Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

A classe de Oguchi Onyewu

 

Oguchi Onyewu foi ontem transferido para o Málaga por empréstimo e dando sequência à classe que sempre demonstrou enquanto envergou as cores verde-e-branco, enviou um grande elogio de despedida aos adeptos sportinguistas:

 

«Quis tempo para mim antes de postar algo nas redes sociais. As palavras não podem descrever a alegria que tive no último ano ao jogar no Sporting. E o prazer que senti por saber quanto amor e apoio tive, tenho e irei continuar a receber pelos adeptos de classe mundial do Sporting Clube de Portugal. A vossa confiança em mim não será esquecida seja para onde a minha carreira me levar ».

 

Obrigado Guchi, adeus e boa sorte. Serás sempre bem-vindo na nossa «casa».

 

As «bocas» dos adeptos

Pelo encerramento do mercado futebolístico, os adeptos reagiram aos negócios que transitaram. Alguns de modo muito crítico, outros, deliberadamente ou não, com humor e ironia. É caso para recorrer ao provérbio: «é possível agradar a alguns, às vezes, é impossível agradar a todos, sempre». Alguns exemplos das reacções noticiadas pelos periódicos desportivos:

 

- Sobre a transferência de Javi Garcia: «Não há problema ! Tanto o Carlos Martins como o Sílvio são polivalentes e podem fazer o lugar dele. Quanto ao Lima, ou tira o lugar ao Cardozo ou só mesmo a médio defensivo». (adepto benfiquista)

 

- No momento que era dada como certa a ida de Moutinho para o Tottenham: «Os lagartos ainda recebem guito pela maçã podre. Boa PC. Grande negócio ! Este ano estão em grande». (adepto benfiquista)

 

- Sobre a gestão de António Salvador: «Dá a mão ao Costa, saca-lhe jogadores quase sem custo - Dá a mão ao Vieira, saca-lhe jogadores quase sem custo - Contrata jogadores aos pequenos que brilham na Liga, espreme-os e...vende-os ao Sporting». (adepto bracarense)

 

- Sobre a não contratação de um lateral esquerdo pelo Benfica: «Às vezes até parece que há alguém a prejudicar deliberadamente o SLB, deixando a porta aberta, neste caso do lado esquerdo, para que nos roubem pontos e títulos». (adepto benfiquista)

 

- Sobre a não transferência de João Moutinho: «Bem feito !!! Sua Maçã Podre !...Vais apodrecer na fruteira !!! A maçã está muito bem para os fruteiros !!! Vais ficar preso para sempre !!! INCHAAAAA !!!!! (adepto sportinguista)  -  «Se for para o Zenit é melhor do que ir para o desertor Vilas-Boas. TOMA LÁ VILAS MÁS !!! ». (adepto portista)

 

- Sobre a não contratação de Sílvio: «Palhaçada isto...esperam até à última para contratar um lateral e agora NADA !!! É a crise que só dá dinheiro para avançados. Falta de gestão naquele triângulo VIEIRA, RUI COSTA e JJ...que vergonha !!! ». (adepto benfiquista)

 

- Sobre a contratação de Lima: «Não sei se foi o JJ ou o LFV que teve essa ideia. Não se compreende esta contratação. Onde estamos muito fracos não se pode gastar, é a crise, e noutros sectores é um desperdício de milhões. O Lima veio por 4,5M, se não estou em erro, vai fazer dois ou três jogos e fica 4 anos, mais ninguém o quer ». (adepto benfiquista)

 

- Sobre a inscrição de Júlio César: «Quando o J. César iniciou no futebol foi como defesa, depois é que descobriu que dava para GR. Acho que o JJ vai tentar que ele volte às raízes ». (adepto benfiquista)

 

~Sobre o empréstimo de Onyewu: «Ó miguelex, ainda falas ? O teu clube foi o grande derrotado do dia, perdes o melhor trinco, enfias com a cláusula de rescisão pelo Lima (para ficar no banco) e não tens um lateral esquerdo, e ainda vens mandar bocas por causa do Onyewu ?». (adepto sportinguista)

 

- Sobre as análises de Rui Santos: «Desculpem...hic...aconteceu algo ao Rui Santos ?...hic...é que o vi ontem à noite na Sic e estava cá com umas bentas...hic...desculpem...será dos copos ou é verdade que quem contratou um DE às 23h55m foi o...FCP ? ». (adepto portista)

 

Joaquim Rita a desmentir-se a si próprio

Um dos maiores problemas do comentário futebolístico em Portugal é o facto de os comentadores do futebol nunca serem confrontados com o que afirmam. Proferem um juízo fulminante sobre um clube invocando uma causa justificativa que os leva a ilibar ou até a enaltecer outros mais do seu agrado - e ninguém se insurge contra esta manifesta desonestidade intelectual, com nomes e dados específicos. Formulam vaticínios que jamais se concretizam - e ninguém ousa lembrar-lhes isso. Numa semana garantem, categóricos, que tal coisa é assim e na semana seguinte, com o mesmo tom peremptório, asseguram que a mesmíssima coisa é o seu contrário - e não se levanta uma voz a dizer que da boca deles apenas saiu disparate. Palavras leva-as o vento, pensam. E terão motivos para pensar assim. Ninguém se dá ao incómodo de anotar o que dizem nas intermináveis charlas televisivas que servem de aperitivo e sobremesa aos jogos de futebol. 

Pois comigo estão enganados. Vou confrontá-los com tudo quanto disserem. E começo já hoje, com o inefável Joaquim Rita, que usa e abusa de anti-sportinguismo primário nas suas incessantes aparições televisivas. Reparem só na admirável coerência deste opinador do esférico: a 8 de Julho, com o habitual ódio vesgo ao nosso clube, bradava na SIC Notícias que "o Sporting não tem nenhum jogador minimamente apetecível"; menos de um mês depois, a 7 de Agosto, quando já há muito ele próprio esquecera o que havia dito, afirmou ao mesmo microfone que "pela qualidade que tem, Adrien entraria como uma luva quer no Benfica quer no FC Porto".

O Rita de Agosto desmentia grosseiramente o Rita de Julho.

O que não surpreende.

Um pouco mais surpreendente é que, nas suas constantes contradições, utilize o mesmo tom categórico que eu uso para afirmar: o comentador Joaquim Rita não faz nenhum comentário minimamente isento.

Ele não se lembra do que vai dizendo, mas eu tenho excelente memória. E cá estarei para ir recordando. Tantas vezes quanto for necessário.

As transferências de última hora

Muito embora sejam situações que não afectam os interesses do Sporting, surgiram duas transferências no último dia do mercado que surpreenderam pela sua ilógica, face à informação disponível, ambas envolvendo o Benfica. Para um clube que não tem hesitado em gastar rios de dinheiro para reforçar o plantel, a saída do seu activo mais fundamental, ainda com 25 anos - Javi Garcia - carece de explicação que provavelmente nunca será avançada por Luís Filipe Vieira. O jogador espanhol custou cerca de 7 milhões de euros ao clube da Luz em 2009 e foi agora vendido por 20 milhões, mais extras. Um lucro bruto nunca inferior a 13 milhões, salvo existirem percentagens na posse de terceiros. Considerando o equilíbrio da equipa, tudo indica que a sair alguém, nunca seria do sector mais defensivo, especialmente quando o muito desejado lateral esquerdo não existe e não foi contratado. A segunda transferência que, na minha opinião, é difícil de dissecar, ao que concerne os dois clubes envolvidos no negócio, é Lima do SC Braga. Face à sua importância na equipa minhota, a participação desta na Liga dos Campeões e o respectivo encaixe financeiro, já garantido mais o que ainda poderá vir, a lógica, onde ela existe, indica que qualquer mexida no plantel seria apenas para o reforçar. Considerando os noticiados 4,5 milhões do negócio, servirá para confirmar que o mais elevado nível competitivo bracarense em anos mais recentes tem abatido os seus cofres e que nem tudo é «um mar de rosas». Aceita-se perfeitamente a opção do jogador, em que se muda para um clube do topo - no seu último ano de contrato - e irá usufruir de um aumento salarial considerável. Já para o Benfica a contenda é mais discutível; reforça o sector menos necessitado e salvo ele surgir com uma «explosão» de golos, é fácil de prever que vai ser mais um para o «baralho» de segundas opções de Jorge Jesus. Com um contrato de quatro anos e se o desejado sucesso não se confirmar, vai ser outro nome na longa lista dos emprestados encarnados.

 

Mais para o Norte do país, absolutamente nada surpreendeu. O caso de Hulk já foi debatido e não merece mais discussão. Quanto a João Moutinho, limita-se a ser mais do mesmo. Transferência por intermédio de Pinto da Costa requere determinados valores e um qualquer pacote finório que permita ao FC Porto receber mais e pagar menos ao Sporting. Isto, sem considerar a percentagem do passe que já foi alienada. Sendo verdade os 27 milhões oferecidos pelo Tottenham, o Sporting teria direito a 4 milhões mais o que é aplicável aos direitos de formação e acabaria por receber tanto ao mais do que o FC Porto, incluindo os valores da venda original. É provável que o jogador não tenha ficado radiante com o decorrer do (não) negócio, mas como diz o velho ditado: «cada um tem aquilo que merece»...mais cedo ou mais tarde. A fábula publicada hoje pelo jornal O Jogo, em que os documentos terão chegado quatro minutos atrasados à Inglaterra e ainda uma outra versão em que Villas-Boas alegadamente disse que chegou a haver acordo entre clubes mas que as negociações falharam relativamente ao contrato do jogador, não passam disso mesmo, histórias «para inglês ver».

 

Pág. 9/9

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D