recibido del Madrid un "trato vejatorio". Hombre, hombre. Por la puerta de atrás nos vamos todos cuando envejecemos. (...)

La directiva trataba de ahorrarle la consunción de la grada durante los dos últimos años en que aún podría ser competitivo en un club de menor exigencia. Eso piensa el Oporto del samaritano Lopetegui, porque más ofertas no han llegado. El sector del fútbol, al contrario que otros, no ficha experiencia sino presente y porvenir, y gasta en nostalgia lo justo para nombrar manos inocentes en los sorteos de la Uefa. (...)

Casillas ha sido el futbolista español con mejor prensa de la historia; tanto que se seguía repitiendo la jaculatoria de mejor portero del mundo cuando no entraba ni en el top ten, y se tapaban sus cantadas (qué Mundial de Brasil, señores) cada vez más frecuentes con su santería cada vez más esporádica. Al final a Iker le ha hecho un flaco favor su longevo clientelismo mediático.»

Jorge Bustos, no El Mundo

O estranho caso de Diego Capel

600[1].gif

 

Não sei o que se passa com este jogador. Foi durante duas épocas um símbolo inequívoco de espírito leonino. Entrava em campo com fome de bola, entregava-se ao jogo com alma de leão, percorria a linha lateral na obsessão permanente de fazer cruzamentos com perigo, era o primeiro a ser castigado em falta pelos adversários, a quem sacou inúmeros cartões amarelos ou vermelhos.

Compensava em combatividade aquilo que lhe faltava em virtuosismo técnico. As bancadas adoravam-no. As claques gritavam pelo nome do andaluz que chegou a jogar na selecção espanhola.

Subitamente, no ano passado, Diego Capel parece ter perdido o fulgor. Quando era chamado, revelou-se apático e ausente, sem a energia anímica de outros tempos. Apesar de continuar a ser um dos elementos mais bem pagos do plantel.

Passou a ser convocado menos vezes e a jogar menos minutos quando entrava em campo. E nessas ocasiões raras vezes justitificou a aposta nele feita pelo treinador, Marco Silva.

Com a chegada da actual pré-temporada e o desembarque de um novo técnico em Alvalade, surgiu-lhe outra oportunidade. Jorge Jesus não tardou em fazer constar para a imprensa que lhe reconhecia mérito e tencionava apostar nele. Uma espécie de tónico psicológico que parece não ter surtido efeito em Capel. De tal maneira que já se fala no andaluz como um dos prováveis dispensados da nova época - a par de Labyad, Slavchev, Sarr, Viola, Heldon, Diogo Salomão e Wilson Eduardo. E ele parece resignado, baixando os braços sem mostrar o que vale nos treinos.

Confesso que para mim é um mistério.

Dois pesos, duas medidas

"Interessante como a chegada de Jesus a Alvalade, bem como de jogadores com salários mais elevados do que vinha sendo hábito, leva alguns comentadores a perguntar de onde vem o dinheiro. Mais engraçado, essa preocupação nunca ter existido quando os craques desembarcavam na Luz ou no Dragão. Afinal, os passivos de Benfica e FC Porto são hoje, recorde-se, maiores do que os do Sporting."

Bernardo Ribeiro, no editorial de hoje do Record

{ Blogue fundado em 2012. }

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D