Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Embandeirar em arco ou pôr o pé em ramo verde

 

Uma declaração carregada de ironia e prosápia própria de quem fala para um grupo altamente segmentado e motivado para piadas do tipo laracha deu azo a uma incontinência de reacções disparatadas e/ou falsamente ofendidas. A que não é alheio o destaque "noticioso" dado por todos os meios de comunicação.

 

Este é definitivamente um país de virgens, com a indignação sempre pronta a saltar. 

 

Dito isto, Bruno Carvalho já tem experiência suficiente para saber que a matéria é pouca e a fome é muita. Talvez fosse escusado. Ou talvez não. Não tem importância nenhuma, mas também não tem  especialmente graça. Siga.

 

Já agora, podemos visualizar a bandeira idealizada por BdC e surripiada no Twitter ao @PCMagalhaes. Não desgosto.

 

 

Adenda: Como bem me lembrou um amigo, já é a bandeira da Presidência da República.

Magia ou competência: a dúvida

Tem surgido com alguma frequência (demasiada até!), essencialmente às entradas e saídas das estações do Metro, publicidade sobre “cientistas espiritualistas”, especializados em “magias Negras e Brancas” e capazes de mudar (????) tudo na vida de um comum mortal.

 

Entretanto o meu filho mais novo passou, vai para uns tempos, a coleccionar esses pequenos panfletos, descritivos destas actividades sobrenaturais. A opção desta invulgar colecção prende-se acima de tudo com o português desses prospectos, que raia o sofrível, com muitos erros gramaticais.

 

Naturalmente e sempre que leio um destes “tesouros linguísticos” acabo sempre a sorrir. Porém um destes dias, li num deles, entre diversas opções, a seguinte “capacidade”:

 

Quem quer melhores resultados ou mesmo ganhar campeonato no futebol.

 

Esta era uma opção bem inovadora e jamais vista ou lida noutros concorrentes... Ora, como é sempre descrito nos panfletos, estes “Mestres” têm origem em países africanos quase todos de opção religiosa muçulmana.

 

Assim, no passado fim de semana e perante o resultado do Sporting em Guimarães, veio-me então à ideia a seguinte questão: terá sido um destes “Professores” a indicar a Slimani o local onde a bola iria estar?

 

A televisão, todavia, mostrou Leonardo Jardim a falar com Eric Dier, mas a realidade é que foi o argelino a marcar o golo solitário.

 

Paira assim a dúvida para quem tem o mérito neste resultado: ou o “Grande Mestre Espiritualista” de origem africana ou o “Grande Mestre Especialista” de origem madeirense.

Faz hoje um ano

 

Enfim, um empate. Fora de casa. Contra o Moreirense, último classificado do campeonato, e que já nos tinha eliminado da Taça de Portugal. Se fosse hoje, deixava-nos irritados. Há um ano, no entanto, ficámos aliviados ao ver a nossa equipa evitar in extremis a derrota. Para tanto, foi necessário dois defesas chegarem-se à frente e marcarem um par de golos em dois minutos: Xandão e o quase estreante Eric Dier, que Vercauteren promovera da equipa B ao onze principal.

"O que vai mal é o Sporting. Num minuto salvou um ponto em Moreira de Cónegos, mas fez pouco para a exigência que se impõe ao clube. O divórcio com os adeptos é cada vez mais evidente", escreveu o Público na crónica do jogo.

Nenhum de nós, à época, se lembrava de ver o nosso clube em tão grave crise aos mais diversos níveis - crise desportiva, financeira, anímica  e classificativa. E começávamos a convencer-nos de que havia duas equipas trocadas: a principal, com Elias, Labyad, Izmailov, Jeffren, Gelson e Pranjic, parecia inferior ao Sporting B somada aos jovens que tínhamos emprestados a outras equipas. E cada vez mais iam circulando os nomes desses possíveis candidatos à promoção no plantel verde e branco: Bruma, Ilori, Wilson Eduardo, Nuno Reis, Zezinho, João Mário, William Carvalho e Ricardo Esgaio.

"Das coisas que mais se ouvem por Alvalade nestes dias é a ideia de que se devia trocar a equipa principal pela equipa B. Eu normalmente rio-me, sem dar grande importância. Mas hoje, graças a uma insónia estranha, dei por mim a pensar mais a sério nisso. Talvez não fosse assim tão má ideia. A equipa B lidera a segunda liga, e parece estar, pelo que joga, a um nível superior ao de uma equipa tipo Vitória de Setúbal ou Beira-Mar. Ora, todos sabemos das dificuldades que temos tido contra equipas desse nível", escreveu o Luís de Aguiar Fernandes nesse dia 26 de Novembro de 2012.

Aqui no blogue, sintomaticamente, tínhamos inaugurado dias antes a etiqueta crise.

Faz hoje um ano

 

Em tempo de crise, por aqui tentava-se reflectir sobre o rumo a seguir no Sporting. Havendo já então a convicção, em muitos de nós, que a solução passaria pela convocação de uma assembleia-geral extraordinária destinada a iniciar um processo eleitoral.

"Os clubes de futebol não são geridos apenas em função dos interesses do clube. Porque os bancos também mandam vender e deixam comprar jogadores (sabem o preço de tudo, mas não sabem o valor de nada). Não se queira aplicar aos clubes de futebol lógicas que não são dos clubes de futebol. Às vezes, uma bola na trave é apenas uma bola na trave", escrevia neste blogue o Adelino Cunha nesse dia 25 de Novembro de 2012.

"Mais vale ter eleições do que resignarmo-nos a fingir que não nos dói, como se fosse uma cefaleia que não passa de forma alguma", observava por sua vez o Paulo Ferreira.

Nas caixas de comentários, no entanto, o apoio ao presidente Godinho Lopes prevalecia. Como se pode ler aqui.

A polémica instalava-se para ficar uns largos meses.

Amanhã, às 19.30

 

O nosso colega António Manuel Venda lança amanhã a terceira edição do seu livro de contos Quando o Presidente da República Visitou Monchique por Mera Curiosidade. O lançamento da obra, com a chancela editorial da JustMedia, será no Palácio Galveias, ao Campo Pequeno, em Lisboa, a partir das 19.30. Com apresentação de Fernando Alves, jornalista da TSF.

Lá estarei, a dar um abraço ao António. E aqui deixo o convite, em nome dele e da editora, a todos quantos lá quiserem deslocar-se. Fonte geralmente bem informada confidenciou-me que não faltarão petiscos da Confraria da Empada e iguarias da serra algarvia, por iniciativa da Junta de Freguesia de Monchique, terra natal do autor.

Apareçam.

O melhor prognóstico

Pontaria muito afinada revelou a nossa leitora Lina Martins, que acertou duas vezes em cheio: não apenas no resultado do jogo V. Guimarães-Sporting mas também no nome do marcador do golo solitário: Slimani, o mais recente herói de Alvalade. Aquele que, tal como Liedson, resolve.

Valha a verdade que não foi a única a antever o nosso triunfo naquele difícil terreno do Alto Minho: esse foi igualmente o prognóstico do Duarte Fonseca, do Alexandre Poço, e dos nossos leitores dukkke e Visão do Peão. Faltou-lhes mencionar o nome do argelino que marcará presença no Mundial do Brasil como artilheiro da selecção do seu país.

De qualquer modo, eis um bom indício para o segundo terço do campeonato que agora se inicia. Bem precisamos que a pontaria continue afinada nesta fase.

Sobre o jogo de futsal em Almada.

 

Estive ontem no Pavilhão de Almada a assistir ao jogo da nossa equipa de futsal. Infelizmente perdemos apesar de ter ficado com a sensação de que éramos superiores.

Embora o pavilhão estivesse a abarrotar não se sentiu que o público estivesse lá para puxar pela equipa! Fiquei com a ideia que se estivessem lá 300 ou 400 membros de uma das nossas claques teríamos conseguido o apuramento para a fase seguinte. Faltou apoio, alegria, aquele entusiasmo que não marca golos mas que incentiva os jogadores! As claques, se decentemente organizadas, são fundamentais no desporto, sobretudo num país como o nosso em que as pessoas não acham importante participar no espectáculo.

Sobre o jogo de ontem.

Não gostei do jogo de ontem. A equipa esteve lenta, apática, com poucas ideias. Durante a primeira parte quase não houve remates à baliza. É complicado ganhar jogos quando não se finalizam as jogadas. Os nossos extremos foram incapazes de colocar velocidade no jogo e os jogadores do meio campo estiveram (todos) abaixo daquilo a que nos têm habituado.

Destaque, no entanto, para a linha defensiva que se apresentou em bom plano, em especial Dier e Maurício (apesar deste último fazer demasiadas faltas absolutamente desnecessárias). Destaque ainda para Slimani, com um excelente golo à ponta-de-lança!

Apesar de tudo lá vencemos. O ano passado tal não teria acontecido, o que demonstra muita coisa, nomeadamente que do ponto de vista dos equilíbrios emocionais esta equipa se apresenta num nível muito elevado. Domingo lá estaremos para a recepção ao Paços!

Os nosssos jogadores (16): Vítor Silva

Chegou esta época ao Sporting, mesmo a fechar o prazo de inscrições e sem ninguém esperar. Nunca foi falado como possível reforço, não apareceu nas primeiras páginas dos jornais desportivos como pretendido por algum clube. Não lemos dele grandes entrevistas com o discurso habitual. A discrição é a sua imagem de marca e infelizmente nos dias que correm talvez tenha sido esse o motivo por ter demorado tanto tempo a chegar a um clube à sua medida. É um jogador dos tempos modernos, capaz de ocupar qualquer lugar no meio campo, com uma técnica bem acima da média. Como ele próprio diz, "não tenho tatuagens, não pinto o cabelo, nem uso alcunhas". É assim de facto. Olhando para Vítor Silva, vemos tudo menos um vulgar jogador de futebol, a sua simplicidade natural reflecte-se no modo como aborda o jogo. A sua forma de jogar, que apenas a sua excelente técnica o permite, transforma o difícil em fácil e o complicado em simples. Joga de cabeça levantada, antes de receber a bola já sabe onde a vai colocar. Entrou ao de leve, e foi logo rotulado como um bom substituto de André Martins, apenas isso. Não se intimidou e aos poucos foi ganhando o seu espaço dentro do grupo. Foi com naturalidade que o vimos jogar cada vez com mais assiduidade, demonstrando no campo o porquê de ter sido contratado pelo nosso Sporting. Tenho a certeza que será um jogador fundamental, com a sorte de ausência de lesões, nesta temporada. Já com várias épocas de futebol é um elemento que acrescenta além do seu valor, experiência. Aos vinte e nove anos é o jogador mais velho do plantel. Vai com toda a certeza deixar a sua marca no Sporting.

Correio sentimental

Caro professor do Correio Sentimental: O Slimani deixa-me confuso. Eu gostava do Montero, mas agora tambem gosto do Slimani. É possível um sportinguista gostar de dois avançados que metem golos? O meu coração divide-se, ou como se diz em francês, que é mais fino, "mon coeur balance". Valha-me Deus! Nunca pensei que depois da última época andasse nesta altura a discutir comigo que goleador é o mais eficaz no nosso ataque.

Rescaldo do jogo de hoje

Gostei

 

Da vitória em Guimarães. Foi o quarto triunfo da nossa equipa fora de casa neste campeonato. Depois das vitórias contra a Académica, Olhanense e Braga. Uma prova evidente da sua força anímica.

 

Do nosso segundo lugar. Estamos apenas a um ponto do FC Porto, em igualdade pontual com o Benfica, quando se completou um terço das jornadas desta Liga 2013/2014. Um lugar que permite manter a esperança bem acesa.

 

De confirmar a eficácia de Slimani. Cumpriu-se o que já sucedeu com o ponta-de-lança argelino: entrou, marcou. Resolvendo o jogo a nosso favor no último minuto do tempo regulamentar. É para isso que servem os pontas-de-lança. Quem criticou Slimani nas bancadas de Alvalade a esta hora já estará arrependido.

 

Da alteração táctica decidida por Leonardo Jardim. Uma vez mais, verificou-se o que já tinha sucedido em jogos anteriores: a equipa melhorou quando começou a jogar em 4-4-2. Uma vez mais, acertou em cheio nas substituições, que talvez devessem ter ocorrido mais cedo.

 

De Eric Dier. O treinador apostou nele como defesa central e o jovem inglês formado na nossa academia cumpriu a missão que lhe foi destinada com a sua melhor exibição desta temporada na equipa principal. Foi um dos mais inconformados com o empate a zero que permanecia à beira do fim, como ficou bem evidente naquele seu remate de cabeça, na sequência de um canto, que viria a ser completado da melhor forma por Slimani. Leão é mesmo assim: nunca desiste.

 

De Cédric. Outro inconformado. Ajudou a empurrar a equipa para a frente, sobretudo no segundo tempo, e centrou duas vezes com muito perigo, imprimindo maior velocidade a um jogo que pecava por excesso de lentidão.

 

De Rui Patrício. Seguro, atento e com reflexos rápidos sempre que foi preciso.

 

 

Não gostei

 

Da nossa exibição na primeira parte. A equipa esteve demasiado apática e presa de movimentos.

 

Dos nossos extremos. Carrillo e Capel pareceram quase sempre dominados pela defesa adversária, reagindo pouco e mal às marcações vimaranenses. Faltou-lhes um suplemento de ousadia. Foram bem substituidos.

 

De ver Carrillo sair a passo. O Sporting precisava de ganhar o jogo: cada minuto contava. Foi incompreensível ver o peruano a queimar tempo.

 

Da ausência de centrais no banco. A quase-lesão de Maurício fez recear o pior. Correu-se um risco porventura desnecessário.

 

Das intermitências de Abdoulaye. O defesa emprestado pelo FC Porto ao Guimarães, vindo de uma lesão providencial que o impediu de defrontar o seu clube de origem, pareceu totalmente recuperado neste jogo. Há coincidências tramadas. Mas devemos agradecer-lhe a involuntária "assistência" para o golo de Slimani.

Repitam comigo

"O Sporting não está na corrida ao título". Repitam.

Outra vez.

Outra.

Inspirem.

Expirem.

 

Depois da Vitória contra o dito de Guimarães, o Sporting vê-se empurrado para o segundo lugar do campeonato.

 

Mas não está na corrida ao título. 

 

O que está absolutamente certo, certíssimo. Até podemos encontrar três ordens de razões, as ordens que deus fez:

 

1. A equipa ainda não é equipa, ainda é só plantel (o que quer que seja que isso signifique).

2. A estrutura não foi preparada para ganhar um título.

3. Ainda só estamos no primeiro terço do campeonato (aqui, podemos orar um bocadinho).

 

Tudo isto é verdade, a prudência requer uma boa dose de inteligência, os nossos dirigentes exibem doses de bom senso acima do indicador de bom senso médio da humanidade, estamos treinados para sofrer e não vamos agora começar a rejubilar.

 

Por isso, repitam comigo: "O Sporting não está na corrida ao título".

 

Só os grandes adeptos sportinguistas conseguem aguentar isto. Força, companheiros.

Estatísticas que nos fazem sorrir (ainda mais)

"À entrada para o jogo que fecha o primeiro terço da Liga (10ª jornada), o Sporting tem mais 10 pontos do que tinha na última época, algo que se reflecte no terceiro lugar na tabela, contrastante com o décimo lugar de 2012/13."

Record, 24 de Novembro

 

"Por esta altura, em nove partidas, o Leão registava duas vitórias, quatro empates e três derrotas; hoje, já vai com seis triunfos, duas igualdades e apenas um jogo perdido, no Dragão, frente ao C Porto."

idem

 

"Leonardo Jardim está este ano de pedra e cal à frente dos destinos do Sporting, enquanto no último ano Franky Vercauteren figurava no elenco verde e branco como o terceiro(!) treinador da época, após Sá Pinto e Oceano."

idem

 

"Se fossem necessários mais exemplos do que mudou em Alvalade em apenas 12 meses, bastaria referir que Fredy Montero, sozinho, tem mais golos apontados do que toda a equipa verde e branca nas primeiras nove jornadas da temporada passada. O colombiano contabiliza, neste momento, nove tentos, à média de um golo por encontro. A equipa treinada por Sá Pinto, primeiro, Oceano, depois, e Vercauteren, por fim, tinha apenas sete."

idem

 

"À partida para a 10ª ronda da época 2012/13, os Leões apresentavam um défice em golos. Tinham marcado sete e sofrido nove."

idem

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D